Confira aqui os preços do Novo iPad no Brasil.

A Apple anunciou o novo IPad e preço que o aparelho será vendido no Brasil. O tablet da marca continua com valor superior ao oferecido nos Estados Unidos, mesmo com as quedas de preços por lá. A companhia manteve o tamanho da tela do aparelho: 9.7’’ e resolução de 2.048×1.536 pixels.

Preços

Os valores a serem praticados seguirão a mesma estratégia de variar de acordo com o armazenamento interno do aparelho. Assim, quanto maior sua memória, mais elevado é o seu preço. Dessa forma, estão disponíveis em duas versões: 32GB por R$2.499 e 128GB por R$2.999. Elas poderão ser encontradas nas cores prata, cinza-espacial e dourada.

Configuração do Novo iPad

O aparelho tem configuração um pouco mais básica se comparada com o modelo iPad Pro, por exemplo. Afinal, os tablets da marca têm sofrido queda de vendas. Isso se deve, provavelmente, pelo fato de serem mais duráveis do que os dispositivos da linha iPhone. Assim, o lançamento deve ser parte de estratégias para melhorar esse quadro.

Os novos iPads não levarão mais o nome Air e deverão ter a seguinte especificação:

· Dimensões: 240mm (altura)x169.5mm (largura)x7.5mm (espessura).

· Peso: 469g.

· Armazenamento interno: 32GB ou 128GB.

· Sistema operacional: IOS 10.

· Tela de retina, com resolução de 2.048×1.536 pixels e revestimento com resistência à oleosidade e impressão digital.

· Chip: A9 (64 bits) e coprocessador M9.

· Câmera traseira: 8MP

· Câmera frontal: não especificada.

· Gravação de vídeo: em HD de 1.080 pixels.

· Conectividade: Wi-Fi.

· Duração da bateria: 32,4 watts por hora, com a promessa de 10 horas de navegação via Wi-Fi.

· Itens extras: touch ID, barômetro, acelerômetro, além de sensor de luz ambiente e impressão digital.

Novidades da Apple

Como pode ser percebido, a Apple também removeu a versão de 16GB da linha iPad. Mas, como adicional, a companhia disponibilizará para o aparelho o aplicativo Clips, que permitirá edição simples de vídeos de conteúdos curtos para redes sociais.

A empresa também anunciou um novo dispositivo das linhas iPhone 7 e iPhone Plus na cor vermelha. Os smartphones de edição limitada foram desenvolvidos em comemoração aos 10 anos de parceria e colaboração com a organização RED, instituição de combate ao vírus da Aids. Eles terão preços de R$ 3.899 e R$ 4.499.

O novo modelo do iPad e os iPhones poderão ser adquiridos a partir do dia 24 de março, no site oficial da Apple no Brasil.

Camilla Silva


A Microsoft já disponibilizou gratuitamente os aplicativos do pacote Office para os usuários de tablets com o sistema operacional Android e agora está buscando mais usuários para a sua plataforma que enfrente pesada concorrência entre estes dispositivos.

Desde o dia 29 de janeiro que o pacote Office pode ser acessado gratuitamente em mais uma tentativa da Microsoft de tornar o seu pacote de serviços mais utilizado nos dispositivos móveis. E a empresa até já anunciou uma nova versão para o Office que será exclusivo para estes aparelhos, inclusive será compatível com tela sensível ao toque.

Outra novidade anunciada pela Microsoft foi um aplicativo que torna o Outlook compatível com iPhones e iPads. O Outlook já foi um dos programas de e-mail mais utilizado no mundo e fazia imenso sucesso quando os computadores desktop dominavam o mercado, pois já vinha acoplado ao Windows. Mas agora, com um grande número de pessoas deixando o computador de lado para usarem exclusivamente os smartphones e tablets, a Microsoft vem se adaptando à nova realidade e quer inclusive, conquistar os milhões de usuários dos aparelhos da Apple.

Apesar da Microsoft estar investindo pesado no mercado de aparelhos móveis, a empresa ainda encontra-se bem atrás da Apple e do Google, mas o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, está apostando nestes novos produtos para conseguir conquistar uma parte maior deste mercado.
A disponibilização do uso do Office gratuitamente é uma atitude desesperada da empresa que por décadas foi contra liberar o pacote para ser usado de graça, mesmo diante da concorrência que o pacote tinha entre os usuários de computadores. O problema é que no PC, o Office dominava de forma absoluta, porém, entre os smartphones e tablets, o Office é pouquíssimo usado.

Um dos lançamentos mais esperados para este ano é o Windows 10 que promete revolucionar o mercado e a Microsoft vai aproveitar a ocasião para lançar o Office compatível com tela sensível, esperando assim, uma maior adesão por parte dos usuários.

Por Russel

Office para tablets

Office para tablets

Fotos: Divulgação


Nesta semana a HP anunciou novos tablets ElitePad e Pro equipados com o sistema operacional da Microsoft, o Windows 8.1. Entre eles estão alguns modelos híbridos que podem tanto ser utilizados como tablets ou como notebooks.  

Um dos tablets novos da HP é o Pro Tablet 408 G1. Este modelo possui uma tela de 8 polegadas e vem equipado com um processador da Intel de modelo Atom. Sua capacidade de armazenamento interno é de 64 GB e sua câmera traseira é de 8 megapixels, segundo a fabricante informou. Este modelo estará disponível com preços a partir de 299 dólares.  

Outro modelo interessante e que é voltado para uso em escolas e outras instituições de ensino é o HP Pro Tablet 10 EE. Trata-se de um modelo que contém uma caneta Stylus e uma capa com teclado para transformá-lo em um notebook. Este modelo deverá competir no seguimento educacional com outros aparelhos como os Chromebooks e iPads que dominam este mercado.  

O terceiro produto que a HP apresentou foi o tablet HP Elite x2 1011 G1. Este híbrido possui características de alta durabilidade e uma tala de 11,6 polegadas. Há suporte para caneta Wacom, dock WiGig e estará disponível no mercado com valores a partir de US$ 899.   Por fim temos o HP ElitePad 1000 G2. Este tablet conta com dois modelos, o Healthcare e o Rugged. O primeiro foi desenvolvido para melhorar a interação com os pacientes. Além disso, ele é consideravelmente leve e durável. Sua estrutura possui um acabamento antimicrobiano e leitor de código de barras 2D. 

Já a versão Rugged é direcionada para o uso em escritórios como para trabalho de campo. Seu corpo resistente contra poeira e água é ideal para que o produto seja durável em um ambiente corporativo. Sua bateria, segundo a fabricante conta com duração de até 20 horas.  

As versões Healthcare e Rugged estarão disponíveis no mercado com preços a partir de US$ 1.499 e US$ 1.599, respectivamente.  

Mais especificações sobre todos os tablets lançados pela HP serão divulgadas em breve.

Por William Nascimento

HP Elite x2 1011 G1

HP Pro Tablet 408 G1

Fotos: Divulgação


Novos modelos da linha Big Tab foram apresentados pela Fuhu, uma fabricante chinesa, durante a CES 2015, em Las Vegas. São tablets de proporções gigantescas, chegando até 65 polegadas.

O foco destes produtos é a educação infantil, pois com estes tablets é possível criar jogos interativos e outras aplicações voltadas para a diversão da garotada. Assim, abrem-se as possibilidades de novas formas de ensino, para diversas áreas.

Claro que também é possível imaginar outros diversos usos. Segundo Robb Fujioka, presidente e um dos fundadores da Fuhu, a linha Big Tab busca experiências que ultrapassam aquilo que a televisão já oferece.

Os modelos serão fabricados em tamanhos que vão desde as 42 até 65 polegadas. São dispositivos com excelente hardware, que oferecem grandes vantagens sobre os simples displays touchscreen.

Os modelos trazem diferenças significantes entre si. O menor deles, com tamanho de 42 polegadas, tem ambos resolução Full HD de 1080 x 1920 pixels. O processador é o Tegra K1 da Nvidia, e conta com 2GB de memória RAM. Ainda estão inclusos uma câmera de 2 megapixels e conectividade HDMI (para IPTV), Bluetooth, Wi-Fi e NFC.

Já os modelos maiores são tablets de 55 e 65 polegadas. Suas telas tem resolução 4K contam com 4GB de memória RAM. Já o processador é o Nvidia Tegra X1 octa-core.

Estes modelos mais poderosos também apresentam uma opção interessante para quem não quiser deslizar os dedos em uma tela tão grande: eles podem ser conectados a um mouse e um teclado.

Que tal utilizar um supercomputador com o sistema Android?

Além disso, os tablets de 65 polegadas terão suporte ao Netflix.

Embora sejam aparelhos voltados para a educação infantil, o investimento para adquiri-los não é nenhuma brincadeira. O modelo de 55 polegadas custará US$ 2.499 (R$ 6.705 sem impostos) e o de 65 polegadas custará US$ 4.000 (R$ 10.730 sem impostos). O lançamento está agendado para o segundo semestre.

Por Daniel Cavalcante

Fuhu Big Tab

Fuhu Big Tab

Fotos: Divulgação


Aparentemente a Sony está pronta para anunciar um novo tablet da linha Xperia Z. Após críticas à linha Xperia Z3, devido o pouco upgrade em relação à versão anterior, a empresa japonesa está disposta a revelar um hardware monstruoso que pode dar ao novo tablet da empresa o título de mais potente do mundo.  

O site chinês Padnews afirma ter obtido uma lista completa de especificações do produto Xperia Z4 Tablet que, se for verdadeira, indica que a empresa não economizou na hora de desenvolver o hardware.   Uma das características que mais chama a atenção é a tela de 12,9 polegadas com tecnologia IPS e resolução 3840×2400 pixels. O processador também deve acompanhar o ótimo upgrade. Segundo as especificações informadas ele será um Qualcomm Snapdragon 810 rodando a 2,86 GHz. Para completar, o site lista a presença de incríveis 6 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno.

Essas características são bastante superiores aos tablets atuais, mesmo os tops de linha.

Uma outra funcionalidade atraente e interessante é a presença de uma porta HDMI 1.4 que permitirá ao usuário transmitir vídeos com resolução 4K rodando a 30 quadros por segundo. Para aguentar todo o poderoso hardware a bateria também não deixará a desejar. O dispositivo terá uma bateria com capacidade de 12.100 mAh.

Abaixo você pode conferir a lista de especificações técnicas:  

– Tela: 12,97 polegadas IPS (3840×2400 pixels);

– Processador: Qualcomm Snapdragon 810 de 2,86 GHz;

– Memória RAM: 6 GB;

– Armazenamento interno: 64 GB;

– Câmera 8 megapixels com sensor Exmor RS 1/2.3” CMOS;

– Bateria: 12.100 mAh;

– Espessura: 8,6 mm.

Em relação ao design do aparelho, a Sony não deve realizar uma mudança drástica, visto que a aparência premium da linha Xperia Z é bastante elogiada tanto nos smartphones quanto nos tablets.  

Embora as especificações divulgadas possam ser verdadeiras, é preciso encará-las com uma certa desconfiança, devido à fonte que espalhou a informação. Nas atuais configurações do mercado, um tablet com 6 GB de memória RAM soa bastante exagerado. Mesmo que a Sony estabeleça um upgrade significativo, é mais provável que esta especificação chegue em torno de 4 GB.

Por William Nascimento

Sony Xperia Z4

Sony Xperia Z4

Fotos:  Divulgação


A essência básica de um tablet é sua portabilidade. No mercado atual há diversas opções para agradar aos mais variados interesses dos consumidores. Não há dificuldades em encontrar tablets com telas entre 6 e 12 polegadas. Afinal, esta faixa é adequada para consumir conteúdo e manter a portabilidade do dispositivo.

Segundo rumores, a Apple, por exemplo, pretende lançar um tablet de 12 polegadas, o que já é considerado grande para os padrões atuais. No entanto, a Toshiba parece não estar muito satisfeita com os tamanhos de telas atuais, disponíveis no mercado. A empresa decidiu lançar um tablet de 24 polegadas. Chamado de Toshiba TT301, o aparelho é voltado para o mercado corporativo e mais parece um monitor com sistema Android do que um tablet convencional. As especificações de hardware do aparelho não acompanha muito bem seu tamanho. Visto que é voltado para o mercado corporativo, deveria apresentar melhores configurações.

O TT301 tem um processados Dual-Core trabalhando a 1 GHz, com 1,5 GB de memória RAM e armazenamento interno de 16 GB. O sistema operacional é a grande decepção do produto. De maneira bastante estranha, a Toshiba resolveu disponibilizá-lo com o Android 4.2.1, versão que foi lançada em novembro de 2012.  

O tamanho da tela permite que o usuário interaja com dois aplicativos ao mesmo tempo. A tela de 24 polegadas LCD tem uma resolução de 1920 x 1080 pixels, o que fazendo as contas dá algo em torno de 92 pixels por polegada. O tablet poderá ser utilizado para outras funções, visto que conta com fontes externas como entrada HDMI, alto-falantes, controle remoto e suporte a Miracast. Seu peso é de 3,9 kg, nada prático para o uso pessoal aliado a mobilidade.  

Ainda não há previsão de disponibilidade do Toshiba TT301 no mercado mundial. A Toshiba também não divulgou quanto o tablet gigante custará. É esperado que o tablet seja vendido inicialmente no Japão.

Toshiba TT301

Toshiba TT301

Fotos: Divulgação


Para quem pensou que todos os lançamentos tecnológicos para este ano já haviam sido feitos, a Apple trouxe uma surpresa e tanto: o iPad Air 2 e o iPad mini 3 que inclusive, já estão à venda no Brasil.

Os modelos estão repletos de novidades e chegam exatamente quando os consumidores saem para as compras e como os smartphones e os tablets serão os produtos mais comprados este final de ano, iPad Air 2 e iPad mini 3 poderão conquistar o posto de aparelhos mais vendidos neste final de ano.

O iPad Air 2 e o iPad mini 3 foram lançados nas cores cinza, dourada e também prateada.
E são 3 versões com espaço interno para armazenamento: 16, 64 e também 128 GB. Ambos os aparelhos foram lançados em outubro, mas somente agora os brasileiros poderão encontrá-los disponíveis para comprá-los.

O motivo é que a Anatel somente homologou o iPad mini 3 Wi-Fi, o iPad Air 2 LTE e o iPad mini 3 LTE somente na segunda quinzena do mês de novembro e isto atrasou o lançamento dos aparelhos no mercado.

Um dos principais diferenciais do iPad Air 2 é que ele é um tablet muito fino, contando apenas com 6,1mm e sendo ideal para o uso profissional não só pela facilidade de transporte mas também pelo seu poder de processamento, pois o aparelho roda até os aplicativos mais pesados sem dificuldade.

Mas o Dell Venue 8 7000 já superou o iPad Air 2 como o tablet mais fino do mundo, pois o modelo conta com apenas 6mm e possui um processador 40% melhor e os gráficos é muito mais rápido, se tornando uma excelente alternativa, para quem achar os lançamentos da Apple caros.

Para adquirir um dos lançamentos da Apple, o consumidor brasileiro vai ter que desembolsar uma boa quantia, pois o iPad Air 2 tem preços a partir de R$ 2.079,00 e o iPad mini 3 custará R$ 1.729,00 em sua versão mais básica.

Os aparelhos já podem ser encontrados nas principais lojas online e também no site da Apple: store.apple.com/br.

Por Russel

iPad Air 2 e iPad mini 3

iPad Air 2

iPad mini 3

Fotos: Divulgação


Quando lançados, foram uma febre como poucas vistas no mundo tecnológico nos últimos tempos. Todos queriam um tablet. Ficar batendo os dedos numa tela de vidro e ela abrir vídeos, músicas, internet e jogos era sensacional.

Os primeiros tablets tinham preços muito altos e, então, pouco acessíveis. Em pouco tempo a China, como de costume, chegou no pedaço e fez todos os concorrentes reverem seus preços. Milhões de tablets foram vendidos, mas, como eu sempre digo em relação à área de tecnologia: temos sempre que esperar 365 dias para dar um "ok" positivo para qualquer coisa.

Digo um ano porque é o tempo suficiente para os circuitos existentes dentro de qualquer engenhoca mostrar se são confiáveis ou não. Enfim, o tablet mostrou-se eficiente para algumas funções e horrendo para outras.

Para jogar é bom. Mexer no Facebook, abrir um e-mail, ver algumas fotos. E pronto. Serve pra isso. Qualquer função a mais no aparelho faz ele ficar lento, travar e até desligar. Está certo que existem muitos modelos, marcas e configurações de tablets, mas os testes apontam para os mais vendidos. Claro que qualquer aparelho top de linha tende a apresentar menos defeitos. 

Os melhores equipamentos disponíveis no mercado, que valem a pena o investimento, são os da empresa chinesa Huawei, que têm tela de 7 polegadas e trazem as seguintes configurações de hardware: processador quad-core Hisilicon Kirin 910, GPU Mali-450MP4, 2 GB de RAM e 16 GB de espaço de armazenamento.

O tablete da gigante Amazon conta com processador Qualcomm Snapdragon 800, GPU Adreno 330 e 2 GB de RAM. Há versões com 16 GB, 32 GB e 64 GB disponíveis para o consumidor.

E o melhor tablet, na opinião de especialistas e consumidores, é o Galaxy Tab S, da Samsung, com tela de 8,4 polegadas. O produto já está disponível nas lojas brasileiras e tem preço sugerido de R$ 1.800,00.

Segundo testes realizados no aparelho, ele responde bem a todos os quesitos e vale a aquisição.

Por Luciana Viturino

Foto: divulgação


A briga pelo mercado de tablets de telas grandes promete esquentar em no próximo ano. Se os rumores que circulam na internet nos últimos dias estiverem corretos, a Microsoft deverá encontrar dois grandes concorrentes para o Surface Pro 3, que foi lançado sem nenhum concorrente em seu nicho de mercado.

Um dos possíveis concorrentes é a Apple, com o provável iPad Pro, e o outro é a Samsung, com um tablet de 13,3 polegadas. Apesar de serem rumores, eles estão tomando conta dos sites de tecnologia, o que deve ser indício de que alguma novidade deve acontecer nesse sentido.

No caso do iPad Pro, a origem dos mais recentes rumores é o site japonês Macotakara. Segundo a notícia, “fontes confiáveis” afirmaram que a Apple estaria fabricando um iPad de 12.2 polegadas, 7.1mm de espessura e autofalantes estéreos. Essas especificações são um pouco diferentes dos rumores anteriores. A data de lançamento dessa vez foi prevista para o terceiro trimestre de 2015.

Já o tablet gigante da Samsung teve suas notícias divulgadas no site coreano AsiaE.co.kr e o portal GSM Arena. Segundo as fontes, o aparelho usará tela de cristal líquido, processador Exynos 5 com 4 Cortex A15 (1,9GHz) e 4 Cortex A7 (1,3GHz). Também contará com 3 GB de memória RAM. A câmera traseira será de 8 MP e a frontal de 2 MP.

O Surface Pro 3 da Microsoft foi vendido como uma melhor opção ao MacBook Air, sendo um tablet versátil que pode ser facilmente adaptado para ser usado como um notebook, com a diferença de ser bem mais portátil. O MacBook Air tem 13 polegadas, o que é interessante de notar, pois o novo tablet da Samsung traz essa mesma medida.

A Microsoft que vem atacando a Apple em seus comerciais da linha Surface pode ter razões para se preocupar com os próximos lançamentos dos concorrentes.

Por Daniel Cavalcante

iPad Pro

Foto: Divulgação

 


A Dell lançou um tablet com sistema da Microsoft da série Venue Pro 8 3000. A marca inovou ao lançar a primeira linha de tablets com 8 polegadas e com o sistema da Microsoft e, ao que tudo indica, a fórmula tem feito sucesso. Esta nova linha tem o intuito de proporcionar ao consumidor um equipamento bom e com preço razoável, cerca de US$ 200.

O modelo Venue Pro 8 5000 tem um valor médio que varia entre US$ 250,00 e US$ 300,00. O novo modelo Venue Pro 8 300 também terá processador Intel, mas de um modelo diferente, será o Z3735G, da Atom, mais utilizado nos antigos modelos de netbooks e em alguns notebooks. O novo modelo conta também com 1 GB de memória RAM, enquanto que o Pro 8 5000 tem um processador Atom Z3745D, além de 2 GB de memória RAM.

A nova linha 3000 sofrerá alguns cortes efetuados pela Dell, a começar pelo suporte a múltiplos níveis de pressão com a caneta Stylus. O suporte para a banda de rede Wi-Fi também não será o mesmo, suportará apenas uma banda, ao contrário do antigo modelo que conta com 2.4 GHz e 5 GHz.

O modelo conta ainda com outras configurações, dentre elas podemos destacar: tela com resolução de 1280 x 800 pixels, com painel de IPS, 32 GB de memória interna para livre utilização, Bluetooth de 4.0, câmera traseira de 5 MP e frontal de 1.2 MP. A memória interna pode ser expandida através do slot para cartão de memória, que suporta até 128 GB.

A previsão é que o novo modelo chegue em breve ao mercado. Para quem utiliza o aparelho para funcionalidades básicas do dia a dia o modelo atende bem, principalmente pelo custo benefício, mas para aqueles que necessitam de configurações mais robustas, recomenda-se outros modelos com melhor desempenho.

Por André César

Dell Venue 8 Pro 3000

Dell Venue 8 Pro 3000

Fotos: Divulgação


As suítes de softwares para escritório da Microsoft estão disponíveis gratuitamente para tablets e smartphones equipados com iOS e Android. Disponibilizar o Word, Excel e PowerPoint gratuitamente é uma estratégia da Microsoft para seus produtos em nuvem.  

A suíte Microsoft Office Mobile já estava disponível gratuitamente para usuários Android e iOS desde março deste ano. O que a Microsoft fez foi separar as três aplicações, a fim de que, se você precisar somente do Word, poderá realizar o download do app.  

O iPad teve sua versão do Office melhorada e agora apresenta funcionalidades completas além de apenas editar textos. É possível utilizar os aplicativos de maneira bem parecida aos softwares da versão desktop. Para tablets Android, a Microsoft lançou uma prévia da versão beta do que será a suíte Office. À primeira vista, é muito semelhante à versão do iPad.  

Para dispositivos móveis, a Microsoft adicionou um novo sistema chamado de Reflow View, que permite ao usuário aplicar zoom nos documentos para que possam manipulá-los sem muita dificuldade. Com estas melhorias, trabalhar com qualquer aplicativo da suíte Office está mais prático e eficaz.  

As versões para iPhone e iPad já estão disponíveis. Já os usuários de dispositivos Android terão de esperar até o início de 2015 para contarem com as aplicações.

É necessário possuir um tablet entre 7 e 10,1 polegadas rodando a versão KitKat do sistema operacional do Google. Por enquanto, a Microsoft não está aceitando tablets com a versão 5.0 Lollipop.  

Clientes do Office 365 ainda contarão com vantagens. Algumas delas são a possibilidade de edição avançada e colaborativa, armazenamento ilimitado no OneDrive e integração com o Dropbox.  

O Dropbox também anunciou uma parceria com a Microsoft para integrar seu sistema de armazenamento em nuvem com mais intensidade dentro dos aplicativos do Office. A ação permitirá que cerca de 35 bilhões de documentos do Office, como planilhas e apresentações que estão armazenadas no Dropbox, possam ser acessados com facilidade a partir das aplicações móveis do Office para iOS e Android.

Por William Nascimento

Office para tablets

Foto: Divulgação


O Vainglory, aplicativo criado pela Super Evil Megacorp (www.superevilmegacorp.com/#home), alcançou o topo do ranking de jogos para tablets (e agora também disponível para o iPhone 6) no segmento de jogos de arena de batalha online multiplayer (para telas touch).

O layout do jogo é simplificado se comparado com seus similares disponíveis para desktops. Ao invés de três linhas para atacar a base adversária, há um caminho em linha reta numa área deserta onde você pode se esconder para matar os adversários para ganhar pontos de experiência, saúde, ouro ou ganhar uma batalha com um monstro gigante e fazê-lo lutar por seu time. Mesmo jogadores novos que não têm conhecimento dos personagens do jogo conseguem jogar em grupo. Cada personagem tem apenas três habilidades, o que faz o usuário aprender o que funciona e o que não funciona sem arruinar a estratégia da equipe. Os itens de upgrade de velocidade de ataque, defesa e precisão, dentre outros, são fáceis de entender para jogadores de outros jogos no mesmo estilo, mas já podem não ser tão óbvio para jogadores novos.

Comparado a outros jogos de arena de batalha multiplayer online (MOBA, sigla em inglês) e jogos de ação/RPG para tablets, algumas coisas se destacaram em favor do Vainglory. O desempenho do jogo é excelente, sem atrasos, travamentos ou grandes problemas gráficos, frisando que o jogo foi testado em uma condição excelente de conexão à internet. O jogo também é extremamente compatível com toques e deslize de dedos, o que ajuda em momentos importantes da partida.

O jogo está disponível apenas para alguns países asiáticos no momento, uma vez que a empresa desenvolvedora está utilizando o lançamento limitado para realizar testes e equilibrar as habilidades dos personagens, bem como melhorar as opções de compra dentro do próprio aplicativo, visando à satisfação dos jogadores e claro, a arrecadação com o jogo e suas opções adicionais.

Por Felipe Foureaux Freitas

Jogo Vainglory para tablets

Foto: Divulgação


Ao comprar um tablet, o consumidor atenta por características importantes e indispensáveis que o produto deve apresentar. Além das configurações e o formato do aparelho, que vão muitas vezes das preferências individuais de cada um, o desempenho e durabilidade do produto são preocupações que levam o comprador a pesquisar e voltar a sua atenção antes de realizar a sua compra.

Alguns consumidores têm divulgado na internet vídeos e informações sobre tablets que não são resistentes a impactos, entortando assim facilmente e apresentando deslocamento da tela do aparelho. Alguns dos modelos citados são da marca Apple, o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus. Devido a estes acontecimentos, a marca levou a imprensa ao seu laboratório para realizar testes que comprovam a durabilidade de seusprodutos.

Assim como a Apple, o site Consumer Reports com o objetivo de testar a resistência dos aparelhos, analisando sob quanto de força estes deslocam suas telas ou afetam sua estrutura, resolveu aplicar testes em vários outros tablets semelhantes aos da Apple. Os modelos escolhidos foram iPhone 6, iPhone 6 Plus, iPhone 5, LG G3, Galaxy Note 3 e HTC One (M8).

Ao divulgar o resultado, a Consumer Reports concluiu que os modelos que apresentaram os menores resultados no teste, ou seja, que se mostraram menos resistentes, foram o HTC One (M8) e o iPhone 6. Os aparelhos começaram a deformar sua estrutura com uma força menor que 32 kg sobre eles, sendo que os outros modelos resistiram a forças maiores que 40 kg. o HTC One (M8) também foi o menos resistente no teste de desencaixe da tela, sofrendo alterações com 40,8 kg sobre o aparelho. O iPhone 6 apresentou deslocamento da tela sobre a força de 45,2 kg, ficando assim em segundo lugar dos menos firmes. Como é possível observar no quadro abaixo, o modelo mais resistente foi o Samsung Galaxy Note 3 que resistiu até 68 kg para desencaixe da tela e deformação de sua estrutura.

Confira os dados obtidos:

  • HTC One (M8):

– Deformação: 31,7 kg;

– Desencaixe da tela: 40,8 kg.

  • Apple iPhone 6:

– Deformação: 31,7 kg;

– Desencaixe da tela: 45,3 kg.

  • Apple iPhone 6 Plus:

– Deformação: 40,8 kg;

– Desencaixe da tela: 49,8 kg.

LG G3:

– Deformação: 58,9 kg;

– Desencaixe da tela: 58,9 kg.

  • Apple iPhone 5:

– Deformação: 58,9 kg;

– Desencaixe da tela: 68 kg.

  • Samsung Galaxy Note 3:

– Deformação: 68 kg;

– Desencaixe da tela: 68 kg.

Por Bruna Pereira

Teste de tablets

Foto: Divulgação


Um dos maiores sites de compras do EUA, a Amazon, anunciou no último mês a nova linha de tablets Kindle Fire.

O Kindle Fire HDX de 8,9 polegadas é o principal produto, apresentado pela Amazon como sendo “o melhor tablet da empresa”. Com novo processador de 2,5 GHz promete ser 70% mais rápido do que o antecessor, além de mais fino e com tela de maior resolução do que seu principal rival, o iPad Air.

Mas pensando nos diversos públicos garantiu também uma linha infantil, já pensando nos futuros consumidores. Ainda em outubro a novidade anunciada estará nas lojas americanas. Todos serão vendidos com o sistema operacional Fire OS 4 Sangria, cuja versão mais recente também foi apresentada junto com a nova linha.

O Fire HDX 8,9, versão mais robusta da linha, conta com resolução de 2560 x 1000 pixels, áudio Dolby, com  memória interna de 16 GB em diante. Possui processador inédito Snapdragon 805 quad-core de 2.5 GHz, que é considerado a grande novidade do modelo. O produto deve estar no mercado no valor aproximado de US$ 379.

O modelo mais econômico do gadget, chamado de Fire HD 6, terá o custo de cerca de US$ 99 na versão de 8 GB de memória.

O tablet foi apresentado em dois tamanhos diferentes: 6 e 7 polegadas. Já as configurações são as mesmas: processador quad-core de 1.5 GHz e resolução de 800 x 1280 pixels. 

A linha infantil foi pensada com cuidados para a realidade dos pequenos, possui as mesmas especificações técnicas do Fire HD 6, porém vem com capa à prova de quedas, adequada às crianças, o acesso anual ao serviço FreeTime Unlimited, além de garantia de dois anos. Tudo isso sairá por US$ 149.

Os brasileiros que estiverem animados com as novidades terão que esperar, pois infelizmente ainda não foi divulgado quando as novidades chegarão ao Brasil. Ficaremos no aguardo.

Por Vivian Schetini

Amazon Kindle Fire HDX

Amazon Kindle Fire HDX

Fotos: Divulgação


Segundo informações que circulam pela internet, a gigante mundial Microsoft, está trabalhando para seu novo lançamento tecnológico: uma tela sensível ao toque que desperta no usuário sensações físicas de verdade. Uma tecnologia, principalmente, útil para o display de tablets e celulares.

De acordo com um dos responsáveis pelo projeto, baseado em conceitos de eletrovibração, a novidade "funciona como mágica" e pode ser aplicada de diversas formas.

Há alguns anos atrás não era nada comum ver alguém utilizando um dispositivo com tela sensível ao toque, especialmente um celular. Atualmente, smartphones, tablets, GPS e até mesmo monitores que fazem parte do dia a dia trazem telas do gênero. Seja na rua ou dentro de casa, em caixas eletrônicos espalhados pela cidade, por exemplo, não é tão incomum ver alguém usando os dedos (ou uma caneta especial) para manipular o conteúdo mostrado no display.

Apesar de ter caído nas graças dos fabricantes e utilizadores há pouco tempo, a história das telas sensíveis começou há cerca de 50 anos, na Inglaterra, com o inventor E. A. Johnson. De lá pra cá, o conceito evoluiu bastante por meio de contribuições de vários cientistas ao redor do mundo.

Os touchscreens “táteis” foram elaborados para possibilitar que os usuários tenham sensações como a do clique de um mouse, mas ao tocar na tela. O artifício é capaz de fazer, por exemplo, com que a pessoa “sinta” o “peso” virtual das pastas (conforme o seu número de arquivos) ao arrastá-las no visor.
 “É muito, muito legal. É pegar um pequeno pedaço de vidro e fazê-lo ser algo diferente. É quase como mágica”, diz o desenvolvedor.

Segundo ele, o projeto foi criado para proporcionar aos usuários uma experiência “multisensorial”, que difere dos mecanismos de interação “bidimensionais” existentes até hoje. Para isso, eles aplicaram voltagem à superfície do display, o que cria uma fricção entre os dedos do usuário e a tela.

No entanto, essa tecnologia ainda está no estágio inicial e não tem previsão de chegar a dispositivos finais, por enquanto.

Por Michelle de Oliveira

Novidade tecnol?gica da Microsoft

Foto: Divulgação


A tecnologia avança em um espaço de tempo que não conseguimos alcançar. Todos os anos, novas pesquisas são realizadas, novas descobertas surgem e dessa maneira vamos vivendo a tão falada era digital. Como todas as coisas que nos cercam, tudo tem o seu lado bom e ruim, e na tecnologia não poderia ser diferente. Centenas de produtos nos atrasam de certa forma, mas nos adiantam em atividades diárias que talvez hoje, seria difícil imaginar a vida sem a parafernalha que nos acompanha.

A vantagem disso tudo é que ao longo do tempo, a disputa pela preferência entre as grandes companhias de tecnologia está cada vez mais acirrada. Para movimentar o lucro dos negócios, muitas delas apelam para a redução de seus produtos, abrindo espaço e fazendo com que muitos que não tinham acesso a um bom dispositivo, tenham a oportunidade de se incluir digitalmente.

A DL, que é uma fabricante de origem brasileira, lançou uma linha de tablets, que promete agradar os consumidores que estão começando a utilizar o aparelho, trazendo um produto barato, bonito e de qualidade.

O modelo, de 7 polegadas, com resolução de 800 x 480 pixels, roda Android 4,2 “Jelly Bean”, processador single-core de 1,2 GHz com 300 MHz dedicados a áudio e vídeo, 4 GB de armazenamento, que pode chegar ate 64 GB com o uso de cartão microSD, e memória RAM de 512 MB. Com relação à conectividade, o dispositivo comporta conexão 3G externo, se utilizado o adaptador compatível. As cores disponíveis da linha, intitulada e-Color são: amarela, branca, laranja, azul e lilás. Seu valor é bem acessível, em média R$ 330.

Segundo especialistas, o produto é simples. Não há nenhuma especificação que venha a causar impacto e essa também é a ideia da fabricante. Porém, para quem está iniciando o uso em tablets ou simplesmente para os que não necessitam de grandes recursos tecnológicos no dia a dia, o tablet da DL irá suprir tranquilamente as necessidades do consumidor. É ótimo para a leitura de e-mails, execução de jogos, navegação na internet, nas redes sociais e sites diversos. E uma boa pedida para jovens e adolescentes. 

Por Juliana Alves de Souza

Tablet DL

Foto: Divulgação


Um dos grandes sucessos da atualidade são sem sombra de dúvida os aplicativos para smartphones, tablets e vários outros aparelhos de última geração. O grande sucesso dos aplicativos está ligado ao fato dos mesmos integrarem de forma positiva os diversos aparelhos eletrônicos já disponíveis.

É através destas ferramentas que os usuários podem encontrar mais funcionalidades para seu respectivo aparelho, dessa forma, o mesmo não se torna repetitivo e chato.

Um dos aplicativos de sucesso na atualidade é justamente o WhatsApp, que assim que surgiu logo fez um grande sucesso em todo o mundo, adquirindo em poucos milhões de clientes. No entanto, se você ainda não o conhece, saiba que o WhatsApp é um aplicativo multiplataforma de mensagens instantâneas.

O mesmo fez enorme sucesso devido a sua praticidade, pois além de mensagens você ainda pode enviar imagens, vídeos e mensagens de áudio. Além disso, para usufruir do WhatsApp você apenas necessita ter acesso a internet, o uso dele é gratuito.

Sendo esta uma ferramenta de grande sucesso mundial é bastante comum que muitas pessoas queiram usá-lo diariamente, dessa forma, se mantendo atualizado e em constante interação com seus amigos e familiares por meio da ferramenta.

Caso você também queira usar o WhatsApp em seu Tablet, saiba que isto também é possível e o procedimento de instalação é bastante simples. Na continuação desta matéria você saberá como realizar o procedimento.

Para realizar a tarefa você deverá possui um telefone celular e seu tablet com acesso a internet. Em seguida, você deverá baixar o aplicativo WhatsApp por meio de loja de apps correspondente ao tablet e deverá instalá-lo. Quando abrir o aplicativo e na instalação ele solicitar um número de celular, basta fornecer o número de seu aparelho celular.

Após receber o SMS de ativação em seu celular, basta usar o mesmo para ativar o aplicativo em seu tablet e pronto, você já poderá usar o WhatsApp sem nenhum problema.

Por Bruno Henrique

Foto: divulgação


Você adora ficar por dentro das novidades tecnológicas? Então vai gostar de saber do novo lançamento da LG: o tablet G Pad. A marca anunciou o novo modelo na segunda feira, 12 de maio.

O Gadget chega ao mercado com algumas novidades: ele vai poder ser encontrado nos tamanhos de 7, 8 e 10 polegadas. Ou seja, vai ter tamanhos de telas diferentes, para atender a todos os tipos de público. Se você gosta de uma tela menor pode escolher o de 7 polegadas, mas se prefere uma tela mediana ou grande, pode optar pela de 8 ou 10 polegadas, respectivamente. Gostou da novidade?

Os produtos serão demonstrados ao público no MedPI2014, que é uma feira de eletrônicos europeia, que vai ocorrer no mês de maio. A nova linha de tablet lançada pela LG, visa a substituir o atual G Pad que apresenta 8,3 polegadas. Desta forma, o público vai ter três opções de tela para escolher de acordo com a sua preferência e necessidade.

Porém, informações relacionadas com configurações, preços e disponibilidades dos novos aparelhos ainda não foram divulgadas pela LG. Você está curioso para conhecer a nova linha de tablet G Pad? Mas, alguns itens que vão constar do novo aparelho já foram confirmados como por exemplo, os novos elementos da interface personalizada da marca.

Além disso, outros recursos estarão presentes no novo tablet como o sistema denominado QPair 2.0, que permite ao usuário receber notificações do celular, ou seja, você vai poder receber novidades diretamente do seu smartphone. Outro destaque para o G Pad lançado pela LG é o Knock Cade, que fornece suporte para senha de bloqueio com toques na tela, mesmo se o tablet estiver desligado. Prático demais, não acha?

As disponibilidades dos tablets ainda não foram informadas, então, o jeito é aguardar pelo lançamento do G PAD que conta com três opções de tela diferentes. O que você achou deste lançamento da LG? 

Por Babi

Foto: divulgação


O Kindle Fire HD da Amazon foi atualizado, e traz um processador dual-core com frequência de 1.5GHz, e tem 1GB de memória RAM + 8GB de armazenamento interno. Comparado com o Hudl da Tesco que tem um processador quad-core, com frequência de 1.5GHz, e 1GB de RAM, 16GB de armazenamento interno. Com capacidade de expansão através de um cartão microSD de até 48GB.

Ambos os tablets têm uma tela de 7polegadas, mas o tablet Hudl possui uma resolução maior (1440pi) em comparação do KindleFire HD que por sua vez possui apenas 1280 x 900 x 800. Tablets de baixo preço costumam ter suas telas pobres em resolução, mas a tela do Hudl é realmente muito boa, tornando-o ótimo para assistir vídeos ou jogar jogos.

Sem deixar as especificações técnicas de lado, há uma diferença entre o Kindle Fire HD e o  Hudl: o sistema operacional. Enquanto o Hudl  possui o Android 4.2, o Kindle Fire HD usa o próprio sistema operacional Mojito 3.0 da Amazon. Embora a interface dele pareça ser boa, ela é inflexível e lenta. A seção de aplicativos da Amazon também perde em comparação com o Hudl, que tem pleno acesso a tudo no Google Play Store.

Se você tiver uma assinatura Instant Video Amazon Prime, então o KindleFire HD pode valer a pena se você considerar que o serviço não é disponível em tablets que rodam o Android – mas para isso, você teria que ser muito “forte” para optar por um tablet inferior só por causa da assinatura.

O Hudl possui características que o deixam melhor, e está disponível em diversas cores e como dito anteriormente, ele roda o Android 4.2 o que lhe diferencia do seu rival, e também o coloca na frente na escolha dos usuários, que a cada dia vêm preferindo por esse sistema. 

Em resumo o tablet Hudls da Tesco se mostra superior ao KindleFire HD da Amazon. A Tesco ao optar pelo sistema Android 4.2 se deu muito bem, pois é um sistema que vem caindo no gosto de todos. Já o KindleFire errou em escolher por um sistema inflexível onde a única vantagem aparente em adquirir esse dispositivo, é assinatura no Instant Vídeo.

Por Jaime Pargan

Kindle Fire HD e Tesco Hudl

Foto: Divulgação


Segundo a IDC (International Data Corporation), o Brasil vendeu mais tablets do que computadores e notebooks no ano de 2013. Apenas no último trimestre de 2013, foram vendidos cerca de 3 milhões de dispositivos sem teclado (um aumento de 149% se comparado com 2012), contra 2 milhões de notebooks.

Foi a primeira vez que isso aconteceu aqui no Brasil e possivelmente as estatísticas irão continuar a favor dos tablets. Para a IDC, o fator crucial desse aumento nas vendas deve-se ao fato de que os aparelhos sem teclado são oferecidos por um preço baixo se comparado com os computadores convencionais ou os notebooks.

Ao longo do ano passado, somaram-se um total 8,4 milhões de tablets vendidos no Brasil, a expectativa para 2014 é de que esse número chegue à casa dos 11,1 milhões e que possivelmente supere a venda de notebooks e computadores convencionais juntos.

O tablet hoje é um divisor de águas quando se fala em inclusão digital, muitas pessoas afirmam ter no tablet a primeira experiência com um aparelho que possui capacidade computacional. “Esses tablets de entrada aceleram a inclusão digital no Brasil. 

Muitas empresas também estão de olho na fabricação de tablets temáticos, pois uma boa parte desses aparelhos será fabricado com vistas ao público infantil, é o caso da Candide, que fabrica tablets. “Essa galerinha já nasce interessada nesses produtos hoje em dia, antes mesmo de aprenderem a ler. Ao invés de simplesmente deixar eles mexerem na Internet e nos aplicativos do jeito que estão, achamos melhor trabalhar na criação de um produto que proteja e oriente a experiência infantil. É claro que os pais precisam entender que a Internet é um ambiente hostil, mas uma interface adaptada é muito importante”. Disse André Rincoto, gerente de desenvolvimento da Candide. Portanto, o mercado dos dispositivos sem teclado promete crescer muito nos próximos anos.

Por Marcos V. Milani


Durante uma conferência realizada com analistas, Brian Krzanich (CEO da Intel) revelou o mais novo lançamento da empresa, um tablet Android com Bay Trail.

Para quem não sabe, Bay Trail se trata de uma nova linha de processadores Atom da nova geração. Os chips, que possuem 64 bits, devem ser lançados no próximo trimestre e estarão presentes na nova linha de tablets com Android.

Os chips de 64 bits, que até pouco tempo atrás só estavam presentes em computadores e notebooks, geram melhor desempenho e maior segurança nas máquinas, com isso, eles são a melhor opção durante a execução dos sistemas operacionais.

A primeira empresa a lançar um modelo de chip de 64 bits para equipamentos portáteis foi a Apple, que anunciou seu chip A7, usado no iPhone 5S, iPad Air e no iPad Mini, isso trouxe uma grande evolução aos dispositivos portáteis.

Após isso, a Intel se adiantou na produção de chips de 64 bits para dispositivos portáteis e criou o Bay Trail,  porém, inicialmente a empresa pretendia oferecer os chips apenas para tablets com Windows 8.1. Contudo, no meio do desenvolvimento do mesmo a empresa mudou de ideia e resolveu adotar suporte também para Android. Essa mudança de planos foi adotada devido ao pequeno atraso no lançamento da CPU, que ocorreu em setembro de 2013.

Alguns testes de benchmark provaram que o novo chip da Intel é 30% mais rápido do que o Snapdragon 800, que foi produzido pela Qualcomm e era considerado o chip ARM mais potente da atualidade. Além de tudo, a Intel garante que o Bay Trail é muito superior ao processador A7 da Apple, isso é possível principalmente graças à maior densidade de transistores presentes no mesmo.

Tablets.


Mesmo com brusca queda neste seguimento, a gigante Apple continua na liderança em vendas de tablets, deixando as principais concorrentes de mercado para trás. Com certeza, um grande trunfo para a Apple que poderia estar ampliando esta vantagem se não fosse a queda brusca de vendas de seu sistema operacional, o iOS.

De acordo com pesquisas recentemente publicadas pela Empresa Internacional de Consultoria Tecnológica, CIOs e Executivos da área de TI (Gartner) a Multinacional Google vem desbancado a empresa da Maçã nos referidos sistemas operacionais.

A praticidade, interatividade e facilidades do sistema Android estão cada vez mais conquistando adeptos entre os exigentes usuários de tablets, em todo o mundo. Já a Apple tem pecado justamente neste acompanhamento de necessidades e simplicidades exigidas pelos seus clientes.

Comparando a realidade de 2012, em que o iOS liderava o mercado dos SOs de tablets com 52,8% em escala mundial, contra 45,8% para o Android e 1% para o sistema Windows Phone/Windows 8, conforme a tabela a seguir, temos os seguintes dados atualizados pela Gartner (2014):

1.    Android – 61,9%;

2.    iOS – 36%;

3.    Windows Phone/Windows 8 – 2,1%;

Essas informações demonstram a preocupação das empresas em alcançar patamares progressivos de tecnologias aliadas ao bem estar de seus clientes, neste segmento.

Apesar de não estar na liderança, a Apple não demonstra pessimismo em relação ao atual sistema e às sucessoras atualizações do iOS, prometendo, ainda, novas mudanças e facilidades que poderão ser vistas nos próximos lançamentos previstos para 2014. O público fã e cliente assíduo da empresa já aguarda ansioso pelas novidades.

Vale ressaltar que a concorrente Google também promete muitas novidades e inovações em sua nova geração de tablets que estão por vir neste ano, variando desde telas inteligentes a funcionalidades jamais vistas.

Resta aos consumidores e adeptos a novas tecnologias aguardarem pelo o que há por vir, não abrindo mão da exigência sobre qual empresa ofertará melhor o custo-benefício.

Por Jaime Pargan

Tablets com iOS

Foto: Divulgação


A tecnologia avança um pouco mais todo dia. São computadores, celulares e uma imensa variedade de outros aparelhos eletrônicos com as mais diversas funções, que surgem para aumentar o conforto dos compradores e o entretenimento dos mesmos. Utilizados como ferramentas de diversão e trabalho, são tantos os aparelhos comercializados no mercado brasileiro, que muitas vezes o próprio consumidor não sabe a diferença entre um produto e outro que aparentemente apresentam as mesmas funções.

Esse é o caso do Tablet e Ipad, os quais têm semelhanças assim como diferenças, mas que nem sempre ficam extremamente claras para quem os compra. Cada aparelho traz suas próprias características para atender ao consumidor como esse mais desejar. Quais são essas diferenças e semelhanças?

iPad.

Semelhanças:

O que estes produtos possuem de tão semelhante a ponto de confundir o consumidor na hora de diferenciar um do outro?

 Ambos realizam funções que poderiam ser realizadas em um computador. A tela é maior que dos smartphones, porém menor do que dos notebooks, tendo uma média de 7 a 12 polegadas. São facilmente transportados em bolsas e mochilas devido ao seu tamanho, que também é propício para a visualização de fotos, vídeos e até mesmo filmes.

Tem um hardware robusto, competente o suficiente para funcionar jogos e aplicativos com rapidez e qualidades superiores a dos smartphones.

Possuem aplicativos específicos para determinados objetivos, como por exemplo, os aplicativos que permitem a leitura de textos, os mesmos disponíveis em computadores.

O touchscreen do aparelho facilita a navegação na internet, assim é possível realizar todas as tarefas online sem realmente ter de estar perto de um computador.

Diferenças:

A real diferença entre Ipad e Tablet se dá pelo fato de que o Ipad em si também é um Tablet, porém fabricado pela Apple. Embora ambos tenham os mesmos intuitos e funções, são fabricados por diferentes concorrentes, motivo pelo qual muita gente se confunde. A escolha entre um dos aparelhos é de acordo com a preferência do consumidor.


Nos últimos anos os tablets se tornaram febre entre a população mundial e independente do modelo se tornou uma forma prática e rápida para o acesso da Internet.

Quantas vezes não nos deparamos em diversos locais com pessoas das mais diferentes classes sociais acessando os seus e-mails, redes sociais ou até mesmo lendo um dos seus livros favoritos, que agora são chamados de e-Books.

Os tablets inicialmente foram tidos como os sucessores dos notebooks e netbooks, mas em um mundo onde a tecnologia a cada dia que passa ganha novos horizontes, uma parcela da população faz a opção por um enquanto que outros fazem a opção pela outra tecnologia. Seja qual o lado escolhido conseguimos ver bom resultados em notebooks, netbooks e tablets e bem administrados conseguem torna o seu dia-a-dia bem mais fácil, principalmente quando utiliza ao máximo a tecnologia de todos.

Um bom exemplo de tablete que tem uma tecnologia de ponta é o famoso iPad da Apple que apresenta funcionalidades que conseguem fazer com que as tarefas sejam executadas de uma forma bem mais rápida que o convencional, ou seja, um dos modelos mais conceituados é o  iPad Air que apresenta uma capacidade de wi-fi e também de wi-fi + celular classificada em 4 modelos diferentes que são: 16GB, 32GB, 64GB e 128GB para atender os mais diferentes gostos.

Tablets.

Para aqueles que ficam sempre procurando manter o seu aparelho em perfeito estado, principalmente referente à limpeza esse modelo consegue apresentar uma tela Multi-Touch de 9.7 polegadas que apresenta um revestimento contra impressões digitais e oleosidade.

Já em relação ao chip conta com o A7 que tem uma arquitetura de 64 bits e um coprocessador de movimento M7 que aumenta o desempenho do aparelho, fora as câmeras FaceTime HD e iSight que conseguem transformar qualquer vídeo ou foto em uma perfeita obra-prima, principalmente para aqueles que tem poucos manejos com tecnologias mais avançadas.

Esse produto tem um consumo de energia e bateria que consegue suportar uma utilização em torno de 9 a 10 horas dependendo do procedimento executado.

Para obter maiores informações acesse o site http://www.apple.com/


A Coreana Samsung parece estar disposta a “dar trabalho” aos concorrentes e anunciou que em 2014 pretendem marcar forte presença no mercado com a fabricação de tablets e phablets maiores. Quem visitou a CES 2014 já conseguiu ter uma amostra dos planos da empresa ao verem o Galaxy NotePro 12.2 e o TabPro 12.2 e que parecem ter agradado boa parte do público.

Tablets.

Hyunjoon Kim, diretor executivo da Samsung disse que a intenção da coreana é criar uma categoria de dispositivos voltadas a negócios e que possua alta resolução e telas grandes e não deixou de afirmar que sua pretensão em fabricarem vários tipos de modelos de tablets para comporem a família Galaxy Tab que serão capazes a adaptarem-se a necessidades diversas.

Com esta nova declaração da marca, supõe-se que ela esteja caminhando para os mesmos fins que teve com a fabricação de smartphones, ou seja, é provável que podemos esperar um incalculável numero de novos aparelhos que surgiram no mercado, e como é característico da marca, também é muito provável que ela continue desenvolvendo estratégias para inserção de tablets que atendam às necessidades diversas dos clientes no mercado.

Segundo rumores, as expectativas quanto ao lançamento de celulares é que eles possuam em 2014 telas  de 5 a 6 polegadas, além da possibilidade de desenvolvimento de display  que forneçam a melhor experiência do usuário e melhorias nos recursos de S Pen e multijanelas.

Conforme declarou Hyunjoon: “A Samsung Electronics se estabeleceu como a líder no mercado de smartphones de telas grandes, começando com o Galaxy Note em 2011”.

Embora a empresa tenha sofrido considerável queda no crescimento de suas vendas, se comparado ao trimestre anterior, a empresa vem se esmerando em tranquilizar os investidores quanto a seu brilhante futuro no mercado de dispositivos moveis.

Em sua nova estratégia, a empresa busca conseguir diminuir também seus gastos com desenvolvimento de campanhas de marketing para smartphones  tablets.


O mercado de tecnologia, principalmente no que diz respeito à venda de microcomputadores e notebooks, não possui muito o que comemorar em lucratividade. Isso foi o que informou a consultora em tecnologia IDC, acrescentando que só no Brasil, a queda na comercialização desses produtos chega a 10%.

No entanto, o órgão avisa que não se trata apenas de Brasil o aquecimento, uma vez que em torno do mercado global, a redução das vendas de computadores de mesa e portáteis como os notebooks amargam a média de 13%.

Neste primeiro mês do ano de 2014, já foram vendidos 3,4 milhões de computadores, mas, no ano de 2013, era se comemorado a marca de 3,8 milhões, sendo que ao longo do mesmo ano de 2012 ocorreu a franca queda nas vendas.

Contudo, não há o que se reclamar de todo, afinal, nesse mesmo passo aumentou-se consideravelmente as vendas de tablets, aparelho pelo qual, acreditam os consumidores, ser melhor para se jogar games, navegar pela internet e aproveitar todos os tipos de aplicativos. Mesmo assim, afirma o IDC, os usuários têm preferido a compra de tables que estejam com preços mais em conta – aqueles que reúnem maiores características do que se chama de custo x benefício.

O momento não é de boa notícia, infelizmente, o IDC adianta que durante todo o ano de 2014 pode ter uma diminuição de 8% nas vendas, ao mesmo passo que os tablets continuarão experimentando uma ótima fase por ter boa capacidade de locomoção (eles estão cada vez mais leves), potentes e com uma variedade de preço que cabe dentro de todos os orçamentos.

Funcionais e com capacidade para desenvolver as mesmas atividades de um computador de mesa e notebook, é compreensível entender a razão dele estar tão em alta no comércio da tecnologia, superando em boa parte a preferência do público que é fã de uma boa tecnologia.

Por Michelle de Oliveira

Vendas de computadores

Foto: Divulgação


Chegou ao mercado mais um Tablet Android. Naturalmente, sabemos que o mercado sempre vem com novidades tecnológicas, novos aplicativos, funções, gadgets, que prometem uma série de atrativos para seus clientes e consumidores de modo geral. Aqui, no entanto, explanaremos sobre o Acer Iconia Tab A110.

Como explicamos, todavia, o Acer é mais uma aposta de tablet com sistema operacional Android. Ele, pois, tem 7 polegadas, um processador Tegra 3 e uma tela de 1024 x 600. Para os que preferem telas maiores, não é o caso desse aparelho. Porém, o Acer tem muitos pontos positivos, como o microUSB do aparelho, que é flanqueado por uma microHDMI e por um slot de microSD.

Outro ponto bacana é que esse tablet tem um excelente armazenamento, com uma capacidade bem acima que de seus maiores rivais de mercado. Sem contar que o preço do Acer Iconia Tab A110 é bem mais em conta que o dos outros. Esse aparelho, por sua vez, está custando em torno de US$ 230, ou seja, trinta reais mais barato que tablets Kindle Fire HD e Nexus 7, que, por sinal, também operam com o sistema operacional do tipo Android.

Logo, caso você esteja precisando de um aparelho digital mais barato e que, mesmo assim, tenha um bom desempenho, o Acer Iconia Tab A110 é uma boa opção para esse ano de 2014. É o que garante a empresa que, por meio de uma estratégia de mercado, acredita que alcançará mais consumidores devido a facilidade e praticidade desse produto.

Até porque, nesse universo da tecnologia, sabemos que tablets são lançados aos montes e que o sistema operacional Android é um dos mais procurados. O Acer Iconia Tab A110 tenta mostrar que não é apenas mais um tablet Android, mas, sim, um aparelho que pode ir para além das expectativas de todos.

Por Juan Wihelm

Foto: Divulgação


Após ter perdido o posto na pesquisa de satisfação, a Apple perdeu também para o Google, pois o Android conseguiu ultrapassar o iOS no mercado de tablets. Segundo um estudo feito no segundo trimestre deste ano, o número de aparelhos com o sistema operacional do Google superou os do iPad.

De acordo com os dados da pesquisa, o marketshare da Maçã teve uma queda de 60% para 32% comparado ao mesmo período do ano passado. Já a presença do Android no mercado foi o inverso, subindo de 38% para 64%.

Os número são bastante surpreendentes. Não só pelo Android ter conseguido dominar o segmento de tablets, mas pela Apple ter sido a única companhia a apresentar uma queda nas vendas de tablet neste período. Claro que vale a pena ressaltar que a concorrência está maior e o Android está presente em muito mais aparelhos.

Ainda assim, os números podem assustar a Apple. A Acer teve um crescimento de 248% e a Lenovo de 314%, mas as duas empresas só lançaram seus dispositivos principais agora, o que torna esse crescimento mais compreensível. Porém a Samsung, maior rival da Apple, apresentou um aumento de 277%.

De forma geral, nenhuma empresa superou a Apple no quesito tablets vendidos, mas a pesquisa revela que o domínio dela em relação a concorrência está caindo. A expectativa é que nos próximos meses sejam lançados novos iPad.

Por Felipe Santos Bonfim


Com cerca de 67% da participação de tablets no segundo trimestre de 2013, o Android, do Google é o sistema operacional que está mais presente nos tablets comercializados no mundo. Segundo dados divulgados pela empresa de consultoria Strategy Analytics, foram vendidos, cerca de 51,7 milhões de aparelhos com o sistema operacional, ficando muito à frente dos principais concorrentes.

A Apple perdeu muito espaço em relação ao ano passado. O sistema iOS, desenvolvido pela empresa contou com uma participação de 28%, ante aos 47,2% do ano passado. Os números tiveram queda de 17 milhões para 14,6 milhões de unidades vendidas com o sistema operacional. Quem ainda perdeu espaço para os modelos com Android foi a Microsoft. A empresa de Bill Gates deteve apenas 4,5% do mercado de tablets no trimestre entre abril e junho, mesmo com a redução dos preços do Surface.

O Android tem ganhado espaço por conta dos parceiros de Hardware. Samsung, Google, Amazon e diversas marcas menores. O somatório das vendas desses tablets saltou de 18,5 milhões no segundo trimestre de 2012 (51,4% do mercado) para 34,6 milhões no mesmo período deste ano. Enquanto a venda de iPads foi de 14,6 milhões de unidades, o que representa uma queda de 14%.

Já a Microsoft vendeu pouco mais de 2,3 milhões de unidades dos tablets com sistema Windows RT. O número baixo em relação aos concorrentes se dá por conta do valor dos tablets, além da pouca oferta de aplicativos e do baixo interesse dos desenvolvedores em trabalhar com o sistema.

Por Robson Quirino de Moraes


Kindle Fire HDA Amazon está jogando todas as suas cartas na mesa na tentativa de desbancar o até então rei iPad do seu trono de mais vendido do mundo.

A jogada da Amazon é proporcionar ao seu mais novo tablet Kindle uma combinação de hardware potente a preços mais em conta. Quem divulgou as informações do novo Kindle foi a BGR, empresa que realizou benchmarks no novo modelo da Amazon.

Os testes comprovaram que os novos aparelhos são até 3 vezes mais rápidos do que os atuais Kindle existentes no mercado. Segundo fontes seguras, a Amazon pretende lançar até 3 novos modelos do tablet  até a chegada da primavera brasileira.

O “mandachuva” dos modelos, pelo que tudo indica, será o Kindle Fire HD, que contará com tela de 7 polegadas e resolução de 1920×1200. Seu processamento será realizado por um Snapdragon 800, um Quad-Core de 2GHz.

O novo Kindle deve chegar ao mercado juntamente com um sistema Android totalmente personalizado capaz de lidar com tarefas brutas. O tablet virá com câmera frontal e Wi-Fi. A BGR ainda afirmou que os novos modelos virão em versões de 16, 32 ou até 64 GB de capacidade de armazenamento.

Por Fernando Setoue


Tablets NiivoA marca nacional Niivo apresentou na Eletrolar Show 2013 alguns modelos de tablets, dentre eles o Niitab 8  e o Niitab NT 720. Ambos com características voltadas para usuários comuns, que precisam de um tablet para tarefas diárias ou entretenimento.

O Niitab 8 de 8 polegadas possui um processador Quad-Core 1.2 GHz, GPU Imagination PowerVR, 3G integrado e câmera de 5 MP. Com Android 4.0, como sistema operacional, esse modelo apresenta um design bonito, com acabamento de metal. O destaque fica por conta da bateria de 10.400 mAh e para completar o modelo apresenta 2 saídas USB, que permite a recarga utilizando-as.

Já o modelo Niitab NT 720 apresenta uma tela capacitiva com G – sensor bem fiel ao toque e resolução de 800 x 480 p. O processador é um Arm Cortex A8 de 1.2 GHz, memória RAM de 512 MB DDR3. A capacidade interna é de 4 GB (expansível até 32 GB usando Micro SD).  

Ambos os tablets na Niivo apresentam conexões Wi-Fi e 3G, além da capacidade de reprodução dos principais formatos de áudio e vídeo disponíveis no mercado. 

Por Robson Quirino de Moraes


A neurotecnologia avança rapidamente. Vários projetos desenvolvidos por governos e empresas visam ampliar ainda mais as capacidades cognitivas do cérebro, integrando-o ainda mais ao mundo virtual. E atualmente, é a Samsung que apresenta seu projeto mais ousado: usando uma touca de encefalografia (utilizada para mapear as atividades cerebrais), a fabricante sul-coreana de aparelhos mobile planeja permitir aos usuários que controlem seus tablets pelo pensamento.

Inicialmente, o projeto toma como base o Galaxy Note 10.1. Para torná-lo realidade, os Engenheiros da Samsung tomaram como base os estudos realizados em mapeamentos cerebrais no momento em que usando os tablets, captando uma série de comandos quando determinadas ações são realizadas manualmente. Com a touca conectado ao tablet, o aparelho reconheceria os padrões enviados, e executaria o comando desejado. A precisão dos resultados chegou a 95%, variando conforme os usuários.

Apesar de não ser uma novidade inovadora – afinal, existem outros projetos tão promissores quanto este – a Samsung pretende com o projeto ajudar pacientes com dificuldades motoras, instigando o cérebro a desenvolver atividades mais complexas.

Não há informações sobre o aparelho ser comercializado diretamente, mas a ideia sem dúvida levanta questões: até que ponto homem e máquina devem estar interligados?

Por Willian Gonçalves


Tek toy lançou o novo tablet TecToy Magic Tablet TT-2500 que é dirigido para atender o público infantil. Esse público está cada vez mais ligado às novas tecnologia e também estão ficando mais ainda mias exigentes. Esse equipamento é recomendado apenas para crianças a partir de 5 anos de idade, assim conseguem tirar um proveito melhor do aparelho ao invés de quebrá-lo.

O TT-2500 vem com alguns aplicativos da Disney como: papéis de parede com vários personagens da Disney, assim como: o Mickey, o Pateta, Carros, a Branca de Neve, Detona Ralph e muitos outros.

Também conta com o ícone menu Disney, onde a criança tem acesso a canais da Disney com vários desenhos e games divertidos.

Confira as Configurações do TT-2500:  Possui tela de 7 polegadas com resolução de 1024×600 pixels; Processador: dual-core de 1,5 GHz; Ele utiliza o sistema operacional Android 4.0 (Ice Cream Sandwich) que em português significa sanduiche de sorvete. O nome veio a calhar para um aparelho dirigido ao público infantil. Tem memória RAM de 1 Gb, Armazenamento de 8 GB que pode ser expandido até 32 GB com cartão micro SD.  Ainda vem com 2 câmeras uma frontal de 0,3 MP e uma traseira de 2 MP;  Conectividade WiFi e Bluetooth; Entradas micro USB e HDMI e Bateria de longa duração de 4.000 mAh com autonomia que chega até 6 horas, dependendo do aplicativo usado. 

O seu preço sugerido pela tec toy é de R$ 540 a R$ 599, podemos dizer que é um brinquedo um pouco caro mas que pode ser muito útil para a criança aprender brincando com a ajuda da tecnologia.

Por Mariana Rodrigues


A Sony apresentou ao mundo o Xperia Tablet Z no MWC (Mobile World Congress), em Barcelona, como o tablet mais fino do mundo medindo 6.9mm de espessura e pesa apenas 495g. O aparelho é a prova d’água e pode ficar até 30 minutos submersos na água numa profundidade de 2 metros, também tem proteção contra poeira, além de uma ótima configuração.

É super leve, fino, quadrado, vem com Qualcomm Snapdragon S4 (quad-core) Pro de 1.5 GHz assíncrono, ou seja, consome pouca bateria. Além disso esse aparelho tem 2 GB de memória RAM, LTE, WCDMA, Bluetooth 4.0, GPS, NFC, resolução de tela de 1920 x 1200 (com Bravia Engine que equipa as TVs da Sony), câmera traseira de 8 MP e frontal de 2 MP, IR Blaster que faz com que o tablet vire um controle remoto para os aparelhos da Sony, tem um armazenamento interno de 16 GB ou pode ser expandido em até 32 GB.

Mesmo sendo um aparelho fino a Sony não dispensou aporta para o cartão micro SD.

O ponto negativo desse aparelho é o Android 4.1.2, pois costuma travar. A Sony preferiu economizar no Android para deixar um espaço maior para o sistema Google.

Por Mariana Rodrigues


Todos já conhecem as câmeras Tekpix da fabricante Tecnomania, agora é a vez do tablet que se chama Tekpix i-WF7A-4.0 com o sistema Android e configurações bem modernas. Mas o que surpreende é o preço muito elevado que está na faixa de R$ 2.999 a versão simples e R$ 3.499 o tablet com TV digital. Vale bem mais do que o iPad 4 da Apple que está na faixa de R$ 1.749.

O Tekpix i-WF7A-4.0 tem a tela de 7 polegadas (800×480), Android 4.0 e câmera de 0,3 megapixel (resolução VGA), não é um aparelho que impressiona tanto quanto deveria, se comparado ao preço estabelecido pela empresa. Ainda existe uma diferença de preço enorme ente os dois tablets, afinal o tablet  i-TVWF7x-4.0 apenas tem como diferencial o recurso de TV Digital.

Possui o sensor de gravidade, parecido com o tradicional acelerômetro encontrado na maioria dos tablets e também contém a entrada para o cartão micro SD. O custo do cartão de memória de 2 GB também assusta, pois custa pelo menos R$ 300 na loja oficial.

No site da fabricante Tecnomania foi anunciado que esses aparelhos seriam o lançamento mais aguardado do ano e que o consumidor ‘precisaria’ ter, mas os aparelhos ficam devendo e muito quando falamos em tecnologia e não existem justificativas pelos preços tão elevados.

Por Mariana Rodrigues


Após o lançamento do novo tablet da Microsoft, o Surface Pro, diversos sites na internet divulgaram suas análises e comparações – inevitáveis – com o Surface com Windows RT.

Nos comentários gerais, a nova versão se sai melhor do que o Surface RT, principalmente por conta do novo chip Intel Ivy Bridge i5 – que faz com que o sistema operacional tenha melhor desempenho. Além disso, os principais problemas que havia no Surface RT, com relação ao Windows 8, não existem no Surface Pro.

Muitos sites têm chamado o novo gadget da Microsoft de híbrido entre ultrabook e tablet, o que pode ser bom para o aparelho, já que seria quase que um novo nicho de mercado. E também, foram feitos diversos elogios com relação ao display Full HD, à capacidade de armazenamento interna que tem espaço “útil” maior que os outros tablets, ao Office 2013 que já vem instalado, entre outros.

Entretanto, algumas críticas bastante importantes apareceram, como o fato de que o Surface Pro é mais “gordinho” que o Surface RT, além de gerar mais calor e fazer mais barulho devido às entradas e saídas de ar do gadget. Outro ponto ruim é o preço, pois se o usuário comprar um Surface Pro com toda a sua capacidade ele acaba saindo o dobro do valor de um iPad ou Galaxy Note, o que acaba não compensando muito.

Vale a pena analisar bem o que é dito na internet sobre o aparelho, pois é possível identificar algumas questões que os usuários em geral não levantam, e, dependendo dos elogios e das críticas, eles podem fazer com que o aparelho seja bom ou não para as necessidades de quem busca um tablet.

Por Guilherme Marcon


Após ser anunciada em junho de 2012, a tecnologia que gera alto relevo em telas sensíveis ao toque foi exibida durante a CES 2013, que aconteceu em Las Vegas.

A tecnologia foi apresentada no estande da Tactus, que estava localizado no Eureka Park, e ela traz a promessa de proporcionar efeitos de alto relevo nas telas de smartphones e tablets. No estande foi exibido um tablet que possuía a tecnologia.

De início, há certa estranheza ao ter que apertar um botão de alto relevo que na verdade não deve ser apertado e sim apenas tocado. A tecnologia funciona de forma que há uma espécie de sensor em microcanais que percebe quando os reservatórios devem se encher de um líquido específico para o alto relevo, formando os botões.

Até então, conforme a Tactus, a novidade só funciona com botões, mas a ideia é que no futuro seja possível aplicar uma matriz completa com microcanais que sejam capazes de criar qualquer forma na tela.

Ainda não há nenhum aparelho que seja compatível com a tecnologia, somente alguns que foram hackeados pela equipe de desenvolvedores da Tactus. A empresa informou que está negociando com algumas fabricantes de gadgets para lançar um dispositivo com a tecnologia.

Por Guilherme Marcon


Segundo pesquisas da IDC, empresa contratada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), foram comercializados no Brasil 2,8 milhões de tablets no ano de 2012. O número é muito alto comparado às vendas de 2011, quando foram comercializados apenas 1,1 milhão de tablets, ou seja, um aumento nas vendas de cerca de 153%.

Muitas pessoas acham que o tablet substitui o PC, o que é não é verdade. O tablet é um aparelho com utilidades mais simplificadas do que o desktop. Para quem precisa usar todos os dispositivos presentes no computador, é melhor não adquirir o tablet, que serve apenas para suportar demandas menores como acessar páginas da internet e ler e-books.

Um dos motivos para o aumento das vendas de tablets no país foi sem dúvida a nova lei aprovada em 2011 pela presidenta Dilma Rousseff. Essa nova lei define que os tablets também devem ter os mesmos benefícios da Lei do Bem, que tornou os computadores mais acessíveis no Brasil. Com isso, o governo quer estimular os fabricantes, tanto nacionais quanto estrangeiros, a fabricarem esses aparelhos no país.

Em 2013, os empresários e comerciantes podem ficar otimistas, pois a previsão da IDC é um aumento de 90% nas vendas do produto.

Por Nathalia Henderson


O mercado de tablets está cada vez mais movimentado e a novidade do momento vem da Índia que lançou uma nova versão do tablet “Aakash” (que significa céu na linguagem hindi).

Este modelo foi criado em um parceria entre o governo indiano e empresas privadas para oferecer um maior acesso à internet para os estudantes buscando, assim, estimular o crescimento da economia indiana.

O Aakash vem em uma versão 2.0 com uma unidade central mais veloz, tela com 7 polegadas, 512 MB de memória RAM e um processador com 1 GHz de capacidade.

O novo tablet produzido na Índia tem como um grande atrativo o seu preço: apenas 19 dólares que equivalem a aproximadamente 38 reais.

Por Ana Camila Neves Morais


A Microsoft anunciou recentemente que a Lenovo, Samsung e Dell irão lançar tablets com Windows RT, o Windows 8 para processadores com arquitetura ARM. Além delas, a própria Microsoft e a Asus lançarão dispositivos com a nova plataforma.

De acordo com o site The Verge, dentre as principais companhias a única que até então não informou ser irá ou não lançar um tablet com Windows RT foi a HP. No ano passado a fabricante desistiu do lançamento de sua nova linha de tablets com plataforma WebOS e este ano informou que seu foco é desenvolver dispositivos para uso corporativo.

Segundo a Microsoft, as empresas não só lançarão tablets com Windows RT, como também irão lançar notebooks completos. Nenhuma das empresas revelou a data de lançamento dos dispositivos, mas a expectativa é que os aparelhos cheguem ao mercado junto com o lançamento do Windows 8.

Segundo a publicação do site, os testes realizados na bateria dos primeiros aparelhos com Windows RT revelaram resultados bastante favoráveis. O tablet e o notebook possuem autonomia de bateria de 8 a 13 horas, sem que seja necessário efetuar uma nova recarga no aparelho durante este tempo.

Por Felipe Santos Bonfim


A fabricante nacional de computadores, Megaware, anunciou seus dois primeiros ultrabooks nomeados de Horus e Atract durante a Eletrolar Show 2012. Os dois aparelhos realmente surpreenderam em configurações e se mostraram competidores de força no novo nicho de atuação da empresa.

Ainda assim, outra novidade foi apresentada durante o evento. A Megaware expôs dois tablets na sala de coletiva de imprensa. Ambos os modelos ainda encontram-se em fase Beta de desenvolvimento e, portanto, não possuem configurações técnicas bem definidas, porém deverão sair de fábrica com o sistema operacional do Google, o Android Ice Cream Sandwich (4.0).

Conforme Camilo Stefanelli, diretor de operações da Megaware, a finalização dos tablets e a definição final de suas características deverão acontecer de acordo com o feedback que a empresa tiver da Eletrolar Show 2012, sendo que os protótipos apresentados possuíam telas de 7 polegadas e 9.1 polegadas, além de processadores ARM. O modelo com tela maior possuía câmera traseira, porém o menor ainda está em tempo de receber uma.

Não há previsão de lançamento dos novos tablets no mercado, tendo em vista que ainda seus desenvolvimentos não foram concluídos.

Por Guilherme Marcon


O Google+ já possui mais de 250 milhões de usuários atualmente, porém, mesmo com o Android rodando em tablets, o Google não havia disponibilizado ainda um aplicativo da rede social para estes aparelhos.

Durante o evento Google I/O, a gigante das buscas anunciou que agora não serão apenas os smartphones que terão um aplicativo específico para sua rede social, pois os tablets entrarão também nessa onda. Provavelmente isso tenha a ver com o lançamento do Galaxy Nexus 7, mas a intenção é que o Google Plus seja baixado também por usuários de iPads muito em breve. O que mais motivou o Google a desenvolver aplicativos específicos é o fato de que metade dos 250 milhões de usuários acessa o Plus por meio de tablets e smartphones.

Aproveitando o lançamento do novo aplicativo, a gigante divulgou também as atualizações nos hangouts, que agora ficaram mais inteligentes. Com isso, se o usuário estiver em uma chamada com mais de uma pessoa, o sistema será capaz de identificar quem está falando e, assim, destacar a imagem da câmera desta pessoa, o que deixa as conversas mais dinâmicas.

Por Guilherme Marcon


Tendo em vista uma grande gama de opções de compra em questão de tablets e a queda nos preços, os brasileiros vêm aderindo a este tipo de dispositivo cada vez mais. O número de vendas de tablets está crescendo e se aproximando dos notebooks e desktops.

Atualmente, mais de 370 mil aparelhos foram vendidos no primeiro trimestre deste ano, segundo dados da IDC. Isso representa uma porcentagem de crescimento muito grande, que é 351%. Ainda, de acordo com a IDC, 2012 deve ser encerrado com um número de 2,5 milhões de tablets vendidos no Brasil, valor extremamente maior do que os 800 mil de 2011.

Conforme Attila Belavary, a taxa de crescimento dos tablets é muito maior do que de desktops e notebooks, no mercado brasileiro. Isso, tendo em vista que as vendas começaram com o valor de 110 mil em 2010, passando para 800 mil em 2011 e chegando agora à estimativa mencionada. Além disso, uma projeção feita pela IDC indica que, neste ano, para cada quatro notebooks, um tablet será vendido. Sendo que no ano passado, essa comparação era de dez notebooks para um tablet.

A grande explicação dada para esse súbito crescimento é a queda constante de preços. Várias empresas, como a Positivo, a Samsung e a Motorola, já entraram no Processo Produtivo Básico no Brasil, o que dá benefícios tributários às empresas e que reduzem os seus preços. Ainda, anteriormente, havia poucas opções de tablets no Brasil e, com isso, os preços eram muito elevados, mas agora com o número de concorrentes sendo grande, os valores começaram a cair muito.

Por Guilherme Marcon


Há um novo projeto presente no site Kickstarter, chamado de Chameleon, que promete ser a solução para os usuários que estão insatisfeitos com a tela dos tablets com sistema operacional Android. Isso, porque a ferramenta faz algumas mudanças bem agradáveis na interface do aparelho, como por exemplo, a opção de criar perfis de acordo com os lugares que o usuário estiver.

Ainda, há várias possibilidades para personalização, como dar uma cara nova para a barra de ferramentas e organizar os aplicativos de acordo com as preferências pessoais de cada pessoa.

A descrição do projeto no Kickstarter diz que ele é totalmente integrado à plataforma Android e que tudo que não estava operando de maneira satisfatória no sistema foi melhorado. O resultado disso é uma experiência muito melhor ao trabalhar em um tablet com o sistema operacional do Google.

O Chameleon é muito fácil de ser configurado, o que ajuda o usuário a realizar suas tarefas de maneira muito mais rápida.

Até o momento a ferramenta está em fase de produção com alguns protótipos, porém os desenvolvedores já estão à procura de apoio financeiro para produzir a versão final e para poder liberar o software no Google Play até setembro deste ano.

Por Guilherme Marcon


Não é novidade que a Microsoft vem procurando uma forma de se inserir no mercado de tablets, principalmente com o lançamento do novo Windows 8.

Conforme rumores divulgados pela CNET, os primeiros tablets com sistema operacional Windows 8 serão lançados em novembro deste ano no mercado mundial. Ainda, tudo indica que esses novos aparelhos contarão com processadores Intel, utilizando o novo chip Clover Trail que ainda está em fase de desenvolvimento.

Porém, a intenção da Microsoft é abranger muito mais que apenas o mercado de tablets, tendo em vista que também há um grande investimento da empresa visando os computadores híbridos com processadores Intel, que são notebooks que possuem tela touchscreen e também um teclado físico.

A ideia da Microsoft é lançar o Windows 8 até o final deste ano em todas as versões planejadas (normal, Pro e RT). Além disso, o novo sistema operacional possui uma interface voltada para equipamentos que utilizem tela touchscreen, pois é um mercado que a Microsoft enxerga como muito promissor atualmente.

Já, em questão de dispositivos móveis que possuam chip ARM, a versão do sistema operacional Windows 8 RT será exclusiva para os mesmos, o que mostra de fato o investimento da empresa nos dispositivos móveis.

Por Guilherme Marcon


A Viacon realizou um estudo muito interessante com relação a dispositivos móveis, e, de acordo com o resultado, os tablets estão com a “corda toda”. O dispositivo está em segundo lugar na lista de eletrônicos preferidos para assistir televisão, perdendo apenas para os próprios aparelhos de TV que possuem telas enormes.

A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos e cerca de 2.500 pessoas com idade entre 8 e 54 anos contribuíram com ela. O estudo ainda mostrou que 85% dos consumidores, principalmente os com idade entre 18 e 24 anos, usam o dispositivo para tarefas multimídia como, por exemplo, jogar videogame. Desta porcentagem, 15% tem preferência por assistir shows e programas direto no aparelho.

O que chamou bastante atenção na pesquisa foi que 75% da utilização de um tablet é feita em casa. Isso explica o motivo da preferência dos usuários por modelos com conexão Wi-Fi, deixando mais de lado os modelos 3G – além, é claro, de que a conexão Wi-Fi deixa o aparelho muito mais barato.

Os americanos amam tanto seus tablets que 62% deles utilizam os aparelhos diariamente, com média diária bem alta, sendo mais ou menos 2.4 horas por dia.

Por Guilherme Marcon


Na última quinta-feira, dia 26 de abril, foi divulgado pela comScore como está o andamento das fabricantes no mercado de tablets com Android, nos EUA. Conforme os dados, o atual líder deste mercado é o Kindle Fire, da Amazon, detendo 54,4% de participação.

Conforme o site Business Insider, isso até poderia ser uma ótima notícia para o Google, mas infelizmente não é. Isso, pois o sistema operacional Android foi extremamente modificado pela Amazon, sendo que as adaptações foram tantas que o gigante das buscas quase não possui mais espaço para lucrar com o Kindle Fire, tendo em vista que o Android utilizado é quase como se fosse outro sistema operacional.

O que acontece é que a Amazon utilizou o Android apenas como uma base para o sistema operacional do Kindle Fire e, por isso, nenhum serviço do Google está presente no tablet, como a Google Play e o Gmail.

O problema disso é que a Amazon está servindo de exemplo para várias fabricantes que, agora, estão pensando em diversificar tanto o sistema operacional do Google que ele seria extremamente segmentado, o que não permitiria tantos benefícios para o gigante das buscas.

Conforme os dados, o Kindle Fire quase dobrou sua participação do mercado entre 2011 e 2012, passando de 29,4% para 54,4%, enquanto que o Galaxy Tab ficou em segundo lugar, com 15,4% do mercado.

Por Guilherme Marcon


De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Gartner o número referente às vendas de tablets para o ano de 2012 deverá aumentar 98% em todo o mundo, o que totaliza um crescimento de 118,9 milhões de aparelhos. Em 2011 o número de tablets vendidos foi de 60 milhões. 

Ainda segundo o estudo, o sistema iOS da Apple continuará na liderança do segmento, a participação do iPad será de 61,4% se as previsões forem confirmadas. O segundo lugar será ocupado pela gigante de buscas, Google, com o seu sistema operacional Android, o número de tablets com o sistema representará 31,9% do total das vendas mundiais. O Windows 8, da Microsoft, terá participação de 4,1% no mercado, sendo que esse percentual deverá crescer até o final de 2016 e alcançar 11,8% de market share. 

Um fator que influenciou ainda mais esse resultado foi a venda de tablets para serem usados nas empresas, esse uso corporativo irá representar cerca de 35% da receita total até o ano de 2015. A pesquisa revelou que nem sempre a aquisição é feita diretamente por empresas, muitas vezes são os próprios profissionais que compram o equipamento e o utilizam em escritórios. Esse costume recebeu o nome de consumerização ou byod, a sigla em inglês para “bring your own device”. 

Por Joyce Silva


A empresa estadunidense Lenovo anunciou um novo trio de tablets, que inclui um rival para o Galaxy Note, com uma tela de 5 polegadas, conhecido como o LePad / IdeaTab S2005 tablet/phone. 

Há também um tablet de 7 polegadas chamado de S2007 LePad e outro com 10 polegadas chamado de S2010. Eles serão lançados em dezembro, de acordo com o Chinese Engadget.

A Lenovo LePad S2007 e S2010 estarão disponíveis com um processador dual core de 1,5 GHz, 1 GB de Memória RAM e resolução de até de 1280 x 800 pixels. 

Nesse meio tempo, lembramos que a Lenovo também está preparando um tablet quad-core Tegra 3, o IdeaTab K2, que vazou semanas atrás. 

Os tablets mencionados acima possuirão uma câmera de 8 megapixels na parte traseira e uma câmara frontal de 1,3 MP, além de suporte 3G.

O Lenovo LePad S2007 possui uma bateria 3780 mAh, que oferece oito horas de uso Wi-Fi. Esse tablet mede apenas 9,7 milímetros e pesa 360 gramas.

O LePad S2010 é obviamente maior, mede 9,9 milímetros de espessura, e possui uma bateria 7670 mAh, que oferece 11 horas de uso. 

Já o S2005 LePad é a verdadeira estrela aqui, uma vez que adota um formato original que não é usado com muita frequência nos dias de hoje: apresenta uma tela de 5 polegadas e as funções de um híbrido entre o telefone e o tablet. Ele roda Android 2.3.5, com processador Qualcomm dual-core 1.2GHz, 1GB de RAM e resolução 800 x 480 pixel. O tamanho é 9,95 milímetros de espessura e pesa 198 gramas. 

Qual desses é o que mais lhe interessa?

Por Junior Belluzzo


Está disponível para este mês os 6 novos aplicativos projetados para tablets. Eles levam o nome de aplicativos Apps Adobe Touch:

Adobe Photoshop Touch: é o principal deles. Possui uma versão do Photoshop otimizada para iPad;

Adobe Debut: é uma ferramenta de apresentação idealizada para mostrar os arquivos da suíte de aplicativos do Adobe. É ótimo para apresentações aos clientes direto do tablet. Terá suporte a múltiplos formatos de arquivos;

Adobe Proto: possui ferramentas e protótipos para criar sites e aplicativos web. O usuário poderá compartilhar ideias com profissionais do mundo todo. Permite a edição de CSS e interação com o Adobe Cloud;

Adobe Collage: permite combinação de imagens, desenho e texto e enviá-las para qualquer serviço online. É ideal para a criação de mídia mista, possui também função caneta para desenhar sobre as imagens;

Adobe Kuler: possui ferramentas que permitem a criação, compartilhamento e exportação de diferentes esquemas de cores;

Adobe Ideas: um aplicativo de desenho vetorial, podendo usar uma caneta ou o próprio dedo para criar desenhos. Depois é possível transferir os trabalhos para os programas da suíte criativa ou para o Adobe Cloud.

Os novos aplicativos Adobe Touch funcionam em Tablets com Android 3.1 (Honeycomb) e o lançamento para iOS deverá ocorrer no início de 2012

O Adobe Photoshop Touch funciona apenas com tablets com Android 3.1 com telas a partir de 8,9 polegadas que tenham resolução de 1280×800 e edição de imagens de até 1600×1600 pixels.

Por Dorcas Rosicler

Fonte: Makeuseof


Esta semana a Positivo Informática apresentou para a imprensa os primeiros tablets produzidos no Brasil. Os modelos foram chamados de Ypy7 e Ypy10.

O Ypy7 deve chegar as lojas em outubro e apresentará tela de 7 polegadas, sistema operacional Android 2.3, memória de 10GB e custará aproximadamente R$999. Já o Ypy10 terá tela de 10 polegadas, sistema Android 3.2 e memória de 20GB, a previsão de lançamento e seu preço ainda não foram definidos pela fabricante.

Além das características citadas acima, ambos os tablets possuirão entradas mini HDMI, mini USB, entrada para cartão de memória SD e câmera frontal VGA para videoconferência. O Ypy10 contará ainda com uma câmera traseira de 2 MP.

Ambos os modelos estarão disponíveis em duas versões: Wi-fi e Wi-fi+3G.

Confira mais informações no vídeo:


Com o sucesso dos tablets, o número de modelos disponíveis no mercado aumenta a cada dia. E no meio de tanta variedade, começaram a surgir no mercado os modelos chineses. Estes modelos, apesar do preço bem mais em conta, podem acabar virando uma tremenda dor de cabeça para o comprador.

Buscando evitar que você se estresse com isso, listaremos aqui uma série de motivos para você tomar cuidado com estes aparelhos:

A primeira coisa que você deve ficar ciente é sobre o fraco hardware que estes dispositivos geralmente têm. Devido a isso, não espere que seu tablet rode perfeitamente aplicativos mais pesados, caso você tente rolar estes aplicativos, certamente terá de lidar com uma certa lentidão no processamento do aparelho. Para não sofrer com este problema, evite comprar modelos que apresentem um processador inferior a 1GHZ e tela de 7 ou 10 polegadas (com resolução de 800×490 ou superior).

Outro fato que você deve ficar ciente é de que o Touchscreen destes aparelhos são bem ruins e não respondem precisamente ao toque. Para não ter tanta dor de cabeça com isso, busque comprar um aparelho que possua multitoque (capaz de realizar tarefas com mais de um toque). Apesar disso inicialmente parecer desnecessário, com o tempo irá se tornar algo que você pode sentir bastante falta.

Outra desvantagem dos tablets chineses é a falta de um suporte técnico. Com isso, caso você tenha problemas com o aparelho, terá de arcar sozinho com tais defeitos.

Se você ainda está pensando em comprar um tablet chinês, esteja ciente de que a resolução da tela dele também não será das melhores. Apesar de reproduzir vídeos, não espere ver algo em HD ou Full HD, pois ele não irá suportar.

Vale lembrar também que estes tablets não possuem uma bateria de longa duração.

Mas com tantos pontos negativos, será que realmente não tem nada de bom nos tablets chineses? Alegro-me em dizer-lhes que tem sim. Estes aparelhos são ótimos para quem quer utilizá-lo para ler um e-book ou então como “cobaia” para instalação de ROMs customizadas e coisas do tipo.

Um alerta que fica não só para quem está pensando em comprar um tablet chinês, mas para todas que estão pensando em comprar um aparelho desses, é que ele não irá substituir o computador. Os tablets possuem grandes limitações, o que lhe impedem de realizar inúmeras tarefas que poderiam ser feitas no computador.


A Sony apresentou em Tóquio dois concorrentes de peso para o iPad 2. Os aparelhos, chamados de S1 e S2 prometem agitar o mundo dos tablets.

Os tablets da Sony terão Android Honeycomb, câmeras frontal e traseira, processador Nvidia Tegra 2, conexão por Wi-Fi, 3G e 4G, além de contarem com o diferencial de serem os primeiros tablets a permitir o uso de jogos do Playstation.

Além das configurações citadas acima, o S1 ainda conta com um design diferente da maioria dos tablets, ele possui um formato mais grosso em sua parte superior. A utilização deste design seria para facilitar o manuseio do aparelho.

Com relação ao S2, o destaque fica pelo seu tamanho, por seu pequeno ele cabe até mesmo no bolso, além disso, o tablet possui duas telas e promete ser uma ótima opção para quem quer um tablet para carregar consigo para todo canto.


Com o lançamento de novos tablets no mercado, a hegemonia do iPad sempre é colocada a prova. O último a querer conquistar o posto de melhor tablet é o Motorola Xoom.

Para ajudar na decisão de qual tablet é o melhor, inúmeros testes foram realizados com os dois tablets. O último teste divulgado foi o realizado pelo portal Gizmodo.

O teste (que pode ser visto no vídeo abaixo) focou na navegação dos tablets. Quando se trata deste quesito não temos como deixar de comentar sobre a falta do Flash no iPad e da presença do mesmo no Xoom.

Apesar da “vantagem” de ter Flash, o Xoom peca um pouco na diagramação da página, isso porque como sua tela é widescreen, a visualização da página na tela é menor. Ainda com relação a tela, o Xoom possui uma tela bem mais reflexiva que o iPad, além disso a qualidade e contraste na imagem parece ser bem melhor no tablet da Apple.

Outro problema citado no Xoom é com relação ao zoom. Ao clicar duas vezes na tela, o zoom não amplia a área exata da página, coisa que acontece com o iPad.

Com relação aos vídeos na página, mesmo tendo Flash, o Xoom acaba deixando a desejar já que a qualidade dos vídeos é inferior ao iPad. Além disso, o redimensionamento dos vídeos no iPad também é mais fácil e a sua velocidade de carregamento também é superior ao Xoom.

Apesar do Xoom ficar devendo quando seu Flash está ligado, quando o mesmo se encontra desligado a história é outra. O tablet passa a ser bem mais rápido e briga lado a lado com o iPad 2. Além disso, o Xoom ainda tem a vantagem de possuir um navegador bem melhor que o Safari presente no iPad.

Analisando o resultado dos dois tablets podemos concluir que embora não possua o Flash, o iPad 2 é superior ao Motorola Xoom. Já o Xoom, podemos dizer ainda que o Flash acabou prejudicando bastante o desempenho do tablet, uma vez que o tornou mais lento e com sucessivas travas.


Segundo informações do portal Bloomberg, a Microsoft, maior fabricante de software do mundo, não vai mais lançar esse ano o sistema operacional para tablet para concorrer com a Google e a Apple. A organização resolveu postergar o lançamento da nova versão do Windows para 2012, e ainda no final de 2011, vai realizar os testes do sistema operacional para tablets com clientes e parceiros.   

A Microsoft está trabalhando nas atualizações do Windows 7 para adaptá-lo com características para telas touchscreen, tamanho e duração da bateria dos tablets para conseguir ganhar um “lugar ao sol” no mercado concorrido dos tablets. A competição nesse ramo é acirrada, com mais de 100 novos projetos de diversas fabricantes ainda para esse ano, e a previsão é que até 2015 atinja mais de 118 milhões de unidades.

Enquanto isso, a Apple já lançou a segunda versão do iPad há menos de um ano do lançamento do seu primeiro tablet.

Por Andrea Gomes


Nos próximos meses serão lançados pelo menos 2 tablets de fabricantes de peso. A Apple deve lançar o seu iPad 2 possivelmente no mês seguinte, e a HP deve antecipar o lançamento do TouchPad para abril. Segundo o site da empresa, o tablet deve começar a ser vendido ainda no verão (americano). Porém, o portal Digitimes informou em nota que é bem provável que o HP TouchPad comece a ser vendido ainda em abril.

O Touch Pad é o primeiro tablet que vem embutido com o sistema operacional WebOS e será bem similar ao iPad, com as mesmas dimensões e resolução de tela.

Especulações à parte, o que se tem certeza é que muitas novidades no segmento de tablets chegarão em breve nas lojas, como o Xoom da Motorola, além de outras fabricantes como a LG, Samsung e Toshiba, que também estudam possibilidades em lançar seus tablets.

Por Andrea Gomes


A empresa brasileira MKT pretende desenvolver equipamentos focando nos clientes corporativos. A fabricante afirmou que a ideia é vender soluções para clientes que necessitem de um equipamento que seja rastreável e consiga transmitir informações em tempo real. Órgãos públicos são um dos seus possíveis consumidores, e o primeiro passo já foi dado, pois a MKT fechou um contrato com a Polícia Militar de São Paulo para fornecer cerca de 11 mil tablets em 2011.

A empresa produz em média 25 mil tablets mensalmente e a previsão é que atinja pelo menos 300 mil unidades por ano em razão da demanda por parte de organizações brasileiras.

Isso mostra que o mercado nacional está aquecido em relação aos tablets e a popularização do portátil tende a se tornar uma realidade dentro de pouco tempo.

Por Andrea Gomes

Fonte: Folha


O mercado de tablets é hoje o foco de muitas empresas fabricantes de produtos de informática, devido à crescente demanda por esses equipamentos. A fabricante de processadores, Qualcomm, já fez a sua aposta e lançou o novíssimo processador dual core para tablets, o Snapdragon APQ8060, pertencente a linha Snapdragon.

A HP já implantou no TouchPad a novidade, e segundo o presidente da Qualcomm, Steve Mollenkopf, não só a HP, mas várias empresas firmaram acordos para fabricar tablets com o novo processador.

O Snapdragon APQ8060 vem com recursos poderosos que permitem alta resolução de vídeo e 3D. A Nvidia e a Texas Instruments são as grandes concorrentes da Qualcomm e estão investindo pesado no setor dos portáteis. As empresas que fabricam processadores para dispositivos móveis focam em aliar desempenho e economia de energia. A Nvidia vem atualmente liderando esse mercado.

Por Andrea Gomes

Fonte: Reuters


No filme de lançamento de seu novo tablet  Xoom, concorrente direto do iPad, da Apple, a Motorola ataca a marca da maçã. Exibido no Super Bowl, o filme satiriza a comunicação mais famosa da Apple, do lançamento do Macintosh, que contestava o universo opressivo de “1984”, de George Orwell (no qual só há uma autoridade).

No teaser, revelado alguns dias antes do filme, a Motorola já afirmava que 2011 está idêntico a 1984: “Uma autoridade. Um design. Uma forma única de trabalhar.” Ao fim, apresenta o seu tablet como solução “para fazer um mundo melhor.” Já o filme, de sessenta segundos, contextualiza a uniformidade mostrando uma cidade onde todos usam o mesmo casaco branco com capuz, ostentando fones de ouvido brancos, como os da Apple. Um jovem que se destaca na multidão utiliza o Xoom para “presentear” com flores uma colega de trabalho, humanizando o ambiente.

Por A. Garcia


A Asustek continuará a fabricar seus netbooks sem medo de ter poucas vendas devido a grande procura pelos tablets. A empresa tem a confiança em vender seus aparelhos, e a expectativa para a comercialização é que se mostrem em uma quantidade estável esse ano de 2011.

Segundo o gerente geral da empresa, os tablets e os netbooks são para diferentes clientes, e são produtos que ainda rendem bastante dinheiro.

A empresa ainda pretende vender 6 milhões de netbooks até o final deste ano, ou seja, a mesma quantidade vendida em 2010. O primeiro tablet da Asus, ainda sem nome, vai ser lançado em março e vem com o sistema operacional Android 3.0 feito pela Google.

Por Oscar Ariel


Poucos dias depois de deixar escapar que vários dispositivos com o sistema operacional WebOS seriam lançados em breve, surgem detalhes dos tablets da HP. Aliás, os aparelhos deverão vir com a marca HP Palm e deverá ter dois tamanhos: 7 e 9 polegadas. Eles atendem pelo codinome de Opal e Topaz.

Segundo os rumores, o modelo menor deverá ser lançado por volta de Setembro nos EUA através de grandes redes de varejo como Best Buy e Amazon. Por enquanto não há informações sobre preços. No entanto, a Palm marcou para o dia 9 de Fevereiro um evento misterioso em São Francisco que pode por mais luz sobre os lançamentos.

Para terminar, eis mais alguns detalhes sobre os tablets da Palm: eles devem contar com porta microUSB e duas câmeras. E mais: eles não devem contar com um botão Home como o iPad. Em seu lugar deve haver uma espécie de área sensível como nos antigos Palmtops, que servirá para controlar diversas funções nos aparelhos.

Por Maximiliano da Rosa


Para o crescente, interessante e recém aberto nicho dos tablets o ano de 2011 reserva mais uma novidade: a chegada no mercado brasileiro do tablet da ZTE, o Z9 que está em processo de homologação pela ANATEL, conforme matéria do site Tecnologia IG.

A ZTE é fabricante de celulares e modems 3G e está no Brasil desde 2008, inclusive com celulares com sinal de TV a preços bem mais acessíveis, do que a maioria dos concorrentes do mercado.

Sem preço de venda ainda definido, o Z9 promete ser uma opção interessante. Este tablet terá tela de sete polegadas e o sistema operacional será o Android do Google versão 2.1. Com ele poderá ser feita conexão a internet através de Wi-Fi e também 3G e por possuir entrada de fone de ouvido e caixa de som estéreo que permite a ativação do recurso viva voz este tablet permitirá fazer ligações telefônicas e também permitirá fazer videochamadas, pois ao lado da tela o Z9 trará uma câmera de 3.2 megapixels que permite esta funcionalidade.

Além deste tablet, a ZTE promete para o mercado brasileiro a partir de Janeiro de 2011 novos modelos de celulares como o smartphone V880 com tela com tecnologia super AMOLED e Android 2.1 e o X930, voltado para os jovens, que permitirá acesso a aplicativos pré-instalados para twitter e facebook.

Por Mauro Câmara


O recém inaugurado filão dos tablets que nasceu com o lançamento do Ipad da Apple parece se descortinar como um ótimo caminho para os computadores portáteis. Tanto é assim que a Hewlett-Packard, a mundialmente conhecida HP, está lançando um novo tablet, conforme matéria do site Tecnologia UOL que além de ter boa portabilidade, qualidade fundamental de um tablet se aproxima mais do desempenho de um computador portátil adequado ao formato de um tablet.

De acordo com avaliações, o Slate 500 da HP diferentemente dos seus concorrentes que possuem um jeitão de celulares inteligentes, aposta em um desempenho e funcionalidades mais próximas de um computador voltado principalmente para clientes empresariais. Na definição dos próprios diretores da HP o Slate 500 é como um computador com todas as suas funções na forma de um tablet. Outro dado que contribui para isso é o fato do sistema operacional ser o Windows 7, muito usado por empresas em computadores convencionais o que com certeza facilitará sua aplicação no ambiente empresarial, facilitando o seu uso e sua aceitação.

Seu processador é um Intel Atom, o mesmo usado em netbooks e aí está outra diferença em relação aos tablets concorrentes que utilizam chips padrão ARM, normalmente utilizados em celulares inteligentes.

O novo tablet da HP vem com tela de 8,9 polegadas, 64 GB de armazenamento, caneta especial e sistema multitoque. A autonomia da bateria é de cinco horas em uso. Possui wi-fi, no entanto não tem capacidade de conexão com redes de celulares de alta velocidade. E vem com duas câmeras, uma frontal e outra traseira e porta USB.

O preço também será um pouco mais caro do que o dos outros tablets: US$ 799 e já está a venda na loja online além da venda realizada pela equipe de vendas diretas da HP.

Por Mauro Câmara


Funcional, fino, elegante e atualmente o máximo em sofisticação e tecnologia, os Tablets chegaram com força total ao mercado de tecnologia e o sucesso do Ipad da Apple vai alavancar as vendas deste novo aparelho, que como todos os aparelhos tecnológicos se tornará indispensável principalmente por sua funcionalidade.

De acordo com recente pesquisa da Consultoria Gartner as vendas destas maquininhas fantásticas devem alcançar a marca de 19,5 milhões de aparelhos vendidos neste ano de 2010. E o sucesso, segundo as previsões, deverá se estender pelos próximos anos, pois para 2011 deverão ser vendidas, de acordo com as estimativas, 54,8 milhões de unidades. Atualmente o grande mercado consumidor é a América do Norte, responsável por 61% das vendas de tablets em 2010. Com a disseminação dos aparelhos pelo resto do mundo, conforme as estimativas da consultoria, a participação da América do Norte caia para 43%, ou seja, mesmo assim alcançando quase a metade dos tablets a serem vendidos no mundo.

Segundo os especialistas da Gartner o fato de reunir em um só aparelho uma série de aplicações que hoje são executadas por outros dispositivos eletrônicos como games portáteis, tocadores de vídeo e música e e-readers fará com que os tablets ganhem cada vez mais espaço por trazer a funcionalidade e a rapidez de todas as aplicações em um só aparelho eletrônico. Ainda de acordo com a Consultoria Gartner os netbooks serão os atuais aparelhos que mais perderão espaço com a queda do preço médio dos tablets, o que deverá ocorrer nos próximos dois anos.

Por Mauro Câmara

Fonte: Tecnologia IG


O site Notebook Italia (www.notebookitalia.it) divulgou nesta semana fotos do novo tablet da Toshiba, bastante parecido com o iPad, que foi apresentado em julho, na Austrália.

A expectativa é que o modelo seja lançado em breve no mercado mundial. O tablet da Toshiba deve vir com portas HDMI, USB, leitor de cartões e pode vir com sistema operacional Android. Além disso, o aparelho poderá ter display de 10 polegadas e processador Nvidia Tegra 2.

O modelo deve ser apresentado durante a feira de eletrônicos IFA 2010, na cidade de Berlim, na Alemanha, no início de setembro.

O modelo tablet da Toshiba pode ser lançado ainda neste ano, provavelmente no mês de outubro.

Por Luana Neves


Quase todas as semanas, uma notícia envolvendo o lançamento de um tablet para concorrer com o iPad da Apple surge nos meios de comunicação. Desta vez, é uma loja online dos Estados Unidos que quer bater de frente com a empresa de Steve Jobs.

A Best Buy, uma das grandes lojas do e-commerce, parece estar desenvolvendo um tablet. Lojas virtuais que se aventuram no mundo dos gadgets não são novidade, tendo em vista que a Amazon também lançou o seu e-reader.

A notícia do lançamento do tablet pela Best Buy veio pelo próprio executivo de tecnologia da empresa, Robert Stephens, que postou fotos em seu Twitter mostrando o aparelho.  Por fora, ele se parece muito com o iPad, pois tem tela com o mesmo componente, mas parece ser mais grosso. Resta saber se por dentro ele fará tanto sucesso quanto o tablet da Apple.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: IDGNow!


Parece que o tablet da RIM, provisoriamente chamado de BlackPad, vai ser mesmo lançado. Segundo fontes confiáveis do site Gizmodo, a empresa estaria trabalhando duro para trazer ao mundo este novo concorrente do iPad. E a previsão é que o lançamento ocorra ainda em 2010. Se tudo der certo, talvez até o mês de Setembro.

Há informações de que o aparelho terá tela de 8.9 polegadas. Mas algo a respeito dele surpreende: o dispositivo será uma espécie de complemento aos smartphones da RIM e não terá acesso nativo à internet, nem à rede de telefonia. Portanto não se trata de um Blackberry aumentado como se supôs.

Para usá-lo para navegação na internet será necessário usar as conexões do aparelho como wi-fi ou bluetooth. Ao que parece, a intenção da RIM é fazer do Blackpad uma plataforma de entretenimento e não de trabalho, englobando diversas funções multimídia.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Gizmodo


A Dell parece estar determinada a entrar de vez no mercado de smartphones e tablets. Além do Streak, a fabricante de computadores pretende lançar um outro modelo, com tela maior, Looking Glass de 7 polegadas com sistema operacional Android 2.1.

A principal diferença entre o Streak e o Looking Glass é a presença de um receptor de sinal digital para TV. O Glass será movido a um processador Tegra 2, terá 4Gb de memória RAM e mais 4 GB de armazenamento interno, além de vir com slot para cartões SDHC com capacidade de até 32GB. E ainda contará com uma webcam de 1.3 MP.

O lançamento desses tablets e também dos novos smartphones estão previstos para Novembro.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Digital Drops


Antes do lançamento do iPad, muito se comentou afinal para o que ele serviria. Muitos diziam que as pessoas não precisavam de um iPad. Pois, aos poucos, as pessoas vão descobrindo as suas utilidades. Por exemplo: você pode dar para o seu gato ou seu cachorro brincar. A julgar pelos vídeos que rolam na internet, eles adoram.

Mas se você não tiver nem um gato nem um cachorro, pode dar de presente para o seu filho e levá-lo para assistir uma orquestra sinfônica, só para ele brincar de tocar piano bem no meio da apresentação.

Claro que o tablet tem aplicações úteis: uma americana gastou cerca de 53 dólares com aplicativos e, ligado a alguns apetrechos eletrônicos, transformou gadget numa verdadeira máquina de dança. Na internet tem até um vídeo explicando aos internautas como fazer o mesmo. Segue o vídeo:

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Pop News


Notícias envolvendo os tablets e leitores de livros digitais não param de pipocar na Internet. A todo momento alguém lança algo novo. Ou diz que vai lançar. Há muito barulho em torno de assunto. Tanto, que fica até difícil separar o joio do trigo.

Enquanto rumores supostamente revelam que a Apple já teria (pré)vendido em torno de 120 mil iPads, outras empresas tentam fazer barulho e chamar a atenção para si. Um exemplo é a Amazon: preocupada com o futuro do Kindle, a empresa acaba de anunciar que seu e-reader deverá ganhar cores o ano que vem.

E outro vazamento de informações do Courier, o tablet da Microsoft teria acontecido na rede. Agora, além de fotos do produto, surgiu até um vídeo. Particularmente, acredito  que se trata de mais uma forma de marketing viral.

Ao que tudo indica, em 2010 as empresas de tecnologia estão dispostas a acabar de vez com os livros convencionais. Eu espero que não consigam, e que tudo não passe de mais uma febre.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: