Aparelho pode ficar até 60 minutos embaixo d\’água e conta com display de 7,8 polegadas.

A empresa de tecnologia Amazon, na maioria das vezes é lembrada por seu leitor eletrônico e também por ser uma das pioneiras no segmento. Este fato faz com que os concorrentes melhorem seus dispositivos com recursos diferenciados. É o que ocorreu com o Kobo Aura One, um novo leitor eletrônico com capacidade de ficar 60 minutos embaixo d’água e um display e-ink de 7,8 polegadas.

Sem contar o fato do aparelho ser à prova de água, o leitor tem boas especificações. Possui um peso de 226 gramas, com uma espessura de 6,9 milímetros, além de ter 8GB de armazenamento interno. De acordo com a companhia, a bateria dura até um mês sem que seja necessário recarregar.

A maioria dos e-readers possuem tela iluminada, mas o novo Aura One agora conta com recursos diferentes para leitores, que são derivados de smartphones, para que o display possa ser personalizado. O aparelho, por exemplo, adéqua a iluminação da tela de acordo com a luz ambiente detectada. Outra função que veio dos telefones móveis é a iluminação que é alterada depois que o sol se põe, como funciona nos aparelhos da Apple num recurso chamado Night Shift. A ideia é que o leitor realize a atividade no período noturno sem que as luzes tirem seu sono.

O leitor eletrônico Aura One, nos Estados Unidos, irá ser integrado com o serviço OverDrive, que realiza empréstimo de livros. Isso que dizer que o usuário terá a oportunidade de realizar empréstimos de livros em uma livraria local. Óbvio que não deverão ser disponibilizados muitos títulos recentes e também há um tempo de empréstimo, mas é uma vantagem, assim não precisando assinar o serviço da Amazon.

O novo Kobo Aura One será lançado no mercado estadunidense no dia 6 de setembro no valor de 230 dólares, o seu principal rival, Kindle Oasis, é vendido por 290 dólares, já no mercado brasileiro, o valor sugerido será de 1.399 reais. Levando em consideração os recursos, o aparelho é sem dúvida top de linha e deve ser vendido por aproximadamente mil reais, caso venha a ser lançado por aqui.

A Kobo já está presente aqui no Brasil e comercializa seus aparelhos por meio da Livraria Cultura. De acordo com a assessoria da livraria, o dispositivo chegará aqui no primeiro semestre do ano que vem.

FILIPE R SILVA


O concorrente do leitor eletrônico da Kindle o Nook lançou nesta quarta-feira dia 27 de outubro de 2010 uma versão com tela colorida.

O Nook Color chegará ao mercado em novembro e custará US$249, e a principio será vendido somente nos Estados Unidos.

O modelo possui tela de 7 polegadas, colorida, é sensível ao toque e suporta a versão 2.1 do Android (sistema usado em smartphones), vem com 8 GB de memória e conexão wireless mas não vem com conexão 3G.

O Nook Color rodará alguns aplicativos da loja da Android Mark mas não poderá executar programas. A compra de livros será realizadas on-line.

Por Ana Carolina


A concorrência no mercado de e-readers segue bem acirrada. No Brasil ainda poucas opções e a concorrência parece mais baixa. Tanto que a Positivo vendeu todo o estoque de seus aparelhos em apenas 3 dias. Nos Estados Unidos, porém, a situação é outra.

Por lá o Kindle domina. E assim como aconteceu com o e-reader brasileiro, a terceira geração do leitor de e-books da Amazon vendeu todo o seu estoque em poucos dias.

Por isso os outros fabricantes estão tentando ganhar espaço. A livraria Borders, por exemplo, agora oferece o e-reader Aluratek Libre eBook Pro por 99,99 dólares.

Já a gigante Sony deve oferecer uma versão mais avançada do seu e-reader. O novo aparelho deve ganhar tela sensível toque. A empresa revelou que não deve entrar numa guerra de preços com outros fabricantes num futuro próximo.

Por outro lado analistas preveem que os e-readers custarão até 50 dólares no ano que vem por causa dessa disputa.

Por Maximiliano da Rosa


Ler livros em papel já não é a única maneira de apreciar literatura, os e-readers vieram pra ficar e ganham cada vez mais variedade e qualidade. O mercado deve crescer quase 80% impulsionado pelo lançamento do iPad da Apple. O tablet iria alavancar a produção de conteúdo digital, o que seria bom para o mercado de e-readers.

Mas não são somente os aparelhos multimídia que irão vender, os aparelhos específicos para leitura tem seu lugar garantido no gosto do consumidor. Quem afirma isso é o fabricante de telas LG Display, empresa que fabrica telas para os aparelhos. As vendas de e-readers deram um salto de 1 milhão para 5 milhões de unidades em 2009. A empresa prevê que o mercado cresça entre 76 e 78% este ano, subindo para 8 mlhões de unidades.

Os modelos de e-readers que mais vendem são o Kindle da Amazon e o Sony Reader mas existem outras marcas como o Nook, da Barnes & Noble, o Que, da Plastic Logic, e o Skiff, da Hearst. Todos estão crescendo em vendas.

Por Mauro Tavares

Fonte: Folha de São Paulo


Notícias envolvendo os tablets e leitores de livros digitais não param de pipocar na Internet. A todo momento alguém lança algo novo. Ou diz que vai lançar. Há muito barulho em torno de assunto. Tanto, que fica até difícil separar o joio do trigo.

Enquanto rumores supostamente revelam que a Apple já teria (pré)vendido em torno de 120 mil iPads, outras empresas tentam fazer barulho e chamar a atenção para si. Um exemplo é a Amazon: preocupada com o futuro do Kindle, a empresa acaba de anunciar que seu e-reader deverá ganhar cores o ano que vem.

E outro vazamento de informações do Courier, o tablet da Microsoft teria acontecido na rede. Agora, além de fotos do produto, surgiu até um vídeo. Particularmente, acredito  que se trata de mais uma forma de marketing viral.

Ao que tudo indica, em 2010 as empresas de tecnologia estão dispostas a acabar de vez com os livros convencionais. Eu espero que não consigam, e que tudo não passe de mais uma febre.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: