A cada dia aumentam as compras realizadas pela Internet, são pessoas e mais pessoas que preferem a praticidade da sua casa, e pesquisam por todos os sites, a fim de obter o melhor preço e poderem comparar diversos produtos.

As lojas que anunciam os seus produtos na Internet têm um aumento de 20% nas vendas, do que as que não anunciam. Visto que os consumidores preferem pesquisar, o produto primeiro, para depois ir até a loja e comprá-lo.

Os recursos tecnológicos estão ajudando cada vez a aumentar as vendas e facilitar a vida do consumidor. É necessário que as empresas modernizem-se e acompanhem as tendências do mercado brasileiro, pois ao consumidor nuca será alguém atrasado.

Por Mateus Silveira


Atualmente, a tecnologia vem para facilitar a nossa vida e oferecer todos os recursos práticos para nosso dia-a-dia. Para quem não conhecia o LG X300, essa é uma ótima opção de escolha.

É um portátil ultra fino com 17,6mm de espessura, pesa 970 gramas, possui tela de 11,6 polegadas, processador Intel Centrino, disco de estado sólido (SSV) de 128GB para armazenamento de informações, webcam de 1,3 megapixels, duas portas de USB, função Smart On e sistema Bluetooth e Wi-Fi. E por ser um modelo tão compacto, o eletrônico não dispõe de leitor de DVD, o que talvez possa fazer a diferença na aquisição.

Mas mesmo assim promete agradar a maioria dos usuários pelo seu estilo e qualidade. Em breve estará disponível nas lojas, mas o preço ainda não foi divulgado.

Por Aline Barbosa


Há poucos dias um consumidor conseguiu fazer valer um direito que poucas pessoas sabem que tem: o de não aceitar uma venda casada. A ideia se baseia num princípio muito simples: o SO de um computador é um produto como outro qualquer, e seu preço vem embutido no do hardware como se fosse um só. Não é.

Baseado no artigo 39 do Código de Defesa, o consumidor conseguiu, depois de uma batalha que durou mais de um mês, que a Lenovo devolvesse o dinheiro pago pelo Windows que veio pré-instalado em seu notebook. A diferença ficou em mais de duzentos reais.

Pode parecer estranho, mas está no código de defesa do consumidor. No caso de pcs, notebooks, netbooks, etc, o sistema operacional é essencial para o funcionamento do equipamento. No entanto, muitas vezes não temos a opção de escolher.

Por Maximiliano da Rosa


Notícias envolvendo os tablets e leitores de livros digitais não param de pipocar na Internet. A todo momento alguém lança algo novo. Ou diz que vai lançar. Há muito barulho em torno de assunto. Tanto, que fica até difícil separar o joio do trigo.

Enquanto rumores supostamente revelam que a Apple já teria (pré)vendido em torno de 120 mil iPads, outras empresas tentam fazer barulho e chamar a atenção para si. Um exemplo é a Amazon: preocupada com o futuro do Kindle, a empresa acaba de anunciar que seu e-reader deverá ganhar cores o ano que vem.

E outro vazamento de informações do Courier, o tablet da Microsoft teria acontecido na rede. Agora, além de fotos do produto, surgiu até um vídeo. Particularmente, acredito  que se trata de mais uma forma de marketing viral.

Ao que tudo indica, em 2010 as empresas de tecnologia estão dispostas a acabar de vez com os livros convencionais. Eu espero que não consigam, e que tudo não passe de mais uma febre.

Por Maximiliano da Rosa


O ensino mudou, os professores mudaram, e com todas essas mudanças, também mudaram as ferramentas de ensino. Antes o material de aprendizagem era livro didático, giz e apagador. Hoje com as revoluções tecnológicas, os materiais de informática também fazem parte do currículo da educação.

O notebook é moderno, rápido, e até mesmo interativo, ele proporciona um ambiente de descontração com jovens e adolescentes, e aliar essa ferramenta ao ensino adquire um resultado muito positivo.

A idéia de que tecnologia não combina com estudo, já está mais que ultrapassada, atualmente o que vemos são as duas coisas completando-se para tornar o ensino mais prazeroso, ao invés daquele tradicional ensino de livro didático e cópia de textos.

Notebook nova ferramenta para o “velho” ensino.


Com o advento da Internet, os livros perderam espaço na vida das crianças e adolescentes, elas passam horas e horas na frente do computador, e não lêem sequer um livro.

Os argumentos citados acima, são usados por pessoas que acham que os livros “já eram”, isso não é bem verdade. Existem inúmeros sites na Internet que trazem resumos/resenhas de livros, ou até mesmo o livro na íntegra para que as crianças possam ler, bibliotecas virtuais também são muito procuradas.

O sistema educacional mudou,  as pesquisas escolares são pedidas, e os alunos fazem a pesquisa e procuram informações no computador. Não há necessidade de colocar o livro e o computador como rivais, mas sim colocá-los como aliados na tarefa de aprendizagem do aluno.





CONTINUE NAVEGANDO: