Chega de  ficar  preocupado com documentos secretos ou  sigilosos que requerem uma  atenção e  segurança fora do  comum para  preservar a integridade dos mesmos. Segurança que nos  dias  de  hoje, no meio tecnológico, vem  sendo algo  preocupante com a onda invasão de computadores.

Para aqueles que gostam de segurança em seus  arquivos e  documentos está chegando ao mercado a  solução. A Toshiba lançou um super pen drive com capacidades de 4GB  e 32GB de armazenamento, mas com o diferencial na sua parte superior que apresenta um mini teclado onde o  usuário digitará uma  senha para que  possa liberar os  dados. É só plugar o gadget da Toshiba em uma  porta USB para ter acesso aos  dados e quando o pen drive  for  removido ele boqueia automaticamente  impedindo o acesso aos dados.

Incorporada ao gadget está uma  bateria recarregável que garante o funcionamento do mecanismo. Em caso de roubo o dispositivo conta com uma função onde seus dados tornam-se irrecuperáveis após 10 tentativas.

No site americano da empresa o aparelho está sendo  negociado entre US$ 60 e US$ 180.

Companhias  governamentais e  grandes empresa estão entre o público-alvo da empresa.

Para quem  gosta ou necessita de  segurança e proteção em seus  documentos é uma  grande  oportunidade de  adquirir  um  super pen drive. Pois com a crescente invasão em  computadores por  vírus e  até  mesmo  hackers essa se torna a forma mais eficaz de proteger ou de  estar protegido.

As informações terão essa super proteção, impedindo que  documentos fiquem expostos onde muitas  vezes são publicados intencionalmente e criminalmente trazendo constrangimento para as pessoas e as empresas.

Essa  sim se  torna  a criação ou aperfeiçoamento mais seguro que  está chegando ao mercado, e todo aquele que  deseja mais segurança basta adquirir  esse dispositivo que trará uma  certa  segurança em seus  arquivos privados e até mesmo confidenciais.

Por Andre Escobar

Pen Drive da Toshiba

Foto: Divulgação


O Google elaborou um dispositivo USB para ser conectado ao computador como suporte à verificação de identidade em duas etapas. Para provar ser o dono do perfil e acessar sua conta do Google e os aplicativos através do Chrome, os usuários poderão contar com mais essa opção de segurança.

A nova Chave de Segurança (Security Key), como a própria empresa está chamando o novo produto, que mais parece um pen drive, garante que você, ou pelo menos sua chave, está conectado ao computador, impedindo ataques remotos à sua conta por parte de hackers e programas maliciosos.

A verificação em duas etapas, disponibilizada pelo Google há anos, tem o simples objetivo de garantir mais segurança no acesso às contas, requerendo sua senha juntamente com outros dados, seja uma pergunta de segurança, dados pessoais etc, e tem se tornado mais usual depois dos recentes casos de invasão de contas, principalmente aqueles de roubos de fotos íntimas de celebridades. Isso porque os caracteres que compõem a senha podem ser digitados em qualquer teclado, em qualquer computador ao redor do mundo, sem o mínimo conhecimento do usuário de que sua conta está sendo acessada – às vezes até ao mesmo tempo em que ele está conectado.

A empresa dona do site de buscas mais famoso do mundo, e outras também, oferecem ferramentas que alertam os usuários sobre quando e de onde suas contas estão sendo acessadas, caso seja um local diferente daqueles de onde usualmente a pessoa se conecta, mas a única maneira de se garantir que a invasão não ocorra é a segunda verificação de identidade após a inserção da senha. Neste caso, o Google sai na frente com o dispositivo USB que, via de regra, deve permanecer com o “titular” da conta.

Mas se engana quem pensa que qualquer pen drive esquecido no fundo da gaveta funcionará. O Security Key do Google usa o protocolo U2F (sigla em inglês para 2ª Verificação Universal), gerenciado pela empresa FIDO Alliance. Ela utiliza criptografia de chave pública para criar um único dispositivo USB capaz de autenticar a conexão do usuário, garantindo que nenhuma tentativa de invasão obtenha sucesso. E também se engana quem acha que com o novo brinquedinho terá garantia de segurança em qualquer lugar que for. Isso porque por enquanto o Chrome é o único navegador que suporta a tecnologia do U2F, o que significa ter que voltar para a verificação em duas etapas com códigos por SMS ou aplicativos do celular verificados para acessar sua conta com segurança quando o computador não tiver o Chrome instalado.

O “Security Key” tem que ser comprado, e nos EUA o valor varia de US$15 a US$ 50. 

Por Felipe Foureaux Freitas

Security Key do Google


A maioria dos usuários de notebooks são constantemente expostos a casos de cibercrimes já que – em geral – os arquivos não são protegidos e, em muitos casos, impossibilita a recuperação de informações armazenadas, segundo estudo realizado pela empresa de tecnologia Gartner Group.

Os computadores portáteis fazem parte do cotidiano de milhões de brasileiros. Transações bancárias, relatórios de trabalhos e compras online, são apenas uma das atividades realizadas por milhões de usuários de notebook.

A utilização de notebooks se popularizou significativamente nos últimos anos em todo o Brasil. Os produtos são mais vendidos no mercado que os tradicionais desktop (computadores de mesa).

A empresa Gartner Group aponta em seu estudo que os casos de roubos e perdas de notebooks são mais frequentes do que se imaginava até então. Nos Estados Unidos, a cada segundo, 53 laptops são roubados ou perdidos, de acordo com o levantamento.

Doze mil notebooks são perdidos apenas nos aeroportos dos Estados Unidos, segundo o Instituto Ponemon. Apenas 19% dos usuários norte-americanos costumam aderir à criptografia de seus arquivos. Basicamente, criptografar significa tornar um arquivo em um código secreto, para que as informações não possam ser lidas até a decodificação.

Até grandes corporações como a Coca-Cola foram vítimas de roubo de computadores da empresa. Como não havia criptografia nos dados, a multinacional notificou funcionários e fornecedores a respeito dos dados que poderiam ser corrompidos.

A criação de cofres virtuais com o sistema de encriptação pode ser a solução para a proteção de dados, afirma a assessoria de imprensa da Steganos Safe, empresa que fornece ferramentas de software de segurança de dados.

As unidades seguras criadas funcionam como um tipo de unidade de disco rígido do notebook, as quais apenas aparecem no explorador do Windows quando abertas e desaparecem automaticamente após serem fechadas.

Aos interessados em experimentar gratuitamente a ferramenta da Steganos Safe por 30 dias, a versão de teste do programa – que conta com funcionalidade completa -, pode ser baixada através do site: http://segurisoft.com.br/safe/. O produto custa em torno de R$ 89,90.

Por Letícia Veloso

Foto: divulgação


O usuário que tem suspeita de que o seu Gmail está sendo usado por outra pessoa ou que apenas quer certificar que seu e-mail está seguro, pode contar com um recurso do serviço do Google. O Gmail tem um dispositivo que permite o usuário inspecionar as movimentações feitas na conta de mensagens.

O recurso dá a possibilidade de verificar de qual local foram realizados os últimos acessos ao e-mail, além de mostrar ao usuário de qual meio foi feita a última visita, pelo celular ou por outro dispositivo. O usuário também consegue examinar se o seu correio eletrônico está aberto em outro computador enquanto ele está verificando seu e-mail. Pode ser em computador desktop ou algum aparelho móvel, como tablet e celular.

O dispositivo possibilita interessantes funcionalidades de verificação ao usuário e isso parece ser feito de forma complicada, contudo não é. O recurso é fácil de ser manejado, com a disponibilidade de descobrir se outra pessoa usou sua conta de e-mail sem sua permissão ou foi invadida por um hacker para usufruir dados pessoais.

A primeira coisa a se fazer é entrar na conta do Gmail. Na tela inicial do e-mail, é preciso descer até o final, clicar em “Detalhes” que fica no canto direito. Feito isso, uma nova janela será aberta com detalhes sobre as movimentações da conta. Nesse mesmo local, será possível ver se o seu Gmail foi acessado por outro lugar. Caso o usuário identifique essa invasão, basta clicar em “Sair de todas as seções”. No quadro dessa página, consegue-se visualizar de qual local foram feitos os últimos dez acessos ao e-mail.

O usuário que percebeu um acesso não identificado da sua conta pode pedir, neste mesmo quadro em que mostra os últimos acessos, para que o Google alerte se eventualmente ocorrer alguma atividade diferente no Gmail. O recurso para isso está em “Mostrar um alerta para atividades incomuns”.

Com essa verificação e com a ativação do alerta para assegurar que de que a sua conta não está sendo usada por terceiros, o seu Gmail está mais seguro. O recurso mostra o horário, o local de acesso e até mesmo o endereço de IP que acessou a conta. Caso verifique que acorreu um acesso estranho, o recomendado é trocar de senha imediatamente. 

Por Carolina Miranda

Gmail

Foto: Divulgação


Os dados de clientes da empresa Ingresso.com vazaram após uma falha ou invasão em seu sistema. Muitas pessoas utilizaram o site Reclame Aqui para relatar o problema, que também foi repassado ao site Olhar Digital por alguns leitores.

Aparentemente o problema começou na última terça-feira, dia 11, quando alguns usuários começaram a receber e-mails sobre um sorteio de ingressos para a Copa do Mundo. No seu texto, muito bem escrito e com layout convincente, era dito que o destinatário havia sido um dos ganhadores e precisava entrar num site para ativar um cupom. A página para qual o usuário era redirecionado era bem feita e também levava a acreditar que seria pertencente à Ingresso.com, porém, pede para o usuário baixar um arquivo malicioso para efetivar o resultado do sorteio.

O golpe provavelmente passaria despercebido por boa parte dos usuários que receberam o e-mail, não fosse o fato de que os dados sigilosos são listados para dar veracidade à coisa toda. Nome completo, data de nascimento, CPF, RG, nome da mãe, sexo e até mesmo o endereço dos clientes foram vazados.

Onde fica a segurança aos usuários e a credibilidade da empresa? Milhares de pessoas utilizaram o site Ingresso.com para adquirir ingressos para os jogos da Copa do Mundo, inclusive, em algumas etapas, devido à grande procura, a FIFA realizou sorteios para saber quem teria o direito de compra. O golpe foi muito bem bolado e se aproveitou deste fato para enganar as pessoas, já que muitas delas estavam realmente aguardando um e-mail confirmando se foram ou não sorteadas para comprar os ingressos.

O site ainda não se posicionou sobre o vazamento dos dados dos usuários e até o momento, o que se sabe, é que foram vazados dados pessoais, porém, existe um risco ainda maior, visto que muitos usuários efetuaram o cadastro com dados dos cartões de crédito, o que pode causar diversos prejuízos.

Por Jaime Pargan


A McAfee, empresa norte-americana, anunciou na última terça-feira, 14 de maio, um novo produto de segurança fruto de uma parceria com a Intel, o LiveSafe. O programa estará disponível para comercialização a partir de julho e será voltado para tablets, smartphones e computadores com Windows e Mac OS X.

Além de toda a segurança que os produtos da companhia já oferecem, o novo programa ainda conta com espaço de armazenamento na nuvem de 1 GB. Para dar mais segurança aos usuários o recurso só pode ser alterado após o reconhecimento facial e de voz, também é possível ter acesso aos dados através de uma senha, mas esse recurso só pode ser usado em casos de emergência.

A parceria entre a McAfee e a Intel resultou em melhoras na tecnologia Anti-Theft, recurso exclusivo da Intel, e também no IPT, o recurso de autenticação física de usuário. A licença do programa é ilimitada podendo ser instalado em aparelhos móveis com iOS e Android e em computadores com Mac OS X e Windows.

O LiveSafe custará R$ 159,90 para uma assinatura de 1 ano e todos os computadores e ultrabooks da Dell que forem comprados a partir do dia 9 de julho já virão com esta versão do McAfee instalada.

Por Felipe Santos Bonfim


O governo brasileiro publicou o Decreto Federal 7962/13 que trata sobre a segurança do comércio eletrônico brasileiro. O texto indica um conjunto de obrigações que os donos de lojas virtuais deverão cumprir para dar mais segurança aos clientes da internet.

O decreto entra em vigor a partir dessa terça-feira, dia 14 de maio de 2013, e propõe vários pontos que os comerciantes devem ficar atentos.

Um dos principais pontos do decreto é que todos os sites precisam disponibilizar informações como nome empresarial, CNPJ, endereços físico e eletrônico, além de características essenciais dos produtos para auxiliar o consumidor na hora de comprar. Essas informações devem possuir local de destaque e de fácil visualização no site. Outras medidas são também contempladas, como por exemplo, obrigações específicas para sites de compras coletivas e direito de arrependimento do consumidor ao adquirir produtos.

Esta posição do governo brasileiro, junto com a criação da primeira lei sobre crimes virtuais, indica que o Brasil caminha para dar uma devida atenção à internet, para assegurar o direito dos consumidores e evitar danos maiores aos internautas.

O documento com essas novas obrigações está disponível no link www.jusbrasil.com.br.

Por BCC


A acessibilidade a opções tecnológicas está disponível para mais pessoas a cada dia e desta vez os beneficiados são as pequenas e médias empresas do país.

Isto porque a Serasa Experian lançou nesta semana a Lista Online que consiste em uma ferramenta de marketing que gera listas de clientes para prospecção.

Este sistema oferece às pequenas e médias empresas acesso direto à base de dados da Serasa Experian com informações de milhares de empresas e consumidores para a realização de atividades como marketing direto, promoção, serviços, lançamentos, envio de convites e catálogos, dentre outros.

Com isto, as pequenas e médias empresas terão uma potencialização de seus negócios, sendo que o pagamento será feito com base no consumo com um valor de R$0,76 para listas de consumidores e R$0,92 para cada unidade em listas de empresas.

Fonte: IDGNow

Por Ana Camila Neves Morais


Com o crescimento do uso da internet e das redes sociais, bem como o aumento no acesso por meio dos tablets e smartphones, aumenta também o interesse de criminosos nas informações trocadas e veiculadas na internet, principalmente no meio corporativo.

Para proteger seu computador de ataques, confira algumas dicas da F-Secure:

1 – Os sistemas devem estar sempre atualizados – Com o sistema operacional atualizado é possível evitar falhas de segurança e vulnerabilidades;

2 – Backup e antivírus – Essa dupla deve estar sempre presente no seu pacote de segurança;

3 – Solução antirroubo – Evita o roubo de dados do seu computador com uma solução de segurança que protege as informações;

4 – Não clique em links desconhecidos – Sempre verifique se o endereço eletrônico começa com HTTPS e não clique em anexos ou fotos que você desconheça a origem;

5 – Cuidado com as redes sociais e redes públicas Wi-Fi – Use ambas com critério.

6 – Cuidado ao fazer o download de aplicativos – Antes de baixar os apps verifique se o mesmo é confiável, faça uma breve pesquisa na Internet;

7 – Avalie a necessidade de preencher dados cadastrais – Não informe dados pessoais ou cadastrais em qualquer aplicativo.

Por Natali Alencar


A Intel anunciou esta semana uma nova tecnologia que pode ser a solução para empresas que tiveram seus laptops roubados ou perdidos. Uma pesquisa com 329 companhias concluiu que 86 mil notebooks foram roubados só em 2010. Incluída nos novos processadores de segunda geração Core i3, i5 e i7, a tecnologia vPro permite desabilitar o computador simplesmente enviando um SMS encriptado. Em caso de recuperação o equipamento, a reativação pode ser feita do mesmo modo.

Os novos processadores Intel Core com a tecnologia vPro chegarão ao mercado embarcados em equipamentos de vários fabricantes como Dell, Lenovo, HP e Fujitsu. Ela estará presente não só em notebooks corporativos como também em tablets, desktops e os novos modelos all-in-one.

Outro recurso interessante provido pela tecnologia vPro é a possibilidade de configurar o computador para exigir um login encriptado quando for ligado ou tirado do modo de espera. Segundo a Intel o sistema é muito mais seguro que simplesmente solicitar um nome de usuário e senha no sistema operacional.

Por Maximiliano da Rosa

 

Fonte: InformationWeek





CONTINUE NAVEGANDO: