Nova versão da suíte de aplicativos da Microsoft será lançada no segundo semestre do próximo ano.

Como todos sabem, os desenvolvedores de tecnologia melhoram seus produtos praticamente todos os anos. A notícia mais atual do ramo veio da Microsoft, nessa terça-feira, 26/09. Em seu evento Ignite 2017, ocorrido em Orlando, a empresa anunciou ao público a nova versão do já conhecido pacote Office.

O novo Office 2019 tem previsão para o próximo ano, no segundo semestre. De acordo com a empresa, as versões de teste serão disponibilizadas na metade de 2018 e seis meses depois, o pacote estará concluído e pronto para ser vendido.

A compra da nova suíte de produtividade acontecerá de forma diferente em relação à versão atual no mercado. Enquanto o Office 365 disponibiliza pacotes anuais de assinatura, com pagamento mensal, o novo Office 2019 terá pagamento único, em apenas uma taxa. Depois de realizar o pagamento, o usuário poderá utilizar todos os aplicativos do pacote sem taxas mensais. Os preços do novo Office ainda não foram divulgados.

Atualmente a Microsoft fornece pacotes para uso doméstico, para uso individual e também o pacote para empresas, esse último dividido em Business Essentials, Business Premium e Business, de acordo com cada tipo de negócio. É provável que o pacotes e preços se mantenham parecidos, mas ainda é difícil saber ao certo.

Uma das maiores apostas do Office 365, a versão atual do pacote da Microsoft, é a possibilidade de acesso à nuvem de 1 TB em qualquer dispositivo e qualquer lugar. Dessa forma o usuário pode encontrar todos os documentos, músicas, vídeos e imagens armazenados no OneDrive quando precisar. O novo pacote de produtividade foi desenvolvido especialmente para empresas que não utilizavam o sistema e para pessoas que não se sentem à vontade usando a nuvem, e será uma ferramenta de grande valia para usuários como profissionais de TI, que preferem manter todos os seus arquivos e aplicativos no PC.

Com lançamento previsto para o ano que vem, o pacote Office 2019 contará com os já conhecidos aplicativos Word, Power Point, Excel e Outlook. Todos os anos pequenas modificações são realizadas no Word, como mecânismo de correção ortográfica. A nova versão terá alguns novos recursos, mas manterá todas as funções básicas. As ferramentas de desenho também receberão upgrades, com sensibilidade à pressão, replay de desenho e novos efeitos.

A Microsoft tornou público novidades sobre as canetas Stylus, para laptops e tablets com sistema Windows, além das novas animações Morph e Zoom para apresentação no PowerPoint. O Excel apresentará fórmulas novas e outros gráficos, tornando a experiência com o programa mais simples e eficaz. Além de apresentar upgrades nesses apps, ainda terá soluções para os aplicativos voltados para empresas, como SharePoint, Exchange e Skype for Business.

É esperado que o Office 2019 chegue ao mercado com diversas versões, tanto para Mac quanto para iPad, assim como no pacote atual, mas até o momento, pouco se sabe a esse respeito.

Entre as principais características do Office 365, está a possibilidade de instalar os apps em vários dispositivos, como PC e smartphone. Segundo os desenvolvedores, o Office 2019 poderá ser instalado em apenas um computador.

Assim como aconteceu em todas as versões anteriores, é esperado que o design dos programas mude um pouco, mas não foi apresentado ao público nenhuma prévia acerca do visual do novo pacote. O mais provável é que ainda não tenham escolhido o aspecto definitivo, ou talvez o projeto ainda esteja no começo.

Segundo a Microsoft, o novo pacote Office receberá algumas modificações de tempos em tempos, mas em determinado momento, novas ferramentas não serão incluídas nos programas. A última grande modificação ocorreu em 2015, quando foi lançado o Microsoft Office 2016. Novas informações sobre o Office 2019 serão anunciadas nos próximos meses.

Fabio Santos


Microsoft deve lançar nova versão tentando barrar o crescimento do Chrome OS.

A Microsoft pode estar preparando uma nova variante do seu sistema operacional mais recente, o Windows 10. Recentemente, com a chegada da build 15019 aos usuários que optaram pelas versões preview e pelo canal de atualização fast, reportaram esta descoberta interessante e ainda não revelada pela gigante americana.

Segundo estes relatos, o sistema se chamaria “Windows 10 Cloud” e a evidência estaria nos arquivos que estão na pasta Windows Kits. Nele, quatro novas linhas foram adicionadas e uma delas apontaria para product_cloud. A variante teria supostamente como principal objetivo mirar os usuários que preferem os chromebooks, que vem equipado com o sistema operacional da Google, que é todo baseado na nuvem e feito encima do navegador Google Chrome. Porém, esta variante da Microsoft rodaria apenas os aplicativos da Windows Store, deixando de lados os tradicionais aplicativos chamados win32.

Como a intenção é levar o Windows 10 ao maior número de dispositivos possíveis, a versão Cloud, como está sendo chamada, seria uma resposta a um seguimento onde a Google aos poucos está conseguindo mercado, oferecendo o Chrome OS aos fabricantes. Pode parecer que os chromebooks não são populares (afinal aqui no Brasil são pouquíssimos modelos que temos disponíveis no mercado imenso de notebooks e ultrabooks), porém, nos Estados Unidos o uso vem aumentando, principalmente em escolas e por estudantes que não precisam de muito processamento.

A idéia pode parecer nova, mas lembra muito o Windows RT. Na época do Windows 8, a Microsoft produziu uma variante deste sistema para ser equipadas em dispositivos com processadores ARM. Na ocasião, ele rodava apenas aplicativos da Windows Store, porém, foi descontinuado há algum tempo.

Enquanto a Microsoft não confirma estes rumores (apesar do seu porta voz dizer que não tem nada a declarar sobre esta suposta versão), os usuários que adquirem novos computadores com configurações mais simples a medianas levam para casa embarcado o Windows 10 Single Language ou o Windows 10 Home, versões mais simplificadas do Windows. Na época do Windows 8.1, a Microsoft tentou emplacar também nestas máquinas o Windows 8.1 com o Bing, além é claro, da sua versão home.

Se nada der errado, podemos ver a existência desse novo Windows já nos próximos meses.

Por Leandro de Souza


Saiba aqui o que fazer para atualizar gratuitamente o seu Windows para a versão 10.

A Microsoft anunciou que o update gratuito do Windows 10 seria encerrado no dia 29 de julho de 2016. Dessa forma, muitas pessoas perderam essa atualização e, provavelmente, tiveram que pagar por isso ou recorrer a ativadores piratas. Mas ainda existe uma maneira de obtê-la de graça.

Isso é possível através de um simples truque. Ele está no fato de que a companhia permite a atualização, em qualquer momento, por portadores de deficiência auditiva ou visual, que necessitam de alguns recursos específicos para acessar um dispositivo de forma independente. Estes fazem parte das tecnologias adaptativas da Microsoft, as quais facilitam esse acesso.

Como fazer a atualização gratuita do Windows 10

É importante informar que esse procedimento poderá levar o tempo de aproximadamente 60 minutos. Assim, seu computador ou notebook deverá estar ligado durante esse período.

1° passo – Acesse este link. Clique no botão “Atualizar agora”. O arquivo para instalação aparecerá.

2° passo – Clique no arquivo e aceite o termo de licença.

3° passo – Siga os passos indicados pelo sistema.

O Windows 10 pode ser atualizado em dispositivos com Windows 7 ou 8. Porém, é muito importante que eles atendam a outros requisitos. Do contrário, uma série de problemas poderá surgir. Entre eles, está a impossibilidade de instalar e utilizar vários softwares.

Essa última versão do sistema traz várias mudanças e recursos mais avançados. Por esse motivo, ela necessita de algumas configurações específicas para operar normalmente.

Veja quais os principais requisitos para realização eficaz do update:

· Placa gráfica que tenha suporte para Directx 9 ou superior, com driver WDDM 1.0.

· Memória RAM de 2GB para 32 bits ou para 64 bits.

· O HD deverá ter um espaço livre de 16 GB (32 bits) ou 20 GB (64 bits).

· Tela de 800×600.

Portanto, se o seu computador ou notebook for um pouco mais antigo, é melhor continuar com as outras versões do sistema. Dessa maneira, seu funcionamento não ficará comprometido.

Não demore muito para fazer a atualização. Apesar de ela estar sem data para encerramento, é interessante que seja feita o quanto antes, pois isso pode mudar a qualquer momento.

Você já fez a atualização? Pretende fazê-la? Conte para a gente nos comentários!

Camilla Silva


Problema no Secure Boot deixa computadores vulneráveis a criminosos.

As vezes é impressionante o quanto achamos que grandes companhias, experientes, cheias de pessoas competentes, saibam fazer um serviço bem feito. Porém, não foi exatamente isso que a Microsoft mostrou recentemente quando resolveu deixar bem claro para o mundo inteiro o por que não é uma boa ideia criar back doors em sistemas seguros.

Vamos ao que interessa: Há pouco tempo, dois pesquisadores do setor de segurança que respondem pelos apelidos de @never_realeased e @TheWack0lianon no Twitter, divulgaram recentemente que criminosos podem ocasionalmente “driblar” o recurso Secure Boot presente no Windows em máquinas que sejam relativamente vulneráveis. Tudo foi divulgado em primeira mão pelo site especializado em tecnologia ZDNet.

O que pode acontecer?

Bom, caso a vulnerabilidade encontrada venha a ser explorada, ela iria acabar permitindo que os criminosos virtuais conseguissem efetuar o carregamento de todos os tipos de programas. Para se ter ideia da gravidade, seria possível carregar de bootkits e rootkits e até, acreditem, um sistema operacional inteiramente diferente ao que se encontrava na máquina.

Ainda de acordo com os pesquisadores, a Microsoft foi notificada por eles entre os meses de março e abril sobre o problema encontrado.

Mas o que é esse tal Secure Boot?

O Secure Boot resumidamente é um recurso proveniente da Unified Extensible Firmware Interface (UEFI). Ele foi adicionado pela primeira vez ao Windows na época da versão 8 (Windows). Bom, o Secure Boot tem a função de garantir que os componentes que estejam presentes no PC possam ser carregados quando a máquina é iniciada, tudo de uma forma confiável. Em outras palavras, o Secure Boot atua para evitar que softwares identificados como maliciosos possam ser carregados na máquina do usuário.

Só que é aí que entra a Microsoftm que infelizmente acabou por criar uma espécie de back door para o citado recurso, isso aconteceu por meio de uma política que garante que desenvolvedores possam carregar softwares sem que sejam necessárias as tradicionais verificações de integridade dos mesmos. Tudo bem que o objetivo da política criada pela companhia era boa. Afinal, a ideia era permitir que testes de várias builds do Windows pudessem ser feitas sem que para isso fosse preciso passar pelas verificações usuais.

Mas como se sabe (agora mais do que nunca), ter uma política tão aberta assim e completamente disponível para o público chamaria a atenção de alguém mal-intencionado e que com certeza poderia se aproveitar do fato.

De qualquer maneira, a Microsoft já liberou dois patches de segurança, em julho e agosto deste ano. Ainda assim, apesar de ajudarem no problema, eles não parecem que foram suficientes para resolver o problema por completo. Por via das dúvidas, o melhor é instalar os updates para garantir uma proteção um pouco maior, mesmo que ela não seja por completa.

Por Denisson Soares


Modelo foi considerado o melhor tablet da MWX 2016.

A Microsoft vem perdendo a batalha quando o assunto é o mercado de smartphones, onde a empresa apresentou uma enorme queda no número de seus usuários, mas no mercado de tablets, a empresa vem levando a melhor sobre o Android, com cada vez mais empresas apostando no sistema da janela para tais dispositivos. A empresa também vem investindo bastante no setor e durante a MWC 2016 apresentou o seu Surface Pro 4, que acabou sendo eleito o melhor tablet da feira que aconteceu em Barcelona, na Espanha.

Para se ter uma ideia, o dispositivo da Microsoft vem sendo considerado o mais potente entre esses dispositivos, mostrando a força que a empresa quer ter para conquistar mais espaço nesse mercado, fazendo com que o dispositivo ganhasse a premiação de melhor tablet da conferência. Certamente, uma das primeiras vitórias da Microsoft com seu novo aparelho.

O prêmio é entregue pela GSM Association, que organiza a feira e entrega os prêmios do chamado ''Global Mobile Awards'', que entrega prêmios para o melhor em diversas categorias, dessa vez, na dos tablets, a Microsoft se sagrou a vencedora.

Com o Surface Pro 4, a Microsoft acaba por seguir também uma nova tendência para o mercado, a dos dispositivos 2 em 1, sendo um híbrido, tablet e notebook, permitindo que o usuário escolha qual dos dois deseja utilizar no momento.

O tablet da Microsoft, conta com uma tela de 12,3 polegadas Quad HD, armazenamento interno disponível em versões com 128, 256, 512 e 1TB, junto de versões com 4, 8 ou até mesmo 16GB, o dispositivo também conta com 3 opções de processadores, sendo M3, i5 ou i7, todos da Intel, podendo chegar na velocidade máxima de 3,4 GHz, bateria com duração de 9 horas de reprodução de conteúdos multimídia, além de uma câmera traseira de 5 megapixels e frontal de 8 megapixels.

O Surface Pro 4, da Microsoft, está disponível em alguns países, pelo preço de 999 euros na versão com apenas o tablet e cerca de 1.158 euros para a versão que vem com o teclado e a caneta para poderem ser usadas no dispositivo da empresa.

Por Isis Genari

Microsoft Surface Pro 4

Foto: Divulgação


Modelo não tem previsão de ser lançado no Brasil, porém, se for lançado poderá chegar com preço superior a R$ 13 mil.

O Surface Book é a grande aposta da Microsoft para o mercado de Notebooks, e porque também não, de tablets, afinal de contas, com apenas alguns passos, é possível transformar o laptop em um tablet, sendo esse um ponto extremamente forte do dispositivo que, embora tenha sido anunciado já há vários meses e colocado na pré-venda há certo tempo, apenas agora os usuários parecem começar a receber o dispositivo no Reino Unido.

Mesmo com a pré-venda, a Microsoft não havia dado grandes informações a respeito do dispositivo, que estaria sofrendo com problemas em sua bateria, graças ao Windows 10, que também vem causando dor de cabeça na empresa estadunidense nos smartphones da marca.

Os consumidores do Reino Unido começaram a receber suas unidades compradas no dia 18 e já podem usufruir do seu aparelho, que ainda não possui qualquer previsão de chegar ao Brasil, o que certamente deve demorar ou até mesmo não acontecer, já que a Microsoft vem optando por retardar o lançamento de seus novos dispositivos no Brasil, graças à crise enfrentada pelo país.

O Notebook conta com um preço elevado, mas ao mesmo tempo, com um hardware que condiz com o preço cobrado pelo dispositivo, que conta com 16GB de RAM, processador Intel Core i7 6ª Geração e placa gráfica Nvidia GeForce, na sua versão mais robusta, que custa US$ 3.234, algo em torno de mais de incríveis R$ 13.000,00, ainda sequer sem contar os impostos, que devem elevar ainda mais o preço do aparelho. Vale lembrar que, no Brasil, é possível encontrar modelos do MacBook atualmente, por mais de R$ 20.000, ou seja, é possível que, se lançado no Brasil, o dispositivo alcance esse preço.

A versão mais simples com Intel Core i5 com 8GB de memória RAM, por US$ 1.867, cerca de R$ 7.500, também desconsiderando os impostos.

O Surface Book, além do problema com a bateria, acabou passando por alguns outros problemas antes de seu lançamento oficial no Reino Unido, o que gerou insegurança em alguns consumidores em fazer um alto investimento, mas certamente, pelas configurações de hardware do dispositivo, deve ser um bom negócio apostar no novo dispositivo móvel da Microsoft.

Por Isis Genari

Surface Book

Surface Book

Fotos: Divulgação


Microsoft deve liberar nova atualização 10586.104 nos próximos dias.

Segundo rumores, a Microsoft estaria preparando um novo update para o sistema operacional Windows 10, o qual foi lançado em julho de 2015. Estipula-se que seja a versão 10586.104.

Ao que tudo indica, o novo update cumulativo do Windows 10 não deve trazer novos recursos aos usuários, mas sim realizar o reparo de alguns bugs em geral e proporcionar maior estabilidade do sistema. Além disso, a empresa visa aplicar melhorias na Surface, no menu iniciar e nos ícones do sistema.

Vale ressaltar que o update cumulativo será disponibilizado dentro do próprio sistema via Windows Update, para todos os usuários da plataforma, ao contrário do que ocorre no programa de testes Windows Insider Preview, onde os usuários cadastrados no programa recebem as atualizações em primeira mão.

Ainda assim, alguns especialistas alertam sobre o risco de erros após a atualização do sistema com base no patch disponibilizado pela Microsoft na última quarta-feira, o qual é exclusivo para testes. Segundo os especialistas, a versão de atualização 10586.104 deverá apresentar algumas semelhanças em relação ao problemático patch “Get to Windows”, que causou diversos erros no sistema operacional, fazendo com que vários usuários retornassem a uma versão anterior do Windows.

Os usuários do programa Insider Preview receberam uma atualização 14257 relativo à versão Redstone do Windows 10, que conta com diversas melhorias e correção de bugs, como o erro da extensão dll ao executar login em uma conta, melhorias no navegador Edge e correção do erro ao resetar o sistema.

A Microsoft também disponibilizou na última terça-feira uma atualização do Windows 10 Mobile exclusiva para usuários do Insiders Preview, que garante a correção de bugs e melhoria do sistema nos smartphones Lumia. Infelizmente não há estimativa sobre o lançamento de um patch para todos os usuários da plataforma mobile.

Segundo um levantamento oficial realizado pela NetMarketShare, o Windows 10 – após seis meses de lançamento – é hoje o segundo sistema operacional mais utilizado do mundo, tendo aproximadamente 200 milhões de usuários, ou seja, cerca de 11, 85%, sendo superado apenas pelo Windows 7, que ocupa aproximadamente 56% dos aparelhos. Já o Windows XP permanece ativo com 11,42%, mesmo após quatorze anos de seu lançamento.

Por Wendel George Peripato


Novo notebook pode se transformar em um tablet, sendo um forte concorrente do MacBook, da Apple.

Apresentado no início do mês de outubro pela Microsoft, o Surface Book é teoricamente o concorrente do MacBook, da Apple. Durante a apresentação, foram vários aqueles que se impressionaram com a capacidade do notebook da Microsoft se tornar um tablet, um aparelho dois em um.

Porém, já chamou a atenção pelo seu alto preço nos Estados Unidos: algo em torno de US$ 3.199,00, que na conversão para o real atual, se resume em algo em torno de mais de R$ 12.300,00, fora impostos. Para efeito de comparação, a versão top do MacBook, no Brasil custa algo em torno de mais de R$ 23.000,00, sendo que, este, é mais barato nos Estados Unidos do que o concorrente da Microsoft.

Quando se fala em configurações, o Surface Book não decepciona, sendo extremamente potente em relação a seus concorrentes. Conta com duas GPUs integradas ao chip Intel, sendo, HD Graphics 520 e uma Nvidia GeForce GDDR5 1 GB. GPUs que, acabam sendo o motor dos games graças a nova tecnologia da Nvidia, a Arquitetura Maxwell, fora seu processador, que já é da linha Skylake da Intel, possibilitando um alto desempenho e uma bateria com duração de até 12 horas. Já a tela, possui 13,5 polegadas, com 3000 x 2000 pixels de resolução junto de 267 PPI, acoplados a tecnologia da Microsoft para telas, PixelSense, que promete oferecer mais precisão no touchscreen do aparelho, tanto no uso com as mãos, como com a caneta stylus. Suas dimensões são de 292,1 mm, na largura e 201,4 mm na altura do aparelho.

Por outro lado, o Surface Book não é dos mais leves, pesando cerca de 1,5 kg, mas nada que atrapalhe na experiência que é usar o aparelho da Microsoft.

O Surface Book é um aparelho de altíssimo nível e da maior qualidade possível, resultando em uma experiência incrível para aqueles que aceitarem desembolsar um bom valor para contar com o aparelho. No Brasil, ainda só é possível o encontrar a venda no Mercado Livre, com preços que beiram os R$ 7 mil, elevado para os padrões atuais do brasileiro.

Por Gabriel Mazzo

Microsoft Surface Book

Foto: Divulgação


Serviço OneDrive da Microsoft tem seu espaço limitado dependendo dos planos que os usuários possuem.

Na madrugada do dia 3 de novembro foi anunciada pela empresa Microsoft uma alteração na prestação do serviço OneDrive, a qual não será muito bem-vinda por parte de seus usuários.

Foram tomadas algumas medidas que passarão a valer a partir de janeiro do próximo ano. A notícia tão temida é que o serviço OneDrive da Microsoft deixou de ser ilimitado. A ferramenta que anteriormente disponibilizava um armazenamento ilimitado passa agora a delimitar a quantidade de espaço para os usuários.

O motivo pelo qual essa mudança ocorreu, segundo a gigante do Vale do Silício, é que um certo número de usuários abusavam dessa liberdade, armazenando assim uma grande coletânea de filmes, séries, fotos e backups completos dos mais variados computadores. Incluindo até alguns casos onde usuários possuíam contas que ultrapassavam os 75 TB (TeraBytes) de dados armazenados em seus servidores.

Com a nova mudança os usuários do Office365 (planos: Pessoal, Home e Universitário) terão a partir de agora o total de 1 TB à disposição para armazenamento. Os assinantes que tiverem guardado no momento um volume de dados maior que o citado, serão avisados e terão a oportunidade de deixá-los na nuvem por mais 12 meses.

A empresa também cortou os planos de armazenamento de 100 GB (Gigabytes) e 200 GB para os usuários novos. Tais pacotes foram modificados pela única alternativa de 50GB que serão comercializados pelo valor de US$ 2. Os antigos usuários não terão seus planos alterados, já que a mudança tem valia apenas para os novos usuários.

Não é de se estranhar essa mudança, já que esta não é a primeira vez que a empresa faz alterações como esta. O mesmo ocorreu quando o serviço ainda era conhecido pelo nome de SkyDrive, onde o mesmo foi reduzido em 2012 de 25 GB para 7 GB.  

Por Felipe da Silva

OneDrive


Atualizações do sistema serão recomendadas ela Microsoft, caso o usuário não queira utilizar a nova versão poderá fazer um downgrade e voltar ao seu sistema anterior.

Desde antes do lançamento do Windows 10, as expectativas em torno desse sistema operacional eram enormes. Isso porque a Microsoft havia prometido revolucionar o mundo da informática, integrando todos os dispositivos com seu sistema operacional. Desde os previews, liberados para os Insiders, o sistema prometia realmente cumprir tudo aquilo que a empresa prometeu.

E não foi diferente. Talvez não esperássemos um sistema tão estável, e tão rápido quanto o que foi liberado. Mas, nenhum sistema é perfeito, e o Windows 10 tem recebido diversas atualizações e melhorias no sistema.

A partir de agora, segundo o blog oficial da Microsoft (blogs.windows.com/windowsexperience/2015/10/29/making-it-easier-to-upgrade-to-windows-10), novas mudanças serão implementadas para que o Windows 10 seja cada vez melhor e mais seguro para o usuário, além de que se expanda para mais e mais computadores.

A principal grande mudança se refere justamente às atualizações automáticas. A partir de 2016, as atualizações automáticas do Windows serão descritas como “recomendadas” pela Microsoft, e, se você não quiser aquela atualização que foi baixada, você tem até 31 dias para voltar à versão anterior.

Ou seja, a atualização, antes opcional, será baixada automaticamente para quem tem computadores com os sistemas anteriores (Windows 7, Windows 8, Windows 8.1) e, depois da atualização, você tem o tempo de 31 dias para realizar o downgrade caso não opte pelo sistema.

Deixe a pirataria:

Uma outra proposta que acontecerá com a implementação das atualizações automáticas do Windows 10, é que, se você tem uma instalação pirata do Windows, poderá adquirir uma licença para seu novo Windows 10 através da Windows Store.

Esse sistema será testado, inicialmente, nos Estados Unidos. Depois, se o programa funcionar como desejam, será expandido aos poucos para outros lugares.

Essa novidade visa legalizar o sistema operacional de milhares de máquinas pelo mundo, caso realmente dê os resultados que a Microsoft deseja. Assim, milhares de usuários poderão adquirir suas licenças da tela de seus computadores.

O Windows 10 foi adotado por usuários no mundo inteiro, e, até o momento, estima-se que mais de 110 milhões de dispositivos já rodam o sistema operacional.

Entre os países que deram preferência ao novo sistema, fazendo avaliações positivas, estão Brasil, China, Estados Unidos e França.

Por Isaque Cipriano

 

Windows 10

Foto: Divulgação


Pesquisadores afirmam que os computadores quânticos poderão se tornar realidade em 2025.

Computadores quânticos? Seriam possíveis? Atingíveis em um futuro próximo? Um grupo de pesquisadores que é liderado por membros do laboratório de pesquisa em computação quântica da empresa Microsoft publicou um artigo em que afirma que esse sonho pode se tornar realidade em breve: no ano de 2025.

No artigo, os autores afirmam que com os recentes avanços no controle dos sistemas quânticos, a viabilidade de um computador quântico está muito próxima, cerca de uma década. No estudo, os pesquisadores descrevem como o uso de algoritmos quânticos aliados a estruturas convencionais da computação poderiam ser usados para analisar tudo aquilo que as tecnologias tradicionais da computação ainda não atingiram.

E continuam afirmando que o computador quântico permitiria simulações maiores e com maior precisão do que qualquer outro conhecido algoritmo clássico. Com o seu uso, muitas questões em aberto sobre questões quânticas seriam facilmente resolvidas com o uso de um pequeno computador quântico com capacidade de cem qubits lógicos.

Segundo matéria publicada no The Verge, o artigo publicado é muito importante, pois muitos pesquisadores não acreditavam nas arquiteturas quânticas existentes, como o atual D-Wave, oferecido pelo Quantum Artificial Inteligence Lab. Dois autores desse estudo também contribuíram para um estudo que analisava o computador quântico existente. O estudo, publicado no mês de junho, colocava em questionamento os avanços que este oferecia, mas foi contestado pela empresa responsável.

O novo estudo sugere que a computação quântica pode oferecer benefícios, mesmo que em sua atual forma, possua imperfeições. O emparelhamento com as tecnologias utilizadas atualmente poderia resolver alguns dos problemas que ainda travam os atuais computadores quânticos.

A matéria do The Verge também afirma que fazer uma arquitetura quântica realmente eficaz tornou-se semelhante a uma corrida armamentista entre as grandes empresas de tecnologia.

A D-Wave firmou uma parceria no último mês com o Quantum Artificial Inteligente Lab, que é um laboratório operado pela NASA e pelo Google. O acordo firmado tem duração de sete anos e dá a garantia de que o laboratório consiga receber cada um dos novos computadores lançados pela empresa, assim que eles estejam disponíveis para uso. Além disso, a Microsoft está investindo em pesquisa com seu grupo Q Station.

Por Rodrigo Silva

Computador quântico

Foto: Divulgação


A nova versão traz uma novidade interessante: compatibilidade com a assinatura Office 365, baseada na nuvem.

A suíte de softwares para produtividade da Microsoft, o Office, ganhou oficialmente uma versão nova nesta terça-feira (22). A Microsoft iniciou o lançamento mundial do Office 2016.

A mais recente edição traz uma novidade bastante interessante: agora ele é compatível com a assinatura Office 365, baseada na nuvem.   

Segundo a Microsoft, o Office 2016 traz novas versões de seus aplicativos de desktop para o sistema Windows. Sendo assim, Word, Excel, PowerPoint, Outlook e Access estão com o visual repaginado na nova versão da suíte. Além da aparência, agora é possível realizar trabalhos de maneira colaborativa, de forma simultânea.

De acordo com o CEO da empresa, Satya Nadella, as recentes inovações dão um grande passo para transformar o Office de um conjunto familiar de aplicativos de produtividade individual para uma plataforma conectada de serviços e aplicativos modernos, que permitem colaboração e trabalhos em equipe. 

Uma das maiores novidades do Office 2016 é sem dúvida a integração completa da nuvem para todas as atividades realizadas no Office. A conectividade também foi melhorada com a adição da assistente virtual Cortana, que pode ajudar muito na produtividade no trabalho. Por exemplo, é possível perguntar para a assistente qual são os compromissos agendados para o dia, ou solicitar que ela encontre um trecho específico em um determinado documento.  

O novo Office 2016 está disponível em 40 idiomas. Para que funcionem é necessário que o computador tenha o Windows 7, 8, 8.1 ou 10 instalados como sistema operacional. Versão para Mac OS também estão disponíveis. De acordo com a Microsoft, os assinantes do Office 365 podem escolher por fazer o download do Office 2016 como parte de suas assinaturas. 

Além de conseguir o novo Office a partir do Office 365, os usuários também podem obter o software através da licença única. A opção Home & Student, a mais simples, custa US$ 149,99. Vale lembrar que este valor é pago uma única vez, ao contrário dos serviços de assinaturas de US$ 6,99 e US$ 9,99.

Por William Nascimento

Office 2016


Lançamento do sistema operacional sofreu atraso e deverá chegar aos novos computadores depois do lançamento oficial.

O sistema operacional mais aguardado de todos os tempos, o Windows 10, deverá sofrer um atraso para chegar aos novos computadores. Sendo assim, não há a possibilidade de comprar novos PCs com Windows 10 pré-instalado antes da data oficial de lançamento do software. O fato foi confirmado pelo diretor de marketing da Microsoft, Yusuf Mehdi.   

No dia 29 de julho, o Windows 10 poderá ser baixado gratuitamente nos computadores com Windows 7 e Windows 8.1. No entanto, os computadores à venda nas prateleiras das lojas de varejo não terão o novo sistema operacional instalado.

A Microsoft está fazendo um grande investimento de marketing no Windows 10 e realmente é frustrante não poder adquirir um computador novo com o sistema na data oficial de lançamento.   

De acordo com Mehdi, o problema será resolvido e no mês de outubro é esperado que os novos computadores tenham o Windows 10 pré-instalado. Mesmo com o atraso, algumas fabricantes de PCs, como a americana Dell, já estão aceitando encomendas de compras para sua nova linha de laptops que contará com o sistema operacional mais recente da Microsoft. Caso os clientes realizem o pagamento até o dia 29 de julho, há uma pequena chance deles já poderem contar com o notebook em suas casas no dia 30 de julho. 

No entanto, esse não deve ser um grande problema para a Microsoft. A companhia espera que seus usuários, em sua maioria, atualizem seus sistemas através do Windows Update. Além disso, há a venda tradicional de CDs de instalação, bem como de pendrives que a empresa promete disponibilizar no mercado.  

De acordo com diversas fontes, o Windows 10 já teria sido finalizado semana passada e a Microsoft enviado o software para que as fabricantes possam fornecê-lo em seus novos computadores. Se seu computador está habilitado para receber atualizações automáticas, você receberá o Windows 10 de maneira automática a partir do dia 29 de junho.

Por William Nascimento

Windows 10

Fotos: Divulgação


Parceria entre as empresas criou o projeto WebAssembly, que visa melhorar os métodos já existentes que são responsáveis pelo carregamento do código em JavaScript.

O Google, a Microsoft e também o Mozilla estão com um projeto para acelerar a internet, o WebAssembly. As três empresas anunciaram quase que simultaneamente o projeto open source, ou seja, um projeto aberto que estará sendo realizado em conjunto por estas 3 gigantes da internet.

O WebAssembly, ou simplesmente "Wasm", é um projeto que propõe a criação de um novo formato binário que ficará responsável pela compilação de todas as aplicações da internet. A grande vantagem deste novo projeto é que ele permitiria que os programadores do mundo todo pudessem criar programas nas mais diversas linguagens de programação, pois atualmente só é possível desenvolver nas linguagens C e C++ para o engine "JavaScript" presente nos navegadores.

O maior objetivo do WebAssembly é conseguir melhorar os métodos já existentes que são responsáveis pelo carregamento do código em JavaScript, como o asm.js que é utilizado pelo browser Mozilla, um dos mais utilizados por internautas do mundo todo.

A diferença é que o WebAssembly, ou "Wasm" vai trabalhar de forma independente, ou seja, os navegadores não vão mais ter que lidar diretamente com o código, como é atualmente, pois esta é a forma que eles entendem a linguagem que é praticamente feita em texto. Esta linguagem em texto foi desenvolvida para os humanos, o que dificulta e atrasa o trabalho dos navegadores.

O projeto pretende utilizar o código fonte da aplicação para desenvolver um novo bytecode que nada mais é que uma instrução que é dada à "máquina virtual", porém, seria interpretado de forma muito mais rápida.
Já em testes, o Wasm chegou a ser 20 vezes mais rápido que o atual asm.js. Agora as empresas envolvidas no projeto querem padronizar o WebAssembly, mas sem exterminar com o JavaScript, alegando que esta nova plataforma chega para complementar e não para substituir a já existente.

Atualmente o WebAssembly precisa de um script que faz sua conversão para o asm.js, mas claro, neste caso há perda de desempenho porém isto seria temporário, até que os navegadores viessem a dar suporte a este novo padrão.

Por Russel

Internet


Novo recurso do IE auxiliará o usuário a não cair em propagandas enganosas existentes na rede.

O Internet Explorer, o browser da Microsoft, já está com os dias contados e o seu sucesso já foi anunciado e é bastante aguardado, porém, o Internet Explorer continua sendo usado no mundo inteiro e por isso a Microsoft resolveu dar um presente a estes usuários: um recurso extra no navegador que auxilia o usuário a não cair mais nas propagandas enganosas que não param de se multiplicar pela internet.

Este novo recurso do Internet Explorer é uma forma de ajudar o usuário a se prevenir contra as falsas propagandas que têm como único objetivo, o de enganar a pessoa, seja para lhe roubar dados do computador ou fazer com que ele caia em um golpe e tenha prejuízos financeiros. Estas falsas propagandas também podem instalar um código malicioso na máquina do usuário e assim uma terceira pessoa poderá acompanhar em tempo real tudo que ele faz na internet, inclusive quando acessa conta bancária e outros dados sigilosos.

A grande maioria destas propagandas estão disponíveis em sites pela internet e a maioria delas são no formato pop-up e fingem ser uma parte do site, tentando fazer com que o usuário faça um download e é aí que está o perigo!

A Microsoft explicou quais serão os critérios utilizados pelo Internet Explorer para considerar o que é ou não uma propaganda enganosa. De acordo com a empresa, o Internet Explorer vai identificar esta propaganda enganosa com um fundo em vermelho, uma forma de alertar o internauta para o perigo que existe por trás daquela propaganda.

Todos os navegadores, e não só o Internet Explorer, são vítimas das propagandas que se passam por atualizações, por exemplo, atualização do Flash, do Java e até se passam por aplicativos que prometem limpar o computador do usuário de vírus e outras pragas virtuais, quando na verdade esta propaganda é que irá instalar o código malicioso no computador.

Há vários programas, conhecidos como AdBlock, que fazem este serviço, porém, para os usuários mais leigos, baixar e configurar estes programas não é uma tarefa fácil. Estando esta função já presente no Internet Explorer, o usuário terá mais facilidade para identificar estas "armadilhas" da internet e evitar problemas.
E o novo recurso do Internet Explorer já estará disponível a partir do próximo mês de junho, mesmo com a Microsoft já tendo anunciado o Edge, o novo browser da empresa.

Por Russel

Novo recurso do IE

Foto: Divulgação


Vários testes estão sendo realizados para que o sistema operacional entregue uma melhor experiência aos usuários

O Windows 10 ainda está em fase de testes e justamente por isso vem passando por uma série de melhorias, como a importante melhora que teve em relação ao touchscreen que agora está muito melhor, nos aparelhos com tela sensível ao toque, por exemplo, os tablets.

A Microsoft vem trabalhando para conseguir tornar o Windows 10 praticamente sem falhas para finalmente ser lançado oficialmente. Mas os usuários do Windows 10 em aparelhos com tela sensível ao toque já podem contar com uma melhor experiência em relação ao touchscreen que ficou, realmente, muito melhor.

Recentemente, vazou na internet a build 100056 que oferece uma série de melhorias e novidades também, principalmente para quem usar o Windows 10 no modo tablet, pois o novo sistema operacional da Microsoft ao ser ativado já mostra uma interface renovada que de forma automática já ocupa toda a tela. Isso já vinha sendo aguardado devido ao fato de que o pacote Office da Microsoft já oferece novas funções para quem utilizar o Windows 10 em aparelhos touch, seja um tablet ou um notebook que tenha display especial touchscreen ou então híbrido.

E nesta nova interface do Windows 10, os aplicativos da Barra de Tarefas não aparecem, o usuário acessa somente a tela inicial, as áreas de trabalho virtuais e também o assistente pessoal "Cortana". Pode ser configurado o Centro de Notificações e Ferramentas de Configuração, o acesso fica logo abaixo na tela que está na cor preta.

Outra mudança que pode ser percebida é quanto às novas animações ao deslizar e abrir aplicativos, sendo que os do desktop expandem de forma automática ocupando toda a tela, mas sem desconfigurá-la. Quando o usuário deixa o "modo tablet", voltando para o Desktop, vai encontrar tudo que estava aberto antes, exatamente como deixou.

E tem ainda uma última novidade nesta build 10056 que é o Menu Iniciar ter seu tamanho modificado e também a transparência que é ligada ou não, além do ícone da Lixeira que também ficou diferente. Apesar de muitos testes já estarem sendo feitos nesta build que vazou, seu lançamento oficial ainda não tem data marcada.

Por Russel

Windows 10

Foto: Divulgação


Atualização será disponibilizada gratuitamente aos usuários

A Microsoft informou que vai oferecer uma versão gratuita do seu novo sistema operacional, o Windows 10, porém, será para os usuários do Windows 7 e 8. Estes usuários poderão obter o novo sistema operacional da empresa através de atualização. A Microsoft já vem trabalhando há algum tempo para que os computadores possam receber este novo sistema.

A atualização para o Windows 10 recebeu o nome de KB3035583 e através dela será permitido obter vários recursos para as notificações do Windows Update e assim, a atualização é que irá comunicar ao usuário quando o Windows 10 estiver pronto para ser baixado e instalado no computador. Desde o dia 28 de março que o Windows 10 já vem sendo distribuído para usuários do Windows 8.1 e Windows 7 com Service Pack 1. E agora, há uma previsão de que a versão final do Windows 10 seja lançada entre os meses de julho e setembro deste ano.

Esta atualização para o sistema Windows 10 é gratuita e os usuários poderão conhecer um pouco do novo sistema operacional da Microsoft, que espera, com esta atitude, fazer testes e ter um retorno do que ainda falta ser corrigido no Windows 10, as incompatibilidades, entre outros problemas e assim possa corrigir tudo para que no lançamento da versão final do novo sistema, haja o mínimo de falhas possíveis.

Pode até parecer cedo para se falar no novo Windows 10, mas na verdade a Microsoft já está atrasada, pois há muito ainda o que melhorar, que corrigir e que se concluir no novo sistema.

A maior dificuldade da Microsoft era convencer os usuários a usarem esta versão de teste do Windows 10, afinal, quem vai querer ter em seu computador um sistema operacional com falhas e brechas? Mas disponibilizando esta atualização de forma gratuita e, principalmente, de forma fácil, a Microsoft contará com muitos candidatos que querem testar o novo sistema operacional.

O usuário poderá recusar a atualização para o Windows 10, mas a Microsoft acredita que através de banners e anúncios, conseguirá fazer com que o usuário experimente o novo Windows 10.

Por Russel

Windows 10

Foto: Divulgação


A Microsoft está se preparando para lançar o novo tablet Surface, com uma versão que oferece 14", pelo menos são rumores que estão circulando na internet, mas vindo de fontes bastante confiáveis. A Apple já conseguiu surpreender o mercado com seu iPad de 12,9" mas a Microsoft foi mais além e a surpresa poderá ser ainda maior, assim como a tela do novo Surface Pro 4, que terá uma das versões com 14". Seria praticamente um laptop!

O grande problema a ser enfrentado pela Microsoft agora é o tempo. A empresa vem trabalhando muito para conseguir lançar o novo tablet antes do iPad Pro, da Apple. A Microsoft quer disponibilizar no mercado um Surface com tela de 12 polegadas e outro de 14 polegadas, atendendo aos usuários que tanto gostariam de substituir o notebook, mas não o fazem por causa do tamanho da tela.

Os dois modelos, de 12" e 14", terão resolução de 2160 X 1440 pixels e processador Intel Core M Broadwell que dispensa a ventilação interna. A memória será de 8GB e 16GB. Na ausência do sistema de ventilação, sobrou espaço interno para garantir diversas melhorias.

O modelo de 12 polegadas conta com um público específico e muita concorrência, mas a opção com 14 polegadas seria a grande novidade e a aposta da empresa para garantir um recorde nas vendas.

Outra vantagem do novo Surface está em sua espessura, pois o modelo será bem mais fino e ainda, contará com bateria que oferece maior durabilidade, quase que o mesmo tanto oferecido pela bateria de um laptop, o que certamente vai ser bastante comemorado pelos usuários.

A Microsoft sabe que neste mercado a Apple poderá ser sua maior concorrente e por isso precisaria lançar seu Surface o quanto antes, mas tudo indica que a empresa não consegue disponibilizar os modelos no mercado no prazo desejado. Apesar de estar se desdobrando sobre o novo Surface, a Microsoft só deverá conseguir lançar os novos tablets no segundo trimestre deste ano e mesmo assim, mais no final do trimestre.

Por Russel

Surface Pro 4

Surface Pro 4

Fotos: Divulgação


A Microsoft já disponibilizou gratuitamente os aplicativos do pacote Office para os usuários de tablets com o sistema operacional Android e agora está buscando mais usuários para a sua plataforma que enfrente pesada concorrência entre estes dispositivos.

Desde o dia 29 de janeiro que o pacote Office pode ser acessado gratuitamente em mais uma tentativa da Microsoft de tornar o seu pacote de serviços mais utilizado nos dispositivos móveis. E a empresa até já anunciou uma nova versão para o Office que será exclusivo para estes aparelhos, inclusive será compatível com tela sensível ao toque.

Outra novidade anunciada pela Microsoft foi um aplicativo que torna o Outlook compatível com iPhones e iPads. O Outlook já foi um dos programas de e-mail mais utilizado no mundo e fazia imenso sucesso quando os computadores desktop dominavam o mercado, pois já vinha acoplado ao Windows. Mas agora, com um grande número de pessoas deixando o computador de lado para usarem exclusivamente os smartphones e tablets, a Microsoft vem se adaptando à nova realidade e quer inclusive, conquistar os milhões de usuários dos aparelhos da Apple.

Apesar da Microsoft estar investindo pesado no mercado de aparelhos móveis, a empresa ainda encontra-se bem atrás da Apple e do Google, mas o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, está apostando nestes novos produtos para conseguir conquistar uma parte maior deste mercado.
A disponibilização do uso do Office gratuitamente é uma atitude desesperada da empresa que por décadas foi contra liberar o pacote para ser usado de graça, mesmo diante da concorrência que o pacote tinha entre os usuários de computadores. O problema é que no PC, o Office dominava de forma absoluta, porém, entre os smartphones e tablets, o Office é pouquíssimo usado.

Um dos lançamentos mais esperados para este ano é o Windows 10 que promete revolucionar o mercado e a Microsoft vai aproveitar a ocasião para lançar o Office compatível com tela sensível, esperando assim, uma maior adesão por parte dos usuários.

Por Russel

Office para tablets

Office para tablets

Fotos: Divulgação


O Windows 10 já está disponível para download para testes. A Microsoft realizou um evento no último dia 21 de janeiro para mostrar oficialmente as suas novidades, que já eram alvo de muitas especulações nas últimas semanas. Os usuários poderão testar o novo SO em suas máquinas nas versões 32 ou 64 bits.

Entre as apresentações, os principais destaques foram a interface e funcionalidades da nova versão do sistema operacional, a atualização da Cortana e o navegador que vem para substituir o Internet Explorer.

O Windows 10, como já sabíamos, terá uma experiência universal. Isso significa que tanto em PCs quanto em smartphones, tablets e Xbox One, o sistema operacional será semelhante. Isso também vale para a loja de aplicativos, que estará integrada para todos os dispositivos.

O Menu Iniciar está de volta, unificando o visual do Windows 8 e permitindo ser redimensionado. O Action Center será uma barra de ações para ativar conexões bem como acessar as notificações e configurações. Essas últimas, estão unificadas, tanto os ajustes do Windows 8 quanto o clássico Painel de Controle.

Já a Cortana, que também estará integrada ao Maps, passou por uma grande evolução. Durante o evento de apresentação da Microsoft, ela demonstrou uma interação mais natural e fez até piadas. As pesquisas realizadas com a assistente são registradas, com um controle de privacidade.

Uma das novidades mais comentadas recentemente, o novo navegador do Projeto Spartan, oferecerá uma nova engine de renderização, que promete mais velocidade. Ele também estará integrado com a Cortana, e a assistente pessoal oferecerá respostas que vão desde rotas a reservas de restaurantes.

Para obter a versão de testes do Windows 10, basta se inscrever no Windows Insider Program, fazer o download da Build do Windows 10 para 64 bits ou 32 bits e gravar a ISO em um DVD ou pendrive. Depois de rodar a ISO, basta seguir as instruções do instalador.

Por Daniel Cavalcante

Windows 10

Foto: Divulgação


Aproveitando a última conferência realizada pela Microsoft, em que ela apresentou o Windows 10, nova versão do sistema operacional da empresa, o Microsoft HoloLens foi anunciado e trata-se do "computador holográfico mais avançado que o mundo já viu".

Isso mesmo, o novo computador não é nada mais do que um óculos que cria uma realidade virtual inserida no mundo físico em que estamos, de forma que o usuário possa interagir com computador usando as mãos, movimentos com a cabeça e a fala.

Por mais que isso pareça futurista demais, a Microsoft já possui protótipos funcionando e deverá começar a produção em breve, já que disse que o HoloLens chegará ao mercado à medida que o Windows 10 for se adaptando.

Desde outubro de 2013, já existem rumores de que a empresa estava produzindo um dispositivo desta classe, porém só agora com o anúncio do sistema operacional que estará contido nele que o produto foi anunciado oficialmente.

O uso de hologramas permite que o usuário enxergue janelas onde quiser no seu campo visual, podendo redimensioná-las, trocá-las de lugar e interagir com as opções disponibilizadas pelo aplicativo.

Em um vídeo lançado pela própria Microsoft para promover o produto, é possível ver um homem em pé acessando sua biblioteca de fotos, enquanto existe uma janela de atalhos de aplicativos, como Skype, Internet Explorer, Músicas e Netflix.

No Skype, será possível transmitir a realidade virtual enxergada pelo usuário do HoloLens para o contato que estiver em um tablet ou desktop por exemplo, de forma que ele enxergue o mundo virtual que quem estiver com o óculos está vendo.

O óculos ainda é capaz de reconhecer o ambiente em que o usuário está, podendo, inclusive, criar um mundo do jogo Minecraft na sala de estar, com castelos sobre as mesas e outras construções sobre o sofá, sendo que o usuário usará suas mãos para interagir com os blocos do jogo e, assim que andar sobre o cenário, a imagem será reposicionada instantaneamente, dando a real impressão de estar andando pelo cenário.

O preço do produto ainda não foi divulgado, mas quem quiser investir nesse computador certamente terá uma tecnologia revolucionária nunca antes disponível no mercado.

Por Rannier Ferreira Mendes


Após muitos rumores, finalmente a Microsoft anunciou oficialmente o Projeto Spartan, em um evento realizado no dia 21 de janeiro. O novo browser tomará o lugar do tradicional Internet Explorer, após sua décima versão, e aparecerá no Windows 10. Porém, ainda não será visto nas primeiras versões de testes do novo sistema operacional.

A Microsoft tem buscado se renovar há algum tempo, e a substituição do Internet Explorer, navegador muito criticado por usuários e principalmente desenvolvedores é, sem dúvidas, um passo importante. A interface do novo navegador, que ainda não tem o nome definido, seguirá as tendências já há muito adotada por navegadores como Chrome e Firefox, fugindo do que vemos atualmente no IE. O design minimalista será adotado, com poucas bordas e foco no conteúdo.

Além de novo visual, a Microsoft implementou uma nova engine para renderização do conteúdo dos sites. O Trident, engine utilizada até então, será substituída. No entanto, nada foi revelado quanto a extensões. Mas como elas também são presença importante nos demais navegadores e a Microsoft está tentando se aproximar dos concorrentes, podemos esperar por informações a respeito disso.

Alguns recursos interessantes foram anunciados para o novo navegador. Entre eles, um modo de anotações permitirá salvar páginas da web com notas, que poderão ser feitas com uma caneta stylus, mouse, teclado, ou mesmo com os dedos. As anotações ou mesmo desenhos poderão ser compartilhados pela nuvem com os amigos, e será possível que outras pessoas também acrescentem comentários.
Além disso, o navegador terá integração com a assistente pessoal Cortana, que já está com presença confirmada em todas as plataformas com Windows 10. A Cortana estará acessível através da barra de endereços do navegador. Com ela, poderemos obter informações em tempo real, como trajetos, clima e dicionário.
Seguindo o conceito de colocar o foco na leitura, o navegador também terá um modo de exibição do texto principal, eliminando o restante conteúdo para evitar distrações.

O Projeto Spartan está previsto para começar a aparecer daqui a três ou até cinco meses.

Por Daniel Cavalcante

Projeto Spartan


Em uma conferência realizada no dia 21 de janeiro de 2015, a Microsoft mostrou para o mundo seu novo sistema operacional, chamado de Windows 10. Ainda na conferência, ela aproveitou para apresentar seu novo “tablet” gigante que foi projetado para rodar o novo Windows. Trata-se de um híbrido de tablet e televisão chamado Surface Hub, que será disponibilizado com telas de 55 ou 84 polegadas.

Ainda que pareça uma ideia estranha à primeira vista, esse aparelho realmente teria pouco uso em um ambiente doméstico, mas seu foco é justamente o ambiente corporativo.

O nome do aparelho deriva do nome do tablet da companhia, Surface, pois é realmente como o tablet, mas em tamanho bem maior e destinado a usuários que necessitam de tela interativa para ser colocada em salas de reuniões ou apresentações de projetos.

A disponibilidade de dois tamanhos é justamente para adequar-se ao ambiente em que será fixado o aparelho, assim como a quantidade de pessoas e a distância que ficarão da tela.

Seguindo a ideologia dos demais aparelhos que rodarão o Windows 10, o Surface Hub se comunicará com smartphones, tablets e desktops com o mesmo sistema operacional, permitindo o compartilhamento de arquivos em tempo real entre os dispositivos.

Dentre as especificações apresentadas do Surface Hub, estão as duas opções de tamanho de tela, o display multitouch e multipen, ou seja, permite múltiplos toques simultâneos com as mãos e canetas para telas touchscreen.

Ainda foram adicionados sensores avançados, assim como duas câmeras, microfones e alto-falantes. O Surface Hub, por meio dos múltiplos sensores e câmeras, promete melhorar a qualidade de imagem capturada na sala em que está sendo realizada a videoconferência, eliminando imagens escuras que normalmente são formadas nesse tipo de reunião.

Os aplicativos destinados ao meio corporativo prometem funcionar de forma simultânea para maior interatividade. Como exemplo, é possível exibir uma apresentação de slides no PowerPoint, enquanto realiza uma videochamada pelo Skype e abre o OneNote para fazer alguma anotação.

Ainda não foram disponibilizados data nem preço do produto, mas acredita-se que em breve estará disponível no mercado.

Por Rannier Ferreira Mendes

Microsoft Surface Hub

Microsoft Surface Hub

Fotos: Divulgação


Pelo que tudo indica a empresa Microsoft já está preparando o lançamento do sucessor do Internet Explorer, o qual segundo o site Tecmundo será chamado como Spartan. O novo navegador estará integrado ao novo sistema operacional Windows 10 que, conforme informações do site, será lançado no dia 21 de janeiro de 2015.

Inicialmente, rumores dão conta que não teremos diferenças entre os designs dos aplicativos nas diversas plataformas operantes, como acontece atualmente. Segundo o site The Verge (www.theverge.com), com o Spartan, a ideia da Microsoft é apresentar um visual muito próximo do programa tanto no PC como no tablet ou smartphone.  Ainda de acordo com o artigo publicado no The Verge,  a versão desktop  alvitra uma variante simples do Chrome, com uma interface com abas, conservando acima barra de endereço, possuindo na lateral as opções para voltar, para a frente, e atualizar uma página. Como avaliação, o The Verge aponta que é tudo projetado para um olhar leve, sem o inchaço tipicamente associados com versões mais antigas do Internet Explorer.

O novo navegador também trará, de forma integrada, o famoso assistente virtual inteligente que ficou conhecido no sistema operacional Windows Phone 8.1. Segundo o The Verge, um dos pontos importantes do Spartan será a integração da Cortana, a qual possuirá a função de disponibilizar informações aos usuários, tais como: informações sobre voos, reservas de hotéis, rastreamento de pacotes e outros dados dentro da barra de endereço tradicional. A Integração Cortana no navegador Spartan está prevista para substituir todas as ocorrências dos métodos Bing existentes na atual versão do Internet Explorer.

O site Tecmundo coloca que talvez a Microsoft traga o Internet Explorer como padrão no sistema operacional Windows 10, e disponibilize o Spartan como um aplicativo opcional em sua loja, Windows Store.

Por enquanto, resta-nos aguardar até o dia 21 de janeiro que é quando a empresa realizará o evento Windows 10.

Se você quiser testar a nova versão do Windows 10, acesse windows.microsoft.com.

Por Thiago José Fernandes

Microsoft Spartan


A Microsoft já apresentou esboços de seu novo sistema operacional, válido para computadores e smartphones. Não será o Windows 9 como todos esperavam, mas sim o Windows 10.

A empresa optou por pular o 9. Ninguém sabe porquê. A novidade do novo sistema operacional além do número, é que será mais leve e voltará a ter uma atrativa área de trabalho, diferente da versão anterior, que privilegiou os quadros, deixando a área de trabalho escondida e de difícil acesso aos usuários comuns.

O Windows 8 não obteve o sucesso que a empresa esperava em computadores e notebooks, pois muitos usuários continuaram preferindo usar a antiga versão: o Windows 7. Nesta versão o usuário contava com uma área de trabalho atraente, de fácil utilização e com um design agradável. Tudo isso desapareceu no Windows 8, que foi projetado muito mais para uso em smartphones e tabletes do que para computadores pessoais. Muitos usuários que compraram seus computadores com o Windows 8 preferiram instalar a versão antiga, pela facilidade de uso e pela maior velocidade no carregamento do sistema operacional. Avaliando essas deficiências, a Microsoft decidiu criar no Windows 10 novamente o início pela área de trabalho, porém dando alternativa ao usuário de trabalhar com as janelas como na versão anterior.

O software ainda está em fase de testes e aperfeiçoamento e tem previsão de lançamento no segundo semestre de 2015. Ele também rodará em smartphones e tablets, sendo que os fabricantes destes esperam um sistema operacional mais leve e de fácil uso.

As maiores reclamações para os usuários do Windows 8 era a dificuldade de se localizar. Onde está uma foto? Como chegar em determinado aplicativo? Desde os primórdios do Windows que os usuários se acostumaram com uma área de trabalho. E de repente ela desaparece.

A Microsoft entendeu o recado, frente o sucesso do Windows 7 perto do 8 e mudou. Agora podemos ter novamente nossa boa e velha área de trabalho.

Por Luciana Viturino

Windows 10

Windows 10

Fotos: Divulgação


A briga pelo mercado de tablets de telas grandes promete esquentar em no próximo ano. Se os rumores que circulam na internet nos últimos dias estiverem corretos, a Microsoft deverá encontrar dois grandes concorrentes para o Surface Pro 3, que foi lançado sem nenhum concorrente em seu nicho de mercado.

Um dos possíveis concorrentes é a Apple, com o provável iPad Pro, e o outro é a Samsung, com um tablet de 13,3 polegadas. Apesar de serem rumores, eles estão tomando conta dos sites de tecnologia, o que deve ser indício de que alguma novidade deve acontecer nesse sentido.

No caso do iPad Pro, a origem dos mais recentes rumores é o site japonês Macotakara. Segundo a notícia, “fontes confiáveis” afirmaram que a Apple estaria fabricando um iPad de 12.2 polegadas, 7.1mm de espessura e autofalantes estéreos. Essas especificações são um pouco diferentes dos rumores anteriores. A data de lançamento dessa vez foi prevista para o terceiro trimestre de 2015.

Já o tablet gigante da Samsung teve suas notícias divulgadas no site coreano AsiaE.co.kr e o portal GSM Arena. Segundo as fontes, o aparelho usará tela de cristal líquido, processador Exynos 5 com 4 Cortex A15 (1,9GHz) e 4 Cortex A7 (1,3GHz). Também contará com 3 GB de memória RAM. A câmera traseira será de 8 MP e a frontal de 2 MP.

O Surface Pro 3 da Microsoft foi vendido como uma melhor opção ao MacBook Air, sendo um tablet versátil que pode ser facilmente adaptado para ser usado como um notebook, com a diferença de ser bem mais portátil. O MacBook Air tem 13 polegadas, o que é interessante de notar, pois o novo tablet da Samsung traz essa mesma medida.

A Microsoft que vem atacando a Apple em seus comerciais da linha Surface pode ter razões para se preocupar com os próximos lançamentos dos concorrentes.

Por Daniel Cavalcante

iPad Pro

Foto: Divulgação

 


A Microsoft é uma empresa americana conhecida mundialmente, que foi fundada em 1975, sendo Bill Gates um de seus fundadores, o qual é uma personalidade que tem seu nome hoje totalmente relacionado à marca.

Ela foi responsável pela popularização de computadores pelo mundo e, ainda hoje, as máquinas que estão dentro das casas das pessoas e em empresas rodam prevalentemente o sistema operacional da Microsoft, o Windows.

Hoje existem diversas marcas que foram adquiridas ou criadas pela Microsoft, que têm distribuição mundial, assim como seu sistema operacional. O Xbox é o console de games da marca, que atualmente está na versão One, um videogame da quarta geração, altamente desenvolvido, que proporciona gráficos e experiência em jogo bastante realistas.

Outros nomes conhecidos da marca são o Bing, um motor de busca na internet concorrente do Google, o Skype, um aplicativo capaz de realizar videochamadas e chamadas de voz entre dispositivos em que está instalado, sem custo algum para o usuário, bastando apenas estar conectado a uma rede de internet.

Existem também muitos aplicativos desenvolvidos nos laboratórios da empresa, como a linha Office, que é uma suíte de aplicativos para escritório amplamente distribuída em PCs, smartphones, tablets e até em computadores de sua maior concorrente, a Apple.

Outra parte da empresa relacionada ao entretenimento é o desenvolvimento de jogos, como os da franquia Halo, Age of Empires, Forza, Fable e Fligt Simulator.

A última aquisição notória da Microsoft foi a fabricante de aparelhos celulares Nokia, após ter introduzido inicialmente seu sistema operacional para dispositivos móveis, o Windows Phone, nos aparelhos da linha Lumia da Nokia.

Hoje, a marca já chama seus projetos de novos aparelhos de Microsoft Lumia, ou seja, a tendência é que haja cada vez mais uma unificação entre as diversas empresas adquiridas pela marca e que ela entre no mercado com o mesmo nome, assim como sempre foi feito pela Apple, que tem seu símbolo de “maçã mordida”, internacionalmente reconhecido, em todos seus aparelhos e serviços.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


Conhecida no mercado de computadores desde o início da década de 90, a Microsoft adquiriu recentemente a empresa finlandesa de telefonia Nokia e deu prosseguimento em sua produção de tecnologia, abrangendo mais dispositivos em sua coleção de produtos, como tablets e smartphones.

A criação de um sistema operacional para dispositivos móveis, o Windows Phone, permitiu a aproximação entre as duas empresas, mesmo antes da fusão delas, mas inicialmente os aparelhos Nokia que rodavam o sistema operacional da Microsoft eram os smartphones.

Para ganhar espaço na concorrência de compartilhamento entre os tantos dispositivos que utilizamos na vida cotidiana, a empresa lançou o Lumia 2520 no Brasil, que é um tablet que concorre com o iPad da Apple e o Galaxy Tab, da Samsung, principalmente.

O tablet, que mede 267 mm de largura, 168 mm de altura e 8,9 mm de espessura, com 615g, possui uma tela de 10,1 polegadas, com resolução Full HD (1920 x 1080), sensível ao toque, com sensor de orientação, proteção pelo Vidro Gorilla® Corning® 2, com as tecnologias LCD IPS e ClearBlack.

Seu processador é o Snapdragon 800, que possui quatro núcleos e uma taxa de clock de 2200 MHz. Também conta com uma memória RAM de 2 GB, memória de armazenamento de 32 GB, expansível com cartões MicroSD. Possui conectividade 4G LTE, usando um Micro-SIM.

Diferentemente dos smartphones, esse tablet executa o Windows 8.1 RT, e não o Windows Phone, o que o assemelha bastante com um laptop com Windows, porém, com a liberdade em seu manejo.

Um investimento feito pela marca no tablet foi colocar uma câmera principal com o sistema óptico ZEISS, o mesmo usado nas câmeras dos smartphones top de linha da Microsoft. Ela possui 6.7 MP, mas também possui uma câmera frontal para selfies e videoconferências de 1.2 MP.

O aparelho já está disponível nas lojas, inclusive na loja on-line da fabricante, com preços a partir de R$ 1.799,10, nas opções de cores preto e vermelho.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: pavtube.com


A Microsoft e o Dropbox anunciaram uma parceria que fará o serviço de armazenamento fornecer melhor suporte à linha Office ao mesmo tempo em que aumentará a sua gama de produtos. A notícia veio depois que o “Box”, outra empresa de armazenamento voltada à Microsoft e o OneDrive passaram a oferecer armazenamento ilimitado.

O acordo se baseia em quatro pontos principais: rápida edição dos documentos do Office através de aplicativos para dispositivos móveis, acesso ao DropBox pelos programas do Office, compartilhamento de links do Dropbox nos programas e a criação de aplicativos Dropbox para as ofertas móveis da Microsoft.

A gigante da informática terá a opção de vender o Office 365 sem o OneDrive, disponibilizando o pacote para inúmeras empresas e indivíduos que utilizam o Dropbox. Essa foi a saída da empresa para conseguir aumentar suas vendas na nuvem. Os aplicativos para os Windows Phones também contaram na decisão de ter uma opção alternativa para o OneDrive. Se você trabalha em uma grande empresa e quer uma opção popular de armazenamento em nuvem, Dropbox já é compatível com seus arquivos.

A receita da empresa de Bill Gates com o Pacote Office 365 deve deslanchar a partir de agora com a nova facilidade, chegando até mesmo a ultrapassar (a partir deste momento) o Pacote Office tradicional em quantidade de vendas, e estimular que a empresa se interesse em adquirir a parceira, assim como já fez com outros parcerias que fizeram sucesso e acabaram se desenvolvendo para uma junção de empresas, ou de parte delas (como ocorreu com o setor de produção de celulares da Nokia).

A parceria também pode despertar uma batalha saudável (para os usuários dos aplicativos) visto que os concorrentes da Microsoft provavelmente vão buscar alternativas mais acessíveis para o armazenamento em nuvem, agora que o Dropbox tem um poderoso amigo novo. E que esse novo amigo não gosta de perder.

Por Felipe Foureaux Freitas

Microsoft e Dropbox

Foto: Divulgação


A Microsoft deu continuidade na sua estratégia de demissões na última quarta-feira, deixando em aberto cerca de 3.000 postos de trabalho. A empresa divulgou um comunicado curto indicando estar próxima de dispensar os 18.000 funcionários conforme informou em anúncio oficial, em julho deste ano. Ainda no comunicado, a empresa informou que as vagas deixadas em aberto são de diferentes funções, e em várias unidades diferentes ao redor do mundo.

Se a informação de que 3.000 funcionários foram demitidos for precisa (a empresa não confirmou exatamente a quantidade de colaboradores demitidos), apenas algumas centenas de postos de trabalho ainda continuam ocupadas, do total de 18.000 que foram anunciados que deixariam de existir. A maior parte dessa redução de pessoal é proveniente da recente aquisição, por parte da Microsoft, do setor de fabricação de aparelhos celulares da fabricante finlandesa Nokia. Colocando na ponta do lápis a primeira leva de demitidos de mais de 12.000 funcionários (foi estimada uma quantidade de 12.500), a segunda de aproximadamente 2.100 e esses últimos 3.000 ex-funcionários da empresa de Bill Gates, ainda estão previstas mais 400 demissões na empresa.

O número ainda pode crescer. Há rumores nos bastidores de que o remanejamento organizacional da gigante da informática é um trabalho ainda em situação de progresso, o que deixa no ar a sensação de que é possível (ou provável) que uma quantidade ainda maior de demissões possa fazer parte das mudanças.

Em entrevista a um canal de TV, empregados remanescentes da empresa disseram que não estão se sentindo ameaçados nem pressionados, e o comentário comum no discurso de todos eles foi de que tudo fazia parte de estratégia da empresa para continuar crescendo, apesar de que em alguns poucos casos houve críticas à rapidez com que o processo está acontecendo. Vale lembrar que o escritório principal da empresa praticamente não teve participação no alto número de cortes no seu quadro de colaboradores.

Por Felipe Foureaux Freitas

Microsoft

Foto: Divulgação


Quem gosta dos movimentos rápidos feitos no notebook certamente vai aprovar a novidade que a Microsoft trouxe para o Windows 10, sendo apresentado no TEchEd Europe. Foram mostrados vários novos gestos que passam a ser utilizados nos trackpads dos notebooks, visando maior facilidade no uso destes aparelhos.

Quem está utilizando a versão teste do Windows 10 já pode conferir a novidade, contando com movimentos simples mais rapidamente compreendidos, por exemplo, se o usuário quiser minimizar todas as janelas ao mesmo tempo, só precisa deslizar 3 dedos para baixo que imediatamente o movimento é interpretado e as janelas são todas minimizadas. Para desfazer a ação é simples, basta repetir o mesmo movimento em sentido contrário.

E a Microsoft está firmando parceria com empresas fabricantes de notebooks para adicionar novos movimentos, trazendo maior precisão e maior variedade nos movimentos e para isto, outro importante aliado são os trackpads bem mais precisos, capazes de interpretarem movimentos diferenciados nos aparelhos que já estiverem rodando o novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 10.

A Intel, mais uma vez é uma das principais parcerias firmadas com a Microsoft, mas a empresa está aberta a novos parceiros e tem feito contato com grandes empresas, no intuito de incentivá-las de forma que cada uma delas desenvolva suas próprias tecnologias para trazerem novas soluções ao mercado, pois o multitouch juntamente com os toque especiais é a grande promessa de inovação para quem usar o Windows 10.

A apresentação feita pela Microsoft na TEchEd Europe utilizou um Surface Pro para demonstrar a novidade, mas a Microsoft não quer ficar restrita a poucos aparelhos capazes de oferecerem esta novidade, pelo contrário, a empresa quer é incentivar que o maior número possível de empresas adotem o recurso oferecido pelo Windows 10.

E a Microsoft já prometeu que a partir do próximo ano estará divulgando novos gestos que irão facilitar ainda mais para os usuários e as novidades do Windows 10 não param por aí, a empresa garantiu que tem muitas novidades para serem anunciadas, novidades que promete revolucionar o mercado e garantir uma melhor experiência para os usuários, garantindo agilidade e preciso nos trabalhos.

Por Russel

Windows 10

Foto: Divulgação


A gigante americana Microsoft, liderada pelo CEO Satya Nadella, divulgou hoje os resultados financeiros referentes ao último trimestre. A empresa superou as expectativas dos analistas, alcançando um crescimento de 25% na sua receita em relação ao mesmo período do ano anterior. Os benefícios serão reduzidos em 13% por causa de custos de reestruturação. 

A responsabilidade primária dos bons números tem a ver com as vendas do Surface Pro 3. Mas não é somente o Surface que ajudou nos bons números. Diversos outros setores da empresa parecem estar prosperando.  

As vendas do Microsoft Surface tem batido os recordes de vendas neste último trimestre, disponibilizando para a empresa uma receita de 908 milhões de dólares. Isso representa um aumento de 127% em relação ao mesmo período do último ano fiscal.

Grande parte destas vendas estão relacionadas ao último modelo do produto, o Pro 3. Outro produto da empresa que apresentou um ótimo crescimento foi o Xbox One. Neste trimestre a Microsoft vendeu 2,4 milhões de consoles no mundo todo, o que representa um crescimento de 102%.

Anteriormente conhecido como Nokia Lumia, agora Microsoft Lumia, também teve um peso importante no bom desempenho financeiro da companhia. Cerca de 9,3 milhões de unidades do smartphone, em seus diversos modelos, foram vendidas. Com este desempenho, a Microsoft consegue remover o não tão bom resultado apresentado no trimestre anterior.  

Em relação aos softwares desenvolvidos pela empresa, o Office e o Windows apresentaram um crescimento de 5 e 10%, respectivamente. O serviço de nuvem Office 365 apresentou um ótimo crescimento. Os bons resultados apresentados se traduziu em não apenas vender softwares, mas em vender mais dispositivos aos consumidores. 

Os números apresentados pela Microsoft com certeza foram bons para a indústria de smartphones e computadores em geral. O mesmo não acontece com a Amazon, empresa americana considerada referência no e-commerce mundial.

Liderada por Jeff Bezos, a companhia apresentou péssimos resultados no balanço do último trimestre, com quase meio bilhão em prejuízos. As ações da Amazon apresentam queda devido aos números divulgados.

Por William Nascimento

Foto: divulgação


De olho em um mercado cada vez mais móvel, a Microsoft anunciou  que faria o lançamento do Windows 9, mas pulou direto para a 10ª versão. Dessa forma a empresa pretende focar na união das plataformas para atender uma gama de dispositivos, de smartphones a computadores, e ainda explorar o universo mobile, além da computação nas nuvens. 

Ao contrário de todas as expectativas geradas pelo evento, a Microsoft pulou o Windows 9 e foi direto para o versão 10 da plataforma. A empresa explicou que o nome representa um novo marco. "Quando o produto completo estiver pronto, acreditamos que vão concordar que Windows 10 é o mais apropriado", afirmou o vice-presidente de sistemas operacionais, Terry Myerson, durante a apresentação em São Francisco, nos Estados Unidos.

Na última quarta-feira, dia 1º de outubro a edição especial para desenvolvedores, o Technical Preview, foi liberado. O novo sistema chega para usuários domésticos apenas no ano que vem, em 2015, e substituirá o Windows 8, lançado há dois anos, em 2012. “O novo sistema desbloqueia novas experiências para permitir que os usuários trabalhem, joguem e se conectem", afirmou Myerson. 

Um dos problemas identificados pelos usuários do sistema operacional Windows 8 e que volta na nova versão é menu “Iniciar”.  O botão volta a aparecer em sua forma original, exibindo os últimos programas e documentos acessados, o que facilita e agiliza o uso do sistema, além de opções para desligar e reiniciar o dispositivo. Porém, o botão também vem com novidades, ele é composto por blocos dinâmicos personalizáveis e conta com o recurso de busca, que vai funcionar de maneira integrada, incluindo arquivos do computador ou páginas da web.

Outra novidade, é o recurso semelhante ao do MacOS X, sistema da Apple para computadores. O Windows 10 também conta com múltiplas áreas de trabalho, que podem ser alternadas de forma a permitir o uso de diferentes aplicativos em execução ao mesmo tempo. Na parte inferior da tela, será possível visualizar as interfaces, como miniaturas dos programas. 

Por Vivian Schetini

Windows 10

Foto: Divulgação


No próximo dia 30 de setembro a Microsoft irá realizar um evento com a presença de toda a imprensa mundial para anunciar o lançamento da nova versão do sistema operacional Windows 9.

O evento acontecerá em São Francisco, nos Estados Unidos, e logo após deverá ser liberado em versão para os desenvolvedores, da mesma forma como aconteceu nas edições anteriores. Para usuários, o lançamento oficial está previsto para o início do próximo ano, 2015.

A expectativa é que também para o próximo ano seja divulgado um sistema operacional sucessor do Windows Phone 8.1 como o Windows RT, exclusivo para tablets.

Nos bastidores da informática, os comentários são sobre as novidades que podem ser esperadas da Microsoft para a próxima geração do sistema. Desktops virtuais e um centro de notificações é o esperado, da mesma forma que acontece nos concorrentes MacOS X, da Apple.

Mas apesar de todas as novidades, tudo ainda são rumores de vazamentos de um site alemão chamado WinFurture. O site conseguiu uma versão preliminar do Windows 9.

Porém, a própria Microsoft confirmou em sua última conferência Build sobre a volta do menu iniciar. Outro ponto bastante criticado no Windows 8 pelos usuários.

Em outro vídeo vazado, mostra o sistema multi-desktop do Windows 9, que não é tanta novidade, porém a forma como isso ocorre ainda é bem interessante. Um botão na barra de tarefas para acessar um gerenciador de áreas de trabalho permite uma pré-visualização de cada uma. É possível conferir uma prévia do conteúdo de cada janela aberta em cada área de trabalho, dando mais praticidade ao uso, parece que tal função tende a substituir tradicional Alt+Tab.

A Microsoft traz uma série de novidades para o explorador de arquivos nativo do sistema. No Windows 8, o explorador de arquivos, já é considerado bom, porém nem tanto se comparado com as versões anteriores. No Windows 9, isso deve mudar e a interface dessa ferramenta parece ter passado por uma reestruturação.

Por Vivian Schetini

Windows 9

Windows 9

Fotos: Divulgação


Segundo informações que circulam pela internet, a gigante mundial Microsoft, está trabalhando para seu novo lançamento tecnológico: uma tela sensível ao toque que desperta no usuário sensações físicas de verdade. Uma tecnologia, principalmente, útil para o display de tablets e celulares.

De acordo com um dos responsáveis pelo projeto, baseado em conceitos de eletrovibração, a novidade "funciona como mágica" e pode ser aplicada de diversas formas.

Há alguns anos atrás não era nada comum ver alguém utilizando um dispositivo com tela sensível ao toque, especialmente um celular. Atualmente, smartphones, tablets, GPS e até mesmo monitores que fazem parte do dia a dia trazem telas do gênero. Seja na rua ou dentro de casa, em caixas eletrônicos espalhados pela cidade, por exemplo, não é tão incomum ver alguém usando os dedos (ou uma caneta especial) para manipular o conteúdo mostrado no display.

Apesar de ter caído nas graças dos fabricantes e utilizadores há pouco tempo, a história das telas sensíveis começou há cerca de 50 anos, na Inglaterra, com o inventor E. A. Johnson. De lá pra cá, o conceito evoluiu bastante por meio de contribuições de vários cientistas ao redor do mundo.

Os touchscreens “táteis” foram elaborados para possibilitar que os usuários tenham sensações como a do clique de um mouse, mas ao tocar na tela. O artifício é capaz de fazer, por exemplo, com que a pessoa “sinta” o “peso” virtual das pastas (conforme o seu número de arquivos) ao arrastá-las no visor.
 “É muito, muito legal. É pegar um pequeno pedaço de vidro e fazê-lo ser algo diferente. É quase como mágica”, diz o desenvolvedor.

Segundo ele, o projeto foi criado para proporcionar aos usuários uma experiência “multisensorial”, que difere dos mecanismos de interação “bidimensionais” existentes até hoje. Para isso, eles aplicaram voltagem à superfície do display, o que cria uma fricção entre os dedos do usuário e a tela.

No entanto, essa tecnologia ainda está no estágio inicial e não tem previsão de chegar a dispositivos finais, por enquanto.

Por Michelle de Oliveira

Novidade tecnol?gica da Microsoft

Foto: Divulgação


Em tecnologia, assim como em quase todos os setores, tudo tem um início, meio e fim. Ao que tudo indica os híbridos não agradam mais tanto o consumidor quanto antigamente.

Embora tenham capacidades de processamento e armazenamento cada vez melhores, os tablets têm encontrado dificuldades para ganhar o espaço dos notebooks. Um bom exemplo disso são os híbridos da linha Surface da Microsoft, que tiveram uma queda considerável de preço ultimamente.

Assim como a maioria dos híbridos, o Surface Pro é um tablet que possui um dock station para o teclado e um sistema operacional mais amigável à utilização pelo usuário. Um dos seus maiores problemas do aparelho ainda é o seu peso ao ser utilizado como um tablet, algo que pode se tornar desconfortável caso o usuário tenha que passar um tempo prolongado com o dispositivo em mãos.

Com o lançamento da terceira geração, a companhia fundada por Bill Gates resolveu baixar os preços do Surface Pro 2, algo que pode atrair mais usuários que ainda não conhecem o híbrido.

Para aqueles que desejam economizar na hora de adquirir um modelo da linha Surface, a hora é essa. A Microsoft vem cortando os preços de todos os seus tablets com o Windows e os descontos podem chegar a US$ 200,00 (cerca de R$ 440,00) em alguns produtos.

Embora nem todos os produtos tenham um corte tão acentuado assim, vale a pena acessar a loja oficial da companhia para conferir as novidades. As reduções mais evidentes ficaram por conta dos dispositivos com maior capacidade de armazenamento, como os aparelhos de 256GB e 512GB de armazenamento, que custam US$ 1.099 e US$ 1.599, respectivamente.

Os descontos devem ocorrer enquanto durarem os estoques das versões mais antigas, já que a Microsoft vem renovando frequentemente a linha Surface em busca de garantir o seu lugar no mercado.

Por Ebenezer Carvalho

Microsoft Surface Pro 2

Foto: Divulgação


O Windows é o sistema operacional mais conhecido de todos os tempos. Isso porque foi a Microsoft que o imortalizou quando conseguiu inserir o PC como item fundamental em casas, escritórios e escolas ao redor do mundo inteiro.

Com o surgimento dos smartphones, a gigante fundada por Bill Gates não ficou para trás, e tratou de criar um sistema próprio para equipar os aparelhos. Apesar de não ter tido muito destaque no início, o Windows Phone foi ganhando o seu espaço de forma bem vagarosa e, atualmente, já está presente em alguns dos melhores smartphones.

Ganhar essa briga não é fácil, já que o sistema operacional possui dois concorrentes muito fortes e que já se encontram há bastante tempo nesse mercado; o Android da Google e o iOS da Apple. Contudo, a Microsoft está disposta a entrar de vez nessa briga para dominar as primeiras posições não somente nas vendas, mas também na preferência do usuário.

De acordo com Nick Parker, que é vice-presidente do setor de parcerias da Microsoft, em uma entrevista ao Wall Street Journal, a companhia pretende oferecer smartphones e tablets com o Windows a preços mais competitivos.

E por competitivos, entende-se à “preço de banana”, já que os descontos chegam a mais de 50%. As linhas 2013 de tablets com o sistema de 7, 8 e 10 polegadas custam, atualmente U$ 300, U$ 400 e U$ 500 e terão o seu preço reduzido ainda esse ano para U$ 100, U$ 200 e U$ 300 respectivamente.

Além disso, os smartphones com o Windows também sofrerão queda brusca nos preços e passarão a custar menos db U$ 200 segundo Parker. Infelizmente, o executivo não divulgou quais mercados serão beneficiados com a redução de preços.

Com os cortes nos preços, a Microsoft busca uma proximidade maior com seus principais concorrentes no mercado, como Apple e Samsung. Resta apenas saber se o Brasil será agraciado com aparelhos de qualidade e preços realmente justos para o consumidor.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


A Microsoft tem lutado de maneira árdua para se estabelecer no mercado de híbridos. Com o sucesso relativo dos modelos da linha Surface, a companhia agora lança a terceira versão, focada no usuário corporativo que necessita de um notebook com capacidade de instalar os programas mais “clássicos” em um sistema Windows aliado à portabilidade que apenas os tablets oferecem.

Para aqueles que não estão completamente inteirados com a tecnologia atual, os aparelhos híbridos são considerados uma fusão entre os laptops clássicos de alguns anos atrás com os atuais tablets. O grande problema disso é que, por mais práticos que sejam, os tablets produzidos até certo tempo atrás não possuíam capacidades suficientes de hardware que pudessem substituí-lo por um notebook.

A Microsoft parece ter driblado essa dificuldade e agora busca unir os usuários das duas plataformas. No Surface Pro 3, a primeira impressão que temos é que se trata de um notebook com uma tela realmente pequena de 12 polegadas. De fato, esse é o primeiro aparelho que satisfaz a visão da Microsoft para a linha, já que seus irmãos mais novos falharam não só em conquistar o público, mas também em oferecer uma experiência que realmente pudesse satisfazer o usuário de um notebook “clássico”.

No Surface Pro 3, temos uma tela de 12 polegadas, um processador Core 17 e 9,1 mm de espessura. Assim como os outros modelos da linha, esse também aceita a utilização de uma caneta especial. Além disso, é possível acoplar uma estação de trabalho para a digitação que irá facilitar a vida do usuário. De fato, ela incorpora diversas novidades como um suporte magnético para utilização no colo e um trackpad mais sensível ao toque e com redução de atrito. A caneta também possui novidades e agora pode se comunicar com o aparelho, o que oferece uma gama bastante variada de utilização bem como uma resposta ainda mais rápida e sem atrasos na hora de escrever anotações na tela.

O aparelho está à venda nos EUA por 800 dólares e ainda não tem preço definido no Brasil. 

Por Ebenezer Carvalho

Surface Pro 3

Foto: Divulgação


O aparelho com o peculiar nome de Surface Pro 3 tem tudo para conquistar de vez o público que gosta da união entre beleza, praticidade e tecnologia. Se a edição 1 e 2 desse aparelho que tem características de um laptop e de um tablet já ganharam o público pela inovação, imagine a versão 3 que virá com o Windows 8.

Além de toda a potência e facilidades na configuração que o Surface Pro 3 terá com o Windows 8, um outro atrativo que promete atrair os olhares dos fãs de tecnologia está no visual do produto, uma vez que ele virá bem leve (pesa 800 gramas) – com facilidade de manusear – dimensões que o torna ainda mais portátil e de um design que o torna prazeroso de ser olhado.

Outra novidade é que a tela do Surface Pro 3 está maior, o que dá mais comodidade ao se atuar em sua área de trabalho. A Microsoft também traz outras características para o Surface Pro 3 que vai torná-lo ainda mais útil, como, por exemplo, uma bateria que tem duração de nove horas diretas de navegação, um Processador Intel Core de geração i3, i5 ou i7 de 4 ou 8 GB de RAM.

Ainda sobre as características técnicas do Surface Pro 3 , o aparelho tem ligações sem fio – Wi-Fi; tecnologia Bluetooth, bússola digital, USB 3.0, Mini DisplayPort, alto-falantes estéreo com som dolby, leitor de cartões micros, sensor de luz ambiente, acelerómetro, giroscópio, magnetómetro, caneta para Surface e adaptador de corrente 36 W.

Para quem está com pressa em ter o seu, a loja virtual da Microsoft já está com oferta desse produto, bastando que os interessados acessem o www.microsoft.com para fazer a sua compra, se informando sobre preços, forma de pagamento e segurança na entrega do produto. Acesse o site de compras virtual da Microsoft e também conheça mais sobre esse modelo de tablete que promete revolucionar o mercado tecnológico.

Por Michelle de Oliveira

Surface Pro 3

Foto: Divulgação


Desde o Windows 8, a Microsoft vem adotando novas medidas. Lançamentos de atualizações em um curto período de tempo, com atualizações com maior tamanho e melhorias de graça para quem tem o sistema operacional lançado em 2012.

A Microsoft viu seus erros e está corrigindo. Menu iniciar, integração entre mouse e teclado e a sincronização entre dispositivos embarcados e instalados com o Windows 8.

O novo rumor que cerca o mundo Microsoft se refere à próxima versão do sistema, o Windows 9. Segundo os mesmos, a Microsoft lançará a versão preview (primeira versão de testes) no segundo, ou se mais tardar, no terceiro trimestre de 2015. Isto iria de encontro à filosofia de lançar um novo sistema a cada três anos, sendo que o Windows 8.1, apenas foi uma atualização, como são os services packs, em versões anteriores como XP e o 7.

Ainda sobre as melhorias que o Windows 9 ofereceria aos usuários é a tão comentada opção de usar os apps metro em janelas no desktop tradicional. A Microsoft já mostrou uma prévia disso, possibilitando o usuário fixar os aplicativos metro na taskbar e com uma barra para fechá-los facilmente.

Outra melhoria que pode vir no futuro sistema ou como atualização no 8.1 é o menu iniciar. A empresa de redmond já confirmou que ele voltará. Como não se sabe a data que ele será disponibilizado, a dúvida fica no ar.

Mas a melhoria mais interessante e divertida que pode chegar à futura versão do sistema é a assistente pessoal Cortana. A assistente que irá fazer sua estréia no Windows Phone 8.1 pode também ser estendida à notebooks e desktops, além de tablets e ultra books que levam o Windows.

Ainda não se sabe o valor que será cobrado. Alguns rumores também dizem que ele será gratuito para quem já tem o Windows 8, apenas bastando uma atualização sem custo como foi no Windows 8.1.

Por Leandro de Souza

Foto: divulgação


Não que o velho seja melhor que o novo (em alguns casos até pode ser), mas, pelo que parece, os usuários do sistema operacional da Microsoft se mantém fieis as versões antigas do programa. E isso, mesmo quando levamos em consideração a preocupação da empresa de Bill Gates em incentivar o upgrade, em realizar campanhas e promoções no intuito de fazer com as pessoas passem a usar o Windows 8.

Para a Microsoft o navio estaria andando por águas calmas, se não fosse o fato de que ao redor do mundo 27,69% dos computadores ainda fazem uso do Windows XP. Vale lembrar que a plataforma tem mais de dez anos de vida e que está em seus últimos dias de suporte oficial por parte da fabricante.

De acordo com as informações apontadas pela Net Application, levantadas por meio de análises estatísticas com base em dados de navegação de cerca de 40 mil sites analisados, o sistema operacional antigo apresentou uma queda durante o mês de março de apenas 1,84%. E, para piorar ainda mais a tristeza da Microsoft, essa parcela de usuários acabou optando por fazer upgrade para o Windows Seven e não para a versão 8, a mais recente da plataforma.

Com tudo isso e muito mais, o Windows 7 ainda continua dominando o mercado. O sistema detém uma fatia de 48,77% do market share e angariando para si 1,46% do mercado. O seu sucessor tem conseguido obter números maiores nesse ponto de crescimento. Mas isso pode ser explicado pelo fato da aquisição de novos dispositivos que já vem com o sistema integrado. Mas mesmo assim, os números apontados não dão para fazer medo, nem de longe, ao domínio do 7 no mercado.

De qualquer maneira a Microsoft continua sendo a líder absoluta no mercado de sistemas operacionais. Incluindo todas as versões ainda em uso do Windows a empresa fica com uma parcela de 90,94% de todos os usuários.

No segundo degrau está a Apple com 7,57% e na seqüência o Linux com 1,94%. Todas essas informações foram divulgadas por meio do site The Next Web.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


O novo update do Windows 8.1 foi liberado e muitos usuários ainda têm dúvidas de como proceder a atualização. O termo técnico para a nova versão do sistema operacional da Microsoft é KB2919355, ela traz várias novidades de funcionalidades para quem usa o sistema. Abaixo colocamos os procedimentos de como fazer a nova atualização.

A primeira coisa que o usuário precisa verificar é e há conexão à internet e uma fonte de energia estável. O procedimento precisa ser olhado com cuidado antes de iniciar o processo para não acontecer nenhum problema. Caso o Windows Update estiver programado para instalar automaticamente a nova atualização, o usuário só precisa deixar o computador ligado e conectado à internet.

Caso o computador exige que o usuário faça a atualização manualmente, será preciso ir na tela “Iniciar” do Windows 8.1, apontar o mouse no canto superior direito da tela e, quando a barra lateral aparecer, clicar na opção “Configurações”. Logo quando aparecer o quadro de “Configurações”, novamente precisa-se clicar em “Mudar configurações do Computador”. Na mesma barra de configurações, clique em “Atualização e recuperação”. Nesse espaço haverá uma alternativa “Windows Update” e logo depois é preciso clicar em “Verificar agora”.

O computador irá verificar se há atualizações a serem feitas. Se precisar, o computador irá mostrar uma barra escrita “Exibir detalhes”, clique no termo e o computador irá mostrar as atualizações disponíveis. Caso o computador não encontre nenhuma atualização para o Windows 8.1 Update ou "KB2919355", seu sistema pode estar sem atualizações anteriores.

Alguns usuários que ainda possuem o Windows 8 não conseguirão fazer o update. Para conseguir, será preciso fazer todas as atualizações até ter um Windows 8.1 atualizado e pronto para instalar o Windows 8.1 Update. O processo é o mesmo: selecionar as atualizações e depois instalar. Depois de instalar atualizações anteriores, o usuário deve reiniciar o computador e verificar novamente se há atualização para "KB2919355". Caso apareça, clique em cima dele e baixe-o. O Windows 8.1 Update será instalado. Depois disso, reinicie o PC novamente.

Por Carolina Miranda


A Microsoft anunciou seu novo líder. O indiano Satya Nadella assumiu o comando da companhia.

Após o anúncio da aposentadoria de Steve Ballmer, em agosto de 2013, a companhia levou seis meses para apresentar o substituto na direção da empresa.

A demora em anunciar o novo CEO é devido aos enormes desafios que a gigante de softwares vem enfrentando para se manter relevante em um cenário de mobilidade e serviços baseados em nuvem.

Durante o processo de escolha, surgiram até especulações de que Bill Gates voltaria ao posto de CEO.

Nadella já foi vice-presidente de produtos corporativos e serviços na nuvem, esta que é uma das áreas mais lucrativas da Microsoft. Ele também foi o líder da reformulação de uma série de serviços populares da companhia.

Um dos principais sucessos do indiano foi a substituição do Hotmail pelo Outlook.com, em agosto de 2013, este que é o serviço de e-mail que mais cresce no mundo, com mais de 400 milhões de usuários.

Nos últimos dias o nome de Nadella já aparecia como favorito para a vaga. Segundo o vice-presidente da consultoria Forrester Research, James Staten, ele vai acelerar a velocidade de tomada de decisões na Microsoft e vai representar uma grande mudança em relação à Ballmer.

Segundo informações, Nadella deve fazer mudanças nos próximos meses, mas nada que rompa com a visão atual da Microsoft para seus produtos e serviços. O indiano deve incluir mais plataformas móveis de terceiros e produtos inovadores para consumidores domésticos.

Em um vídeo de boas-vindas ao novo CEO, Bill Gates disse que irá ajudar a definir os próximos produtos da empresa. "As oportunidades para a Microsoft são maiores do que nunca. Eu vou dedicar cerca de 30% do meu tempo em encontros com as equipes e será divertido ajudar a definir os próximos produtos", disse Gates.

Agora a empresa tem um longo caminho para continuar entre as maiores empresas de tecnologia do mundo e para isso agora ela conta com o toque indiano de Satya Nadella.

Por Ageu da Rocha


Windows 8: Controverso, por horas até rejeitado. Seu visual, com aspecto mais “mobile”, não agradou a todos, uma vez que a interface gráfica do sistema operacional da Microsoft propôs uma mudança drástica frente à todas as outras versões anteriores. Dessa forma, a adesão ao Windows 8 foi baixa e a empresa americana busca alternativas para voltar a popularizar o sistema.

Uma das soluções propostas para voltar a tornar o Windows um sistema operacional popular é a volta do famoso menu iniciar. Ele tinha sido aposentado na versão 7 do sistema, sendo que ele sempre esteve presente desde as primeiras versões.

Na atualização para o Windows 8.1, a Microsoft já trouxe de volta o famoso botão, mas a função dele passa a ser bem mais restrita, apenas levando o usuário da interface do desktop ao “Metro”, que conta com os blocos dinâmicos.  Porém, a intenção a partir de agora é trazer uma opção para que seja criado o menu iniciar, da forma como conhecemos até a versão 7.

Para quem tem menos intimidade com o uso do computador, a ausência do botão tem causado dificuldades na operação, além de dificultar o aprendizado do uso da máquina. Aqueles que têm pouca habilidade para operar o computador e já tiveram contato com as versões anteriores do Windows são os que enfrentam mais dificuldades de adaptação.

Até então, transformar o visual do Windows 8 para o de uma versão anterior só era possível por meio de aplicativos externos, o que torna a opção inviável para quem não tem a prática ideal de operação.

A nova versão do Windows, que trará de volta o menu iniciar, por enquanto é chamada internamente de “Threshold” e tem expectativa de lançamento para o segundo trimestre do ano de 2015, fazendo com que os mais ansiosos pela volta famoso menu esperem ainda mais um pouquinho para voltar a operar um computador do jeito que gostam.

Vale a pena aguardar e conferir como funcionará esse novo Windows.

Por Mikhael Costa

Foto: Divulgação


A Microsoft anunciou o Surface 2 e Surface Pro 2 comprimidos, uma nova geração de tablets.

Eles são mais rápidos e têm a bateria mais duradoura do que seus antecessores.

O cerne da questão para a Microsoft continua a mesma, que é encontrar um público que esteja interessado em ouvir o que a Microsoft tem a dizer.

O Surface 2 é construído em torno de um processador NVidia Tegra 4, o que aumenta a vida da bateria de até 10 horas e faz com que os aplicativos sejam executados mais rapidamente e de forma mais suave.

Ele tem uma tela de 10,6 polegadas ClearType Full HD, 3,5 MP de câmera frontal e traseira de 5 MP, podendo capturar vídeo HD 1080p, tendo melhor desempenho com pouca luz.

O Surface 2 será lançado com o Windows 8 RT 8.1, que oferece maior personalização, busca, e multitarefa, aplicativos e conectividade em nuvem.

O Surface 2 vai incluir Xbox Music para streaming de músicas e um aplicativo de vídeo atualizado, e ele virá pré-carregado com o Microsoft Office, incluindo Outlook.

O Surface Pro 2 é construído em torno de um processador Haswell Intel Core i5, tem um flash de 512 GB de disco rígido. Os usuários podem tirar aplicativos lado a lado, e abrir tantas janelas quanto precisarem.

O Surface Pro 2 tem uma superfície sensível à pressão da palma, tecnologia de bloqueio, uma tela de 1080p HD.

Ambos os tablets têm uma porta USB full-size 3.0, uma porta de saída de vídeo HD e um leitor de microSD.

Surface Pro 2

Surface Pro 2

Foto: Divulgação

Ambos também trazem um ano de ligações gratuitas para telefones fixos em mais de 60 países; Skype Wi-Fi gratuito em mais de 2 milhões de hotspots em todo o mundo, e dois anos de acesso livre a 200 GB de armazenamento adicional no SkyDrive.

O Surface 2 será oferecido em 32 GB e configurações de 64 GB com preço que começará no EUA a US$ 450. Já o Surface Pro 2 estará disponível em 64 GB e configurações de 128 GB com 4 GB de RAM e 256 GB e 512 GB versões com 8 GB de RAM ao preço de US$ 900.

Por Jaime Pargan


A Microsoft apresentou, em um evento em Nova York, seus novos modelos de tablet: o Surface Pro 2 e o Surface 2. A empresa afirmou que o modelo Pro 2 é mais rápido que 95% dos notebooks atualmente no mercado, sendo uma das características do produto, pois ele pode ser usado como um notebook, com inclinação de 55 graus (antes era apenas 22 graus).

O Surface Pro 2 tem uma capacidade gráfica 50% maior que a versão anterior. O desempenho como um todo é 20% melhor que o Surface Pro (primeira versão). O Pro 2 vem equipado com processador Intel Core i5-4200U,  com clock de 1.6 GHz e Intel Turbo Boost chega a 2.6 GHz, acrescido do Intel HD Graphics 4400.

O modelo apresenta uma tela de 10.6 polegadas (1920x1080p), 4 GB de RAM, opções de armazenamento de 64 GB ou 128 GB, além da versão de 8 GB de RAM e 256 GB e 512 GB para armazenamento. Os preços variam entre US$ 899 e US$ 1.799.

Já o modelo Surface 2 tem o mesmo tamanho de tela que o Pro 2, além de processador Tegra 4 Quad-Core de 1.7 GHz, de 2 GB de RAM e Windows RT 8.1. Apresenta versões de 32 GB e 64 GB de capacidade de armazenamento. Ambas as versões possuem duas câmeras (frontal de 3.5 MP e traseira de 5 MP). O preço de venda do Surface 2 é a partir de US$ 449 (versão de 32 GB) e US$ 549 (versão de 64 GB).

Por Robson Quirino de Moraes


A Microsoft já definiu o preço da versão mais nova do seu sistema operacional. O Windows 8.1 será lançado oficialmente no dia 18 de outubro, contudo a empresa já tem divulgado uma gama de informações sobre o lançamento.

Os interessados poderão comprar a versão de entrada do Windows 8.1 por US$ 119, enquanto a versão Pro será de US$ 199, cerca de R$ 273 e R$ 457, respectivamente, caso não haja cobrança de impostos.

Entre as novidades do sistema operacional está a melhoria da ferramenta de busca e a possibilidade de personalização, além de 21 novas mudanças significativas. A versão de entrada e a versão Pro, apresentam diferenças sensíveis ao usuário.

Não haverá versões mais acessíveis do SO, por essa razão, a Microsoft irá disponibilizar somente a versão completa do sistema. A boa notícia fica por conta do upgrade para quem possui o Windows 7, porém será necessário reinstalar os programas, até mesmo o pacote Office.

Quem já possui o Windows 8 instalado no computador pode realizar o upgrade gratuito para rodar o 8.1. Quem possui o Windows Vista ou XP no PC, pode ter dificuldade para instalar a nova versão. Para esses usuários, a Microsoft irá lançar um DVD oficial explicando como fazer a instalação de maneira adequada.

Por Robson Quirino de Moraes


A Microsoft já havia anunciado a nova versão do Internet Explorer. O novo navegador estará disponível para o novo sistema operacional, o Windows 8.1, que será lançado em outubro e para o Windows 7. Uma novidade, já que parecia não estar nos planos da empresa. A versão nova do Internet Explorer já está disponível para a avaliação de desenvolvedores desde julho.

Duas versões de avaliação foram disponibilizadas para desenvolvedores. Uma em julho e outra em setembro. Segundo a Microsoft, a versão prévia do IE apresenta atualizações para suportar os novos padrões da web, firmados pelo World Wide Web Consortium (W3C), além de uma melhor compatibilidade com os demais recursos já existentes.

Segundo a empresa, a nova versão trará novos controles para o usuário, que poderá compartilhar o browser. O novo Internet Explorer facilitará o uso, permitindo configurar as preferências, que serão automaticamente salvas. Os desenvolvedores também terão mais ferramentas para diagnosticar problemas e otimizar aplicativos com rapidez.

A nova versão será cerca de 9% mais rápida e apresenta uma melhoria de 5% em relação a primeira versão apresentada em julho. Os usuários que usam o IE diminuíram gradativamente, sobretudo pelos surgimentos de navegadores como o Google Chrome e Mozilla Firefox. 

Por Robson Quirino de Moraes


Não é de hoje que as empresas do setor de tecnologia têm o hábito de pagar para que usuários – ou não – de seus softwares detectem erros.

A Microsoft recentemente resolveu abrir mais uma oportunidade para os especialistas na área. A companhia do bilionário Bill Gates está pagando mais de US$ 100 mil (aproximadamente R$ 223.400) para quem conseguir encontrar algum erro na Preview do Windows 8.1 que está previsto para ser lançado no fim deste mês. Esse fato nada mais é do que uma precaução da empresa na busca de identificar possíveis falhas que possam ter passado sem que ninguém percebesse durante a atualização do sistema operacional.

Os US$ 100 mil serão pagos para quem identificar e informar as falhas de segurança do sistema. Já quem encontrar soluções para os problemas identificados poderá ganhar até US$ 50 mil. Além desses valores, a Microsoft também informou que pagará certa de  US$ 11 mil para quem conseguir identificar pontos vulneráveis no Internet Explorer 11.

No passado a empresa já havia promovido a realização de um concurso oferecendo prêmios em dinheiro para quem identificasse falhas. Mas esta é a primeira vez que oferece pagamentos para quem encontrar bugs.

Além de melhorar o sistema a Microsoft tem outro objetivo com isso tudo: Impedir ainda no começo de que as falhas encontradas sejam vendidas no mercado negro e que o tempo passe e seja tarde de mais para agir.

Por Denisson Soares


A Microsoft deve trazer ainda este um novo modelo do tablet Surface de 7 polegadas.

Segundo as informações oferecidas pelo Wall Street Journal, a intenção da empresa de Bill Gates é competir diretamente com o iPad Mini da Apple e o Google Nexus 7, aparelhos em voga no mercado de tablets e smartphones pela finura do modelo, o que dá menos peso e mais praticidade.

Além do possível aparelho, a Microsoft deve baixar os preços do pacote Office e do próprio Windows para mobiles, com o objetivo de atingir um público maior na área.

Em outubro do ano passado, a Microsoft surpreendeu a todos com seu Surface com Windows RT, um tablet de 10.6 polegadas, entrando diretamente no mercado de hardwares mobile até então inexplorado.

Com vendas razoáveis se comparadas aos seus concorrentes, a Microsoft espera melhores resultados com o novo modelo. Vale lembrar que no mercado de PCs a empresa vem perdendo cada vez mais terreno, uma vez que os usuários gradativamente estão passando para os aparelhos mobile, mercado dominado pelas gigantes Google e Apple.

O anúncio oficial do Surface de 7'' deve acontecer em breve.

Por Willian Gonçalves


A Microsoft está planejando mudar a forma como sua tela inicial opera no novo release Windows 8.1.

Fontes ligadas à Microsoft, revelaram ao The Verge que a companhia está testando em sua nova build do Windows 8.1, conhecido pelo codinome Windows Blue, uma opção que iniciará o sistema diretamente do tradicional desktop.

A opção estará desabilitada por padrão, permitindo que os usuários a ativem "evitando" a inicialização da interface Metro Modern.

Há uma grande resistência dos usuários para usar a nova interface, muitos procuram tutoriais que ensinam "como matar o Modern e instalar o velho e bom menu Iniciar".

Programas com esta função fazem muito sucesso por aí, sendo um dos mais baixados em diversos sites. Talvez por usuários estarem adaptados ao menu clássico desde versões pré-históricas do Windows, além da nova função não contar com muitos apps, o que força o usuário a ficar "navegando" entre uma interface e outra.

Além do novo recurso de "iniciar pelo desktop", o novo update conta com novos tamanhos para os blocos (que já estão presentes no Windows Phone 8), melhoria nos charms e também a divisão de tela "meio-a-meio" entre dois apps.

E você, usa o Windows 8? Tem gostado do novo sistema? O que espera do novo update? Deixe sua opinião nos comentários!

Por Atila Felipe


Muitos sites na internet vêm divulgando a informação de que a Microsoft está planejando alterar os ciclos de lançamento de seu sistema operacional, encurtando-o. Com isso, o suposto Windows Blue chegaria ao mercado muito antes do previsto.

De acordo com supostas informações obtidas de relatos de pessoas próximas a Microsoft, a companhia pretende trazer novidades para a sua plataforma a cada ano, tal qual é feito pela Apple e Samsung no lançamento de seus gadgets.

Entretanto, agora os rumores estão ganhando força acerca do Windows Blue, pois, conforme o site WinAero, ele utilizará o Kernel NT 6.3, o que indica que o Blue seja uma atualização do Windows 8, tal qual foi com o Windows 7 – tendo em vista que o Windows 8 utiliza o Kernel NT 6.2 e o Windows 7 utiliza o Kernel NT 6.1.

Além disso, se essa informação for confirmada, com certeza a Microsoft começará a aplicar ciclos anuais de lançamento dos sistemas operacionais, ao contrário dos ciclos de três anos que eram utilizados anteriormente.

Mesmo com os boatos divulgados, tudo pode se tratar apenas de um rumor e ser desmentido pela Microsoft, pois a base para todos os rumores tem sido um printscreen de uma tela, onde há informações do Windows Blue.

Por Guilherme Marcon


Durante uma sessão de perguntas e respostas feitas com a imprensa e a Microsoft, o vice-presidente da empresa estava presente e comentou sobre a utilização de outros sistemas operacionais no seu tablet, o Surface Pro.

Uma das perguntas feitas ao executivo foi se existe a possibilidade de desabilitar o boot seguro do gadget e também se o aparelho obriga que o sistema operacional utilizado seja o Windows 8. Na resposta, foi dito que tal qual qualquer outra máquina que rode com o Windows, o novo Surface permite o acesso a BIOS – o que permite que o boot seguro seja desligado. Além disso, dessa mesma forma também é possível que seja habilitado o carregamento de outras plataformas – como o Linux.

Essa resposta animou bastante as pessoas que são fãs do Linux e que se interessaram pelo tablet Surface Pro. E também, isso pode ser um fator que impulsione as vendas do gadget – mesmo que diminua a utilização da plataforma, de certa forma – visto que muitas pessoas adquirem computadores com o Windows, mas trocam o sistema operacional para o Linux.

Além disso, o fato de ser possível utilizar outros sistemas operacionais coloca o gadget da Microsoft em um patamar acima do iPad, que não permite esse tipo de alteração.

Por Guilherme Marcon


De acordo com informações fornecidas pela Microsoft, existe a possibilidade de que seja lançada uma capa que recarrega o seu tablet Surface.

Segundo o site The Verge, quando se trata da bateria do Surface, a Microsoft afirma que podem ser utilizadas baterias extras, que estariam armazenadas na capa (que também é teclado). E isso é possível, porque a empresa já providenciou uma alteração no design do acessório visando à inclusão de uma forma em que seja possível transferir energia entre a capa e a bateria própria do Surface.

Assim, muitas especulações surgiram a respeito de uma capa que é capaz de recarregar a bateria do tablet, pois a tecnologia para tal já existe e foi aplicada no gadget (segundo as palavras mencionadas pela Microsoft).

Muita gente achou essa afirmação da dona do Windows como uma “dica” de que acessórios do tipo serão lançados muito em breve, o que com certeza trará um bom diferencial de mercado.

Apesar dessas informações fornecidas pela empresa e da grande chance de realmente ser lançada uma capa que carrega a bateria, nada foi confirmado oficialmente pela companhia.

Por Guilherme Marcon


Após o lançamento do novo tablet da Microsoft, o Surface Pro, diversos sites na internet divulgaram suas análises e comparações – inevitáveis – com o Surface com Windows RT.

Nos comentários gerais, a nova versão se sai melhor do que o Surface RT, principalmente por conta do novo chip Intel Ivy Bridge i5 – que faz com que o sistema operacional tenha melhor desempenho. Além disso, os principais problemas que havia no Surface RT, com relação ao Windows 8, não existem no Surface Pro.

Muitos sites têm chamado o novo gadget da Microsoft de híbrido entre ultrabook e tablet, o que pode ser bom para o aparelho, já que seria quase que um novo nicho de mercado. E também, foram feitos diversos elogios com relação ao display Full HD, à capacidade de armazenamento interna que tem espaço “útil” maior que os outros tablets, ao Office 2013 que já vem instalado, entre outros.

Entretanto, algumas críticas bastante importantes apareceram, como o fato de que o Surface Pro é mais “gordinho” que o Surface RT, além de gerar mais calor e fazer mais barulho devido às entradas e saídas de ar do gadget. Outro ponto ruim é o preço, pois se o usuário comprar um Surface Pro com toda a sua capacidade ele acaba saindo o dobro do valor de um iPad ou Galaxy Note, o que acaba não compensando muito.

Vale a pena analisar bem o que é dito na internet sobre o aparelho, pois é possível identificar algumas questões que os usuários em geral não levantam, e, dependendo dos elogios e das críticas, eles podem fazer com que o aparelho seja bom ou não para as necessidades de quem busca um tablet.

Por Guilherme Marcon


Desde o final de janeiro, diversos rumores surgem sobre as especificações técnicas do novo tablet da Microsoft, o Surface Pro.

Como se sabe, mesmo que o gadget seja vendido com capacidade de armazenamento de 64 GB, por exemplo, em geral ele tem menos que isso, por causa do sistema operacional instalado, além de aplicativos que vêm de fábrica.

Assim, de acordo com os novos rumores, as versões de 64 GB e 128 GB do Surface Pro virão com mais espaço em disco do que se esperava. O modelo com capacidade de armazenamento de 128 GB virá com 89,7 GB de espaço liberado – sendo 6,7 GB a mais do que vinha sendo comentado. Entretanto, será possível ter até 97 GB de espaço liberado, porém para isso é necessário que seja excluída a partição reservada para a restauração do sistema operacional do tablet, conforme o site ZDNet.

E também, a versão com 64 GB de capacidade de armazenamento terá 30 GB – de acordo com a Microsoft – ao invés dos 23 GB que estavam sendo especulados.  Com esses dados, além de conseguir mais espaço para seus clientes, a Microsoft acaba lançando um novo gadget cuja versão de 128 GB tem mais espaço em disco que o MacBook Air.

Por Guilherme Marcon


Na última segunda-feira, dia 11 de fevereiro, a Microsoft anunciou a chegada do seu tablet Surface RT para mais 13 países, porém o Brasil ainda ficou de fora.

Conforme o que foi dito pela Microsoft, o tablet chegará às lojas das 13 localidades no dia 14 de fevereiro, sendo elas: Suíça, Suécia, Portugal, Noruega, Luxemburgo, Itália, Irlanda, Holanda, Finlândia, Espanha, Dinamarca, Bélgica e Áustria.

O modelo do RT que será disponibilizado nestes locais é o que possui capacidade de armazenamento interno de 64 GB e sairá pelo preço de US$ 599, o que equivale a R$ 1.200– sem taxas e impostos. Já os modelos do Pro serão o de 128 GB e o de 64 GB, saindo por US$ 999 e US$ 899, cerca de R$ 2 mil e R$ 1.800, respectivamente. Entretanto, esses preços não incluem o teclado Type Cover, que sai pelo preço de US$ 100, mais ou menos R$ 200.

Apesar de o anúncio da Microsoft mostrar que o mercado do Surface está sendo expandido, nenhuma informação sobre o lançamento do gadget no mercado brasileiro foi divulgada. Ou seja, ainda não há previsão da chegada do aparelho em nosso país.

Por Guilherme Marcon


Na tentativa de impulsionar a utilização do sistema operacional Windows, a Microsoft começou a incentivar os desenvolvedores de aplicativos a criarem apps para a Microsoft Store.

Atualmente, o iOS e o Android já atingiram a marca de mais de 700 mil aplicativos para cada, enquanto que a Microsoft conquistou apenas 100 mil apps. Assim, de acordo com o site SlashGear, a dona do Windows começou a promoção de diversas visitas guiadas com foco nos profissionais que desenvolvem aplicativos e querem conhecer melhor qual é o potencial que as plataformas da Microsoft podem ter.

Nessas visitas, são apresentadas todas as vantagens de se desenvolver um software para o Windows. Ainda, a Microsoft começou a deixar a sua infraestrutura de programação à disposição dos programadores, para impulsionar e facilitar o desenvolvimento de aplicativos.

Essas medidas adotadas começaram a surtir efeito, principalmente em questão da imagem da companhia, pois diversos desenvolvedores começaram a falar bem do profissionalismo que a Microsoft tem com relação à sua plataforma. Entretanto, ainda não começou a haver um aumento significativo no número de apps disponíveis na Microsoft Store. Uma das hipóteses é que existe um sistema operacional para computadores, outro para smartphones e ainda uma outra alternativa para tablets com arquitetura ARM, o que deixa grande parte dos desenvolvedores com um “pesadelo” nas mãos.

Por Guilherme Marcon


Surgiu na imprensa internacional um rumor novo a respeito do sistema operacional Windows. De acordo com um usuário do fórum PCBeta, a Microsoft está com planos de lançar todo ano atualizações do Windows para garantir sempre novidades estruturais com mais agilidade aos seus clientes.

O usuário do fórum atende pelo nick de “Maxy” e disse que é um membro muito importante dentro da companhia de Redmond e caso as informações dele estejam certas, é provável que já na metade deste ano o novo sucessor do Windows 8 apareça no mercado. A próxima versão do sistema seria chamada de Windows Blues e apresentaria diversas atualizações baseadas em plataformas móveis, incluindo até a possibilidade de poder redimensionar as tiles do Windows 8 para tornar o sistema mais personalizado.

Além disso, a atualização ainda traria outra grande novidade que estaria presente na modificação Kernel usada pelo sistema operacional da Microsoft. A versão nova apresentaria diversas modificações estruturais para que o sistema fique mais fluído e leve. 

Vale lembrar que tudo isso não passa de rumores, mas com certeza seria muito bom se a Microsoft começasse a liberar atualizações anuais para seus sistemas operacionais.

Por Felipe Santos Bonfim


Desde o momento em que a Nokia anunciou oficialmente a sua parceria com a Microsoft no desenvolvimento dos smartphones com Windows Phone 8 a expectativa é muito grande quanto ao lançamento de um tablet, fruto da parceria entre as duas empresas.

Até então, a finlandesa não divulgou nada sobre o lançamento do seu primeiro tablet com Windows 8, mas já existem rumores de que isso possa acontecer em fevereiro deste ano. Os boatos também indicam que o novo gadget rodará com Windows RT, além de ter um teclado próprio e especial, que funciona com uma bateria reserva para aumentar a durabilidade da carga do dispositivo. Ao todo, especula-se que são 10 horas de uso só com o tablet e de mais ou menos 12 horas com o teclado acoplado.

Outras informações são de que o tablet da Nokia terá compatibilidade com 3G e 4G LTE, além de conexão Wi-Fi. Com isso, é provável que a bateria do gadget tenha melhor desempenho que a bateria de dispositivos que só são compatíveis com Wi-Fi.

Nada foi comentado pela Microsoft ou pela Nokia, mas a expectativa é que o novo tablet seja apresentado durante a CES 2013 ou então na MWC 2013.

Por Guilherme Marcon


Conforme informações obtidas pelo site Bloomberg, a HTC deve ser a próxima fabricante, depois da Nokia, a lançar um tablet rodando com o Windows RT, da Microsoft.

As informações do Bloomberg indicam que o projeto de desenvolvimento do tablet já está muito avançado e as primeiras unidades devem chegar às lojas no terceiro trimestre deste ano. Além disso, seriam duas versões do tablet, uma com 12 polegadas de tela e outra com 7 polegadas. Entretanto, parece que os tablets também serão capazes de fazer ligações telefônicas.

Se as informações forem confirmadas, a HTC será a primeira empresa a lançar um tablet com Windows RT que tenha tela tão “pequena”, de 7 polegadas. Isso com certeza será algo bom para a Microsoft, que poderá competir diretamente com alguns dos aparelhos mais conhecidos do mercado: iPad Mini, Nexus 7 e Kindle Fire.

As especificações do tablet da HTC não foram divulgadas ainda, mas tudo indica que será a Qualcomm a responsável por fornecer os processadores dos dispositivos.

Ainda, informações de que um projeto de um tablet com Windows 8 também surgiram, mas este foi abandonado após a empresa chegar à conclusão de que teria que vender o dispositivo por US$ 1.000.

Por Guilherme Marcon


Os investimentos da Microsoft estão cada vez mais diversificados e o próximo empreendimento da empresa de Bill Gates será a atuação em streaming de programas de televisão que será feito por nuvem.

Esta inovação possui o nome de Microsoft Interactive Entertainment Business que tem como função administrar toda a área de lazer da empresa e que já está à procura de funcionários para o desenvolvimento do programa chamado “Cloud TV”.

Nesta nova idéia, a Microsoft irá buscar estratégias para a criação de servidores destinados a uma nova plataforma de televisão com base na nuvem já que este é um ramo com um bom crescimento na atualidade.

Além da Cloud TV, a Microsoft possui ainda aparelhos interessantes para o entretenimento como o Kinect, Zune, Xbox Live, Mediaroom e Xbox 360.

Por Ana Camila Neves Morais


A Microsoft está buscando ganhar um mercado do gigante de buscas Google: o serviço de e-mail.

Isto ocorre porque o Google informou que irá eliminar, de forma gradativa, a sincronização das contas de e-mail de novos clientes por meio do EAS (Microsoft Exchange ActiveSync).

Este serviço é utilizado por meio do licenciamento do EAS da empresa Redmond pelo Google e Apple para oferecer e-mail em smartphones e tablets além de realizar a sincronia entre calendário e contatos em várias situações.

Por isso, o Google Sync ficará restrito à contas grátis que já foram criadas e a clientes do Google Apps que pagam a partir de 30 de janeiro de 2013.

Com essa decisão a única organização que perde é a Microsoft já que o Google informou que não irá criar aplicativos do Gmail, Google Drive e outros voltados para o sistema operacional Windows RT ou Windows 8.

Por isso, a Microsoft está incentivando os usuários não pagantes do Gmail que utilizem o Outlook.com com a manutenção de seus endereços eletrônicos atuais.

Por Ana Camila Neves Morais


Quando a dona do Windows lançou o seu primeiro tablet, a sua meta era de vender entre dois e quatro milhões de unidades. Entretanto, parece que o “plano” foi por água abaixo.

De acordo com informações divulgadas por Detwiler Fenton, o número de vendas do Surface com Windows RT nem chegou ao marco máximo de 600 mil unidades vendidas e parece que essa quantidade não mudará muito.

Provavelmente a Microsoft deveria ter repensado algumas questões antes de iniciar a venda do tablet com uma expectativa tão alta de venda para os primeiros meses no mercado. Primeiro, a logística de distribuição do aparelho é muito ruim, pois está sendo feita somente pelas distribuidoras oficiais da empresa, que são poucas ao redor do mundo. Além disso, fora os pontos oficiais, o tablet somente pode ser comprado por meio do site oficial da Microsoft, o que limitou muito as possibilidades de compra.

Entretanto, apesar da alegação de Detwiler, como a Microsoft nunca divulga os dados de suas vendas com exatidão, há quem afirme que a meta de dois milhões de Surfaces vendidos já foi atingida.

Por Guilherme Marcon


A semana do dia 10 de dezembro de 2012 promete muitas novidades no mundo eletrônico a começar pela atualização de diversos programas da Microsoft.

Nesta leva serão feitas 07 mudanças nas versões de diversas extensões dos programas Office, Exchange Server, Windows e Office Web Apps integrantes da Microsoft.

Estas atualizações serão feitas na famosa Patch Tuesday com o objetivo de resolver pontos fracos nestes programas e melhorar o seu desempenho em computadores e dispositivos móveis.

Por Ana Camila Neves Morais


O Surface acabou de ser lançado no mercado norte-americano, junto com o Windows 8 e já existem boatos de que a Microsoft já está desenvolvendo sua nova versão.

Conforme o site NeoWin, a empresa estaria planejando lançar três novos modelos, sendo eles o Surface Book (com tela de 14.6 polegadas), o Surface Pro 2 e o Surface RT 2. O primeiro será inovador com o tamanho de tela e também trará o novo processador da Intel, chamado de Haswell, que vai substituir a linha Ivy Bridge.

O Surface RT 2 contará com display de 8.6 polegadas e um processador que foi desenvolvido com a Qualcomm e ainda não foi lançado. Enquanto isso, o Surface Pro 2 virá com tela de 11.6 polegadas, chip Hondo (que combina GPU e CPU) e processador Temash da AMD. O Hondo virá para substituir o Core i5 da Intel.

Os novos processadores, tanto da AMD quanto da Intel, Temash e Haswell, respectivamente, serão lançados apenas no segundo semestre do ano que vem, o que indica que é provável que a data aproximada do lançamento dos novos tablets seja por volta do Natal.

Por Guilherme Marcon


Conhece o Outlook.com? Se a sua resposta foi não, saiba que mais de 25 milhões de pessoas já conhecem esse serviço e fazem uso dele quase que diariamente.

O serviço, que veio para substituir o Hotmail (sim, ele vai acabar), está se tornando bem popular e está ganhando terreno a cada dia que passa. Pelo menos é o que garante o blog oficial da Microsoft.

De acordo com nota divulgada no blog, o serviço já ultrapassou a marca de 25 milhões de usuários. E também constatou que cerca de um terço dos usuários são pessoas que usam o Gmail e estariam testando a nova ferramenta para ver se compensa fazer a troca, já que a interface do Outlook.com é bem limpa e amigável, algo parecido com o Gmail.

A Microsoft também anunciou que já criou um app para o Outlook.com. Ele já está disponível na Play Store. A principio Windows Phone e iOS não vão receber os aplicativos.

E se você é usuário do Hotmail e não conhecia o Outlook.com até ler essa notícia, fique tranquilo. A sua conta do Hotmail será transferida automaticamente para o Outlook.com quando você fizer o seu primeiro login. Não vai mudar nada, login, senha, contatos, tudo vai estar lá.

Você é um dos 25 milhões de usuários? Compartilhe conosco a sua opinião.

Por Allan Couto


Foi lançado oficialmente nesta quinta-feira (dia 25 de outubro) o tão esperado Windows 8. O sistema operacional da Microsoft ainda não começou a ser comercializado, mas já bateu um recorde. De acordo com o presidente do Windows, Steven Sinofskym, o sistema foi testado por 1,24 bilhão de horas, por usuários de 190 países.

O novo sistema virá implantado em mais de mil aparelhos (PC´s, tablets e notebooks).

O sistema obteve boa resposta dos usuários, que juntos somaram mais de 16 milhões de downloads dos três programas protótipos disponibilizados gratuitamente.

Além do lançamento do novo sistema operacional, a Microsoft aproveitou a oportunidade para divulgar os números atuais da empresa, que vendeu 670 milhões de licenças do Windows 7. O SkyDrive, plataforma de hospedagem da companhia, também sofreu um aumento significativo e alcançou a marca de 14 petabytes de dados armazenados.

Duas versões do Windows 8 já estão disponíveis para o consumidor: o Windows 8 e o Windows 8 Pro. O preço do novo sistema operacional é de aproximadamente R$ 270. O Windows RT, edição para tablets, também foi anunciado neste mesmo evento.

Fonte: Techtudo

Por A.V.S


A Microsoft resolveu revolucionar bastante o seu mercado e após anunciar o seu primeiro tablet, o Surface, agora está com planos de abrir lojas próprias.

A abertura de novas lojas será feita juntamente com o lançamento do Surface, exatamente no dia 26 de outubro. Conforme o site ZDNET, a Microsoft vai abrir mais de 30 lojas no Canadá e também nos Estados Unidos, onde será vendido em primeira mão o Surface RT.

Até então a abertura de lojas era um rumor, que surgiu no mês de setembro, entretanto a fabricante agora já está convidando a imprensa e o público para a inauguração das lojas, como é o exemplo do banner colocado no site oficial da Microsoft.

Todas as lojas da dona do Windows venderão os Windows Phones, computadores e notebooks com Windows, jogos, softwares (como o Office), acessórios e também periféricos. A intenção da Microsoft é de abrir mais 75 lojas em até dois anos (em todo o mundo) e tentar enfrentar a Apple, que já possui 300 estabelecimentos espalhados em diversos países.

Não há nenhuma informação de quando o Brasil será contemplado com uma dessas lojas físicas da Microsoft.

Por Guilherme Marcon


Pelo visto a Microsoft está mudando de ideia quanto ao seu sistema operacional. Conforme divulgação feita ao podcast Windows Weekly por Mary Jo Foley e Paul Thurrott, a fabricante oferecerá a próxima versão comercial do seu Windows 8 somente por meio de atualização de sistema, pois direcionará as vendas diretas apenas para a versão OEM, que é destinada a fabricantes de hardware.

Ao que tudo indica, a versão OEM System Builder não será mais direcionada somente aos desenvolvedores de hardware, porque passará a ser uma opção de compra isolada para os usuários finais.

Isso com certeza mudará os planos de licenciamento da Microsoft com relação ao Windows 8, o que deve simplificar as ofertas aos consumidores, seja nas lojas de varejo ou na web. A única diferença entre a versão OEM e a comercial é que esta oferece 90 dias de suporte via telefone ou e-mail.

Ainda, de acordo com o site The Verge, a Microsoft já havia confirmado a versão OEM para os usuários domésticos no início de julho, quando revelou que os usuários de Mac deveriam utilizá-la para poder instalar o Windows 8. Além disso, a atualização de sistema para os usuários de XP, Vista e Seven sairá por apenas US$ 39,90.

Por Guilherme Marcon


Com as informações acerca do Surface, primeiro tablet da Microsoft, circulando freneticamente pela internet, muitos sites e blogueiros contestaram a informação e afirmaram que o dispositivo não será grande coisa, tendo em vista as inúmeras opções de tablets que existem no mercado.

O que vem sendo falado é que os consumidores atualmente estão completamente satisfeitos com as opções de dispositivos que existem no mercado, com sistemas operacionais iOS e Android, e que o Windows 8 (ou RT) não será um chamariz tão poderoso para competir em pé de igualdade. Análises de mercado vêm sendo feitas, principalmente com comparações com os Windows Phone, que não tiveram uma aceitação excepcional no mercado, fato que pode indicar um começo não tão frutífero para o Surface.

Apesar de as versões do Surface terem configurações para realmente competir com o iPad, da Apple, a dúvida que fica é se ele será tão caro quanto, ou se terá um preço mais baixo para tentar roubar uma fatia de mercado.

O modelo do Surface que virá com Windows RT pesa 676 gramas e mede 9.3 milímetros de espessura, tem processador NVIDIA ARM, tela de 10.6 polegadas ClearType HD com formato de imagem 16:9 e capacidade de armazenamento de 32 GB ou 64 GB.

Já o modelo que rodará com Windows 8 Pro mede 13.5 milímetros de espessura, pesa 903 gramas, tem processador Intel Ivy Bridge Core i5, capacidade de armazenamento de 64 GB ou 128 GB e, claro, formato de imagem 16:9.

Por Guilherme Marcon


Não é novidade que a Microsoft vem procurando uma forma de se inserir no mercado de tablets, principalmente com o lançamento do novo Windows 8.

Conforme rumores divulgados pela CNET, os primeiros tablets com sistema operacional Windows 8 serão lançados em novembro deste ano no mercado mundial. Ainda, tudo indica que esses novos aparelhos contarão com processadores Intel, utilizando o novo chip Clover Trail que ainda está em fase de desenvolvimento.

Porém, a intenção da Microsoft é abranger muito mais que apenas o mercado de tablets, tendo em vista que também há um grande investimento da empresa visando os computadores híbridos com processadores Intel, que são notebooks que possuem tela touchscreen e também um teclado físico.

A ideia da Microsoft é lançar o Windows 8 até o final deste ano em todas as versões planejadas (normal, Pro e RT). Além disso, o novo sistema operacional possui uma interface voltada para equipamentos que utilizem tela touchscreen, pois é um mercado que a Microsoft enxerga como muito promissor atualmente.

Já, em questão de dispositivos móveis que possuam chip ARM, a versão do sistema operacional Windows 8 RT será exclusiva para os mesmos, o que mostra de fato o investimento da empresa nos dispositivos móveis.

Por Guilherme Marcon


Recentemente, uma patente de um novo sistema de reconhecimento de gestos para tablets, all-in-one, computadores e outros dispositivos com Windows foi registrada pela Microsoft. A empresa está se esforçando bastante para não perder o mercado, principalmente para a Apple e para o Google, e por isso está buscando novos meios para conquistar a todos os consumidores.

Ainda não se sabe se a nova tecnologia irá ser aplicada na linha de ultrabooks baseados na arquitetura de Haswell, da Intel, mas ao que parece a novidade não deverá demorar para ser lançada no mercado.

A Microsoft afirmou que o intuito das patentes é unicamente mostrar novos conceitos, que de forma simplificada servem de previsão para mais descrições que deverão ser apresentadas ao público em um futuro bem próximo.

Além disso, a empresa ainda alega que o mercado necessita de produtos capazes de oferecer métodos de reconhecimentos de gestos mais ágeis, a fim de facilitar a vida de todos os consumidores nas tarefas realizadas no dia a dia.

Com a finalidade de melhorar as imagens capturadas pela câmera dos tablets, a Microsoft falou ainda sobre o sistema de processamento de imagens produzido pela empresa, que irá ser implantado aos aparelhos.

Por Guilherme Marcon


Recentemente surgiu um novo aplicativo para o iPad, da Apple, que remete muito aos conceitos que estavam sendo desenvolvidos pela Microsoft em seu super tablet. O nome deste era Courier e tratava-se de um tablet com tela dupla (duas telas lado a lado) como se fossem duas páginas de um livro aberto, nas quais os usuários poderiam pesquisar informações, organizá-las ou armazená-las utilizando apenas as pontas dos dedos. O projeto foi abandonado após Steve Jobs lançar o iPad em 2010.

Através desse conceito, ex-funcionários da Microsoft que trabalharam no desenvolvimento (ou quase) do projeto Courier criaram um aplicativo para o iPad, chamado de Paper, que traz vários conceitos do projeto “morto” de tablet da Microsoft.

O novato Paper, desenvolvido pela empresa FiftyThree, é um aplicativo para desenhos artísticos e anotações em uma interface simples e prática, oferecendo algumas ferramentas como caneta, lápis e pincel, e também diversas formas de papel virtual para serem utilizadas. Além disso, o Paper permite que os trabalhos artísticos sejam compartilhados nas redes sociais.

Informações do site oficial da empresa indicam que o principal executivo da FiftyThree, Georg Petschnigg, foi uma das pessoas que participou da criação do Pioneer Studios, onde a Microsoft desenvolveu o Courier. Além disso, os outros quatro fundadores da empresa também eram funcionários da “dona do Windows” na parte de desenvolvimento de produtos.

Por Guilherme Marcon


Recentemente a empresa do Bill Gates fez uma acusação muito séria contra a Apple, aproveitando justamente a chegada do lançamento do iPad 3.

Segundo a Microsoft, a empresa que faz o iPhone e também o iPad, faz com que os aparelhos das gerações anteriores fiquem mais lentos de propósito para forçar as pessoas a comprarem as versões mais recentes do telefone. Isso seria feito através das atualizações de software que são disponibilizadas aos usuários e que acabam deixando o telefone lento.

A pessoa  que fez estas acusações foi o diretor de mobilidade da Microsoft, Terry Myerson, durante uma das apresentações no Mobile World Congress, durante uma pergunta sobre a possibilidade do Windows Phone ser compatível com versões anteriores dos aparelhos.

O diretor da Microsoft disse que é possível lançar versões mais recentes do iOS 5 para um iPhone 3GS, por exemplo, e tornar seu equipamento mais lento, o que seria uma ótima ferramenta de vendas.

O diretor da Microsoft também aproveitou a oportunidade para descascar também o Google e seu Android, dizendo que a empresa não se preocupa em resolver os BUG’s dos sistemas anteriores nas atualizações.


Cinco meses após o lançamento da versão Developer Preview do Windows 8, está disponível o download da versão beta do novo sistema operacional da Microsoft.

Visando a integração entre gadget, baseando-se no modelo Metro do Windows Phone, e trazendo grandes mudanças de interface, surgiu o lançamento da edição preliminar da Windows Store, concorrente da App Store e da Android Market, onde é possível fazer download de aplicativos.

Essa nova versão da loja de apps da Microsoft, que até então só estava disponível para usuários do Windows Phone, inovou e trouxe formas de busca de aplicativos com mais facilidade, com várias categorias de aplicativos – incluindo os recomendados pela Microsoft.

Mas claro que nessa loja também é possível adquirir apps de terceiros (de desenvolvedores independentes). Dois dos mais conhecidos que já estão disponíveis são a versão digital do USA Today, jornal dos EUA, e o Cult The Rope.

Tendo um login específico para a Windows Store, o usuário do Windows 8 original pode entrar na loja, de qualquer computador também com Windows 8, e acessar todos os seus aplicativos. Ou seja, poderá acessar o próprio computador bastando conectar-se em qualquer computador com o novo sistema operacional da Microsoft.

Por Guilherme Marcon


A versão “Consumer Preview” do Windows 8 está prestes a ser lançada no mercado – o que será feito no Mobile World Congress 2012 – para podermos saber do que o novo SO da Microsoft realmente é capaz.

Alguns sites já disponibilizam a versão “pré-beta” do Windows 8 Consumer Preview, que já pode nos dar base sobre como será o sistema operacional. Ainda assim, uma lista gigante de inovações foi prometida pela Microsoft, o que pode ser muito bom pela mudança, ou assustar pela estranheza.

Diz a lenda dos sistemas operacionais Windows que uma versão é boa, a seguinte é ruim, e na sequência vem outra versão boa. Portanto, se o Seven conquistou a todos, se seguirmos a lógica o Windows 8 será um fracasso. Mas isso pode ter mudado, não é?!

Conforme o Tecmundo, a lista das inovações foi grande, entre eles a aparência do Windows Explorer, a interface Metro, o Gerenciador de Tarefas, o Painel de Controle e a Windows Store. Claro que a versão 8 terá alguns resquícios do Seven, porém haverá algumas “complicações” como o fato de que o botão Iniciar vai deixar de existir. Isso sim vai deixar muita gente perdida.

Um dos focos do Windows 8 são os aparelhos com telas sensíveis ao toque, porém, se utilizados com esse SO acabarão ficando mais caros que o iPad.

Aí fica a pergunta, o Windows 8 pode ser um fracasso? Vamos ter que testá-lo realmente para podermos saber se vamos nos assustar com tanta diferença, ou adorar tanta inovação.

Por Guilherme Marcon


Sabemos que há muito tempo a Microsoft vem travando uma briga principalmente com a Apple e o Google. São batalhas feitas nos campos dos navegadores, programas, sistemas operacionais e outros.

A Apple e o Google lançaram suas lojas online que têm como objetivo disponibilizar aplicativos para as suas respectivas plataformas. Agora a Microsoft percebeu o sucesso dessas lojas e com o lançamento do Windows 8 ela também resolveu entrar na briga.

A empresa de Bill Gates confirmou o lançamento da versão Beta da Windows Store que, assim como as outras, terá a finalidade de comercializar aplicações para o Windows.

A estrutura de funcionamento será bastante similar a da Apple e do Google. Os desenvolvedores poderão criar seus aplicativos para disponibilizá-los na loja. Do que for arrecadado, 70% ficará com o desenvolvedor e os outros 30% com a Microsoft. Caso um aplicativo atinja 25 mil dólares nas vendas, a divisão muda um pouco, pois 80% fica com o desenvolvedor e 20% para a Microsoft.

Os aplicativos na loja estarão disponíveis em vários idiomas. Ela será lançada oficialmente em 231 países, sendo bem provável que o Brasil esteja incluso. No primeiro mês de funcionamento todos os aplicativos serão gratuitos e posteriormente serão aceitas outras formas de pagamento como cartões de crédito e o sistema PayPal.

Percebemos que a Microsoft tem se empenhado para, pelo menos, ter estruturas semelhantes com as de suas concorrentes. Essa nova iniciativa pode ser também interessante para os desenvolvedores que terão maior incentivo em criar novos aplicativos.

Por Tiago Batista


Segundo informações do portal Bloomberg, a Microsoft, maior fabricante de software do mundo, não vai mais lançar esse ano o sistema operacional para tablet para concorrer com a Google e a Apple. A organização resolveu postergar o lançamento da nova versão do Windows para 2012, e ainda no final de 2011, vai realizar os testes do sistema operacional para tablets com clientes e parceiros.   

A Microsoft está trabalhando nas atualizações do Windows 7 para adaptá-lo com características para telas touchscreen, tamanho e duração da bateria dos tablets para conseguir ganhar um “lugar ao sol” no mercado concorrido dos tablets. A competição nesse ramo é acirrada, com mais de 100 novos projetos de diversas fabricantes ainda para esse ano, e a previsão é que até 2015 atinja mais de 118 milhões de unidades.

Enquanto isso, a Apple já lançou a segunda versão do iPad há menos de um ano do lançamento do seu primeiro tablet.

Por Andrea Gomes


No mundo dos smartphones e tablets há uma verdadeira batalha de sistemas operacionais. E, por enquanto, a Microsoft está em desvantagem com o seu Windows Phone 7. Porém, no mundo dos desktops, servidores e notebooks, a empresa outrora comandada por Bill Gates reina absoluta. Mesmo depois do fracasso do Vista, o Windows 7 segue ganhando cada vez mais terreno.

E os rumores em torno do seu sucessor começam a surgir com mais frequência. Agora o sistema já conta até com um apelido: Windows Next. Previsto para ser lançado apenas em 2012, a nova versão do sistema operacional poderá ser baseado na nuvem. Em outras palavras, a Microsoft poderá focar o na Cloud Computing. Isso significa que os aplicativos rodariam num servidor e não mais localmente.

Se isso for verdade, o Windows 8 poderia ter sua própria App Store, com aplicativos especialmente feitos para ele. Verdade ou mentira, talvez ainda seja muito cedo para afirmar algo com certeza.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Terra


Imagine a seguinte cena. O homem, um ícone da tecnologia do nosso tempo, está de pé no palco. Ele tem algo nas mãos e o apresenta para a multidão à sua frente. O objeto em questão é um pequeno tablet com tela sensível ao toque, tão fino e leve que pode ser segurado com apenas uma mão. Sua bateria dura quase o dia inteiro e seu preço é menos de 800 dólares.

Não, esta não é a narração da apresentação do iPad por Steve Jobs diante de uma plateia embasbacada em São Francisco. Na verdade é sobre Bill Gates em 2005 e o projeto Origami, sua visão pessoal sobre um tablet que rodaria uma versão otimizada do Windows XP para dispositivos portáteis com telas sensíveis.

Infelizmente, a Microsoft concluiu que o produto não estava pronto e o abandonou. Cinco anos depois, a Apple lançou o iPad. Esse trem a empresa de Bill Gates perdeu.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: CNET





CONTINUE NAVEGANDO: