Novo e-reader chega mais potente e com mesmo preço que a versão anterior.

Se você gosta de ler, com certeza já deve ter ouvido falar dos dispositivos Kindle. Com aparência semelhante à de um tablet, o reader tem como objetivo armazenar uma grande quantidade de Ebooks, de modo que a experiência de leitura seja agradável, próxima a de um livro tradicional. Por essa razão, a 8ª geração já apresenta mudanças e está disponível para venda no Brasil, no site da Amazon.

Dispositivo promete agradar até mesmo leitores mais exigentes.

O aparelho possui vários diferenciais. É antirreflexo, de forma que mesmo locais com bastante iluminação não interferem na leitura. Além disso, é mais fino e leve do que as outras versões e não agride a visão, já que a sua tela, de toque sensível, é semelhante ao papel.

Nele é possível realizar leitura de maneira mais tranquila, já que não há notificações, como os tablets. Possui também iluminação específica para esse tipo de atividade, assim o sono não é prejudicado. A bateria duradoura é outro recurso interessante, pois com apenas uma recarga, é possível utilizá-lo por semanas ou até meses, dependendo da versão.

As imagens também podem ser localizadas, sem que você perca a página em que parou. Gosta de tomar notas? Não tem problema, já que nele é possível fazer isso, exportando essas informações para o seu e-mail. O dispositivo apresenta ainda conexão Wi-Fi e armazenamento de 4GB.

Estão disponíveis 4 versões do reader, conforme especificações a seguir:

– Kindle Básico

  • À venda por R$ 299,00.
  • Resolução de 167 ppi.
  • Peso de 161g.
  • Dimensões de 160 x 115 x 9,1 mm.
  • Disponível nas cores preta e branca.
  • Bateria pode durar semanas.

– Kindle Paperwhite

  • À venda a partir de R$ 479,00.
  • Resolução de 300 ppi.
  • Peso de 205g (Wi-Fi) ou 217g (Wi-Fi e 3G).
  • Dimensões de 160 x 117 x 9,1 mm.
  • Disponível nas cores branca e preta.
  • Bateria pode durar semanas.
  • Iluminação embutida (4 LEDs).

– Kindle Voyage

  • À venda por R$ 899,00.
  • Resolução de 300 ppi.
  • Peso de 188g.
  • Dimensões de 162 x 115 x 7,6 mm.
  • Disponível apenas na cor preta.
  • Bateria pode durar semanas.
  • Iluminação automática embutida (6 LEDs).
  • Tela com PagePress.

– Kindle Oasis

  • À venda por R$1.399,00.
  • Resolução de 300 ppi.
  • Peso de 131g.
  • Dimensões de 143 x 122 x 3.4-8.5 mm.
  • Bateria pode durar meses
  • Iluminação embutida (10 LEDs).
  • Tela com botões que permitem virar a página.

Bom, mesmo que você goste de ler livros tradicionais, essa pode ser uma opção interessante para inovar a sua leitura, já que terá diversas obras em um só aparelho.

Você tem algum Kindle? Pretende comprar um? Conte para a gente nos comentários!

Camilla Silva.


E-reader da Amazon ganha capa que amplia a duração da bateria e será o modelo mais caro da empresa.

O Kindle foi um dos primeiros e-readers a serem lançados, desde então virou moda ler nesses aparelhos que fazem de tudo para imitar os livros impressos com a vantagem de poderem armazenar dezenas deles. O mais novo lançamento da Amazon é o novo Kindle, o Oasis.

As novidades:

O Oasis se destaca principalmente por vir com uma capa que aumenta a duração da bateria, que chega a durar até dois meses. Além disso, ele conta com um novo visual. Diferente de seus antecessores, ele não tem a aparência simétrica de um tablete.

A novidade da Amazon é uma lombada no lado direito do produto, que imita a lombada dos livros, mas também tem um fim prático. Ela faz com que o centro de gravidade do Oasis fique mais perto da mão do leitor para evitar aquele desconforto de ler segurando o Kindle com uma mão só.

E os canhotos não perdem com esse design que, à primeira vista, parece exclusivo para destros. A tela tem a capacidade de se inverter quando o aparelho é virado, então um canhoto que queira segurar seu Oasis com uma mão só precisa somente inverter o aparelho e tudo estará bem. A lombada do Oasis também veio equipada com botões para mudar de página e sua funcionalidade também é invertida quando a tela se inverte.

Segundo a empresa, esse também é o Kindle mais leve e fino já produzido. A capa que já vem junto com o aparelho é bonita esteticamente e possui o propósito de aumentar a autonomia do Oasis. O leitor digital e sua capa de couro são conectados por imãs e, quando conecta-se o Oasis numa porta USB ele carrega juntamente de sua capa.

Quem testou o Kindle mais recente afirma que ele é a melhor versão já lançada. A Amazon também introduziu uma nova fonte nesse Kindle e deixou as transições e animações mais rápidas, garantindo uma melhor experiência de leitura.

Preço:

Quem quiser ter toda a comodidade do Kindle Oasis precisa estar preparado para pagar por isso. O aparelho chega a custar mais ou menos R$ 1.400,00, bem salgado se comparado com as versões anteriores.

Isso acontece porque a Amazon nunca pensou em substituir os outros Kindles pelo Oasis, ele é só a versão mais luxuosa, os outros continuarão no mercado e não deixarão de ganhar atualizações e modelos mais recentes.

Por Gizele Gavazzi


O Kindle KOBO GLO apenas apareceu no mercado nacional nas lojas online e off-line em 2014. Com pouco tempo conquistou destaque, inclusive com relatos positivos de consumidores que se demonstram felizes nos comentários online, em virtude da qualidade do aparelho.

Embora tenha sido lançado no final do ano de 2013, traz ferramentas atuais e completas. O KOBO GLO armazena 2GB de conteúdo digital e tem espaço para cartão de memória, que pode ser comprado na Livraria Cultura ou nas lojas especialistas em acessórios eletrônicos. A bateria fornece energia por 70 horas. A empresa garante ser possível trabalhar dias seguidos sem precisar colocar o Kindle na tomada.

Pessoas que não usam o aparelho de modo diário ficam um mês sem precisar carregar. Nesse sentido, se convém destacar a queda no consumo de energia e o aumento do dinheiro na carteira de consumidores em consequência da economia na conta de luz.

O processador com 1 GHZ trabalha para qualificar a velocidade do aparelho, isto é, proporciona economia de tempo em abrir ou transferir arquivos de dispositivos móveis. Há inclusive iluminação presente no monitor para ajudar na leitura e não cansar os olhos de usuários que podem ficar cansados ao ler constantemente.

Com uso do kindle KOBO GLO é possível ler livros digitais no conforto do sofá ou ao descansar na cama. Para proporcionar prazer, a empresa investiu no peso leve do aparelho que se equivale em 185 gramas. Assim, a mala ou bolsa não pesa ao transportar o Kindle. Cabe inclusive no bolso das calças jeans.

O leitor de livros digitais KOBO GLO trabalha com tela antirreflexo e mantém a qualidade na leitura nos ambientes repletos de luzes solares. A iluminação do texto deixa as palavras nítidas em locais escuros.

Consumidores que apreciam obras estrangeiras não têm problemas. Português, japonês, italiano, espanhol, holandês e alemão formam as linguagens principais presentes no aparelho.

O leitor digital KOBO GLO consegue armazenar mil e-books. Ao levar em conta o cartão SD, a capacidade aumenta para 30 mil obras literárias, ou seja, uma verdadeira Bienal do Livro.

Por Renato Duarte Plantier

Kindle KOBO GLO

Foto: Divulgação


Brasileiros se perguntam o motivo de kindles (leitores digitais de livros) terem preços altos no país, assim como acontece com tablets, smartphones e outros produtos tecnológicos. Forma de economizar nos dias de hoje está nos sites que oferecem desconto em compras de eletrônicos.

Pesquisar representa o segredo para economizar na compra online. Ao usar cupom de sites que ofertam descontos, consumidores compra com menor preço acessórios eletrônicos, como leitores de livros digitais, ferramentas com importância fundamental nos dias de hoje, em principal ao levar em conta que livros digitais têm preços menores do que quantias cobradas por impressos.

Parte das obras literárias digitais é salva de forma gratuita, outra notícia que favorece na economia.

FNAC está entre as empresas com acordo nos sites que ofertam desconto. Na página da loja há ofertas à tecnologia que se direciona para a leitura. Exemplo, leitor eletrônico IRIVER RB02 2GB custa menos do que o Kindle Amazom, principal kindle Premium atualmente.

Livraria Cultura consiste em outra loja de livros com preços populares por conta dos sites que ofertam descontos. Atualmente, poucos e-commerce acarretam a variedade de leitores digitais à venda no site cultural.  Entre os tipos disponíveis se destacam os aparelhos da empresa KOBO, com preços inferiores ao comparar aos Kindles Amazon.

Cultura concede dez por cento de desconto nas compras via site. Ou seja, ao considerar a porcentagem do preço descontada com cupons de sites que ofertam descontos, então existe ainda maior queda do preço.

Lojas Americanas, Livraria da Folha e Martins Fontes também representam empresas que possuem acordos com sites de descontos para compradores de leitores de livros digitais.

Nesse sentido, antes de fazer a compra, procure saber se existem sites de descontos que possuem acordo com lojas que vendem os melhores leitores digitais de livros que existem no mercado nacional e internacional.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


Kindles (leitores de livros digitais) são aparelhos inventados pela Amazon. Após chegaram ao mercado surgiram empresas concorrentes que produziram produtos semelhantes, mas com preços menores.

Especialistas que opinam em fóruns de tecnologia indicam não existirem diferenças substanciais entre modelos com preços Premium ou populares. Ou seja, comprar um IRIVER, por exemplo, repleto de ferramentas especiais semelhantes do Kindle Amazon, aumenta a economia do consumidor.

Leitor digital IRIVER fornece tecnologia avançada que destaca palavras dos textos com tinta eletrônica. De forma prática consiste em ferramenta importante para ler livros digitais com a qualidade de impressos. Consumidores podem confundir o aparelho com um livro tradicional, facilmente.

Tal produto possui teclado QWETY, facilitando a velocidade para enviar mensagens, escrever anotações, entre outras atividades durante o processo de leitura. O aparelho tem capacidade de armazenar 2GB, com espaço para cartão SD que amplia o espaço para salvar maior número de livros digitais.

O aparelho tem bateria potente que mantém trabalho no sistema por tempo além de 24h sem a necessidade de carregar. A marca indica que investiu na leveza do aparelho para usuários terem conforto durante a leitura. Sem contar que a mala não sente excesso de peso ao transportar o leitor de livros digitais.

Consumidores que não dispensam boa música durante a leitura podem apreciar a potência de qualidade do sistema de áudio. Gravador de voz se demonstra como ferramenta indispensável, em principal para gravar ao invés de anotar ideias durante a leitura. Os programas são feitos para que consumidores tenham o máximo de conforto ao desfrutar da leitura no leitor digital de livro IRIVER.

Em termos práticos tal produto não deve quase em nada ao comparar com produções Premium presentes no mercado. Ao comprar o IRIVER original consumidores possuem três meses de garantia para fazer trocas por conta de problemas na fabricação, indica o site oficial da empresa.

Por Renato Duarte Plantier

IRIVER

foto: Divulgação


Depois de um ano e dois meses no Brasil, a norte-americana Amazon iniciou as vendas de produtos físicos em seu site brasileiro. Até então a empresa vendia apenas bens digitais. Com isto o Brasil se torna o primeiro país da América Latina onde a Amazon possui vendas de bens físicos.

A partir do dia 7 de janeiro já é possível comprar o Kindle, com preços entre R$ 299 e R$ 699, no site amazon.com.br.

O Kindle era apenas comercializado por parceiros da marca americana, como Ponto Frio, Extra e Girafa. O acordo feito entre as marcas permite que os parceiros continuem a comercializar os produtos normalmente.

Com o lançamento do e-commerce no Brasil, a Amazon quer que os brasileiros tenham uma experiência diferente com seus produtos, a começar pelo Kindle Toch e o PaperWhite.

Por volta das 9h o site entrou no ar já anunciando a entrega dos Kindles comprados na residência do comprador.

Alex Szapiro, gerente-geral da Amazon no Brasil, comenta: “A expectativa do consumidor brasileiro com o comércio de maneira geral não é muito alta. O que queremos fazer é aumentá-la. Meu papel e de todo mundo que trabalha na Amazon é trazer essa experiência positiva para o Brasil, e quem vai julgar é o consumidor”, afirmou.

Szapiro, disse ainda que antes de iniciar as vendas de bens físicos, a empresa passou por um árduo trabalho em processos internos, como criar padrões de atendimento, estruturar processos de logísticas e de armazenamento. "A gente dá um passo quando achamos que estamos prontos para dá-lo", disse o gerente.

Em 2014 a companhia quer incentivar a compra em seu e-commerce, aumentar o número de parceiros para que sejam encontrados cada vez em mais lugares.

Por enquanto o site brasileiro não oferece outros produtos a não ser o Kindle e livros digitais. Contudo a Amazon tem intenção de em breve disponibilizar todos os seus produtos.

No lançamento da loja, a companhia aproveitou e fez a divulgação de números atuais do seu catálogo de livros digitais em português. Segundo a marca, o acervo nacional de cópias digitais chegou aos 28 mil títulos, um grande crescimento comparado aos 13 mil livros em português no ano de 2012.

Já os livros grátis dobraram de quantidade em menos de dois anos. Passou de 1550 para 2,6 mil no mesmo período.

Conforme Szapiro, o crescimento no Brasil é vertiginoso. “Nós queremos ter a certeza de que estamos trazendo a melhor experiência de compra para o consumidor brasileiro, pois estamos com as melhores ofertas, a melhor seleção de livros, agora o melhor canal de vendas”, finaliza o líder da companhia no país.

Por Ageu da Rocha

Kindle ? venda no site brasileiro da Amazon

Foto: Divulgação


Kindle Fire HDA Amazon está jogando todas as suas cartas na mesa na tentativa de desbancar o até então rei iPad do seu trono de mais vendido do mundo.

A jogada da Amazon é proporcionar ao seu mais novo tablet Kindle uma combinação de hardware potente a preços mais em conta. Quem divulgou as informações do novo Kindle foi a BGR, empresa que realizou benchmarks no novo modelo da Amazon.

Os testes comprovaram que os novos aparelhos são até 3 vezes mais rápidos do que os atuais Kindle existentes no mercado. Segundo fontes seguras, a Amazon pretende lançar até 3 novos modelos do tablet  até a chegada da primavera brasileira.

O “mandachuva” dos modelos, pelo que tudo indica, será o Kindle Fire HD, que contará com tela de 7 polegadas e resolução de 1920×1200. Seu processamento será realizado por um Snapdragon 800, um Quad-Core de 2GHz.

O novo Kindle deve chegar ao mercado juntamente com um sistema Android totalmente personalizado capaz de lidar com tarefas brutas. O tablet virá com câmera frontal e Wi-Fi. A BGR ainda afirmou que os novos modelos virão em versões de 16, 32 ou até 64 GB de capacidade de armazenamento.

Por Fernando Setoue


No final do mês passado a Amazon lançou oficialmente no mercado brasileiro o Kindle, seu famoso leitor de livros digitais. O aparelho está sendo vendido no país por 299 reais e pode ser adquirido através do site da própria Amazon, nas lojas online do Ponto Frio ou até nas lojas físicas da Livraria da Vila, localizada em São Paulo.

O vice-presidente do Kindle, Alexandre Szapiro, afirmou que a companhia está bastante empolgada com a vinda do Kindle para o Brasil custando apenas 299 reais astravés das lojas Pontofrio.com.br e da Livraria da Vila, fazendo com que o aparelho seja mais acessível aos clientes brasileiros.

Foi um processo bem demorado para que a Amazon chegasse ao Brasil devido às várias negociações com editoras no país. A companhia chegou ao mercado nacional no dia 6 de dezembro, com a inauguração de sua loja online em português. Logo de inicio, a Amazon disponibilizou para comercialização cerca de 1,4 milhão de livros digitais, e 13 mil destes títulos são totalmente em português. 

Por Felipe Santos Bonfim


Com a estréia da loja virtual da Amazon no Brasil, o seu famoso e-reader Kindle poderá ser adquirido no país.

A partir desta entrada, será possível comprar este dispositivo para leitura de livros digitais por cerca de R$500,00 além do seu catálogo com mais de 10.000 e-books em português.

Por questões de logística e de tributação excessiva no Brasil, a Amazon irá oferecer inicialmente apenas produtos digitais, mas com a tendência de no futuro estender estas ações para a compra e venda de vários tipos de produtos.

Fonte: O Globo

Por Ana Camila Neves Morais


A cada dia que passa o mercado de livros digitais – os e-books – aumenta mais e nesta sexta-feira, dia 30 de novembro de 2012, uma importante parceria foi firmada neste sentido no Brasil.

Isto porque diversas editoras do país fecharam um acordo com a Amazon para a venda dos seus livros digitais por aqui.

As companhias que integram este acordo são a Ediouro, DLD, Companhia das Letras e a Globo Livros.

A expectativa é de que a loja de livros digitais da Amazon seja lançada no mês de dezembro de 2012.

Por Ana Camila Neves Morais


Após diversas fabricantes marcarem eventos para o lançamento de seus novos dispositivos, a Amazon se pronunciou e agendou um evento para o dia 6 de setembro na Califórnia, EUA.

Nada foi confirmado sobre o que será apresentado no encontro com a imprensa, porém inúmeras especulações apontam que novos modelos da linha Kindle estão por vir. Tendo em vista os inúmeros elogios da crítica com relação aos tablets e e-readers da gigante varejista, há rumores de que a Amazon irá anunciar dois novos tablets, um com 10 polegadas de tela e outro com 7 polegadas.

Uma das poucas certezas que pode-se ter dessa conferência é que a fabricante está esperando uma grande plateia, pois agendou o evento no Barker Hangar, que fica perto do aeroporto de Santa Mônica e é um dos maiores locais da região.

A data é próxima a eventos marcados por outras fabricantes, como a Nokia e a Motorola, que têm conferências marcadas no dia 5 de setembro. Já a Apple, provavelmente apresentará seu novo iPhone e talvez uma nova versão do iPad no dia 12 de setembro.

Por Guilherme Marcon


A "Amazon.com" anunciou que, a partir do dia 27 de abril de 2012, vai liberar a venda do seu aparelho projetado para leitura de e-books, o Kindle Touch 3G, para 175 países, e entre eles está incluso o Brasil.

O Kindle Touch 3G possui tela de E-Ink com 6 polegadas sensível ao toque, com resolução de 600×800 pixels e 4 GB de memória interna.

O que chama a atenção nesse novo modelo da fabricante é que o usuário tem acesso automático e gratuito ao site da Amazon.com via rede 3G, permitindo que o consumidor possa adquirir e baixar novos e-books com muito mais rapidez e facilidade.

Os que tiverem interesse em adquirir o aparelho, antes de mais nada devem visitar a página do produto e verificar se o local onde reside é coberto por algum provedor de acesso 3G que possua acordo com a Amazon.

O preço do Kidle Touch 3G sai por U$411,66, equivale mais ou menos R$751,00, isso já com frete e todas as taxas de importação inclusas.

Vale a pena ressaltar que o valor das taxas é uma estimativa, ou seja, caso falte dinheiro, a Amazon paga a diferença, mas debita o valor no cartão de crédito do cliente (caso sobre dinheiro ela faz a devolução do valor).

A expectativa é que o preço do aparelho caia assim que a Amazon.com chegue oficialmente aqui no Brasil.


Ao lançar o seu tablet chamado Kindle Fire, a Amazon pode comemorar muito o sucesso de vendas (em apenas 2 meses chegou a vender 6 milhões de unidades, em 2011), o que confirmou que conseguiram desenvolver um concorrente aos pés do iPad. Mas, mesmo que as pesquisas da Changewave – publicados pelo jornal Telegraph – digam que apenas 54% dos usuários do Kindle Fire estão satisfeitos com o dispositivo e 74% dos usuários do iPad estão satisfeitos com seu equipamento, o CEO da Apple, Tim Cook, reconheceu que o tablet da Amazon se tornou um concorrente fortíssimo do iPad.

Um dos grandes diferenciais impostos pela Amazon no seu tablet é o preço reduzido, custando cerca de US$ 199 contra os US$ 499 do iPad, o que, com toda certeza, impulsionou as vendas do Kindle, principalmente no nicho de pessoas que não têm poder aquisitivo para adquirir o aparelho da Apple. Mas, logicamente, o estudo publicado pela Telegraph também mostrou que os usuários do Kindle Fire se mostraram mais satisfeitos com o preço do aparelho, porém insatisfeitos com a posição do botão de liga e desliga.

Nos estudos realizados, alguns aspectos são a favor do iPad e outros a favor do Kindle Fire, o que acaba mostrando que Tom Cook está mais do que certo, e a concorrência pode ficar cada vez mais acirrada.

Por Guilherme Marcon


O primeiro Kindle Fire ainda nem chegou às lojas. A previsão é de que o aparelho comece a ser vendido na segunda quinzena de novembro. Mesmo assim, já há especulações quanto aos sucessores do tablet da Amazon.

O site DigiTimes revelou nesta sexta-feira (4 de novembro) que a empresa já planeja o lançamento de seu segundo produto, que deverá ter tela de 8,9 polegadas, maior que o padrão dos tablets atualmente disponíveis nas lojas. O primeiro modelo da Amazon deve ter tela de 7 polegadas. O Kindle Fire deve custar 200 dólares nos Estados Unidos. Os modelos seguintes devem começar a ser fabricados em 2012.

O DigiTimes afirma que teve contato com os fabricantes de telas contratados pela Amazon – LG Display e Chunghwa Picture Tubes. O site garantiu que ambas estão produzindo as telas de 8,9 polegadas e em breve produzirão de 9,7 a 10,1 polegadas, que seriam para tablets da Amazon também lançados em 2012.

O site taiwanês também afirmou que a Apple lançará uma nova versão do iPad 2 em março do ano que vem. A informação foi dada com fontes anônimas.

Por Mozart Artmann


A luta no mercado de leitores digitais segue acirrada. Depois da Barnes & Noble lançar uma versão wi-fi do seu dispositivo, o Nook e baixar o preço da versão 3G, a Amazon tratou logo de revidar para não ir ficar na lona.

Poucas horas depois da BN, a empresa anunciou redução nos preços do Kindle. A resposta foi necessária porque as ações da empresa tiveram uma rápida desvalorização na Bolsa de Nova Iorque após o anúncio da Barnes & Noble.

Assim, o preço do Kindle caiu drasticamente de 259 dólares para 189 dólares. Não se sabe se haverá uma guerra entre as duas livrarias. Até porque quem anda ganhando espaço nesse mercado de livros digitais é a Apple.

No fim, o que pode acontecer mesmo é que a Amazon e a Barnes & Noble acabem morrendo abraçadas. A Amazon, pelo menos, não depende apenas do Kindle, já que tem seu aplicativo de leitura para iPad e em breve também para Android e BlackBerry.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Terra





CONTINUE NAVEGANDO: