Cientistas comprovaram que usar papel alumínio potencializa o sinal de Wi-Fi.

A era digital veio para ficar. Hoje as redes podem alcançar longas distâncias, muitas vezes até dispensando os cabos, tal como ocorre com o sistema Wi-Fi. Entretanto, as gambiarras, ou arranjos provisórios, que ajudam a potencializar ainda mais as conexões, ainda estão sendo utilizadas, até mesmo por cientistas. É do conhecimento popular os diversos tipos de vantagens que se pode tirar do uso de papel alumínio, porém, recentemente, alguns profissionais e pesquisadores da Universidade de Dartmouth, conseguiram comprovar, por meio de muitos testes, que a utilização do famoso papel alumínio tende a ser extremamente eficaz no direcionamento e eficiência de um sinal da internet em Wi-Fi.

Os testes realizados pelos referidos cientistas fazem parte de uma série de procedimentos experimentais, cuja intenção consiste em melhorar as conexões de internet sem fio, que é muito utilizada e até necessária na atualidade. Utilizando papel de alumínio eles intuíram que um tipo de impressa 3D encapada com folhas de alumínio tende a fazer aumentar o alcance dos contatos sem fio, e melhorar a segurança do Wi-Fi. Tudo isso pode custar em um simples investimento no valor de US $ 35, sendo que basta especificar os atributos necessários de cobertura, fazendo uso de um refletor sem fio que pode ser aparelhado no sentido de ir além das antenas existentes, que chegam a custar milhares de dólares todos os anos, conforme declarou uma das professoras assistente da Universidade de Dartmouth.

Todo o trabalho, em resumo, consiste em instalar um refletor na antena própria do roteador sem fio; deste modo é necessário moldar o feixe existente no local, tornando maior, assim, o seu nível de alcance, sendo que o sinal fica bastante alto, suspenso, evitando obstáculos em locais por onde não deveria passar. De acordo com as instruções escritas pela mesma professora assistente, o grupo de pesquisadores teve chance de testar diversos designs de antenas direcionais, como também experimentar um tipo de solução que, sumariamente, consiste em fixar, com resina, uma lata de refrigerante na parte de trás do roteador para que seja possível dar outra forma às ondas de rádio que passam pelo dispositivo, direcionando-as a um alvo específico. Afinal de contas, todo tipo de lata é feita de folhas de alumínio de espessuras diferentes.

Outro método é o de posicionar uma folha de papel alumínio também na parte de trás da antena do roteador, quase a envolvendo completamente, deixando uma abertura direcionada para o alvo certo que proporcione ampliação do sinal. Entretanto, todos esses experimentos ainda estão em fase de confirmação, já que estão sendo testados por diversos meios e não se pode garantir o tempo de melhora que proporcionam no sinal Wi-Fi, por exemplo.

Enfim, depois de todos os tipos de testes em cima dos equipamentos próprios e adaptáveis para este projeto, os quais significariam uma mão na roda, literalmente, a mesma equipe de pesquisadores elaborou um programa adicional, intitulado de WiPrint em que o 3D imprime um molde mais preciso e necessário para configurar os raios e os feixes, garantindo uma cobertura mais perfeita e segura. Entretanto, esta equipe de pesquisadores ainda não decidiu disponibilizar nenhum tipo de dispositivo para o público geral, que seria lançado sob a forma de um programa, porém, eles sustentam a tese de que com esses procedimentos as conexões sem-fio certamente tendem a ficar muito melhores.

Este é método muito simples, porém, genial, sendo que constitui uma estratégia extremamente eficiente, conforme as pesquisas avançam. Na medida em que os moldes elaborados ficaram prontos e foram adaptados ao roteador, o mesmo grupo de pesquisadores logrou alcançar um sinal Wi-Fi potencializado e mais eficiente, atingindo os pontos desejados, sendo que foi possível criar um refletor capacitado para manter a internet íntegra e seu sinal, impedindo que a mesma escape pela janela, por exemplo, tornando ela mais consistente dentro de um determinado ambiente.

Por Paulo Henrique dos Santos

Wi-Fi


Canais de famosos cresce a cada dia. Atores compartilham vídeos sobre viagens e seu dia a dia.

Ao passo que as emissoras de televisão vão perdendo uma audiência cada vez maior, o YouTube vai seguindo abocanhado uma parcela sempre crescente de um público bem significativo. Em uma pesquisa divulgada recentemente pela empresa de Consultoria Nielsen, que foi encomendada pelo Google, foi constatada que a audiência do YouTube é maior do a de qualquer emissora de TV em atividade nos Estados Unidos. A fatia maior fica entre o público que tem entre 18 e 49 anos. Já no Brasil, a Provokers realizou uma pesquisa nesse sentido. Segundo a pesquisa feita para o Brasil, a audiência do YouTube já é maior do que aquela que é obtida pelos canais de TV pagos. Apesar de ainda não ter superado a televisão aberta, a plataforma do Google continua seguindo firme nesse sentido.

Esses dados explicam, ao menos em parte, um novo movimento que tem crescido por aqui: A criação de novos canais no YouTube onde os principais “apresentadores e protagonistas” são os atores.

De uma forma geral esses canais tem um nome jovem, aspecto que deixa claro a intenção de conquistar o público nessa faixa. Foi exatamente isso que ocorreu com Caio Castro. No mês de novembro o ator lançou um canal que carrega o seu próprio nome. Nele, Caio apresenta, em especial, os bastidores de viagens e vídeos sobre a prática de esportes.

Caio afirma que sua ideia era compartilhar de alguma maneira suas experiências em uma viagem que ele fez para a Califórnia. De acordo com ele, muita gente pede para contare mais sobre sua vida e seus gostos. O ator destaca que tomou gosto pela coisa e vai continuar a gravar novos episódios.

Já a atriz Julia Faria, que recentemente estava no ar na novela "Haja Coração", também criou um canal todo seu. A jovem, que já conta com milhares de seguidores no Instagram, resolveu aproveitar a popularidade da plataforma de vídeos do Google.

O canal de Juliana já está no ar a dois meses. A atriz compartilha com os fãs e interessados vídeos sobre viagens. Um dos vídeos do canal mostra uma viagem da atriz a Chapada dos Veadeiros, no estado de Goiás.

No Brasil uma das pioneiras nessa migração de mídias foi a cantora e também blogueira Sophia Abrahão. O canal de Sophia já está no ar desde o ano de 2009 e conta com uma média mensal de cerca de 4 milhões views.

Clique aqui e conheça o canal de Caio Castro Oficial

Por Denisson Soares


Recebimento de mensagens em massa sempre causam muita dor de cabeça aos usuários. Confira aqui algumas dicas para diminuir o recebimento de Spam.

O recebimento de SPAM é um problema que incomoda muitos usuários. Os envios em massa costumam ser indesejáveis e em alguns casos contêm vírus e malwares capazes de comprometer até mesmo o desempenho de seu dispositivo e suas informações pessoais.

Mas afinal, existem maneiras de diminuir o recebimento de SPAM? A resposta para esta pergunta é sim! Confira com a gente algumas dicas para reduzir o recebimento de SPAM:

  1. Não divulgue seus e-mails em sites em sites públicos da internet: Inocentemente, muita gente insere o e-mail em fóruns de discussão, sites de compra e venda e redes sociais. As listas de envio são extraídas por meio de robôs que identificam potenciais endereços @exemplo.com. Opte pelo envio através de mensagens privadas.
  2. Não autorize o recebimento de mensagens em qualquer site: Muitos endereços, a fim de conseguir captar o maior número possível de e-mails, oferece em troca da informação uma série de sorteio de prêmios, vantagens ou benefícios. Desconfie, na maioria dos casos se trata apenas de tentativas mentirosas de persuasão.
  3. Possua um antivírus e mantenha seu firewall ativo: Apesar de todos saberem a importância do assunto, é válido lembrar que o envio de spams muitas vezes é feito através de computadores infectados. Evite que o seu faça parte dessa lista.
  4. Não responda e não clique para exclusão do cadastro: Como a listagem é feita de maneira bem grosseira, muitos e-mails que estão ali não existem ou então não estão mais ativos. Quando você se manifesta, você passa a informação de que aquele endereço de e-mail é válido e possui acesso constante. Esse comportamento gera o recebimento de muito mais spams, afinal, eles não estão preocupados com sua privacidade.
  5. Não baixe conteúdos desconhecidos provenientes de spam: Essa é outra estratégia que os spammers utilizam para saber se o seu endereço de e-mail está ativo. Através da oferta de vantagens ou informações que pareçam ser interessantes, os usuários realizam downloads que podem conter malwares nocivos. Além de correr o risco de prejudicar o desempenho de sua máquina, seu e-mail será vendido para empresas que tentarão, a qualquer custo, oferecer seus produtos e serviços.

Por Beatriz 


Confira aqui algumas dicas de como aumentar a quantidade de seguidores no seu Twitter.

Atualmente muitas pessoas vêm fazendo uso da rede social do passarinho, o Twitter, tanto pessoas comuns como grandes empresas do mundo, para que seja mais um meio de comunicação, dentre vários outros, entre a organização e seu consumidor final.

Embora o número de usuários desta rede venha crescendo, poucos deles sabem realmente como utilizar essa ferramenta em beneficio próprio. Desta forma iremos apresentar algumas maneiras para você fazer uma análise de seu perfil e como consequência aumentar seus seguidores na rede.

Com o aumento de seguidores você consegue disseminar suas informações para o maior número de pessoas possível, abaixo segue algumas dicas:

Faça uma promoção do seu Twitter em materiais físicos (impressos): Uma das maneiras mais fáceis de disseminar seu perfil para o público, é fazer uso de algum tipo de material impresso com divulgação do seu negócio. Para isso, tenha certeza que o link do seu perfil esteja em destaque neste panfleto.

SocialBro:

SocialBro é uma ferramenta muito interessante para quem pretende avaliar seus resultados na rede social, assim também como as informações sobre seus seguidores. Abaixo segue algumas, entre diversas outras, entregas deste serviço:

  • Quantidade de seguidores que você tem;
  • Quantidade de seguidores que não seguem você de volta;
  • Número de indivíduos que seguem você e você não as seguem de volta;
  • Em qual idioma os seus seguidores estão enviando tweets;
  • Localização dos seus seguidores;
  • Quantidade de seguidores que seus próprios seguidores possuem;
  • A frequência na qual acessam a rede.

Buffer:

Esta ferramenta funciona como um agendamento de Tweets, a qual também fornece dados para serem analisados, segue algumas de suas funções:

  • Contabilizar quantos clientes seu perfil recebeu
  • Numero de pessoas que retweetaram seus tweets
  • O número de pessoas que “favoritaram” seus tweets

Muitas pessoas acham que o uso dessas funções não trazem novos seguidores, porém, estão equivocadas, pois analisando esses dados é possível conhecer o perfil das pessoas que te seguem e assim realizar posts interessantes para seus seguidores.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Consumidores devem saber quais são os seus direitos em casos de internet com velocidade abaixo do contratado ou com muitas quedas.

Você está terminando um trabalho ou fazendo um download importante e a internet cai. Ou está vendo um filme ou série online e a velocidade da internet resolve ficar muito baixa. Você sabe o que fazer nesses casos?

Velocidade baixa:

Se o seu pacote de dados mensal anda dando muito mais dor de cabeça do que você queria é possível pedir abatimento à operadora proporcional ao valor contratado. Ainda há a opção de receber benefícios em troca das constantes quedas de velocidade. Mas se o seu caso é mais grave e a sua velocidade não chega nem perto do valor contratado, a lei lhe ampara para que você peça a rescisão do contrato com a operadora.

Queda de internet:

Embora na lei não haja prerrogativas para que a operadora recompense seus clientes pelos possíveis dias de interrupção do sinal de banda larga, algumas operadoras já oferecem esse benefício no contrato de adesão. Fique atento quando fechar um contrato com alguma operadora e verifique se existe essa cláusula. Se existir, esta deve ser cumprida e toda vez que houver interrupção do sinal por culpa da distribuidora, você deve receber um desconto proporcional na próxima conta.

É sempre bom lembrar que a opção de rescisão de contrato, ou de migrar para outros planos ou mesmo outras operadoras é completamente amparada por lei. As operadoras tentam fazer vendas “casadas” em que oferecem benefícios ao cliente, em troca de um tempo mínimo de fidelidade. Só que às vezes os benefícios não são cumpridos e o consumidor se sente lesado. Se isso está acontecendo com você, procure o órgão responsável pela defesa do consumidor (Procon) e abra uma queixa contra a operadora.

É ilegal forçar o cliente a um contrato de fidelização, se a outra parte não cumpre o acordado. Em uma decisão judicial, o consumidor, com certeza, ganhará a causa. É preciso conhecer seus direitos e estar atento para que se cumpram.

Por Patrícia Generoso


Alguns problemas com o funcionamento da internet podem ser ocasionados por falhas no roteador. Os usuários podem tentar resolver tomando algumas atitudes.

Às vezes a internet apresenta problemas, como lentidão ou quedas frequentes. O problema algumas vezes pode estar relacionado com o funcionamento de seu roteador. Este aparelho é o responsável pela conectividade entre os dispositivos que terão acesso à internet, como os computadores, telefones ou tablets, por exemplo.

Saiba como resolver alguns problemas de seu aparelho:

– Reiniciar o roteador: Alguns problemas são solucionados somente com a reinicialização do dispositivo. Para reiniciar seu roteador, basta retirá-lo do fio de alimentação de energia por alguns segundos e em seguida religá-lo. Se possuir um modem separado, experimente fazer o mesmo com ele.

– Verifique os cabos: Cabos soltos ou mal encaixados podem causar instabilidade e queda no sinal de internet. Sempre investigue as conexões, em busca de alguma possível interrupção nos dados. É recomendável também que os fios não fiquem expostos em lugares com muito movimento de pessoas, para não se desgastarem.

– Mude seu roteador de lugar: As vezes algumas barreiras físicas podem impedir que  o sinal de seu roteador seja distribuído corretamente. Uma simples mudança de posicionamento do aparelho pode solucionar o problema.

– Resetar seu roteador: Essa é uma opção para usuários mais avançados e só é recomendada quando as outras opções não deram resultado. Resetar o aparelho ajusta ele novamente para os padrões de fábrica. Depois desse procedimento você terá que reconfigurar novamente seu roteador, incluindo o nome da rede e as senhas.

– Mudar o canal wireless: É uma opção válida para lugares onde há vários sinais de roteador simultaneamente, como prédios e condomínios. A mudança de canal pode impedir que haja interferência do sinal dos outros aparelhos na frequência do seu.

Se nenhuma dessas opções funcionar, será necessário chamar um técnico. Às vezes o problema pode ser externo e somente um profissional poderá ajudá-lo. Ele também poderá lhe aconselhar sobre a possibilidade de substituição de seu aparelho roteador depois de fazer todos os testes em sua rede.

Por Patrícia Generoso

Roteador

Foto: Divulgação


Média da velocidade da internet banda larga no Brasil não passa de 3 Mbps. País ficou no 89º lugar no ranking de taxa de download.

A desigualdade social no Brasil reflete em vários aspectos. Um deles é disponibilidade da internet banda larga pelo País, que varia consideravelmente nas diversas regiões.

Dados disponibilizados pelo site G1, da Globo, mostram detalhes desta diferença. Em 406 cidades do País a velocidade da banda larga disponibilizada é inferior à internet oferecida na Líbia, país de terceiro mundo em conflito. Já em 456 municípios a velocidade da web é similar a países como Japão, Suíça e Finlândia.

Os dados disponibilizados pelo site tiveram como referência os dados recentes divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Apesar de grande parte da população brasileira ter acesso a uma internet de qualidade, comparada a países referência, a média da velocidade da internet no País não passa de 3 Mbps. Com isso o país ocupa apenas o 89º lugar no ranking de taxa de download. Países como o Iraque, Sri Lanka e Kwait figuram à frente do Brasil. O primeiro lugar da pesquisa ficou com a Coreia do Sul, com uma velocidade média de 22,2 Mbps.

O mapa da banda larga brasileira mostra que os 406 municípios que obtiveram menor média, a velocidade de download gira em torno de 512 Kbps, uma velocidade ínfima se for levado em consideração as necessidades básicas e o tamanho dos arquivos disponibilizados para download na internet nos dias de hoje. Para ter uma noção, a Líbia é a lanterna do ranking mundial de velocidade de download com apenas 700 Kbps de velocidade média.

Jonas Silva, diretor de operações da Akamai, revelou ao site G1 que a discrepância é fruto da colonização brasileira, uma vez que as regiões costeiras, por terem maior população, foram mais desenvolvidas ao longo do tempo. Isso explica o motivo pelo qual as cidades do interior do país não têm a mesma banda larga dos outros municípios.

Os resultados da pesquisa revelam o que já não é novidade para ninguém, uma vez que a desigualdade e a discrepância sempre foram realidade no país e com a banda larga não seria diferente.

Por André César

Velocidade da internet


Pesquisa revelou que 75,2% da população brasileira possui celular.

Após a chegada dos smartphones a população tem acessado a internet e as redes sociais com mais frequência e em diversos lugares, devido à facilidade e à comodidade que esses aparelhos proporcionam, o que nos leva a crer que os computadores acabaram por perder lugar por não oferecer aos consumidores o mesmo poder de mobilidade que os smartphones oferecem, uma vez que estes podem ser conduzidos para qualquer lugar dentro do bolso do usuário.

Sendo assim, fica uma pergunta: O celular é onipresente no Brasil? Qual lugar ocupa o computador na vida dos brasileiros?

Para responder essa pergunta, o IBGE de São Paulo divulgou uma pesquisa que revela dados expressivos. Dentre os brasileiros com mais de 10 anos de idade, 103,2 milhões possuem telefones celulares. Essa quantidade equivale a exatamente 75,2% de toda a população.

A designação telefone celular é ampla e não concentra apenas os smartphones, aparelhos mais populares por oferecer maior gama de funcionalidade. O estudo aponta que os dispositivos móveis, a exemplo do smartphone e tablet, não são bem distribuídos pelo país.

Podemos apontar como exemplo da afirmação acima o estado do Maranhão, pois apenas 52,3% da população possui um celular. Por outro lado, no Distrito Federal, essa marca chega a quase 90% dos moradores (que possuem um aparelho do tipo).

O estudo realizado pelo IBGE contou com o apoio do Ministério das Comunicações. Esta foi uma das pesquisas realizadas pelo PNAD 2013 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). O intuito é fazer um diagnóstico da forma como os brasileiros fazem uso da tecnologia.

A pesquisa aponta também como exemplo da diferença entre o uso de celulares e computadores pelo brasileiro. No estado do Amapá, 11,9% da população acessa internet através de computadores, enquanto que 40% acessa através de celular ou tablet.

É possível afirmar, portanto, que apesar da expansão do mercado de telefonia móvel e a evolução tecnológica dos aparelhos, o computador não foi totalmente suprimido e sua utilização ainda é necessária, mas ainda há uma pergunta que ainda não pode ser respondida: estamos no curso de uma substituição gradual ou o momento reflete apenas uma soma e agregação de produtos na vida do consumidor?

Por André César

Celular e computador

Foto: Divulgação


O projeto visa deixar a comunidade carioca mais conectada nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016

Uma novidade promete aquecer o coração dos cariocas ainda neste ano. A Cisco, uma empresa voltada à Internet das Coisas, será a responsável pelo projeto que promete implantar sete mil pontos de acesso wi-fi na cidade do Rio de Janeiro.

O objetivo desta inovação é tornar a comunidade carioca mais conectada para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016. Umas das propostas do projeto é trazer soluções para a cidade, a fim de melhorar a gestão, além da eficiência em garantir serviços públicos de qualidade durante o evento.

Em recente entrevista ao site Techtudo, o diretor de novos projetos da Cisco, Rodrigo Uchôa, afirmou que a maior preocupação é a possibilidade de oferecer uma base de redes e segurança não só dentro das instalações esportivas, mas também fora.

A empresa pretende gerar ambientes seguros que possuam a tecnologia Cisco. Assim, as instalações receberão o venues, que poderão ser instaladas dentro das arenas e também nas áreas de acesso comum, como aeroportos e hospitais.

Já os equipamentos para a instalação dos sete mil pontos wi-fi devem chegar ainda em 2015. Segundo informações, no total, serão cerca de 12 mil pontos de rede, distribuídos em 100 mil portas de rede LAN, 150 equipamentos firewall e NGIPS e 500 servidores.

A Cisco, no ano passado, foi a responsável por fornecer os equipamentos necessários para a montagem de dois Data Centers, um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo, que esse ano servirão de abrigo de dados, além de serviços de tecnologia para os Jogos Olímpicos do próximo ano.

Para Uchôa, os eventos esportivos de 2016, aliados com as novas tecnologias, terão a tarefa de tentar aproximar os atletas com a comunidade e o público, além, é claro, de deixar um legado tecnológico para a cidade, tornando-a mais humana e criando conexões duradouras.

A implantação dessa tecnologia para os jogos mobilizará cerca de oito mil profissionais.

Por Andréa Corneli Ortis

Foto: Riotur


Segundo pesquisa, o país está em oitavo lugar entre os países mais afetados com conteúdo inadequado para crianças

Quando falamos sobre a internet, consequentemente temos que considerar que ela é uma “terra sem dono”. Já faz muito tempo que apenas os adultos tinham acesso a ela. Hoje em dia, sendo uma rede livre como é, qualquer pessoa pode ter acesso a qualquer tipo de conteúdo. O único impedimento é apenas um clique. Idade e temas pesquisados já não importam mais. Em um relatório feito recentemente pela empresa especializada em segurança digital Kaspersky, alguns dados apontam para um lado obscuro dessa liberdade toda.

De acordo com a empresa, mais de 1,5 milhão de usuários se depararam com conteúdo inadequado para crianças ao menos uma vez em 2014. A análise foi feita usando um software de controle parental da companhia.

O pior do relatório é que o Brasil figura nele entre os dez primeiros. Mais precisamente na oitava colocação entre os países mais afetados.

Ainda segundo as informações do levantamento do número apontado anteriormente, uma faixa de 68,5% “deram de cara” com conteúdos que são classificados como perigosos. Ou seja, isso inclui diversas categorias, como conteúdo adulto – pornografia, acesso anônimo, álcool e narcóticos, violência e armas dentre diversos outros.

De acordo com a lista da Kaspersky, os países que apresentaram um maior número de casos registrados nesses aspectos foram os seguintes: Rússia, ocupando a liderança e sendo seguida pela Índia, China, EUA, Alemanha, Argélia, o Brasil, e fechando os dez primeiros colocados, o Reino Unido e a França.

Mas voltando aqui para o Brasil, as maiores ameaças encontradas ficam nas categorias de “conteúdo adulto” e “chats”. Esta última, atingindo cerca de 75,93% os usuários. Vale ressaltar que, no caso do Brasil, os números registrados são superiores à média mundial.

Conforme destaca Fabio Assolini, analista de segurança da Kaspersky, atualmente as crianças têm acesso à internet cada vez mais cedo. E acrescente-se a isso o fato de ser móvel e, na maior parte dos casos, oferece uma forma de comunicação barata.

A principal recomendação dos especialistas na área não são novas, porém nem sempre os pais dão a devida atenção. A instalação de programas de controle parental em aparelhos como samartphones e tablets que são usados por crianças é uma dessas dicas. E o melhor é que não há desculpa, já que atualmente o mercado oferece diversas soluções baratas e até mesmo gratuitas.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Uma iniciativa desenvolvida por uma startup portuguesa, que poderia ser adotada no Brasil, promete oferecer mais opções de conexão aos usuários. A empresa quer tornar os carros em antenas wi-fi, usando a estrutura de conexão dos veículos com acesso à internet.

A ideia é da startup Veniam, com sede na cidade do Porto, Portugal. Segundo ela, todos os carros conectados ao sistema serão equipados com um tipo de hotspot wi-fi, carregado pelo próprio veículo, assim, qualquer pessoa pode se conectar à rede.

A intenção é que o projeto seja financiado por prefeituras e governos que tenham interesse em criar redes de internet gratuitas para seus habitantes. Trata-se de uma iniciativa inovadora (e ambiciosa) da companhia, que quer conectar todos os automóveis do mundo em seu sistema.

Será uma tarefa difícil, uma vez que existem mais de um bilhão de carros no planeta e a previsão é que esse número aumente.

Pouco mais de 660 veículos particulares já foram cadastrados no serviço oferecido pela Startup, contudo, todos em Portugal. A empresa já atua no país operando um serviço de internet com mais de 95 mil usuários. Algumas prefeituras, como a da cidade de Porto, já anunciaram que adotarão o sistema, inicialmente na frota de ônibus, táxis e caminhões da prefeitura.

João Barros, presidente da Veniam, está feliz com os possíveis resultados e afirmou que este é o primeiro passo da "internet das coisas que se movem":

Ele ainda acredita que essa é a forma mais adequada de levar internet a locais em que a infraestrutura não permite as conexões convencionais. Sem contar que o serviço pode funcionar nos locais onde não há energia elétrica, pois depende somente da baterias dos veículos.

Por Ana Rosa Martins Rocha

Foto: divulgação


Pesquisadores do Centro de Inovação 5G da Universidade de Surrey, no Reino Unido, puderam transferir dados através da velocidade de 1 Terabit por segundo (Tbps), sendo milhares de vezes mais velozes em relação às conexões recentes. É aguardado que a tecnologia seja finalizada para aparições públicas em 2018. Com esta velocidade, poderá ser possível baixar dados cem vezes mais rápido em relação aos recentes filmes com aproximadamente três segundos.

A taxa de conexão alcançada é 65 mil vezes mais veloz em relação à média de arquivos baixados em redes 4G. O experimento também ultrapassou os resultados já alcançados em redes móveis até o momento atual. O melhor resultado era da Samsung, que havia alcançado 7,5 Gigabits por segundo (Gbps), o que equivale a menos de 1% do alcançado pelo grupo de Surrey. Foi produzido mais de dez tecnologias novas, e em um dos exemplos possibilita superar 1 Tbps em conexões sem fio. Ela se trata da possibilidade idêntica de fibra óptica.

O grupo de pesquisa fez os experimentos com dispositivos presentes a aproximadamente cem metros de distância. Entretanto, ainda não é garantido que existirá a possibilidade de adotar esta velocidade no mundo real. A equipe tem o objetivo de fazer mais experimentos no campus da universidade antes de postar as descobertas. Ela deseja ser a pioneira do mundo a apresentar a velocidade.

O órgão regulador do mercado de telecomunicações do Reino Unido, o Ofcom, está incentivando para possibilitar que as redes 5G sejam recebidas no mercado, solicitando auxílio à indústria para isso. De acordo com o órgão, esta forma de comunicação iria gerar vários serviços através de dispositivos móveis, onde pode-se citar projeções holográficas e transações do mercado financeiro. O Ofcom também informou aguardar que as redes móveis 5G tenham a possibilidade de funcionar a velocidades entre 10 e 50 Gbps, em relação à média de 15 Megabits por segundo (Mbps) dos downloads em 4G.

Por Felipe Couto de Oliveira

Rede 5G


O Marco Civil mirou em alguns resultados, mas acabou atingindo outros, por exemplo, está criando uma grande incerteza sobre o conteúdo disponibilizado na rede mundial de computadores. E esta afirmação é da FGV – Fundação Getúlio Vargas.

O CTS – Centro de Tecnologia e Sociedade – da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, disse que o Marco Civil da Internet acabou por impedir que os provedores de acesso possam cobrar um determinado valor para pacotes de dados e estes valores iriam variar de acordo com o conteúdo oferecido.

De acordo com a lei aprovada, ficaria praticamente impedido o acesso gratuito aos serviços que são oferecidos na web, como já acontece principalmente por parte de algumas operadoras móveis. E a maior preocupação do CTS é com as Redes de Entrega de Conteúdo – Content Delivery Networks – que depois do Marco Civil da Internet, fica na incerteza sobre a real situação destas Redes de Entrega na internet brasileira.

A situação é muito delicada e impor regas tão rígidas neste momento pode ser um péssimo negócio! Isto pode inclusive, atrapalhar o desenvolvimento de tecnologias novas que poderiam surgir e até novas alternativas que contribuiriam para uma melhor infraestrutura da internet em nosso país.

E a Fundação Getúlio Vargas aponta o melhor caminho, pelo menos em um primeiro momento, que seria o "Monitoramento dos Acordos e Interconexão, entre os provedores de acesso à internet e às CDNs".

A Consulta Pública sobre a regulamentação do Marco Civil da Internet terminou na sexta-feira (20) e ao todo foram feitas 162 contribuições. A CTS se preocupa de forma especial com os Termos Técnicos e Condições de Preço, relativos às transmissões de dados, pois há boas chances de que seja afetada de forma significativa a quantidade de dados na internet do Brasil, de forma exclusiva, a internet banda larga, ou ainda, afete a livre concorrência como hoje conhecemos na rede mundial de computadores.

Você pode conferir a Lei na íntegra, através do site oficial, no endereço: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12965.htm.

Por Russel

Internet


A web vai passar por uma mudança como nunca se viu igual! É que o HTTP passará a ser chamado HTTP/2 e a mudança não é apenas no nome, em breve, o protocolo de transferência de hipertexto vai receber uma atualização como nunca se viu igual e já está tudo oficialmente aprovado e pronto para entrar em funcionamento!

O HTTP/2 começou a ser desenvolvido ainda no ano de 2012 quando foi selecionado um outro protocolo para a internet, o SPDY da empresa Google. Este foi o ponto de partida para chegar ao resultado que hoje foi obtido. O processo passou por 17 etapas, sendo que a cada nova etapa ele era melhor elaborado, falhas eram eliminadas e assim, conseguiu-se um resultado realmente surpreendente.

O presidente do Grupo responsável pelo HTTP, Mark Nottingham, divulgou através de seu blog a confirmação de que o HTTP/2 está pronto, já tendo sido aprovado pela Internet Engineering Steering Group – IESG.

A próxima etapa para que o HTTP/2 seja admitido como o novo padrão para a internet é ser publicado como um Request for Comments, uma espécie de pedido de comentários.

Entre as novidades que o HTTP/2 traz estão as novas funcionalidades: maior velocidade e requer menor banda, além de garantir vantagens para as conexões que exigem segurança.

Uma das novidades é a possibilidade de muitos "HTTP Requests", que antes eram evitados para não deixar a página mais pesada, mas agora já é possível, sem problemas, garantindo assim que em uma mesma conexão, muitas mensagens possam ser intercaladas, sem que uma mensagem bloqueie a outra.
E o melhor de tudo é que o HTTP/2 não trará nenhum problema durante sua transição, pois não prejudicará em nada o HTTP/1, com isso, o usuário nem perceberá as modificações que estão sendo realizadas, contando somente com os benefícios deste novo protocolo da web.

E o Google já está preparando uma atualização para o seu navegador Chrome que dará suporte ao novo HTTP/2, substituindo assim o seu antigo protocolo SPDY.

Quem desejar consultar as perguntas mais frequentes sobre o HTTP/2 e as respostas, basta acessar: http2.github.io/faq.

Por Russel

HTTP/2


Pelo que tudo indica a empresa Microsoft já está preparando o lançamento do sucessor do Internet Explorer, o qual segundo o site Tecmundo será chamado como Spartan. O novo navegador estará integrado ao novo sistema operacional Windows 10 que, conforme informações do site, será lançado no dia 21 de janeiro de 2015.

Inicialmente, rumores dão conta que não teremos diferenças entre os designs dos aplicativos nas diversas plataformas operantes, como acontece atualmente. Segundo o site The Verge (www.theverge.com), com o Spartan, a ideia da Microsoft é apresentar um visual muito próximo do programa tanto no PC como no tablet ou smartphone.  Ainda de acordo com o artigo publicado no The Verge,  a versão desktop  alvitra uma variante simples do Chrome, com uma interface com abas, conservando acima barra de endereço, possuindo na lateral as opções para voltar, para a frente, e atualizar uma página. Como avaliação, o The Verge aponta que é tudo projetado para um olhar leve, sem o inchaço tipicamente associados com versões mais antigas do Internet Explorer.

O novo navegador também trará, de forma integrada, o famoso assistente virtual inteligente que ficou conhecido no sistema operacional Windows Phone 8.1. Segundo o The Verge, um dos pontos importantes do Spartan será a integração da Cortana, a qual possuirá a função de disponibilizar informações aos usuários, tais como: informações sobre voos, reservas de hotéis, rastreamento de pacotes e outros dados dentro da barra de endereço tradicional. A Integração Cortana no navegador Spartan está prevista para substituir todas as ocorrências dos métodos Bing existentes na atual versão do Internet Explorer.

O site Tecmundo coloca que talvez a Microsoft traga o Internet Explorer como padrão no sistema operacional Windows 10, e disponibilize o Spartan como um aplicativo opcional em sua loja, Windows Store.

Por enquanto, resta-nos aguardar até o dia 21 de janeiro que é quando a empresa realizará o evento Windows 10.

Se você quiser testar a nova versão do Windows 10, acesse windows.microsoft.com.

Por Thiago José Fernandes

Microsoft Spartan


Foi um termo que surgiu não faz tanto tempo assim, talvez propagou-se mesmo de uns 2 anos para cá. Viral. Termo esse conhecido popularmente por doenças provocadas por vírus letais, como o Ebola, que apesar de ser bem velho ganhou os palcos agora, depois de provocar mais de 6.000 mortes desde sua reestreia na humanidade. Mas o vírus que estamos tratando são os vídeos que rapidamente se alastram pela internet e recebeu carinhosamente o título de viral, ou seja, espalha rápido e é difícil de deter.

Esses vídeos, dos mais variados tipos, espalham-se rápido, muito rápido. Pode ser um bebê chorando e rindo ao mesmo tempo, um tombo bem levado, uma frase engraçada, um amigo desdentado tentando falar “uatizápi” e bebendo cerveja pelo meio dos dentes. Qualquer coisa geralmente sem noção tem potencial para se tornar um vídeo viral e ganhar espaço.

Se você recebe um desses vídeos pelo Facebook e tem 800 amigos, imagine o potencial se um desses amigos, com mais mil amigos compartilhar, e por aí vai. Virarão milhões de visualizações. Imagina esse vídeo carregando alguma propaganda? Pois é. O mercado não é bobo e já se aproveita disso. Mas esses inocentes vídeos que fazem você rir por um ou dois minutos também podem te prejudicar. Um viral pode literalmente carregar um vírus. Tudo no prazeroso mundo digital pode carregar um vírus. Daí você está lá, inocentemente se divertindo e um vírus carregado de más intenções está fazendo a festa no seu computador ou aparelho similar.

Isso porque esse vídeo já rodou muito e pode ter saído de uma máquina já infectada e carregado a sementinha do mal com ele. Os vírus podem simplesmente deixar seu computador mais lento, ou causar danos mais severos nos equipamentos.

Existem bilhões de vírus, isso mesmo, bilhões. 

Por Luciana Viturino

V?rus no computador

Foto: Divulgação


Parece que teremos mudanças no padrão de busca do Firefox. Há mais de 10 anos, quando foi lançado como alternativa ao Internet Explorer, o navegador de código livre mais famoso da internet tinha o Google como padrão de busca. Isso por que, o Google ajudava financeiramente a entidade no valor de 300 milhões de dólares.

Porém, isso irá mudar. A Mozilla fechou um acordo com o Yahoo. A parceria durará cinco anos e a mudança deve começar agora em dezembro, ao menos na terra do Tio Sam. Ainda sobre o Google, a fundação Mozilla ressaltou que o Google sempre será uma opção. Ou seja, não muda muita coisa visto que os usuários sempre optaram pela Google (Sim, o Yahoo era opção).

Uma coisa bastante curiosa é o rumo que o Yahoo! vem tomando com sua CEO, a bonitona Marissa Mayer. Após a mesma assumir, o Yahoo conseguiu firmar este acordo importante e também adquiriu diversas empresas, inclusive o lançador de Android Aviary.

Ainda sobre o acordo, alguns prints foram divulgados. Percebe-se a clara inspiração no Google. O Yahoo irá ter algumas mudanças. Para a empresa, por mais que não seja a melhor opção e a mais usada entre os usuários, as buscas são parte importante do Yahoo. Claramente, o domínio é do Google, porém serviços importantes como o Yahoo Mail são usado há anos por milhões de usuários, inclusive brasileiros.

Possivelmente o que chamou a atenção da empresa de Marissa são as centenas de bilhões de buscas realizadas pelo Firefox. Isso o colocaria na frente do Bing, por exemplo, considerado por muitos como o concorrente natural do Google Search.

O sucesso da parceria só será desvendado nos próximos meses. Não se deve esquecer que a Mozilla tem o Baidu também como parceiro de busca lá na China.

O valor do acordo ainda não foi divulgado por nenhuma das partes envolvidas.

Por Leandro de Souza

Buscador Yahoo para o Mozilla

Foto: Divulgação/TechCrunch


O Pinterest é uma ótima opção para o proprietário de uma loja de comércio eletrônico. Com a rede social é possível compartilhar um produto para que os consumidores se interessem pelo bem. As mídias sociais têm intensificado a maneira com que as empresas e os profissionais atuais realizam suas vendas em seus empregos.   Um profissional que trabalhe em alguma instituição de vendas que utiliza a internet para promover seus produtos e serviços deve estar familiarizado com a possibilidade de realizar vendas ou expor produtos nas principais redes sociais. Para conseguir sucesso é necessário ser criativo e manter um bom relacionamento com os clientes que irão interagir com o perfil de sua empresa.  

Para ajudá-lo, elaboramos 3 dias importantes de como vender mais utilizando o Pinterest:  

1. Disponibilize um catálogo dos principais produtos de seu estabelecimento:

O Pinterest é uma ótima ferramenta para expor produtos. Além da foto é importante inserir as características, incluindo o valor, para que o consumidor possa se manter informado para uma possível compra. Tente disponibilizar os produtos de maneira mais clara e transparente possível, para que o seu consumidor não se decepcione ao comprar algo que imaginava ser bem diferente.  

2. Exiba as informações de seu estabelecimento:

Infelizmente a confiança na internet não é das maiores. Por isso é importante manter seu perfil atualizado sobre o endereço de seu empreendimento, além de telefone e e-mail de contato. Desta forma o cliente poderá entrar em contato para solicitar maiores informações ou para comprovar a veracidade de seu negócio.  

3. Fale com seu público:

Se você conseguiu um bom úmero de seguidores no Pinterest deve interagir com eles. Isso é importante. Muito importante. Ao receber um comentário em um determinado produto, responda seu cliente de maneira profissional e educada. O ambiente online permite que você elabore boas respostas para conseguir cativar seu público. Não seja uma empresa que apenas posta seus produtos no Pinterest esperando por clientes. Traga eles até você por meio de uma interação eficiente.

Por William Nascimento

Pinterest

Foto: Divulgação


Na queda de braço contra a avalanche de notícias sobre a espionagem e coleta de dados de usuários da internet, empresas e até mesmo iniciativas privadas têm se mobilizado e lançado na internet os já famosos projetos de crowdfunding, ou no bom português, financiamento coletivo, para lançar no mercado ferramentas que protejam os usuários da rede.

O Anonabox chega com tudo nessas linhas de pensamento. Com um objetivo inicial de arrecadar US$ 7.500,00 para o desenvolvimento de seu produto, alcançado facilmente e já chegando aos incríveis US$ 350.000,00 (até o fechamento do artigo, 2 dias depois de lançado no kickstarter), o dispositivo parece um simples hub, mas na verdade é um roteador de hardware plug and play (ou seja, não necessita da instalação de nenhum programa) de código aberto, projetado para criptografar e rotear os dados dos usuários da rede Tor, garantindo a navegação e localização anônimas.

O fabricante do aparelho garante que é mais simples utilizá-lo do que passar por configurações complexas para deixar aplicativos não preparados para a rede, como o Skype ou Safari, ou deixar de utilizar outros que não oferecem suporte para aquela.

A alta procura pela iniciativa no kickstarter supera as expectativas do fabricante e comprova que os usuários tentam cada vez mais garantir a segurança de suas informações e sua privacidade.

O equipamento pode ser conectado ao roteador atual do usuário, via Ethernet, conectando-se ao computador pela rede sem fio ou por outro cabo Ethernet. Uma vez conectado, ele intercepta todo o tráfego de dados da rede Tor realizando a encriptação e garantindo o anonimato, sem a necessidade dos usuários terem que configurar nenhum software adicional.

Vale ressaltar que, mesmo com a utilização de gadgets como o Anonabox (no início deste ano alguns dispositivos semelhantes foram lançados, como o iCloak Stik e Linux Box), o Tor já teve alguns problemas, inclusive com sua criptografia e anonimato sendo comprometidos.

Por Felipe Foureaux Freitas


A comercialização de roteadores com velocidade de 300Mbps teve um aumento de 48% nas vendas entre 2012 e 2013, segundo estudo da empresa D-Link, de acordo com informações da assessoria de imprensa do grupo.

Os dados enfatizam o crescimento da utilização da internet banda larga no país. A consultoria Teleco também divulgou estudo em que revela uma melhora de 87% no mercado de conexões acima de 12Mpbs no ano passado.

Os números apresentados refletem o mercado cada vez mais em expansão dos smartphones e tablets. Segundo a IDC Brasil, houve um aumento de 157% no volume comercializado de tablets, quando o cenário é comparado ao ano de 2012. O mercado de celulares obteve um crescimento de 123% em 2013.

"É um público que têm o Wi-Fi como parte do seu cotidiano, sente falta de estar conectado e faz questão de uma boa qualidade de sinal e desempenho atrelado a uma boa relação custo-benefício", afirma Rodrigo Paiva, gerente de produto da D-Link.

Em geral, segundo a D-Link, os consumidores possuem em casa um roteador de 150Mbps e não sabem que a lentidão da conexão pode ser causada pelo fato do aparelho estar “obsoleto”. Paiva observa que ocorreu “uma mudança radical no número de aparelhos conectados desde a adoção dos dispositivos móveis, deixando o roteador cada vez mais sobrecarregado”.

Segundo o gerente de produto da D-Link, anteriormente, os notebooks apenas eram conectados na rede sem fios, mas nos dias de hoje existem até televisores e geladeira com internet.

Novo roteador:

A empresa de tecnologia lançou recentemente o roteador DIR-615, com velocidade de 300Mbps e duas antenas externas de 5dBi. O aparelho é indicado para o uso em residências e pequenos escritórios.

A cobertura de sinal pode ser utilizada em ambientes de até 100 m2, sem levar em conta outros aspectos, como o local de instalação.  O roteador pode conectar até cinco equipamentos. O produto possui também um repetidor de sinal Wi-Fi em pontos cegos. No mercado, o aparelho custa em torno de R$ 99. 

Por Letícia Veloso


Recentemente, o Google revelou sua mais nova investida no mundo da tecnologia, o Google Domains.  O serviço colocará a empresa no mercado de registro de domínios na internet, além de outras propostas futuras para inovar o ramo.

A proposta da gigante da internet é oferecer uma experiência mais simples e transparente na hora de gerenciar seu domínio. Tarefas como pesquisar, comprar e transferir um domínio prometem ser bem intuitivas e de fácil utilização independente do seu grau de conhecimento da área.

Para que tudo isso aconteça da forma mais precisa possível, o Google ainda oferecerá produtos adicionais como criação de sites através da ferramenta Wix e comércio eletrônico através do Shopify.

Domínios:

Entre os planos do Google está a criação de novas terminações de websites. Para você que está acostumado com os velhos “.com” e “.net”, em breve a empresa pretende trazer à web domínios com terminações de todo o tipo. O própria Google já entrou na fila para obter alguns domínios próprios como o “.google” e “.android”, tudo isso depois que a ICANN (organização sem fins lucrativos que é responsável pela alocação de espaços de endereços do protocolo da internet) permitiu que empresas pudessem ter essas terminações.

Fase de testes:

Infelizmente o serviço ainda está em fase de testes, disponível apenas para convidados. Ou seja, a utilização do serviço só estará disponível se alguém que já utiliza o serviço lhe enviar um convite para entrar. Porém, se você quer tentar a sorte pode tentar ganhar um convite.

O procedimento é simples, clique no link de registro no Google Domains, como você poderá perceber há um campo para preencher com o código do convite e, mais abaixo, uma opção “I’d like to request an invitation code”. A opção nada mais é do que uma solicitação de um convite ao próprio Google. Clique no link e preencha os dados e aguarde um e-mail do Google com o seu código de ativação. Porém, não há nenhuma garantia de que terá retorno.

Por Felipe Henrique de Souza

Google Domains

Foto: Divulgação


Para algumas pessoas ter Wi-Fi em toda a casa pode parecer a coisa mais difícil do mundo tecnológico. Mas a verdade é que não é assim. Alguns dispositivos ligados à internet conseguem manter a rede wireless por toda casa com qualidade.

Vamos às dicas para poder distribuir internet em todos os cantos de sua casa, de forma que não irá precisar se preocupar com apagões e nem a falta do Wi-Fi em alguns lugares.

– Roteador:

Sem ele fica muito difícil conseguir equipar sua rede interna. É o roteador que faz o sinal do seu wireless chegar a todo lugar. No mercado você pode encontrar vários roteadores, de diversas marcas e preços. Lembre-se que deseja cobertura máxima do Wi-Fi em toda a sua casa, até nos lugares elevados e menos utilizados, como banheiro, por exemplo. Isso é preciso ser levado em consideração na hora de escolher e comprar um roteador.

Você deve escolher aparelhos com potência acima dos 20mW, mesmo que você não conheça nada sobre essa especificação, exija número maior que isso. Os números comuns, diríamos padrões, são de apenas 100mW. Então, quando maior a sua potência, maior será seu alcance.

Certifique que onde mora não há muitos sinais de Wi-Fi. Assim ficar melhor para escolher aparelhos com até 2.4 GHZ é um bom aparelho em propagação e alcance.  Para quem mora e prédios, normalmente há mais Wi-Fi, então será melhor roteadores com até 5GHz ou, se possível, Dual Band. Assim não terá chance de ter interferência.

– Localização:

Interferências físicas podem atrapalhar a chegada do Wi-Fi. Paredes grossas e alguns obstáculos podem prejudicar a distribuição. Procure um ponto central da casa para posicionar o roteador. Um ponto, como um corredor, para que ele possa distribuir mais facilmente o sinal para toda casa.  Evite locais perto de paredes. Cada roteador tem um pico de frequência a ser observado.

– Repetidor:

Para quem precisa ou quer ter uma cobertura maior do Wi-Fi é preciso  usar um repetidor do sinal da internet. O preço mais acessível é de aproximadamente R$ 100. Não terá problemas para instalar já que é de fácil instalação. Em alguns aparelhos dá para fazer pontos de rede cegos. Assim nenhum roteador irá alcançar.  

Por Douglas Lima dos Anjos


O navegador Google Chrome nem acabou de receber atualizações e já pode causar problemas aos seus usuários. Um erro do navegador do Google pode permitir que invasores consigam acesso ao microfone do computador do usuário, sem que ele libere essa ação. Um especialista em tecnologia, Guy Aharonovsky gravou um vídeo e publicou em seu canal oficial do YouTube em que confirma o erro do Google e explica como o processo funciona no navegador dos usuários.

A invasão funciona com muita sutileza sem que o internauta perceba nada de diferente. Até mesmo o usuário que bloquear o acesso ao microfone, através das configurações do browser, pode ter seu equipamento rastreado por hackers. O bug do Google Chrome permite que uma pessoa mal intencionada utilize um site inteiro acessado pelo usuário em um microfone grande e transparente, sem que o internauta veja algo. Apenas uma imagem cinza aparece e, quando o local recebe um clique, o tal microfone começa a gravar todos os sons sem que o usuário tenha ideia que seu equipamento está sendo acessado por terceiros.

O erro não deixa o usuário ter nenhuma noção do que está acontecendo em sua máquina. O bug usa a antiga API de voz do navegador Google Chrome, o que não explicita o uso do microfone no quadro de endereços, apenas em um elemento de discurso que é semelhante a uma bolha. A falha permite ainda que o invasor altere o microfone para qualquer tamanho e opacidade, podendo ser colocado como transparente, além de que a ferramenta pode ser colocada fora do alcance de visão do internauta. O microfone pode ficar no modo invisível e ainda ser colocado longe do espaço do browser.

No vídeo exemplificado por Guy Aharonovsky, o especialista detalha toda a falha e como funciona o processo do erro. Aharonovsky demonstrou o bug em um Mac OS X do Google Chrome e postou a gravação no Facebook. Mesmo assim ele garante que o problema pode acontecer em qualquer versão do programa. O especialista também já reportou o erro ao Google. Agora é aguardar para que o problema seja rapidamente corrigido.

Por Carolina Miranda


Você sabia que nos dias de hoje ainda existem mais de 5 bilhões de pessoas que ainda não tem acesso à internet? Parece absurdo, mas é a realidade de alguns países.

Mark Zuckerberg, o criador do Facebook, promete mudar essa história. Ele tem formado uma parceria global com um grupo de empresas de tecnologia que tem como objetivo levar o acesso à internet para o mundo, com preços acessíveis.

Mark já anunciou que tem pareceria com a Ericsson, Nokia e Samsung para formar o internet.org, proporcionando o acesso à web para essas 5 bilhões de pessoas. Seu objetivo é quebrar as barreiras desses países em desenvolvimento, para conectá-los e ingressá-los na economia e no conhecimento, superando com essa parceria os desafios de levar a conectividade a quem não pode pagar.

O grupo também reúne a MediaTek, Qualcomm e Opera, a fim de mobilizar as operadoras de telefonia móvel e os fabricantes de dispositivos para levar o acesso à internet para essas pessoas. Mas a meta mesmo é tornar essa acesso financeiramente possível.

Em suma, o grupo pretende criar novas propostas de negócio e oferecer para as operadoras móveis, fabricantes de aparelhos, desenvolvedores e outras empresas, a fim de convencê-las a reduzir os custos de acesso. Além disso, também foi pensada a questão do idioma dos aparelhos, o que pretende-se que haja o maior número possível de línguas para proporcionar acesso a todos esses países.

Por Fábio G. Santos


O governo brasileiro publicou o Decreto Federal 7962/13 que trata sobre a segurança do comércio eletrônico brasileiro. O texto indica um conjunto de obrigações que os donos de lojas virtuais deverão cumprir para dar mais segurança aos clientes da internet.

O decreto entra em vigor a partir dessa terça-feira, dia 14 de maio de 2013, e propõe vários pontos que os comerciantes devem ficar atentos.

Um dos principais pontos do decreto é que todos os sites precisam disponibilizar informações como nome empresarial, CNPJ, endereços físico e eletrônico, além de características essenciais dos produtos para auxiliar o consumidor na hora de comprar. Essas informações devem possuir local de destaque e de fácil visualização no site. Outras medidas são também contempladas, como por exemplo, obrigações específicas para sites de compras coletivas e direito de arrependimento do consumidor ao adquirir produtos.

Esta posição do governo brasileiro, junto com a criação da primeira lei sobre crimes virtuais, indica que o Brasil caminha para dar uma devida atenção à internet, para assegurar o direito dos consumidores e evitar danos maiores aos internautas.

O documento com essas novas obrigações está disponível no link www.jusbrasil.com.br.

Por BCC


O Ministério das Comunicações (MiniCom) defende a instalação de pontos internacionais de tráfego na internet para reduzir o custo das operadoras e, consequentemente, os gastos do consumidor.

Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, divulgou que as empresas de telecomunicações chegam a gastar US$ 500 milhões por ano para efetuarem conexões internacionais de internet, pois elas são intermediadas pelos serviços de operadoras norte-americanas.

Como esse gasto funciona? O Brasil possui pontos de tráfego nacionais, ou seja, o custo para acessar sites brasileiros não chega a ser tão salgado. Porém, quando acessamos o Facebook, por exemplo, a conexão passa a ser feita por meio de provedores dos Estados Unidos.

Para realçar a importância da construção de pontos internacionais no país, o ministro revela a diferença de preço da internet no atacado nos EUA e no Brasil. "A internet em Miami vendida no atacado custa U$$ 3 o Megabit. Aqui, em São Paulo, é em torno de R$ 50,00 a R$ 53,00”.

Além desses argumentos, Bernardo também aponta que com o crescimento da demanda pela internet as linhas internacionais estarão congestionadas até 2017.

O Brasil já projeta a instalação de pontos internacionais via cabos submarinos para o Estados Unidos, África e Europa. 

Por Davi Pizelli

Fonte: Ministério das Comunicações


Um dos grandes problemas de segurança nos dias de hoje em todo o mundo e também no Brasil são os chamados crimes virtuais e ataques cibernéticos.

Esta modalidade de atuação criminosa utiliza a internet e suas vulnerabilidades para aplicar golpes e cometer crimes das mais variadas espécies.

Por isso, o Brasil divulgou nesta semana que irá criar o Sistema Militar de Defesa Cibernética que será um órgão chefiado pelas Forças Armadas e que terá como principal missão proteger os brasileiros de ataques cibernéticos.

O SMDC pretende evitar este tipo de situação em eventos importantes no país como a Copa do Mundo e as Olimpíadas além de criar estruturas de inteligência para a investigação deste tipo de atividade no território nacional.

Fonte: EFE

Por Ana Camila Neves Morais


A Justiça Eleitoral do estado de São Paulo determinou uma multa para o Google no valor de 2,2 milhões de reais.

O motivo da penalidade é porque a empresa de informática não retirou do ar um blog que criticava a prefeita Darcy Vera reeleita para governar a cidade de Ribeirão Preto; além disso, o gigante de buscas também teria se negado a fornecer informações sobre o dono do blog para as devidas punições pela justiça.

De acordo com o juiz responsável pela sentença, o conteúdo presente no blog era difamatório e realizava campanha eleitoral de forma irregular.

Agora, o Google tem o direito de recorrer desta decisão ou efetuar o pagamento da multa para finalizar definitivamente esta questão.

Por Ana Camila Neves Morais


Os serviços de e-mail utilizados irão receber uma atualização no início de 2013.

Esta decisão partiu do Comitê Gestor da Internet no Brasil o qual resolveu que configurações antigas não irão funcionar a partir do próximo ano para este tipo de mensagem.

Deste modo, o comitê pretende reduzir o número de mensagens consideradas spam (lixo eletrônico).

A restrição será feita apenas para os programas que enviam e-mail pela chamada “porta 25” do dispositivo e para este mecanismo será preciso atualizar as configurações do serviço de e-mail mudando para a porta 587 em um padrão SMTPS.

Esta mudança teve o aval da Anatel e de outros órgãos do ramo de internet e telefonia que considera esta alteração essencial para conexões mais seguras.

Nesta situação, a porta de envio 25 deve ser fechada pelas operadoras de telecomunicações no dia 31 de dezembro de 2012 e a notificação desta mudança deve ser feita pelos provedores de e-mails existentes no Brasil.

Por Ana Camila Neves Morais


A Ericsson ConsumerLab divulgou esta semana os resultados de uma pesquisa que indica as maiores tendências no mercado da tecnologia para o consumo no ano de 2013.

Este estudo é realizado há cerca de 15 anos e considera os comportamentos e modos de uso das tecnologias da informação além dos valores e gostos das pessoas em todo o mundo.

De acordo com este levantamento as grandes tendências para 2013 serão:

– Aumento da computação em nuvem

– Computação para mente dispersa feitas no momento sem grandes planejamentos com um uso maior de tablets e smartphones

– Aumento do número de smartphones tornando a Internet mais móvel

– Uso de banda larga pessoal no trabalho

– Liderança feminina no uso de smartphones

– Maior segurança no uso das redes sociais

– Crescimento do mercado de compras online

– Maior uso de redes sociais nas zonas urbanas

– Uso maior da tecnologia da informação para a aprendizagem escolar

– Incremento do uso social da televisão por meio de fóruns, chats e similares.

Por Ana Camila Neves Morais


O IBGE divulgou nesta última sexta-feira, dia 14 de dezembro de 2012, os resultados de um estudo feito sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Empresas.

Segundo a pesquisa no ano de 2010 aproximadamente 80% das empresas que possuíam ao menos 1 funcionário fizeram uso de computador, enquanto 76,9% usaram a internet e 83,3% usaram o celular para resolver questões do trabalho.

Ao considerar as microempresas – com até 09 funcionários – 78% tiveram que utilizar o computador, 73,7% se conectaram a internet com um maior uso de opções tecnológicas em empresas do ramo de informação (85%) e seu menor uso no ramo da indústria com 73%.

Já para empresas maiores, com até 19 empregados, o uso de computador ocorreu em 94,1% das vezes e o uso da internet foi registrado em 91,5% dos momentos de trabalho; nestas empresas com maior porte, naquelas voltadas para atividades técnicas e científicas o uso de computador e internet foram de 99,3% enquanto que naquelas voltadas para o ramo de alojamento e alimentação este uso foi de apenas 83% no período analisado pela pesquisa.

Fonte: Estadão

Por Ana Camila Neves Morais


A rede de relacionamentos profissionais LinkedIn está se consolidando como uma boa fonte de troca de informações neste aspecto.

Um reflexo disto reside no fato de que diversas empresas atualmente estimulam seus empregados a utilizarem esta rede social.

Para melhorar esta questão, o LinkedIn oferece a possibilidade de criar embaixadores sociais se tornando colaborador de uma marca ou empresa e auxiliando, assim, em uma maior visibilidade e fortalecimento dos negócios de uma marca ou organização.

Fonte: R7.com

Os embaixadores sociais nesta rede podem oferecer conselhos sobre o uso de redes sociais, incentivar o uso do LinkedIn bem como reforçar a importância de manter perfil atualizado para obter maiores resultados externos.

Por Ana Camila Neves Morais


A UIT (União Internacional de Telecomunicações) finalizou juntamente com suas 89 delegações de países ao redor do mundo a revisão do Regulamento das telecomunicações Internacionais.

O novo tratado define os princípios a serem seguidos por todo o mundo para a garantia de um fluxo livre de informações.

De forma mais específica, a UIT delimitou no novo texto do tratado o uso de esforços para oferecer acessibilidade para pessoas com deficiências além e garantir a todos o direito à liberdade de expressão por meio das redes de comunicação.

A grande discussão do evento foi relacionada à governança da Internet com discussões acirradas para evitar um controle global da grande rede.

De forma, geral a conferência da UIT terminou com avanços que “ajudarão a pavimentar o caminho para um mundo hiper-conectado que vai trazer o poder das tecnologias de informação e comunicação (TIC) para as pessoas em toda parte”.

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro de 2012, o Ibope Media divulgou os resultados de uma pesquisa sobre o acesso à internet no Brasil.

Segundo a pesquisa, o país possui atualmente cerca de 94,2 milhões de pessoas com acesso à internet sem considerar a efetiva utilização da rede de computadores.

Nesta análise foram levados em consideração as crianças e adolescentes até 16 anos com acesso em casa bem como aqueles que utilizam locais públicos como trabalho, lan houses e outros.

Ao considerar os internautas que utilizam acesso em casa e no trabalho é obtido um total de 72,4 milhões que representa um aumento de 14% em relação ao ano de 2011 que possuía 63,5 milhões de pessoas conectadas.

Por Ana Camila Neves Morais


Com o início do ano chegando começa a corrida dos pais pelos melhores preços em materiais escolares para seus filhos.

Para atender a este público sazonal foi criado no site Sua Lista Escolar um recurso que personaliza a lista de materiais para estudos.

Para isso é preciso o envio da lista de materiais escolares e em no máximo 24 horas o usuário terá uma lista personalizada com diversas opções de produtos e preços para a escolha.

Deste modo, a compra dos materiais escolares dos filhos ficará mais fácil com a identificação do melhor preço e maior qualidade.

Fonte: IDGNOW


Uma das grandes preocupações com a internet é o seu uso pelas crianças e para auxiliar os pais nesta tarefa, o Google informou que está desenvolvendo um recurso para controle do seu programa Chrome.

Com esta nova funcionalidade haverá uma diminuição de privilégios para usuários além de limitações em acesso a sites a critério do administrador.

Deste modo, esta nova configuração do Google Chrome irá permitir o controle de acesso a sites e conteúdos da internet pelas crianças com uma maior tranquilidade de seus pais ou responsáveis.

Fonte: Techcrunch

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um projeto inovador do Google foi mostrado para o mundo e agradou aos amantes da tecnologia.

A novidade é o Google Fiber que disponibiliza internet com alta velocidade além de possuir aparelhos como Storage Box para o armazenamento de arquivos, o Network Box para ser utilizado como modem e roteador além do Nexus 7 que funciona como controle remoto da televisão que conta ainda com aproximadamente 160 canais de entretenimento.

Todo este conjunto impressionante já está em fase de testes em Kansas City nos Estados Unidos e vem mostrando que cumpre tudo o que promete com internet de alta velocidade e qualidade na imagem.

Por Ana Camila Neves Morais


Insatisfeito com a internet móvel da Claro, TIM ou Vivo? Agora você vai ganhar mais uma opção para poder escolher o melhor serviço móvel para você, pois desde o dia 22 de novembro a Oi também entrou na disputa com a sua internet pré-paga.

Os planos disponíveis serão os seguintes: no esquema de uso diário, serão 50MB por R$ 1,89. Se preferir o esquema semanal, 100MB por R$ 9,90. E também terá duas opções de pacotes mensais. Uma com 150MB por R$ 29,90 e a outra que vai oferecer 500MB por R$ 59,90, e que daria direito a acessar os hotspots Oi Wi-Fi.

A Oi também esclareceu que o usuário não vai pagar excedente quando a sua franquia acabar. Ele poderá continuar navegando normalmente, mas terá uma redução de velocidade, passando dos 1Mbps prometidos na rede 3G, e 300 Kbps na rede 2G, para uma velocidade até 50 Kpbs.

O uso da internet promete não criar problemas para os usuários, pois a operadora informou que o seu uso será simples. Basta inserir o modem no tablet e abrir o navegador. O usuário será direcionado automaticamente para uma página de cadastro, onde poderá escolher as opções dos planos.

E aí, vai trocar a sua internet pela Oi?

Por Allan Couto Martins


Um servidor que disponibilizava internet para os computadores que foram contaminados pelo vírus DNSChanger foi desligado pelo FBI. De acordo com a BBC, mais de 300 mil máquinas ficaram sem internet em vários países.

O DNSChanger é um vírus que muda todas as configurações de DNS dos computadores e redireciona as páginas e resultados de pesquisas dos usuários para os sites que estão infectados ou que possuam origem maliciosa. O vírus ainda bloqueia o acesso a links que tentem oferecer alguma solução para limpar as máquinas desta ameaça.

No final do ano passado as autoridades americanas prenderam seis pessoas na Estônia, responsáveis pela criação e por espalhar o DNSChanger. O próprio o FBI informou que o malware atingiu cerca de 100 países, sendo que só nos Estados Unidos foram mais de meio milhão de máquinas infectadas, e no Brasil foram seis mil.

Para tentar erradicar o vírus, o FBI conseguiu uma ordem judicial para conseguir trocar os servidores que foram infectados por novos e contratou uma empresa privada para instalar dois servidores para limpar as máquinas em que o vírus foi instalado. O único problema é que essa medida de segurança teve seu prazo vencido no dia 09 de julho.

O FBI desligou os servidores infectados e pediu que os usuários que foram vítimas do malware limpassem seus computadores para evitar que os servidores fossem desligados novamente. Até  o momento a ação foi eficaz.

Por Guilherme Marcon


O brasileiro está cada vez mais conectado. Bom, ao menos é isso o que afirma um estudo recente do Interactive Advertising Bureau,o IAB Brasil.

De acordo com a organização o estudo tinha como objetivo fornecer uma visão mais clara sobre a audiência online do brasileiro. Ou seja, sobre seu grau de envolvimento com a internet e outros aspectos que giram em torno dessa área.

A pesquisa foi realizada com 2.075 usuários de internet entre os dias 6 e  14 de fevereiro de 2012, via e-mail.

De acordo com os resultados obtidos mais de 40 usuários participantes passam pelo menos duas horas por dia na internet. A pesquisa também mostrou que além de ser o meio mais importante para 80% deles ela também é a atividade preferida, seja por  faixa etária, renda, gênero ou região.

A pesquisa apenas comprovou o que todos nós já sabemos: brasileiro adora internet. E por isso que a audiência gerada por aqui é disputada “dente por dente” pelas principais empresas digitais em atividade atualmente.

Todos lembram que lideramos no uso do Orkut e já estamos caminhando para os 50 milhões de usuários no Facebook.

Pelo visto, internet é conosco mesmo!

Por D. Soares

Fonte: Portal Comunique-se


O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) realizou um estudo para avaliar as alternativas que possam facilitar o acesso à banda larga no Brasil. De acordo com a pesquisa Panorama da Comunicação e das Telecomunicações no Brasil 2011/2012, o país precisa oferecer alternativas de acesso à banda larga (como o celular e o televisor), internet pré-paga, taxas diferenciadas e ainda investir no treinamento da população em geral.

O pesquisador do IPEA, Rodrigo Abdalla Filgueira, confirmou que o imposto mais baixo para a produção e comercialização de computadores pessoais é importante, mas não determinante para que os objetivos do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) sejam atingidos. “Novas formas de acesso – em especial o telefone móvel e o televisor – devem ser consideradas como opções de acesso à internet pela população de baixa renda e, consequentemente, na política de desoneração fiscal. Além disso, mais telecentros públicos devem ser colocados à disposição da população como forma complementar de acesso à internet”, escreveu num artigo.

Além disso, Filgueira apontou que a capacitação das pessoas está se desenvolvendo em um ritmo lento; por isso, há necessidade de criar mais vagas em cursos novos e também ampliar as ofertas naqueles que já existem.

Por Matheus Camargo

Fonte: IPEA


De acordo com a Abc News, um estudo feito pelo Boston Consulting Group analisou e divulgou o que as pessoas seriam capazes de deixar de lado durante um ano inteiro para não perder o seu acesso à internet.

O estudo coletou dados referentes à dependência que as pessoas têm da internet, principalmente através da pergunta de que se tirassem a internet, o que abririam mão para tê-la novamente. A pesquisa feita pelo Boston Group focou na importância da internet para a vida das pessoas e para a economia, prevendo que no ano de 2016 esta rede mundial chegará aos 5,2% do PIB (Produto Interno Bruto) para os países do G20, além de revelar uma grande dependência dos usuários pela conexão à web.

Os dados divulgados mostraram que, entre os norte-americanos, 73% trocariam o álcool pelo retorno do acesso, 77% abririam a mão de comer chocolate, 69% largariam o café e 21% deixariam de fazer sexo por um ano para ter a internet de volta.

A pesquisa foi baseada nas entrevistas de 1.000 pessoas em cada um dos países que compõe o G20, que é o Grupo das nações mais desenvolvidas do mundo.

Por Guilherme Marcon


Apenas um dia após a liberação para download da nova versão do popular navegador de internet da Mozilla, o Firefox 9, a companhia constatou que um bug fazia com o programa travasse em vários computadores e já disponibilizou uma nova atualização, chamada de Firefox 9.0.1.

A correção, que começou a aparecer para quem tem o Firefox 9 na última quinta-feira (22/12), deixou assustados alguns usuários, que acreditavam se tratar de um vírus ou algum tipo de arquivo maligno, devido à pequena diferença de tempo entre a disponibilização da nova versão e sua primeira atualização. Em um fórum de suporte da Mozilla usuários faziam perguntas como “já vejo links para uma nova versão. Por que ela já está disponível? É algum tipo de vírus?”.

A Mozilla não deu muitos detalhes sobre o bug nem comentou se havia outros motivos para a atualização além do problema. Responsáveis pela engenharia de projetos da companhia afirmaram a vários jornais que decidiram fazer a atualização devido a relatórios de erros recebidos principalmente de usuários de Mac, embora também tenha acontecido em Linux e Windows. O software da Microsoft foi o menos afetado pelo problema, mas os engenheiros recomendam que todos instalem a atualização.

Para fazer download do Firefox 9.0.1 basta acessar o site oficial da Mozilla no Brasil – br.mozdev.org.

Por Mozart Artmann


O Instituto Ibope Nielsen Online constatou no mês de novembro que o número de brasileiros que têm acesso à internet no local de trabalho ou em casa cresceu 3,7% em relação ao mês de outubro, registrando um total de 63,5 milhões de brasileiros na rede mundial de computadores.

Os dados foram divulgados na última quinta-feira (22/12), que constatou também um aumento de 17% com relação ao mês de novembro de 2010, pois nesse mesmo período do ano passado o número de pessoas com acesso à internet era de 54,5 milhões.

Em se tratando de pessoas que têm acesso à rede em qualquer ambiente, seja ele em casa, no trabalho, em lan houses ou na escola, o número sobe para 78,5 milhões de usuários no terceiro trimestre deste ano.

Os sites relacionados a assuntos automotivos foram os que tiveram maior crescimento de visitas na rede, registrando aumento de 3,9% entre outubro e novembro. Na categoria Viagens, o crescimento foi de 3,4%, e para assuntos relacionados a Computadores e Eletrônicos, o crescimento foi de 2,8%, durante o mesmo período.

Também foi avaliado pelo Ibope a atividade publicitária na internet, através do AdRelevance. Segundo a pesquisa, 6,6 mil campanhas publicitárias foram feitas no Brasil através da rede em novembro, divulgando 2,4 mil anunciantes. Foram mais de 20 mil banners em novembro, registrando um total de 117 mil em todo ano de 2011.

Por Manoel da Costa Jr


Em ambientes acadêmicos o termo globalização é analisado tanto de maneira positiva como negativa. Na primeira concepção, acesso a serviços e produtos de outros países; na segunda ideia, problemas relacionados ao abafamento das individualidades de cada região em prol de um mundo cada vez mais conectado.

Um dos maiores representantes dessa situação é a internet. Assim como anteriormente descrito, para esta existem pontos bons e ruins, mas dificilmente os cidadãos deixam de usá-la. E se seguir a tendência é estar em consonância com o atual século, o Brasil tem procurado ampliar o acesso da população à rede.

De acordo com Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, além de haver a implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), há intenções de se melhorar a qualidade da internet disposta no Brasil com a utilização de cabos de fibra ótica – atualmente estão afixados em apenas algumas regiões.

Concordando com a opinião de especialistas de que a velocidade a ser oferecida pelo PNBL, de 512 kbps, é baixa para padrões de muitos países, Bernardo admite ser necessário muito mais, porém a tecnologia aparelhada pelas companhias privadas é restrita e cara.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Agência Brasil


Esta vai para os cibernéticos que tenham computador portátil mas são desprovidos de internet sem fio. Muitos restaurantes e bares permitem acesso gratuito em suas redes de internet wireless, o chamado sistema WI-FI, contudo usar essas redes não é tão gratuito assim tendo em vista que você sempre terá de consumir alguma coisa no estabelecimento para garantir a acessibilidade.

Para países em que a internet WI-FI não é gratuita é preciso achar alternativas mais baratas de acesso, para quem mora em São Paulo capital, uma boa pedida é se cadastrar no site do Centro Cultural São Paulo (CCSP – metrô Vergueiro) e pedir uma senha de acesso ao sistema wireless. A liberação do sistema leva menos de uma semana e depois de assinar um termo de responsabilidade você poderá usar a internet livremente nas dependências do CCSP.

CCSP:

www.centrocultural.sp.gov.br (clique em “Rede Sem Fio”)

Rua Vergueiro, 1000 – São Paulo

Por Monica Dinah


A internet sem dúvida proporcionou a todos nós uma série de benefícios, porém infelizmente há um lado negativo que ela trouxe, me refiro à invasão de privacidade.

Fotos que são postadas na internet sem a autorização do usuário, vídeos que são divulgados sem permissão, são alguns exemplos dessa invasão de privacidade. Crimes como estes são condenados pela lei e deveriam ser devidamente punidos, no entanto não é bem isso o que acontece, pois as pessoas atingidas não denunciam.

Não há como prender alguém sem que haja uma denúncia, o problema é que muitos pensam que não vai adiantar, e é exatamente esse tipo de pensamento que acaba deixando os criminosos impunes.

As vítimas devem denunciar, pois só assim a polícia poderá fazer alguma coisa a respeito do crime praticado.

Por MS


A cada dia aumentam as compras realizadas pela Internet, são pessoas e mais pessoas que preferem a praticidade da sua casa, e pesquisam por todos os sites, a fim de obter o melhor preço e poderem comparar diversos produtos.

As lojas que anunciam os seus produtos na Internet têm um aumento de 20% nas vendas, do que as que não anunciam. Visto que os consumidores preferem pesquisar, o produto primeiro, para depois ir até a loja e comprá-lo.

Os recursos tecnológicos estão ajudando cada vez a aumentar as vendas e facilitar a vida do consumidor. É necessário que as empresas modernizem-se e acompanhem as tendências do mercado brasileiro, pois ao consumidor nuca será alguém atrasado.

Por Mateus Silveira


Com o advento da Internet, os livros perderam espaço na vida das crianças e adolescentes, elas passam horas e horas na frente do computador, e não lêem sequer um livro.

Os argumentos citados acima, são usados por pessoas que acham que os livros “já eram”, isso não é bem verdade. Existem inúmeros sites na Internet que trazem resumos/resenhas de livros, ou até mesmo o livro na íntegra para que as crianças possam ler, bibliotecas virtuais também são muito procuradas.

O sistema educacional mudou,  as pesquisas escolares são pedidas, e os alunos fazem a pesquisa e procuram informações no computador. Não há necessidade de colocar o livro e o computador como rivais, mas sim colocá-los como aliados na tarefa de aprendizagem do aluno.


Adolescentes conhecidos por seu status de rebeldia e inconformidade com o mundo, andam passando um bom tempo no computador. Independência ou solidão?

Se alguns pais costumam ver essa proximidade do filho com o computador, como um sinal de amadurecimento, podem estar cometendo um grande equívoco. Adolescente se sente incompreendido por natureza, quer atenção que muitas vezes não lhe é oferecido em casa, e recorrem aos amigos e a internet.

Essa constante busca na internet, acaba isolando-os mais de sua família, tornando-se seres reclusos em seu mundo, e cada vez mais fechados para o diálogo. Se o jovem está rebelde procure saber o porquê dessa rebeldia, e não deixá-lo sozinho, achando que ele está muito “chato”.

Pais conheçam os seus filhos e ajude-os, pois vocês os conhecem melhor do que ninguém, e podem dar assistência para eles.


Infância, época de diversão, de não ter preocupações, época da inocência e também da internet. Internet?

As crianças brasileiras estão passando muito tempo na internet, deixam de lado brincadeiras tradicionais, e divertem-se com Orkut, MSN e vídeo game. Se por um lado é muito bom que as crianças aprendam desde cedo a utilizar o computador, por outro isso pode representar um perigo a elas.

São inúmeros os casos de abusos sexuais, seqüestros, assassinatos que ocorrem com as crianças, ocasionadas pela conversa via Internet. Também não é necessário proibi-las de nada, apenas o ideal seria que os pais acompanhassem a navegação dos filhos em sites (ficassem de olho), para protegê-las ou informá-las sobre determinado assunto.

Pais presentes, criança feliz.


Para quem gosta e está acostumado a comprar computadores e eletrônico em geral pela internet, pode se preparar para gastar um pouco mais. Tudo isso porque as empresas aéreas deverão cumprir uma lei que impede transporte de baterias de lítio por conta de acidentes passados.

Com a proibição, o frete deve encarecer e o reflexo será, obviamente, no aumento dos custos de exportação, pois as empresas terão que desenvolver meios alternativos de transportes deste tipo de material.

A proibição não é bem vista pelos especialistas de informática, pois somente 40 acidentes ocorreram em uma estimativa de 2,2 bilhões de baterias transportadas.

Por José Alberi Fortes Junior.





CONTINUE NAVEGANDO: