Microsoft deve lançar nova versão tentando barrar o crescimento do Chrome OS.

A Microsoft pode estar preparando uma nova variante do seu sistema operacional mais recente, o Windows 10. Recentemente, com a chegada da build 15019 aos usuários que optaram pelas versões preview e pelo canal de atualização fast, reportaram esta descoberta interessante e ainda não revelada pela gigante americana.

Segundo estes relatos, o sistema se chamaria “Windows 10 Cloud” e a evidência estaria nos arquivos que estão na pasta Windows Kits. Nele, quatro novas linhas foram adicionadas e uma delas apontaria para product_cloud. A variante teria supostamente como principal objetivo mirar os usuários que preferem os chromebooks, que vem equipado com o sistema operacional da Google, que é todo baseado na nuvem e feito encima do navegador Google Chrome. Porém, esta variante da Microsoft rodaria apenas os aplicativos da Windows Store, deixando de lados os tradicionais aplicativos chamados win32.

Como a intenção é levar o Windows 10 ao maior número de dispositivos possíveis, a versão Cloud, como está sendo chamada, seria uma resposta a um seguimento onde a Google aos poucos está conseguindo mercado, oferecendo o Chrome OS aos fabricantes. Pode parecer que os chromebooks não são populares (afinal aqui no Brasil são pouquíssimos modelos que temos disponíveis no mercado imenso de notebooks e ultrabooks), porém, nos Estados Unidos o uso vem aumentando, principalmente em escolas e por estudantes que não precisam de muito processamento.

A idéia pode parecer nova, mas lembra muito o Windows RT. Na época do Windows 8, a Microsoft produziu uma variante deste sistema para ser equipadas em dispositivos com processadores ARM. Na ocasião, ele rodava apenas aplicativos da Windows Store, porém, foi descontinuado há algum tempo.

Enquanto a Microsoft não confirma estes rumores (apesar do seu porta voz dizer que não tem nada a declarar sobre esta suposta versão), os usuários que adquirem novos computadores com configurações mais simples a medianas levam para casa embarcado o Windows 10 Single Language ou o Windows 10 Home, versões mais simplificadas do Windows. Na época do Windows 8.1, a Microsoft tentou emplacar também nestas máquinas o Windows 8.1 com o Bing, além é claro, da sua versão home.

Se nada der errado, podemos ver a existência desse novo Windows já nos próximos meses.

Por Leandro de Souza


Computador deverá ter uma versão com 16 GB de Memória RAM.

A HP revelou seu novo Chromebook 13, que promete desempenho de sobra até para os usuários mais exigentes. O notebook é equipado com o sistema operacional do Google (o Chrome OS) e apresenta um acabamento de qualidade, além de especificações de hardware que colocam o laptop no mesmo nível do Pixel, lançado recentemente pelo Gigantes das Buscas. Haverá uma versão de 16 GB de memória RAM para o Chromebook da HP, o que deverá dar um desempenho espetacular para a máquina que já conta com um sistema leve.

O novo notebook apresenta uma outra qualidade interessante. Sua tela apresenta uma excelente resolução de 3200 x 1800 pixels. O laptop também conta com o sistema de áudio da Bang & Olufsen para proporcionar a melhor experiência sonora para os usuários. Ele é fino, com uma espessura de 12,9 mm. A HP aposta em configurações topo de linha para conquistar os consumidores que se identificam com os serviços do Google.  Seu notebook conta com armazenamento SSD de 32 GB, além de disponibilizar suporte a leitor de cartões microSD.

Em todas as suas versões, o Chromebook 13 acompanha duas portas USB-C, novo padrão utilizado pela indústria tecnológica. Com isso, será possível conectar até três monitores simultâneos com o suporte disponibilizado de maneira nativa pelo Chrome OS.

A máquina conta com uma bateria que, segundo a HP, suporta até 11,5 horas longe de uma fonte de energia.

Os valores do Chromebook 13 são diferentes conforme as configurações. A melhor delas sai por US$ 1.029 (R$ 3.600 na conversão direta, sem impostos). Esse modelo oferece um processador Intel Core M7, da mais recente geração Skylake. Já na versão de entrada do computador, o preço fica em US$ 499 (R$ 1.740). Neste valor, o consumidor consegue um processador Pentium e 4 GB de memória RAM.

Ainda não há qualquer previsão de chegada do novo produto da HP no Brasil. Vale a pena lembrar que os Chromebooks tem ganhado a atenção do Google, uma vez que breve deverá ser possível executar aplicativos Android no Chrome OS. Com isso, o sistema ganharia milhões de aplicativos oriundos do sistema operacional móvel da empresa americana. Resta esperarmos para ver quais serão os planos do Google para seu sistema.

Por William Nascimento


Chromebook Flip C100 híbrido tem a função de notebook e tablete. Modelo é dobrável e tem tela de LCD de 10,1 polegadas.

A fabricante de eletrônicos taiwanesa Asus lançou um novo Chromebook que tem a função de notebook e tablet. O Chromebook Flip C100 híbrido é um computador 'dobrável' que acompanha uma tela de LCD de 10,1 polegadas e é considerado prático para usuários não muito exigentes em termos de desempenho.

O Flip é feito basicamente para ser portátil e suprir as necessidades básicas dos usuários, como navegação na internet, edição de textos, ouvir música, entre outros.   O Flip C100 oferece o sistema operacional do Google, o Chrome OS. O sistema é bastante elogiado por ser leve e ajudar mesmo máquinas de hardware limitado a terem um bom comportamento. No entanto, sem conexão com a internet, pouco se pode fazer com o sistema.

O preço do Chromebook é de US$ 249 na versão mais simples, cerca de R$ 800 na conversão direta.   

O hardware do Chromebook Flip C100 possui boas características, como um processador Quad-Core de 1,8 GHz, memória RAM de 2 ou 4 GB, tela de 10,1 polegadas com resolução de 1280 x 800 pixels, câmera HD, além de uma bateria que promete duração de 9 horas de uso contínuo. Sendo assim, o grande atrativo do híbrido da Asus é sua função 2 em 1. Ele pode ser totalmente dobrável, em 360º. Isso dá a possibilidade do usuário adaptar o ângulo da tela para ver filmes e fotos, utilizando o teclado como base.   

O notebook também possui Bluetooth 4.1, portas USB e HDMI, além de Wi-Fi dual-band. O Google ainda oferece um espaço grátis de 100 GB em seu serviço de armazenamento em nuvem, o Google Drive. Este espaço é válido por dois anos. O armazenamento interno do Chromebook é de 16 GB ou 32 GB dependendo da versão. Na versão de 2 GB de memória RAM, o Chromebook da Asus fica por US$ 249, enquanto que na versão de 4 GB sai por US$ 279 em lojas online. Até o momento o notebook não está disponível no mercado brasileiro.   

A Asus também exibiu alguns de seus notebooks mais potentes na cidade do Rio de Janeiro. A exposição aconteceu no evento Taiwan Excellente 2015, que tem como objetivo mostrar os produtos premiados do tigre asiático e aproximar as relações com o Brasil. As marcas que estavam presentes no evento eram a Asus, Acer, Cooler Master, D-Link, entre outras.  

O computador presente no evento era o ultrabook Asus Zenbook UX301 que apresenta excelentes configurações. Ele destaca-se por sua tela de 13,3 polegadas, sensível ao toque e bastante resistente a riscos. Seu processador é o Intel Core i7 de quarta geração. Ele roda o Windows 8 com atualização gratuita para o Windows 10 e está disponível por cerca de R$ 10 mil no Brasil.

Por William Nascimento

Chromebook da Asus

Chromebook da Asus

Chromebook da Asus

Fotos: Divulgação


O mercado de laptops de baixo custo deve crescer ainda mais no próximo ano. Essa é uma das expectativas de uma das principais fabricantes do mundo tecnológico, a HP. A empresa está investindo consideravelmente no mercado de Chromebooks de baixo custo. Os Chromebooks são laptops equipados com o sistema operacional do Google, o Chrome OS. Suas configurações são mais modestas, mas visto que suas aplicações trabalham em nuvem, o laptop é bastante eficiente.

A HP anunciou um novo modelo, o mais recente da família de Chromebooks. Trata-se do Chromebook 14-X050NR, que acaba de ser lançado no mercado americano por US$ 439,99, cerca de R$ 1.150 pela cotação atual do dólar, sem impostos.

Em resumo, ele apresenta uma configuração até atraente pela sua faixa de preço. Sua tela é de 14 polegadas, com resolução Full HD e tecnologia touch. Certamente a tela é o que mais chama a atenção no eletrônico. Para se ter noção de como essa tecnologia é bastante atraente nesta faixa de preço, o concorrente da categoria mais próximo, que também apresenta uma resolução 1080p e capacidade multitoque, é o Chromebook Pixel, cuja a versão mais barata custa US$ 1.299, quase três vezes mais que o modelo da HP. Outros Chromebooks na mesma faixa de preço, como os da Toshiba e Acer, não possuem capacidade touch.

A leveza e a finura do Chromebook 14 também chamam a atenção. Ele pesa apenas 1,6 kg e tem uma espessura de 1,7 cm. Isso o deixa muito fácil de transportar, dando mobilidade única para o usuário. A traseira na cor branca contrasta com o teclado prata fumê. Tais características deixam o laptop bastante atraente visualmente e com certeza uma jogada de muito bom gosto da HP.

O baixo preço é possível por causa das especificações de hardware intermediárias. O X050NR traz um processador Nvidia Tegra K1, GPU Kepler de 192 núcleos, 4 GB de memória RAM (característica interessante pela sua faixa de preço) e 32 GB de HD.

Já a conectividade fica a cargo do Wi-Fi (nos principais padrões atuais), Bluetooth 4.0, portas USB (2.0 e 3.0), HDMI e leitor de cartão de memória microSD, além de uma entrada para fones de ouvido e microfone.

Não há informações sobre quando o HP Chromebook 14 chegará ao Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo. Ele, por enquanto, está disponível apenas no mercado americano.

Por William Nascimento


Com a grande expansão de ferramentas voltadas para os navegadores e internet, é viável e produtivo para o consumidor obter um dispositivo que não utilize os sistemas operacionais Windows ou Mac OS X.

Tendo em mente o aumento na produtividade, as empresas buscam vender produtos com o sistema operacional da Google. Os mesmos possuem bom tamanho de tela e um preço inferior aos concorrentes.

A Toshiba anunciou o Chromebook 2, não existe muita diferença com a versão anterior. Porém, para quem possui o primeiro modelo é uma grande inovação. Atendendo aos pedidos de muitos consumidores, a empresa trouxe uma tela Full HD, e um novo sistema de áudio que transforma a experiência incrível.

Possui tela de 13 polegadas com tecnologia Full HD, processador Intel Celeron N2840 com frequência de 2.16 GHz e 4GB de RAM. Possui memória interna de 16GB e 100GB adicionais de Google Drive. O processador decepcionou um pouco já que é menos potente do que muitos esperavam. Porém, isso torna o modelo econômico e acessível.

O peso do produto é ideal, são menos de três quilos e possui uma série de benefícios em relação ao seu valor. Possui uma porta USB 3.0, uma porta USB 2.0, saída HDMI e um leitor de cartões SD. A qualidade da câmera webcam é de 720p, o que melhora a qualidade de sua chamada de vídeo.

Quando a tampa do produto se encontra aberta é possível confundi-lo com o famoso MacBook da Apple. O design é feito de plástico cinza, e está menor e mais leve. Um ponto bastante positivo é que a temperatura do aparelho diminuiu em relação à linha anterior. A duração da bateria é algo invejável. Com uso moderado, pode chegar a seis horas sem necessidade de recarregar o produto.

A Toshiba deu informações sobre uma versão de entrada do dispositivo. O mesmo contará com uma tela de 720p e apenas 2 GB de memória RAM, o restante do hardware será idêntico ao modelo principal. Os dois modelos Chromebook chegarão às prateleiras no dia 5 de outubro deste ano, custando US$ 330 e US$ 250, respectivamente.

Por Wendel George Peripato

Chromebook 2

Chromebook 2

Fotos: Divulgação


No ano passado o Google e a HP fecharam uma parceria para a produção dos novos Chromebooks que trariam o sistema operacional do Google aliado à qualidade de produção de componentes de hardware da HP. Dessa união, surgiu o Chromebook 11, um notebook de 11,6 polegadas com configuração relativamente modesta, mas capaz de rodar a maior parte dos programas e aplicativos comuns no dia a dia.

Agora, a HP anuncia a nova geração do Chromebook, chamada de Chromebook PC, também com 11,6 polegadas, resolução de 1366p x 768p, 16 GB de armazenamento e 2 GB de memória RAM. Em comparação com outros modelos lançados por Dell e Acer, essa versão parece não ser tão robusta, já que o tempo de bateria de pouco mais de 6 horas de funcionamento é um dos mais baixos da categoria. Apesar disso, o preço pode ser um diferencial. O Chromebook 11 da HP custará 250 dólares na versão com Wi-Fi, além de ter uma versão com suporte ao 3G já em desenvolvimento.

Além do Chromebook PC, a HP também anunciou oficialmente o Slatebook PC, um laptop de 14 polegadas com o sistema operacional Android que já havia vazado no próprio site da HP no mês de abril. Esse modelo possui um processador Tegra 4 da Nvidia com 2 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno. O display é sensível ao toque e possui uma resolução de 1080p, consideravelmente boa para o tamanho da tela. De acordo com a HP, o Slatebook PC deve ser lançado no dia 6 de agosto e custará 430 dólares.

Dentre as maiores críticas ao dispositivo está o fato de utilizar o Android como sistema operacional padrão ao invés do Chrome OS. Embora seja excelente para smartphones e tablets, muitos usuários ainda têm receio de utilizar um laptop com sistema Android, justamente pelas limitações do sistema que é restrito apenas às aplicações existentes na Play Store. 

Por Ebenezer Carvalho

Chromebook PC

Foto: Divulgação


O Acer C720 faz parte da segunda geração de Chromebooks da Acer. Isso quer dizer que é apenas uma geração mais avançada do que a C710 que foi lançada por aqui.

Entre as duas gerações a principal diferença ou aquela que, pode-se dizer, é mais evidente é em relação ao processador dos dois aparelhos. Neste caso ambos trazem integrados um Celeron. Porém, no caso do C710 é um modelo de segunda geração, Sandy Bridge, enquanto que o C720 tem uma geração mais atual, a Haswell. Isso significa que o último modelo em termos de performance e autonomia de bateria obteve ganhos significativos.

No que diz respeito ao design do Acer 720 não há muito o que falar sendo basicamente o mesmo apresentado no C710. As diferenças são mínimas.

As conexões do aparelho também foram trabalhadas em alguns aspectos. Ao contrário da versão anterior e devido à espessura do 720 a conexão VGA não está presente bem como a RJ-45 para cabo de internet. O Chromebook da Acer conta agora apenas com uma saída HDMI, uma porta USB 2.0 e outra 3.0, leitor de cartões SD. Também estão presentes nessa versão o combo de conector de energia, fone de ouvido e microfone.

O teclado e o touchpad não têm diferença nenhuma sendo os mesmos para a versão anterior e para esta. A título de curiosidade ambos são inferiores aos presentes nos Chromebooks da Samsung. As teclas do aparelho são bem espaçadas e de um tamanho considerado bom. O problema é a resposta das mesmas. Quem precisa de uma digitação rápida vai ter pela frente um teclado duro para testar suas habilidades, ou melhor, a resistência dos dedos. No caso do touchpad ele responde bem ao toque do usuário, mas não apresenta botões.

O Acer 720 conta com uma tela 11,2 polegadas assim como a maior parte do Chromebooks no mercado. A resolução é de 1366×768 que traz como consequência uma densidade de pixels considerada razoável.

De qualquer maneira um dos maiores destaques do Acer 720 fica mesmo com o processador que é a quarta geração da Intel. Aqueles que foram batizados de Haswell. Como dissemos anteriormente é um Celeron. Mas mesmo assim se comparado com o Celeron Sandy Brigde as diferenças (para melhor) são significativas. Isso se dá tanto pela arquitetura do dispositivo quanto ao fato do mesmo ter um clock mais alto.

Outro ponto que convém chamar a atenção é em relação à bateria do 720 que segundo a fabricante tem potencial para aguentar até 8,5 horas de uso.

Nos Estados Unidos ele pode ser tido como um bom negócio já que sai por US$ 199 o que em reais daria algo em torno de 470.

Por Denisson Soares

Acer C720

Foto: Divulgação


O CB30-102 é o primeiro notebook da fabricante Toshiba desenvolvido para executar o Chrome OS projetado pelo Google. O Toshiba Chromebook CB30-102 não é um dispositivo, digamos,  emocionante de se ver, mas tem especificações que o diferenciam de Chromebooks rivais das fabricantes HP e Acer.

A tela de 13.3 polegadas do CB30-102 faz com que ele seja maior, se comparado a muitos outros Chromebooks. O CB30-102 é bem leve, pesando apenas 1,5 kg e com 20 milímetros de espessura. Tão leve que você não terá problemas para carregá-lo.

Construção:

O design do CB30-102 é em plástico prata, o que o deixou de certa forma “pobre” nesse ponto. Sua tampa possui uma textura leve e pontilhada, o que não apimentou muito no design deste Chromebook.
Os Chromebooks HP 11 e Acer C720 são a prova de que é possível ter um design bonito e que não fuja de um orçamento mais em conta, mas pelo menos o Chromebook da Toshiba é razoavelmente resistente.

Digitar no teclado do CB30-102 é bem confortável, suas teclas são bem espaçadas o que proporciona uma melhor experiência ao digitar.

Os alto-falantes do CB30-102 são encontrados na parte inferior da frente do dispositivo e são de uma potência surpreendente. São altos e a qualidade do som é incrivelmente boa. Não foram detectados graves nem ruídos, em determinadas vezes o seu som soou de forma um pouco metálica, mas mesmo assim a qualidade dos falantes do CB30-102 são melhores do que os de muitos outros notebooks encontrados no mercado atualmente.

O CB30-102, em comparação com outros notebooks Windows, tem poucas conexões de entrada, mas ele dá o essencial.

Ele possui leitor de cartão SD, tomada de microfone e fone de ouvido combinados, saída de vídeo HDMI e duas portas USB 3.0.

Atualmente as portas USB3.0 são bem úteis para aquelas pessoas que trabalham com arquivos grandes e pesados e que não querem se encher de vários SSD de 16GB (o que não é nada prático).

Por Jaime Pargan

Toshiba Chromebook CB30-102

Foto: Divulgação


A Samsung lançou no mercado brasileiro o seu novo Chromebook. É uma experiência nova, lançada no mesmo passado, com fabricação nacional e que ainda restam dúvidas do seu custo-benefício. O aparelho é um computador pequeno e leve com um custo mais em conta em comparação a outros. Ele custa aproximadamente R$ 1,1 mil.

A primeira vista, o Samsung Chromebook chama muita atenção. O seu design lembra muito os computadores da Apple, o Macbook Air, pois é um computador bastante fino, com espessura de apenas 1,68 cm. O peso não poderia ser diferente, o recém-lançado da Samsung tem apenas 1,1 Kg.

A primeira baixa do Chromebook fica mesmo é no hardware, por ser um primeiro lançamento aqui no Brasil, podia-se mesmo esperar que a Samsung não iria fabricar um computador com configurações tão potentes. O processador é de baixo consumo de energia, de arquitetura ARM, usado em smartphones. O ultrabook utiliza um processador Exynos 5 dual-core de 1.7GHz. Além disso, ele conta com uma memória RAM DDR3L de 2 GB, bem distante das configurações de um Macbook Air.

Além da simplicidade do hardware, o armazenamento também é pequeno, são 16 GB de SSD. A opção aqui é usar o Google Drive, que disponibiliza 100 GB por dois anos de usufruto gratuito. O computador possui ainda duas portas USB (sendo uma 3.0) e conta com uma entrada HDMI para conexão com monitores externos. O dispositivo também vem com Wi-Fi e Bluetooth embutidos. A tela é uma LED de 11,6 polegadas, com resolução de 1366 x 768 pixels. Além disso, o Chromebook possui ainda uma câmera VGA para videochamadas.

O Samsung Chromebook também tem as suas vantagens. Ele liga em apenas cinco segundos e a navegação é muito suave em qualquer site, quase como se tivesse processador e memória de ultrabook. A bateria também ajuda no uso do computador. Ela aguenta 6 a 7 horas sem carregar, o que pode ser comparado a quase um dia todo de trabalho sem carregador.

Pelo preço, não se pode exigir muito do Samsung Chromebook. As configurações poderiam ser melhores, já que até um Galaxy S4 consegue ser mais potente que ele. Contudo, não se encontra no mercado um PC de R$ 1 mil que tenha uma bateria tão boa, um dispositivo leve e que atenda as simplicidades do uso diário.

Por Carolina Miranda


A chinesa Acer, terceira maior fabricante de computadores do mundo, anunciou na última semana o lançamento de uma nova versão para o seu C7 Chromebook com significativas melhorias.

O Acer C7 Chromebook, é um notebook portátil, com tela de 11,6 polegadas e uma polegada de espessura, além de muito leve. O nicho de mercado do Chromebook seria o uso escolar e acadêmico, como material de apoio e organizador pessoal, sendo a facilidade de transporte um de seus maiores diferenciais.

A versão anterior do aparelho deixava a desejar pelo fraco desempenho da bateria que tinha autonomia máxima de 4 horas, frustrando os usuários que precisava carregar seu computador por muito tempo. A nova versão está equipada com uma bateria com 50% mais autonomia, durando até 6 horas.

O Processador é o Intel Celeron 847 de 1.1GHz e 4GB de memória RAM. A capacidade de armazenamento é de 320GB, a parte gráfica conta com 128Mb para processamento. Possuí 3 entradas USB, saída HDMI e Webcam.

Chega ao mercado com preço estimado de US$ 279,00 e se desembarcar no mercado brasileiro com preço competitivo será uma ótima opção para uso educacional e usuários casuais que não precisam de tanto desempenho.

Por Bruno Hardt


Já havia surgido na internet diversas informações sobre a vontade que a Google tinha em lançar um Chromebook com display touchscreen. E, agora, vazou um vídeo que exibe um novo conceito de Chromebooks, chamado de Chromebook Pixel.

Ainda não há confirmação oficial se o dispositivo é real ou se foi feita alguma montagem no vídeo, porém de acordo com o que François Beaufort, desenvolvedor que já esteve envolvido no projeto do Chrome OS, postou em sua conta no Google+, a gigante das buscas realmente está testando um produto com tela touch.

Outra informação que pode dar mais veracidade ao vídeo é que ele parece ter sido produzido pela Slinky, que já foi parceira da Google, e o CEO da empresa, Victor Koch, postou na internet que hackers invadiram os servidores da companhia e, com isso, vazaram alguns projetos que ainda eram “segredo”.

No vídeo, é mostrado o novo Chromebook Pixel, cujo design foi inteiramente desenhado pela própria Google e tem grandes propriedades na tela, permitindo que o usuário acesse um mundo que nunca foi visto, muito mais rápido e com ótima capacidade gráfica.

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: