Aparelho pode ficar até 60 minutos embaixo d\’água e conta com display de 7,8 polegadas.

A empresa de tecnologia Amazon, na maioria das vezes é lembrada por seu leitor eletrônico e também por ser uma das pioneiras no segmento. Este fato faz com que os concorrentes melhorem seus dispositivos com recursos diferenciados. É o que ocorreu com o Kobo Aura One, um novo leitor eletrônico com capacidade de ficar 60 minutos embaixo d’água e um display e-ink de 7,8 polegadas.

Sem contar o fato do aparelho ser à prova de água, o leitor tem boas especificações. Possui um peso de 226 gramas, com uma espessura de 6,9 milímetros, além de ter 8GB de armazenamento interno. De acordo com a companhia, a bateria dura até um mês sem que seja necessário recarregar.

A maioria dos e-readers possuem tela iluminada, mas o novo Aura One agora conta com recursos diferentes para leitores, que são derivados de smartphones, para que o display possa ser personalizado. O aparelho, por exemplo, adéqua a iluminação da tela de acordo com a luz ambiente detectada. Outra função que veio dos telefones móveis é a iluminação que é alterada depois que o sol se põe, como funciona nos aparelhos da Apple num recurso chamado Night Shift. A ideia é que o leitor realize a atividade no período noturno sem que as luzes tirem seu sono.

O leitor eletrônico Aura One, nos Estados Unidos, irá ser integrado com o serviço OverDrive, que realiza empréstimo de livros. Isso que dizer que o usuário terá a oportunidade de realizar empréstimos de livros em uma livraria local. Óbvio que não deverão ser disponibilizados muitos títulos recentes e também há um tempo de empréstimo, mas é uma vantagem, assim não precisando assinar o serviço da Amazon.

O novo Kobo Aura One será lançado no mercado estadunidense no dia 6 de setembro no valor de 230 dólares, o seu principal rival, Kindle Oasis, é vendido por 290 dólares, já no mercado brasileiro, o valor sugerido será de 1.399 reais. Levando em consideração os recursos, o aparelho é sem dúvida top de linha e deve ser vendido por aproximadamente mil reais, caso venha a ser lançado por aqui.

A Kobo já está presente aqui no Brasil e comercializa seus aparelhos por meio da Livraria Cultura. De acordo com a assessoria da livraria, o dispositivo chegará aqui no primeiro semestre do ano que vem.

FILIPE R SILVA


O Kindle KOBO GLO apenas apareceu no mercado nacional nas lojas online e off-line em 2014. Com pouco tempo conquistou destaque, inclusive com relatos positivos de consumidores que se demonstram felizes nos comentários online, em virtude da qualidade do aparelho.

Embora tenha sido lançado no final do ano de 2013, traz ferramentas atuais e completas. O KOBO GLO armazena 2GB de conteúdo digital e tem espaço para cartão de memória, que pode ser comprado na Livraria Cultura ou nas lojas especialistas em acessórios eletrônicos. A bateria fornece energia por 70 horas. A empresa garante ser possível trabalhar dias seguidos sem precisar colocar o Kindle na tomada.

Pessoas que não usam o aparelho de modo diário ficam um mês sem precisar carregar. Nesse sentido, se convém destacar a queda no consumo de energia e o aumento do dinheiro na carteira de consumidores em consequência da economia na conta de luz.

O processador com 1 GHZ trabalha para qualificar a velocidade do aparelho, isto é, proporciona economia de tempo em abrir ou transferir arquivos de dispositivos móveis. Há inclusive iluminação presente no monitor para ajudar na leitura e não cansar os olhos de usuários que podem ficar cansados ao ler constantemente.

Com uso do kindle KOBO GLO é possível ler livros digitais no conforto do sofá ou ao descansar na cama. Para proporcionar prazer, a empresa investiu no peso leve do aparelho que se equivale em 185 gramas. Assim, a mala ou bolsa não pesa ao transportar o Kindle. Cabe inclusive no bolso das calças jeans.

O leitor de livros digitais KOBO GLO trabalha com tela antirreflexo e mantém a qualidade na leitura nos ambientes repletos de luzes solares. A iluminação do texto deixa as palavras nítidas em locais escuros.

Consumidores que apreciam obras estrangeiras não têm problemas. Português, japonês, italiano, espanhol, holandês e alemão formam as linguagens principais presentes no aparelho.

O leitor digital KOBO GLO consegue armazenar mil e-books. Ao levar em conta o cartão SD, a capacidade aumenta para 30 mil obras literárias, ou seja, uma verdadeira Bienal do Livro.

Por Renato Duarte Plantier

Kindle KOBO GLO

Foto: Divulgação


Kindles (leitores de livros digitais) são aparelhos inventados pela Amazon. Após chegaram ao mercado surgiram empresas concorrentes que produziram produtos semelhantes, mas com preços menores.

Especialistas que opinam em fóruns de tecnologia indicam não existirem diferenças substanciais entre modelos com preços Premium ou populares. Ou seja, comprar um IRIVER, por exemplo, repleto de ferramentas especiais semelhantes do Kindle Amazon, aumenta a economia do consumidor.

Leitor digital IRIVER fornece tecnologia avançada que destaca palavras dos textos com tinta eletrônica. De forma prática consiste em ferramenta importante para ler livros digitais com a qualidade de impressos. Consumidores podem confundir o aparelho com um livro tradicional, facilmente.

Tal produto possui teclado QWETY, facilitando a velocidade para enviar mensagens, escrever anotações, entre outras atividades durante o processo de leitura. O aparelho tem capacidade de armazenar 2GB, com espaço para cartão SD que amplia o espaço para salvar maior número de livros digitais.

O aparelho tem bateria potente que mantém trabalho no sistema por tempo além de 24h sem a necessidade de carregar. A marca indica que investiu na leveza do aparelho para usuários terem conforto durante a leitura. Sem contar que a mala não sente excesso de peso ao transportar o leitor de livros digitais.

Consumidores que não dispensam boa música durante a leitura podem apreciar a potência de qualidade do sistema de áudio. Gravador de voz se demonstra como ferramenta indispensável, em principal para gravar ao invés de anotar ideias durante a leitura. Os programas são feitos para que consumidores tenham o máximo de conforto ao desfrutar da leitura no leitor digital de livro IRIVER.

Em termos práticos tal produto não deve quase em nada ao comparar com produções Premium presentes no mercado. Ao comprar o IRIVER original consumidores possuem três meses de garantia para fazer trocas por conta de problemas na fabricação, indica o site oficial da empresa.

Por Renato Duarte Plantier

IRIVER

foto: Divulgação


A espera dos brasileiros finalmente acabou, pois a Amazon estreou nesta quinta-feira – dia 06 de dezembro de 2012 – a sua loja de livros digitais no país.

Com isso, aumenta a concorrência no disputado mercado de livros digitais no Brasil que tem, além da recente Amazon, as opções da Apple, Googgle Play e iBookstore.

Em sua inauguração, a loja de livros digitais da Amazon conta com cerca de 14.000 títulos com preços mais baratos do que as suas concorrentes no Brasil.

Fonte: IDGNow


A cada dia que passa o mercado de livros digitais – os e-books – aumenta mais e nesta sexta-feira, dia 30 de novembro de 2012, uma importante parceria foi firmada neste sentido no Brasil.

Isto porque diversas editoras do país fecharam um acordo com a Amazon para a venda dos seus livros digitais por aqui.

As companhias que integram este acordo são a Ediouro, DLD, Companhia das Letras e a Globo Livros.

A expectativa é de que a loja de livros digitais da Amazon seja lançada no mês de dezembro de 2012.

Por Ana Camila Neves Morais


A luta no mercado de leitores digitais segue acirrada. Depois da Barnes & Noble lançar uma versão wi-fi do seu dispositivo, o Nook e baixar o preço da versão 3G, a Amazon tratou logo de revidar para não ir ficar na lona.

Poucas horas depois da BN, a empresa anunciou redução nos preços do Kindle. A resposta foi necessária porque as ações da empresa tiveram uma rápida desvalorização na Bolsa de Nova Iorque após o anúncio da Barnes & Noble.

Assim, o preço do Kindle caiu drasticamente de 259 dólares para 189 dólares. Não se sabe se haverá uma guerra entre as duas livrarias. Até porque quem anda ganhando espaço nesse mercado de livros digitais é a Apple.

No fim, o que pode acontecer mesmo é que a Amazon e a Barnes & Noble acabem morrendo abraçadas. A Amazon, pelo menos, não depende apenas do Kindle, já que tem seu aplicativo de leitura para iPad e em breve também para Android e BlackBerry.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Terra





CONTINUE NAVEGANDO: