Novos processadores da Intel são 20% mais rápidos e devem ser utilizados por Desenvolvedores e Gamers.

Há décadas a Intel tem produzidos modelos de processadores de alta performance para usuários domésticos, fator que a consagrou como referência na fabricação de hardware. Atualmente, a fabricante possui duas linhas distintas: a mainstream (as quais são baseadas na tecnologia Skylake) e a recém lançada Broadwell-E, indicada ao público entusiasta.

Segundo a fabricante, a linha será inicialmente composta pelos modelos: Core i7 6800K, i7 6850K, i7 6900K e i7 6950K. Os novos modelos também serão compatíveis com o novo padrão de memórias RAM DDR4, com frequência de até 2400MHz em quad-channel.

A última atualização dos processadores topo de linha da empresa foi em 2014, quando a tecnologia Haswell-E foi implantada. Em relação a versão anterior, a nova tecnologia Broadwell-E amplia a capacidade de processamento para até dez núcleos destintos, contra oito da tecnologia anterior. Por exemplo, o modelo Core i7-6950X possui 10 núcleos e 20 threads.

De modo geral, o principal diferencial da nova linha está na litografia, que passa de 22 nm para 14 nm. Essa modificação gera aumento de performance e mantêm o consumo de energia em 140W, ou seja, o mesmo TDP utilizado pela linha Haswell-E.

Vale lembrar, que os novos modelos da linha Broadwell-E são direcionados principalmente ao público entusiasta, ou seja, desenvolvedores que desejam extrair ao máximo a performance dos componentes. A nova linha também pode ser indicada para o uso em games.

A nova linha também traz benefícios para quem possui placas mães com chipset X99 e processadores Haswell, já que ambas as tecnologias compartilham do mesmo soquete, o LGA 2011 v3.

A tecnologia Turbo Boost Max 3.0 também foi aprimorada e está focada principalmente nos programas que utilizam apenas um núcleo. Ou seja, quando apenas um núcleo for utilizado em tarefas a nova tecnologia faz com que o desempenho seja até 20% mais eficiente.

A Intel também promete um bom resfriamento, já que durante alguns testes realizados em overclock o modelo Intel Core i7 6950K alcançou 38ºC.

A nova linha de processadores da Intel já pode ser encontrada à venda nas principais lojas de informática do Brasil, com preços que variam entre R$ 2.800 e R$ 9.799,00. No momento da compra, é necessário examinar se os benefícios proporcionados pelos novos modelos condizem com as taxas cobradas em território nacional.

Por Wendel George Peripato


Confira aqui um comparativo entre as marcas e qual é a melhor para você.

Se você está perto de comprar um notebook com um processamento e um vídeo mais "encorpado", tenho certeza que se essa dúvida já não chegou a você logo irá chegar. Afinal, o que casa melhor: Processador AMD ou Intel Core?

Essa é uma escolha nem um pouco fácil, ainda mais se você já tem uma experiência agradável com uma das "duplas". Por isso iremos tratar desse assunto com total neutralidade e sem favoritismo.

Não é surpresa para ninguém que os processadores Intel carregam uma legião maior de fãs, devido ao seu desempenho, performance gráfica, número de núcleos e por aí vai, mas e se lhe for apresentado um mundo dos processadores AMD que era embaçado pela grandiosidade da Intel?

Antes de tudo, vale lembrar que essas dicas são especificas para  análise em portáteis, como notebooks, ultrabooks e netbooks.

Quando se trata de desempenho e comparando de modelos concorrentes, os processadores Intel levam vantagem, às vezes por pontos decimais. Quando for comprar um portátil, recomendo usar o site GPU BOSS. Ele lhe oferece a possibilidade de comparação entre vários aspectos dos processadores e placas de vídeos, lhe projetando em uma escala de 0 a 10 quem terá o melhor desempenho.

Se optar por processadores Intel, recomendo comprar um i7, pois diferente dos desktops, quando seu processador não lhe oferecer mais um desempenho à altura das atividades exercidas, você não poderá simplesmente trocar o processador, sendo necessária a troca completa do aparelho. Outro conselho é procurar por processadores da terceira geração em diante. Nada contra a primeira e segunda, mas elas se tornaram defasadas e antiquadas. Fechando o assunto desempenho, procure processadores da série QM, um processador Intel Core i7 3610QM é mais poderoso do que um i7 5500U.

Já olhando pelo fator placa integrada, vale a pena reavaliar seus conceitos sobre a AMD. Com uma tecnologia superior à Intel, processadores AMD podem lhe render melhor desempenho gráfico combinado com o processador de quatro núcleos, além de consumir menos energia que a rival. Com placas integradas que chegam a mais de 2GB de vídeo, você desfrutará do melhor do vídeo onboard utilizando o sistema de controle gráfico dos processadores Intel, que mais uma vez supera a concorrente pela facilidade e funcionalidade do painel de controle. Para melhorar sua situação, a AMD criou um sistema em que permite utilizar a placa gráfica do processador (integrada) com a placa de vídeo AMD Radeon (dedicada) simultaneamente, tornando assim a memória total gráfica superior a 3.5 GB, o que torna capaz o processamento de jogos mais pesados e programas que requerem esforço de vídeo. Essa tecnologia se chama “Dual Graphics” e pode ser conhecida melhor clicando AQUI.

Por fim, quero ressaltar que foram categorizadas o desempenho e performance gráficas nesse post. Quesitos como marca do dispositivo, placa mãe, placa de vídeo dedicada, foram descartados e fica uma curiosidade: Você pode encontrar um notebook com processador Intel Core e uma placa de vídeo AMD Radeon, da mesma forma que pode encontrar um com processador AMD com placa Nvidia GeForce.

Wendel Dias Quaresma


Cada vez a mais o setor de tecnologia apresenta inovações que facilitam nosso cotidiano, e que muitas vezes se adequam a nossa necessidade de portabilidade de tais aparelhos. Assim, ao longo do tempo, vamos presenciando e experimentando melhores tecnologias, e os aparelhos cada vez menores, deixando coisas obsoletas somente pela sua especificação de tamanho ou peso. Dessa vez, a novidade é o PC de bolso da Intel, apresentado em riqueza de detalhes na CES 2015 nos Estados Unidos, evento que ocorreu nesse mês de janeiro de 2015.

O novo dispositivo da Intel vem sendo chamado de Compute Stick, com comprimento em torno de 4 centímetros, sendo bastante parecido com formato tradicionais de pen drive que conhecemos. Segundo informações do site The Next Web, o computador de bolso tem entrada HDMI, processador quad-core, 2 GB de RAM, slot de cartão de memória, e capacidade para rodar os seguintes sistemas operacionais: Windows 8.1, Linux e Android. Ainda terá capacidade de armazenamento de 32 GB.

Em primeira instância, considerando sua configuração parece ser um ótimo aparelho e com certeza o ponto de largada para o aperfeiçoamento deste tipo de eletrônico, onde num futuro mais próximo teremos configurações mais robustas. Mas você deve estar se perguntando como será a conectividade com teclado, mouses e monitores, já que tradicionalmente necessitamos dessas ferramentas para executar as funcionalidades de um computador. Para isso, o aparelho apresenta uma saída HDMI e uma USB, onde o usuário poderá conectá-lo em um monitor, TV e poderá através da entrada USB colocar o teclado.

Entretanto, o aparelho possui tecnologia Bluethoth que permitirá a conexão desses periféricos, que afinal também tendem a ser sem fio, facilitando ainda mais a vida do usuário.

Na página oficial da Intel (www.intel.com/content/www/us/en/compute-stick/intel-compute-stick.html), na versão americana, já existe anúncio e imagens do novo PC de bolso, porém ainda não está disponível para a compra. Provavelmente, o aparelho chegará ao mercado americano ainda em 2015, tendo como preço sugerido o valor de 150 dólares.

O preço está bastante atraente, entretanto ainda precisamos aguardar qual a data de lançamento para o mercado brasileiro e o preço sugerido.

Por Thiago José Fernandes

Intel Compute Stick

Intel Compute Stick

Fotos: Divulgação


De acordo com a Intel, a partir do final de 2015 começarão a serem lançados notebooks sem cabos e fios para a carga da bateria.

A companhia fez uma reunião de desenvolvedores, denominada de Intel Developers Forum (IDF), onde ela permitiu a demonstração das tendências e tecnologias que estão sendo desenvolvidas nos seus laboratórios.

Kirk Skaugen, vice-presidente sênior e diretor geral do grupo PC Client da Intel, informou ao longo de sua apresentação no IDF que não serão mais necessários aos notebooks as fontes de força e cabos para conexões com monitores externos.

Skaugen também afirmou que será intitulado no começo de 2015 um notebook wire-free, com o objetivo de que os fabricantes de hardware tenham a possibilidade de produzirem componentes e periféricos que usufruam das tecnologias wireless de conexão e carregamento.

O vice-presidente sênior mostrou a transferência de streaming de vídeo 4K de um notebook sem fio para uma TV HD da LG. Skaugen relatou em outra demonstração que o notebook terá a possibilidade de recarga de suas baterias através do contato por meio de uma superfície especial, que também foi apresentada no encontro.

O diretor geral também citou como exemplo que quando cafés, restaurantes, aeroportos e outros lugares públicos instalarem estações de recarga wireless para as pessoas visitantes, a computação livre de fios irá se expandir pelas cidades e locais de trabalho.

Os notebooks wire-free precedentes possuirão chips relacionados com a arquitetura Skylake, que irá suceder a arquitetura Broadwell. O notebook referente fornecido aos desenvolvedores também possuirá conectividade LTE e uma câmera 3D com sensor de profundidade RealSense, que irá possibilitar a identificação da distância, tamanho, dimensões, cores e contornos de um determinado objeto.

A Empresa Intel divulgou as primeiras amostras de seu objetivo com o wire-free computing na feira computel, em junho desse ano. Ela passou a produzir uma dock inteligente, que permite a recarga de notebooks sem fio, possibilitando a passagem de dados entre eles com partes externas de armazenamento.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


A Intel pretende eliminar todos os cabos do computador sem comprometer qualquer funcionamento, será possível inclusive recarregar ou conectar aparelhos celulares sem a necessidade de usar qualquer tipo de cabo, isso se deve graças a uma nova plataforma chamada Skylake.

Um mundo sem fios, esse é o sonho de diversas pessoas que encontram dificuldades nas aglomerações de aparelhos em um ambiente, para eliminar esse pesadelo será usado um padrão chamado WiGig que se propõe em ter uma velocidade de transferência de 7 Gbps que possibilitará a conectividade entre aparelhos apenas pela proximidade.

Através de diversas pesquisas para a construção da tecnologia Skylake a Intel esbarrou na necessidade de que todo o dispositivo precisa necessariamente ser alimentado por alguma fonte de energia, a partir dessa necessidade a empresa criou a tecnologia Rezence que recarrega os aparelhos sem a necessidade de conexão a uma fonte de energia elétrica. O sistema pode ser instalado em qualquer superfície, como uma mesa e terá a capacidade de carregar dispositivos variados que estão sobre a superfície por meio de ressonância magnética, o sistema é capaz de carregar qualquer número de aparelhos ao mesmo tempo e tem a capacidade de carregar aparelhos que estejam a até cinco centímetros de uma superfície de madeira.

A expectativa da Intel no lançamento da tecnologia Skylake é grande e já tem uma previsão que o produto seja lançado depois da metade de 2015, mas é bem provável que os aparelhos com a tecnologia só comecem a chegar ao mercado mundial a partir de 2016 prometendo ser uma das maiores inovações tecnológicas da década, com proposições nunca imaginadas em um passado não muito distante.

É claro que as inovações tecnológicas não irão parar por aí, monitores holográficos já estão em fases de testes nos corredores da Intel, é esperar para ver!

Por Paulo Victor Bragança

Computador sem cabos

Foto: Divulgação


A Intel apresentou recentemente um novo conceito do Black Brook, um All-in-One que roda o sistema operacional Windows 8.1 e possui uma bateria integrada que visa garantir a mobilidade. A companhia afirma que o futuro dos computadores serão os portáteis e potentes. Isso porque o consumidor necessita de um computador potente para trabalhar, que seja conectado na tomada e utilize o mouse e o teclado. Mas ele deve servir também para os momentos de entretenimento, tornando-se uma plataforma com tela sensível ao toque e sem estar plugado, rodando jogos, vídeos e filmes.

A tela do All-in-One do Black Brook da Intel é touchscreen, com tamanhos de até 27 polegadas. A tela é bastante sensível, podendo ser utilizada por designers para fazerem suas criações. Por meio das câmeras 3D RealSense e um microfone que possui quatro entradas de áudio, o usuário poderá comandar diversas funções por meio de gestos e comando de voz. A bateria, depois de carregada, pode dar ao computador horas de funcionamento constante. Seu sistema operacional já está atualizado, com o Windows 8.1. Com ele, todas as tarefas serão facilitadas. Os processadores adotados serão superiores ao Intel Core i, como placa de vídeo de alta definição NVIDIA. Sua memória interna também irá variar, mas como possibilidade de extensão por meio de cartões de memória ou HDs externos.

A Intel lançou um vídeo no seu site oficial, chamado “What is a Portable All-in-One?”, ou “o que é um portátil All-in-One?”, que mostra ao público como será o funcionamento do novo produto e quais as tecnologias incorporadas. Porém, ele deverá chegar no mercado internacional somente daqui um ano, segundo os executivos da empresa. Seu preço não foi divulgado. É provável que seu custo será proporcional ao tamanho da tela, que pode variar.

A sua chegada aqui no Brasil poderá ser alguns meses após o seu lançamento.

Por Danilo Gonçalves

Intel Black Brook

Foto: Divulgação


A Intel lançou os primeiros tablets voltados para o ambiente educacional, os Intel Education Tablets.

Os novos dispositivos para fim educativo possuem telas de 7 e 10 polegadas e rodam o sistema operacional Android além de possuir processador Atom. Os tablets possuem câmera frontal de 0,3 MP e traseira de 2 MP, conexão Wi –Fi e suporte à caneta Stylus.

As principais características do tablet com tela de 7 polegadas são: peso de 355 gramas, 9,55 mm de espessura, resistente a água e quedas de alturas de até 60 cm e bateria com capacidade de 8 horas. Quanto ao processador, é Intel Atom Z2420 1,2 GHz. O sistema operacional é Android 4.1 Jelly Bean.

O Intel Education Tablet com tela de 10 polegadas possui 689 gramas de peso além de uma espessura de 13, 22 mm. A bateria tem duração de 6,5 horas e o tablet contém 16GB de memória.

O sistema operacional que roda no tablet é Android 4.0 Ice Cream Sandwich e o processador é Intel Atom Z2460 1,6 GHz. Da mesma forma que o Intel Education de 7’’, ele é resistente às quedas de até 50 cm de altura e à água.

A Intel não se manifestou acerca da data de disponibilização dos produtos para venda.

Por Melina Menezes.

 


A McAfee, empresa norte-americana, anunciou na última terça-feira, 14 de maio, um novo produto de segurança fruto de uma parceria com a Intel, o LiveSafe. O programa estará disponível para comercialização a partir de julho e será voltado para tablets, smartphones e computadores com Windows e Mac OS X.

Além de toda a segurança que os produtos da companhia já oferecem, o novo programa ainda conta com espaço de armazenamento na nuvem de 1 GB. Para dar mais segurança aos usuários o recurso só pode ser alterado após o reconhecimento facial e de voz, também é possível ter acesso aos dados através de uma senha, mas esse recurso só pode ser usado em casos de emergência.

A parceria entre a McAfee e a Intel resultou em melhoras na tecnologia Anti-Theft, recurso exclusivo da Intel, e também no IPT, o recurso de autenticação física de usuário. A licença do programa é ilimitada podendo ser instalado em aparelhos móveis com iOS e Android e em computadores com Mac OS X e Windows.

O LiveSafe custará R$ 159,90 para uma assinatura de 1 ano e todos os computadores e ultrabooks da Dell que forem comprados a partir do dia 9 de julho já virão com esta versão do McAfee instalada.

Por Felipe Santos Bonfim


Mais um novo sistema operacional está rodando pelos computadores do mundo todo: o Windows 8.

Esta novidade da Microsoft além de possuir uma interface gráfica totalmente nova possui como grande inovação ter um sistema exclusivo para tablets.

Um dos modelos que funciona com o novo Windows 8 é o Smart PC da Samsung que possui duas opções de uso: como notebook e como tablet.

Dentre suas principais características, o Smart PC possui um processador Intel Core i5, tela de 11,6 polegadas, entrada para USB e uma trackpad (área sensível ao toque), memória RAM com 4 GB de capacidade, conexão por meio de Wi-Fi.

Ao considerar a sua atuação no modo tablet, o Smart PC possui um Windows 8 muito veloz, tela em formato widescreen que facilita a digitação além de possibilitar uma navegação mais rápida e bonita.

Para quem deseja obter um modelo do Smart PC da Samsung, as suas vendas já estão sendo realizadas com quantidade limitada de unidade por preços a partir de R$4.299,00.

Por Ana Camila Neves Morais


A busca constante por inovações e melhorias tecnológicas leva ao surgimento cada vez mais rápido de novas possibilidades.

A novidade do momento neste ramo vem da Apple que pode estar criando a nova versão do Mac OS X que terá como base de funcionamento tecnologias feitas pela Intel.

O novo produto da empresa de Steve Jobs terá como nome OS X 10.9 e este novo sistema operacional já foram visualizados na internet e deve ser lançado no início de 2013.

Por Ana Camila Neves Morais


Em breve a Intel irá anunciar a chegada no mercado de eletrônicos de mais um importante produto.

A novidade do momento é a nova geração do chipset voltado para os processadores Sandy Bridges série E.

Esses processadores possuem um alto desempenho tendo até oito núcleos e substituindo modelos pesados da empresa como o six-core Core i7 Extreme e o Sandy Bridge 2600K.

O novo chipset X79 será o sucessor do X58 e iniciará o uso das CPU´S soket LGA2011.

Dentre as suas principais características estão um hub PCI-E no die do processador, controladora de memória DDR3 quad channel, para conectividade o novo chip usa um PCI-Express 2.0 x4 adicional permitindo a adição de recursos de comunicação como suporte de 10 portas SATA de 6 Gbps integradas ao PCH.

Além disso, o chipset X79 possui uma placa mãe com 8 portas SAS (serial-attached SCSI), hub PCI-Express 2.0 com mais de 32 camadas, alto poder para realizar overlock e um RAID nas configurações 0/1/5/10 e 14 portas USB 2.0.

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta sexta-feira, dia 07 de dezembro de 2012, houve mais um lançamento no ramo de eletrônicos, pois a Intel apresentou a versão beta do Graph Builder.

Este programa consiste em uma biblioteca em formato digital com muitos dados que podem se tornar gráficos.

Com isso, ele permite estabelecer relações entre muito dados criando, assim, imagens gráficas com bilhões de vértices.

A partir destas funcionalidades, o Graph Builder tem usos variados para pesquisas e no comércio como para a interpretação do Big data que são conjuntos enormes de informações com processamento em alta velocidade.

Por Ana Camila Neves Morais


O site Digitimes anunciou que a Intel está trabalhando a todo vapor para desenvolver novas tecnologias de armazenamento SSD. A ideia da companhia é conseguir aprimorar o uso desta tecnologia especialmente em ultrabooks, pois estes dispositivos são os que estão utilizando cada vez mais este recurso.

Segundo as informações reveladas pelo site, a empresa visa unir todos os padrões mSATA em apenas uma especificação. O nome do novo padrão deverá ser Generation Form Factor (NGFF) e a promessa é que ele traga diversas melhorias.

A Intel afirmou que é preciso combater as limitações existentes atualmente no mercado, como por exemplo, o fato de que a grande maioria dos mSATA permite a utilização de até quatro ou cinco chips de memória NAND, aproveitando apenas um dos lados da PCB. No entanto, o NGFF poderá ser utilizado em ambos os lados, ou seja, o teto máximo de 512 GB de memória encontrados atualmente será banido e dará lugar a uma capacidade de armazenamento dos ultrabooks muito maior.

Este projeto conta com a colaboração de diversas outras companhias de tecnologia, inclusive as que produzem este tipo de memória, como a  SanDisk, a Samsung e a Micron. A nova tecnologia deverá ser finalizada até o final de setembro, mas deverá surgir somente em 2013 nas novas linhas de ultrabooks.

Por Guilherme Marcon


Assim como as outras fabricantes, a Fujitsu resolveu lançar novas versões com o Ivy Bridge para os seus notebooks e desktops, anunciando a ampliação de algumas linhas na última segunda-feira, dia 04 de junho. As linhas de aparelhos que receberam a novidade foram a Futro, a Lifebook e a Esprimo, que só estão disponíveis no Japão, até o momento.

A linha Lifebook teve atualização primeiramente com o ultrabook U772/E, que passou a ter bateria com nove horas de duração, boot de apenas sete segundos, tela em LCD de 14 polegadas e detector de impressão digital. Ainda, outro aparelho da linha que foi atualizado foi o N532/E, que agora possui tela de 17.3 polegadas e resolução de 1600 x 900.

Já, na linha Esprimo, todos os desktops foram atualizados com o chip da Intel e receberam o sistema de segurança Palm Secure, que libera o computador somente com o reconhecimento das veias das mãos do usuário, e um novo serviço de economia de energia.

Por fim, a linha Futro será atualizada primeiramente com o desktop A300, que tem como sistema operacional o eLux, além de especificações e acessórios muito simples. O MP702 foi o segundo aparelho renovado, ganhando melhorias em seus mecanismos de segurança, e o MA552 foi o terceiro atualizado, tendo melhorias na tela Full HD e no teclado numérico.

Os aparelhos da linha Lifebook estarão disponíveis até a metade deste mês, a linha Esprimo será disponibilizada até o final de junho e a linha Futro entre julho e agosto.

Por Guilherme Marcon


Tendo em vista que a Intel afirmou, durante a CES 2012, que os ultrabooks eram o futuro da tecnologia, fica claro o motivo pelo qual a empresa investe em trazer diferenciais para esses aparelhos. Sendo assim, a Intel anunciou seu novo aparelho nomeado de Cove Point, durante a IDF 2012 em Pequim, que se trata de um dispositivo híbrido de tablet e ultrabook com sistema operacional Windows 8.

O Cove Point conta com tela touchscreen e teclado deslizante, e para “transformá-lo” em tablet basta guardar o teclado atrás da tela, já para deixá-lo como ultrabook é só deslizar o teclado “puxando-o” para frente. O design é muito parecido com o Transformer da Asus, possuindo os modos de exibição que colaboram com a reprodução de vídeos e filmes, além da digitação de textos diretamente na tela.

Gary Richman, diretor de marketing da Intel, afirmou que quando a empresa se pronunciou dizendo que os ultrabooks eram o futuro, ela já se referia aos novos formatos e designs, incluindo aparelhos conversíveis e com tela touchscreen. Isso, porque para a Intel os ultrabooks nunca tiveram foco apenas em manter o formato de concha.

O híbrido Cove Point, que foi apresentado, possuía processador Ivy Brigde, duas entradas USB 3.0, tela de 12.5 polegadas e conexão HDMI.

Não há informações sobre quais empresas pretendem apostar no híbrido da Intel e nem data para lançamento, mas o preço sugerido, conforme Richman, é de US$ 1.000.

Por Guilherme Marcon


A Intel anunciou esta semana uma nova tecnologia que pode ser a solução para empresas que tiveram seus laptops roubados ou perdidos. Uma pesquisa com 329 companhias concluiu que 86 mil notebooks foram roubados só em 2010. Incluída nos novos processadores de segunda geração Core i3, i5 e i7, a tecnologia vPro permite desabilitar o computador simplesmente enviando um SMS encriptado. Em caso de recuperação o equipamento, a reativação pode ser feita do mesmo modo.

Os novos processadores Intel Core com a tecnologia vPro chegarão ao mercado embarcados em equipamentos de vários fabricantes como Dell, Lenovo, HP e Fujitsu. Ela estará presente não só em notebooks corporativos como também em tablets, desktops e os novos modelos all-in-one.

Outro recurso interessante provido pela tecnologia vPro é a possibilidade de configurar o computador para exigir um login encriptado quando for ligado ou tirado do modo de espera. Segundo a Intel o sistema é muito mais seguro que simplesmente solicitar um nome de usuário e senha no sistema operacional.

Por Maximiliano da Rosa

 

Fonte: InformationWeek


O título deste artigo talvez possa enganar os mais distraídos, pois trata de um leitor digital de livros, e não de um leitor de livros digitais. Talvez você  esteja se perguntando qual a diferença? A ordem dos fatores altera o produto? Nesse caso, sim.

O fato é que logo haverá um caminhão de e-readers no mercado, todos no encalço do iPad, da Apple. Até aí, tudo bem, a concorrência é sempre bem-vinda. Mas o que os fabricantes de aparelhos eletrônicos parecem ter se esquecido é que existe uma boa parcela da população que não pode ler nem livros convencionais nem livros digitais.

Pensando nisso, a Intel apresentou no último ano, e deverá lançar em breve, o seu reader para deficientes visuais. Dotado de uma câmera e de um software de reconhecimento de escrita, o aparelho fará a conversão do texto para voz.

Enquanto faz a leitura o dispositivo exibe as palavras num pequeno display de LCD. Mas, pensando bem, se a pessoa é cega…

Esperamos que esse reader seja lançado o mais breve possível, pois devido à escassez de obras em Braile há muita gente por aí vivendo na escuridão intelectual.

Por Maximiliano da Rosa


Enquanto a AMD, uma das maiores fabricantes de chips do mundo, espera lançar seus novos produtos nas próximas semanas, a Intel, número 1 do mundo no setor, saiu na frente e anunciou sua nova linha de microchips.

Como sempre os novos chips possuem transistores cada vez menores, e foram projetados para maximizar o desempenho tanto de servidores como de desktops. Em contrapartida, esses equipamentos deverão consumir muito menos energia que seus antecessores.

Os novos chips também possuem novos atributos direcionados a segurança e permitirão que arquivos sejam encriptados e desencriptados de forma muito mais veloz.

A Intel espera agora avançar e ganhar terreno no mercado de jogos e multimídia, sem esquecer que o foco principal da empresa está nos servidores, onde detém 90 por cento do mercado internacional.

Já executivos da rival AMD correram para informar que seus novos processadores também visarão o mercado de servidores, e que terão um ganho expressivo de velocidade. Porém, para poder fazer um comparativo teremos que esperar um pouco mais.

Por Maximiliano da Rosa


A Intel, maior fabricante de chips do mundo lançou um programa para premiar os melhores aplicativos para o Intel Atom. Para quem não sabe, o Atom é o processador presente na grande maioria de netbooks e dispositivos móveis do mercado.

O objetivo do programa é incentivar a criação e otimização de aplicativos para netbooks e afins. O modelo do programa segue a linha do que o Google promoveu em 2009 quando distribuiu milhões de dólares para os aplicativos desenvolvidos para o Android.

Seguindo esse modelo, o desenvolvedor ganhará incentivos para criar seu aplicativo e inscrevê-lo no programa. Posteriormente os usuários poderão baixar, ou comprar, os aplicativos do mesmo modo que fazem com a AppleStore e o Android Market.

O prazo para se filiar ao projeto “Intel Developer Program” é 31 de Março. Há diversas categorias para participar, e três formas de gahhar com o programa. Acesse o site http://appdeveloper.intel.com e saiba mais a respeito.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: