Cientistas comprovaram que usar papel alumínio potencializa o sinal de Wi-Fi.

A era digital veio para ficar. Hoje as redes podem alcançar longas distâncias, muitas vezes até dispensando os cabos, tal como ocorre com o sistema Wi-Fi. Entretanto, as gambiarras, ou arranjos provisórios, que ajudam a potencializar ainda mais as conexões, ainda estão sendo utilizadas, até mesmo por cientistas. É do conhecimento popular os diversos tipos de vantagens que se pode tirar do uso de papel alumínio, porém, recentemente, alguns profissionais e pesquisadores da Universidade de Dartmouth, conseguiram comprovar, por meio de muitos testes, que a utilização do famoso papel alumínio tende a ser extremamente eficaz no direcionamento e eficiência de um sinal da internet em Wi-Fi.

Os testes realizados pelos referidos cientistas fazem parte de uma série de procedimentos experimentais, cuja intenção consiste em melhorar as conexões de internet sem fio, que é muito utilizada e até necessária na atualidade. Utilizando papel de alumínio eles intuíram que um tipo de impressa 3D encapada com folhas de alumínio tende a fazer aumentar o alcance dos contatos sem fio, e melhorar a segurança do Wi-Fi. Tudo isso pode custar em um simples investimento no valor de US $ 35, sendo que basta especificar os atributos necessários de cobertura, fazendo uso de um refletor sem fio que pode ser aparelhado no sentido de ir além das antenas existentes, que chegam a custar milhares de dólares todos os anos, conforme declarou uma das professoras assistente da Universidade de Dartmouth.

Todo o trabalho, em resumo, consiste em instalar um refletor na antena própria do roteador sem fio; deste modo é necessário moldar o feixe existente no local, tornando maior, assim, o seu nível de alcance, sendo que o sinal fica bastante alto, suspenso, evitando obstáculos em locais por onde não deveria passar. De acordo com as instruções escritas pela mesma professora assistente, o grupo de pesquisadores teve chance de testar diversos designs de antenas direcionais, como também experimentar um tipo de solução que, sumariamente, consiste em fixar, com resina, uma lata de refrigerante na parte de trás do roteador para que seja possível dar outra forma às ondas de rádio que passam pelo dispositivo, direcionando-as a um alvo específico. Afinal de contas, todo tipo de lata é feita de folhas de alumínio de espessuras diferentes.

Outro método é o de posicionar uma folha de papel alumínio também na parte de trás da antena do roteador, quase a envolvendo completamente, deixando uma abertura direcionada para o alvo certo que proporcione ampliação do sinal. Entretanto, todos esses experimentos ainda estão em fase de confirmação, já que estão sendo testados por diversos meios e não se pode garantir o tempo de melhora que proporcionam no sinal Wi-Fi, por exemplo.

Enfim, depois de todos os tipos de testes em cima dos equipamentos próprios e adaptáveis para este projeto, os quais significariam uma mão na roda, literalmente, a mesma equipe de pesquisadores elaborou um programa adicional, intitulado de WiPrint em que o 3D imprime um molde mais preciso e necessário para configurar os raios e os feixes, garantindo uma cobertura mais perfeita e segura. Entretanto, esta equipe de pesquisadores ainda não decidiu disponibilizar nenhum tipo de dispositivo para o público geral, que seria lançado sob a forma de um programa, porém, eles sustentam a tese de que com esses procedimentos as conexões sem-fio certamente tendem a ficar muito melhores.

Este é método muito simples, porém, genial, sendo que constitui uma estratégia extremamente eficiente, conforme as pesquisas avançam. Na medida em que os moldes elaborados ficaram prontos e foram adaptados ao roteador, o mesmo grupo de pesquisadores logrou alcançar um sinal Wi-Fi potencializado e mais eficiente, atingindo os pontos desejados, sendo que foi possível criar um refletor capacitado para manter a internet íntegra e seu sinal, impedindo que a mesma escape pela janela, por exemplo, tornando ela mais consistente dentro de um determinado ambiente.

Por Paulo Henrique dos Santos

Wi-Fi


O projeto visa deixar a comunidade carioca mais conectada nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016

Uma novidade promete aquecer o coração dos cariocas ainda neste ano. A Cisco, uma empresa voltada à Internet das Coisas, será a responsável pelo projeto que promete implantar sete mil pontos de acesso wi-fi na cidade do Rio de Janeiro.

O objetivo desta inovação é tornar a comunidade carioca mais conectada para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016. Umas das propostas do projeto é trazer soluções para a cidade, a fim de melhorar a gestão, além da eficiência em garantir serviços públicos de qualidade durante o evento.

Em recente entrevista ao site Techtudo, o diretor de novos projetos da Cisco, Rodrigo Uchôa, afirmou que a maior preocupação é a possibilidade de oferecer uma base de redes e segurança não só dentro das instalações esportivas, mas também fora.

A empresa pretende gerar ambientes seguros que possuam a tecnologia Cisco. Assim, as instalações receberão o venues, que poderão ser instaladas dentro das arenas e também nas áreas de acesso comum, como aeroportos e hospitais.

Já os equipamentos para a instalação dos sete mil pontos wi-fi devem chegar ainda em 2015. Segundo informações, no total, serão cerca de 12 mil pontos de rede, distribuídos em 100 mil portas de rede LAN, 150 equipamentos firewall e NGIPS e 500 servidores.

A Cisco, no ano passado, foi a responsável por fornecer os equipamentos necessários para a montagem de dois Data Centers, um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo, que esse ano servirão de abrigo de dados, além de serviços de tecnologia para os Jogos Olímpicos do próximo ano.

Para Uchôa, os eventos esportivos de 2016, aliados com as novas tecnologias, terão a tarefa de tentar aproximar os atletas com a comunidade e o público, além, é claro, de deixar um legado tecnológico para a cidade, tornando-a mais humana e criando conexões duradouras.

A implantação dessa tecnologia para os jogos mobilizará cerca de oito mil profissionais.

Por Andréa Corneli Ortis

Foto: Riotur


Uma iniciativa desenvolvida por uma startup portuguesa, que poderia ser adotada no Brasil, promete oferecer mais opções de conexão aos usuários. A empresa quer tornar os carros em antenas wi-fi, usando a estrutura de conexão dos veículos com acesso à internet.

A ideia é da startup Veniam, com sede na cidade do Porto, Portugal. Segundo ela, todos os carros conectados ao sistema serão equipados com um tipo de hotspot wi-fi, carregado pelo próprio veículo, assim, qualquer pessoa pode se conectar à rede.

A intenção é que o projeto seja financiado por prefeituras e governos que tenham interesse em criar redes de internet gratuitas para seus habitantes. Trata-se de uma iniciativa inovadora (e ambiciosa) da companhia, que quer conectar todos os automóveis do mundo em seu sistema.

Será uma tarefa difícil, uma vez que existem mais de um bilhão de carros no planeta e a previsão é que esse número aumente.

Pouco mais de 660 veículos particulares já foram cadastrados no serviço oferecido pela Startup, contudo, todos em Portugal. A empresa já atua no país operando um serviço de internet com mais de 95 mil usuários. Algumas prefeituras, como a da cidade de Porto, já anunciaram que adotarão o sistema, inicialmente na frota de ônibus, táxis e caminhões da prefeitura.

João Barros, presidente da Veniam, está feliz com os possíveis resultados e afirmou que este é o primeiro passo da "internet das coisas que se movem":

Ele ainda acredita que essa é a forma mais adequada de levar internet a locais em que a infraestrutura não permite as conexões convencionais. Sem contar que o serviço pode funcionar nos locais onde não há energia elétrica, pois depende somente da baterias dos veículos.

Por Ana Rosa Martins Rocha

Foto: divulgação


A Samsung divulga a fabricação da tecnologia Wi-Fi de 60 GHz, através de uma velocidade que pode atingir 4,6 Gbps. A quantidade é equivalente a cinco vezes mais do que o valor atingido pela tecnologia anterior.

Existe a possibilidade de passagem de filmes de 1GB em somente três segundos, através dos aparelhos ligados na mesma rede. Esta nova linha, que é denominada como 802.11ad, poderá ser iniciada nos dispositivos a partir de 2015.

O lançamento colocará a sinal com a possibilidade do contorno de barreiras físicas e com a eliminação de interferências. A tecnologia também irá permitir streaming de qualidade elevada através de um media center com uma TV interligada.

O comunicado oficial da empresa relatou que diferentemente das tecnologias de 2,4 GHz e 5 GHz vigentes, a linha Wi-Fi 802.11ad de 60 GHz da Samsung permanecerá a velocidade no nível máximo, impedindo que ocorra interferência do mesmo canal, sem contar com a quantidade de aparelhos interligadas na rede.

A tecnologia é permitida por antenas especiais reunidas, que não precisam de interferências, como paredes e portas, para continuarem a ter o sinal de velocidade alta ativo. Uma rede onde estão presentes diversos computadores interligados ocorre o mesmo.

Se os sinais recentes de alta velocidade são propensos a terem queda de qualidade ao serem interligados em sinais iguais, a nova tecnologia da empresa tende continuar tudo inalterado a 60 GHz.

A empresa Samsung tem o objetivo de interligar a nova tecnologia Wi-Fi com vários produtos, onde pode-se citar os dispositivos audiovisuais, médicos e equipamentos de telecomunicações. Entretanto, em um primeiro momento, a escala dos 60 GHz necessita ser licenciada para utilização comercial, fato que apenas tenderá a acontecer nos Estados Unidos, na Europa e em parte da Ásia, no ano de 2015.

Não foi informado ainda qual será o prazo estipulado para que ocorra utilização comercial para o Brasil.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


Para algumas pessoas ter Wi-Fi em toda a casa pode parecer a coisa mais difícil do mundo tecnológico. Mas a verdade é que não é assim. Alguns dispositivos ligados à internet conseguem manter a rede wireless por toda casa com qualidade.

Vamos às dicas para poder distribuir internet em todos os cantos de sua casa, de forma que não irá precisar se preocupar com apagões e nem a falta do Wi-Fi em alguns lugares.

– Roteador:

Sem ele fica muito difícil conseguir equipar sua rede interna. É o roteador que faz o sinal do seu wireless chegar a todo lugar. No mercado você pode encontrar vários roteadores, de diversas marcas e preços. Lembre-se que deseja cobertura máxima do Wi-Fi em toda a sua casa, até nos lugares elevados e menos utilizados, como banheiro, por exemplo. Isso é preciso ser levado em consideração na hora de escolher e comprar um roteador.

Você deve escolher aparelhos com potência acima dos 20mW, mesmo que você não conheça nada sobre essa especificação, exija número maior que isso. Os números comuns, diríamos padrões, são de apenas 100mW. Então, quando maior a sua potência, maior será seu alcance.

Certifique que onde mora não há muitos sinais de Wi-Fi. Assim ficar melhor para escolher aparelhos com até 2.4 GHZ é um bom aparelho em propagação e alcance.  Para quem mora e prédios, normalmente há mais Wi-Fi, então será melhor roteadores com até 5GHz ou, se possível, Dual Band. Assim não terá chance de ter interferência.

– Localização:

Interferências físicas podem atrapalhar a chegada do Wi-Fi. Paredes grossas e alguns obstáculos podem prejudicar a distribuição. Procure um ponto central da casa para posicionar o roteador. Um ponto, como um corredor, para que ele possa distribuir mais facilmente o sinal para toda casa.  Evite locais perto de paredes. Cada roteador tem um pico de frequência a ser observado.

– Repetidor:

Para quem precisa ou quer ter uma cobertura maior do Wi-Fi é preciso  usar um repetidor do sinal da internet. O preço mais acessível é de aproximadamente R$ 100. Não terá problemas para instalar já que é de fácil instalação. Em alguns aparelhos dá para fazer pontos de rede cegos. Assim nenhum roteador irá alcançar.  

Por Douglas Lima dos Anjos


Canon PowerShot G16Uma das tantas câmeras disponíveis no mercado atual conseguiu sair de seu estado obsoleto de desempenho e reconquistar a confiança do consumidor. O único diferencial do modelo anterior, G15, é a conexão Wi-Fi e vídeo 1080/60p.

A nova câmera PowerShot G16 também inclui três modos de cena noite, estrela Nightscape (longa exposição), Star Trails e Star Time Lapse Filme. Sua rápida F1.8 – 2,8 varia de lentes equivalentes de 28-140mm, permitindo a retenção de velocidade rápida do obturador em pouca luz, e seu processador DIGIC 6 junto com o sensor CMOS de 12.1MP, uma combinação Canon que vai permitir uma melhor qualidade de imagem em pouca luz. A empresa Canon também diz que autofocus e atraso do obturador deve ser até 50% mais rápido com o G16.

Já tendo perdido grande parte de suas vendas, e ficando para trás nas vendas com as inovações da Fujifilm e da Sony, a Canon lançou o novo modelo oferecendo o que outras câmeras compactas já ofereciam, mas consegue entrar novamente na luta com seus concorrentes.

A câmera ainda é vitima de diversas críticas e consumidores insatisfeitos que esperavam mais melhorias no modelo, mas se mostra resistente no mercado e não parece que vai desistir assim tão rápido.

Por Fábio G. Santos


Neste sábado, dia 15 de dezembro de 2012, teve início mais uma ação inovadora do Google.

A novidade do momento ficou por conta da instalação em 150 bares de internet sem fio com alta velocidade e gratuita.

Os estabelecimentos ficam localizados nas cidades de Campinas, Florianópolis, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Esta rede de conexão pretende atender cerca de 2 milhões de usuários e terá uma duração de 90 dias, sendo que a decisão do Google de realizar esta inovação no Brasil reside no uso cada vez maior pelos brasileiros de dispositivos móveis como celulares e tablets.

Por Ana Camila Neves Morais


A nova versão do software do Kindle Touch para os aparelhos 3G e Wi-Fi foi liberada pela Amazon. Nas principais mudanças podemos encontrar o suporte para novos idiomas, e o português do Brasil está incluso dentre eles. Além disso, a nova atualização ainda traz alteração no modo paisagem, que permite ao usuário a mudança de orientação da tela na hora de ler e digitar textos.

Com a entrada da língua portuguesa no aparelho da Amazon, podemos perceber a vontade da empresa de lançar seus aparelhos aqui no país.

Os novos idiomas que foram adicionados à atualização são: alemão, francês, espanhol, italiano e português brasileiro. Ainda foram implantadas algumas mudanças entre o inglês dos Estados Unidos e o do Reino Unido.

O recurso text-to-speech, que é encontrado em outras versões do Kindle, foi implantado nesta atualização e serve para leitura em áudio de textos em inglês. Além disso, outra mudança é a adição de novas opções de compartilhamento de conteúdo visto em redes sociais.

Para fazer o download da nova versão do Kindle Touch, o TechTudo fez um tutorial de como fazer a atualização. Basta acessar o site e seguir o passo a passo.

Por Guilherme Marcon


Esta vai para os cibernéticos que tenham computador portátil mas são desprovidos de internet sem fio. Muitos restaurantes e bares permitem acesso gratuito em suas redes de internet wireless, o chamado sistema WI-FI, contudo usar essas redes não é tão gratuito assim tendo em vista que você sempre terá de consumir alguma coisa no estabelecimento para garantir a acessibilidade.

Para países em que a internet WI-FI não é gratuita é preciso achar alternativas mais baratas de acesso, para quem mora em São Paulo capital, uma boa pedida é se cadastrar no site do Centro Cultural São Paulo (CCSP – metrô Vergueiro) e pedir uma senha de acesso ao sistema wireless. A liberação do sistema leva menos de uma semana e depois de assinar um termo de responsabilidade você poderá usar a internet livremente nas dependências do CCSP.

CCSP:

www.centrocultural.sp.gov.br (clique em “Rede Sem Fio”)

Rua Vergueiro, 1000 – São Paulo

Por Monica Dinah





CONTINUE NAVEGANDO: