Novo minicomputador custa cerca de US$ 30 e roda o sistema Remix OS, baseado no Android Lollipop.

A Jide, empresa chinesa, lançou um computador de 30 dólares baseado no Android Lollipop, batizado de Remix Mini. O computador que custa cerca de R$ 90,00 está fazendo um tremendo sucesso e promete conquistar um mercado ainda não explorado.

O Remix Mini mede apenas 12,45 cm X 8,9 cm se parecendo muito com o Dell Chromebox e pode ser conectado ao teclado, ao mouse e ao monitor. A altura do computador é de somente 2,54 cm e surpreendeu até os especialistas na área.

Apesar de ser tão pequeno, o computador de 30 dólares oferece uma boa configuração com um processador Quad-Core de 1,5 GHz, 1 GB de memória e o espaço interno para armazenamento é de 8GB.

Tem ainda uma outra grande vantagem que é a capacidade de rodar um decodificador H.265 FHD, que possibilita ao computador rodar arquivos de vídeo.

E como o mundo está conectado, o Remix Mini também oferece conexão Wi-Fi, Bluetooth 4.0, Ethernet e ainda vem com entrada HDMI.

O computador roda um sistema operacional baseado no Android Lollipop, o "Remix OS", desenvolvido pela própria empresa fabricante, que fez com que o Android Lollipop se tornasse capaz de funcionar utilizando uma tela grande, como qualquer outro desktop.

Outra grande vantagem do sistema operacional Remix OS é que seu design é bastante familiar, oferecendo a "Barra de Tarefas" na parte inferior da tela, da mesma forma que estamos acostumados com o Windows e o Mac OS, o que possibilita ao usuário controlar todos os programas que estiverem sendo executados.

E as semelhanças do Remix OS com um desktop não param por aí, pois ele oferece "Gerenciador de Tarefas Nativo", além de teclado e vem com um cliente de e-mail próprio que atende perfeitamente até os usuários que trabalham com envio e recebimento de e-mail, contando com um fluxo maior de mensagens.

Quem precisa de um computador desktop que seja portátil e principalmente barato, encontra neste minicomputador a melhor opção, pois mesmo não oferecendo uma ótima configuração, atende perfeitamente aos usuários que acessam e-mail, redes sociais, aplicativos, não atendendo porém, os fãs de games e profissionais que precisam rodar softwares mais pesados.

Por Russel

Remix Mini

Foto: Divulgação


Antes de falar especificamente do OneBoard PRO+ temos que voltar um pouco no tempo e ir lá para os anos de 1980. Nesse período os computadores eram fabricados baseados no conceito de terem um teclado embutido. Como exemplo dessa era temos o ZX Spectrum, Apple II e diversos modelos que foram produzidos pela MSX.

Pois bem, agora com a chegada  do OneBoard PRO+ esse conceito parece estar reaparecendo e isso graças a originalidade – e criatividade – de uma empresa chamada Acooo.

No meio disso podemos nos perguntar: “Por que voltar aquela coisa estranha?”. É aí que entra o “X” da questão. Atualmente a tecnologia nos permite fazer coisas que naquela época eram impossíveis.

O OneBoard PRO+ é um “dispositivo” sem fio e o atrativo é que funciona com o Android. Mas não é apenas isso.

A sua utilidade que nos apresenta um produto com dupla função também convence. Isso quer dizer que além de teclado ele pode ser usado sim como um computador portátil quando for conectado a um monitor via VGA ou HDMI. Isso porque em outras palavras ela nada mais é do que um computador Android com a forma de um teclado.

Esquisito ou não o fato é que a ideia foi interessante.

Falando um pouco do que o OneBoard PRO+ traz em seu interior podemos chamar a atenção para o processador Rockchip RK3288 que conta com quatro núcleos Cortex – A17. Além disso, temos ainda a GPU ARM Mali-T764.

Além das especificações apontadas ainda temos diversas outras como:

– Saída de áudio: HDMI e saída de fone de 3,5 mm;

– Conectividade com fio: uma porta USB para Android e uma porta USB 2.0 para mouse;

– Armazenamento interno: 16 GB e MMC flash + SD card slot up to 32GB;

– Cartão de memória: cartão SD com até 32 GB.

Algo que também não pode ficar de fora é o estilo do OneBoard PRO+. São 83 teclas completamente iluminadas nas mais variadas cores.

E já dá para comprar o OneBoard por US$ 299 o que daria algo em torno de R$ 823.

Por Denisson Soares

OneBoard PRO+

OneBoard PRO+

Fotos: Divulgação


A Microsoft já disponibilizou gratuitamente os aplicativos do pacote Office para os usuários de tablets com o sistema operacional Android e agora está buscando mais usuários para a sua plataforma que enfrente pesada concorrência entre estes dispositivos.

Desde o dia 29 de janeiro que o pacote Office pode ser acessado gratuitamente em mais uma tentativa da Microsoft de tornar o seu pacote de serviços mais utilizado nos dispositivos móveis. E a empresa até já anunciou uma nova versão para o Office que será exclusivo para estes aparelhos, inclusive será compatível com tela sensível ao toque.

Outra novidade anunciada pela Microsoft foi um aplicativo que torna o Outlook compatível com iPhones e iPads. O Outlook já foi um dos programas de e-mail mais utilizado no mundo e fazia imenso sucesso quando os computadores desktop dominavam o mercado, pois já vinha acoplado ao Windows. Mas agora, com um grande número de pessoas deixando o computador de lado para usarem exclusivamente os smartphones e tablets, a Microsoft vem se adaptando à nova realidade e quer inclusive, conquistar os milhões de usuários dos aparelhos da Apple.

Apesar da Microsoft estar investindo pesado no mercado de aparelhos móveis, a empresa ainda encontra-se bem atrás da Apple e do Google, mas o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, está apostando nestes novos produtos para conseguir conquistar uma parte maior deste mercado.
A disponibilização do uso do Office gratuitamente é uma atitude desesperada da empresa que por décadas foi contra liberar o pacote para ser usado de graça, mesmo diante da concorrência que o pacote tinha entre os usuários de computadores. O problema é que no PC, o Office dominava de forma absoluta, porém, entre os smartphones e tablets, o Office é pouquíssimo usado.

Um dos lançamentos mais esperados para este ano é o Windows 10 que promete revolucionar o mercado e a Microsoft vai aproveitar a ocasião para lançar o Office compatível com tela sensível, esperando assim, uma maior adesão por parte dos usuários.

Por Russel

Office para tablets

Office para tablets

Fotos: Divulgação


A Positivo, uma das empresas brasileiras de maior sucesso, está lançando seu notebook com o sistema operacional Android, é o Positivo SX1000 que roda a versão Android 4.4 KitKat e já estará disponível nas lojas ainda este mês. O preço sugerido é de R$ 799,00 e promete ser um grande sucesso de vendas, já que o Android vem se tornando cada vez mais popular.

O Positivo SX1000 vem com tela de alta resolução, garantindo melhor qualidade de imagem. A tela é sensível ao toque e o notebook não chega a pesar nem 1kg. A tela é relativamente pequena em se tratando de um computador, apenas 10,1", mas este é um dos motivos para o notebook chegar ao mercado com um preço mais em conta.

Um diferencial do Positivo SX1000 é que o teclado do notebook foi totalmente desenvolvido para o padrão português e conta com atalhos exclusivos para o Android. Os usuários encontrarão maior facilidade em usar o Positivo SX1000 porque o notebook tem muitas semelhanças com os smartphones e os tablets mais modernos.

O notebook com Android da Positivo conta com processador Dual-Core, 2GB de memória, 16GB de espaço interno para armazenamento, conexão Wi-Fi, webcam, portas USB, HDMI, entrada para cartão microSD e vem ainda com uma acelerômetro, o mesmo encontrado nos smartphones.

Com o notebook da Positivo rodando Android, o usuário tem acesso ao Google Play, porém, nem todos os aplicativos podem ser instalados, por exemplo, o WhatsApp que é um dos aplicativos mais baixados.
Mas o notebook já vem com vários softwares instalados, seja para assistir a vídeos, navegar na web, editor de textos, gerenciador de e-mails, entre outros.

Para garantir boas vendas, a Positivo está lançando um outro modelo, o Positivo Duo ZX3020 que roda o sistema operacional Windows 8.1, que funciona como notebook e também como tablet. A tela HD tem o mesmo tamanho, de 10,1" e é sensível ao toque. O valor sugerido para este modelo é de R$ 999,00.

Assim, a empresa espera atender a todos os clientes, com um notebook rodando Android e outro rodando Windows 8.1 e que funciona também como tablet.

Por Russel

Positivo SX1000

Positivo SX1000

Fotos: Divulgação


A falta de tempo hoje torna difícil até manter uma agenda tradicional, daquelas de papel, que geralmente ganhamos ao final de todo ano. Abrir a agenda, localizar data e horário, tudo isso toma tempo. E economizar tempo é um dos desafios dos homem moderno, onde toda tarefa deve ser rigorosamente pensada e planejada.

Existem softwares e até aplicativos para celulares que nos auxiliam. Com poucos cliques ou toques agendamos compromissos, abrimos cadernos de anotações e nos programamos para as mais variadas tarefas.

Tem uma reunião às 08:00? Dentista as 09:30? Precisa discutir com um funcionário algum tema importante? Tudo isso pode ser feito com auxílio de programas simples, que rodam simultaneamente em smartphones, notebooks, PC´s, tablets, entre outros.

Eles permitem o gerenciamento de todas as suas tarefas, das mais simples às mais complexas, deixando o usuário à vontade para criar o que desejar.

Uma das novidades destes programas é que eles podem ser sincronizados a outros usuários, ou seja, duas ou mais pessoas podem compartilhar o mesmo caderno de notações, inclusive adicionando novas anotações, sendo tudo compartilhado simultaneamente.

Basta que todos usuários lembrem de acessar o aplicativo, porém, contam com sinais visuais e sonoros que não nos deixam esquecer o compromisso.

O Evernote é um exemplo. Tem como símbolo o elefante, que é tido como um animal inteligente e que jamais esquece as coisas. O Evernote pode ser baixado gratuitamente em smartphones com Android e roda muito bem também em notebook e computadores de mesa (Desktops).

Tudo que faz sucesso ganha concorrência e com o Evernote não foi diferente. Já existe no mercado um outro organizador pessoal que está fazendo sucesso: o SpringPad.

Já começa com uma vantagem: é mais leve. Avisa automaticamente atualizações e sincronizações feitas. Apesar das pequenas diferenças, ambos são bem parecidos e atendem as funções a que se propõe. Cabe ao usuário testar ambos e ver qual se encaixa mais às suas necessidades.

Por Luciana Viturino

Foto: divulgação


O pouco do que sobrou da finlandesa Nokia, que não foi comprada pela Microsoft, anunciou um lançamento hoje (18). Um tablet chamado de Nokia N1 foi apresentado pela companhia com design bastante semelhante a do iPad Mini, da Apple. Com tela de 7,9 polegadas e rodando a versão 5.0 Lollipop do Android, o produto espera reviver a empresa no mercado mundial de eletrônicos.  

Após a venda da unidade móvel da Nokia para Microsoft, a finlandesa não pode vender smartphones high-end com a marca até o final de 2016 e, low-end em 10 anos. No entanto, é possível comercializar outros tipos de eletrônicos. E a Nokia optou por um tablet Android com um design bastante agradável e com configurações que devem atrair os consumidores, principalmente os amantes dos produtos da empresa.  

O N1 será um dos primeiros dispositivos a utilizar o novo padrão MicroUSB e contará com uma tela de resolução 2048 x 1536 pixels. O tablet é bastante fino, medindo 6,9 milímetros de espessura. Já seu peso é bastante agradável para manuseá-lo durante o dia, com 318 gramas. Como era de se esperar em um tablet deste tamanho, o N1 é bastante portátil, característica sempre atraente para o consumidor.  

Além das especificações já mencionadas, o Nokia N1 conta com uma câmera traseira de 8 megapixels, capaz de gravar em 1080p, e uma frontal de 5 megapixels.

O tablet terá 2 GB de memória RAM e um processador Intel Atom 64 bits rodando a 2.3 GHz, o que é surpreendente e coloca a Intel cada vez mais presentes em aparelhos móveis. A capacidade de armazenamento do eletrônico é de 32 GB.  

Já no design, o Nokia N1 é muito parecido com o iPad Mini, da Apple. Por um lado isso é bom, visto que o tablet da Maçã tem características bastante atraentes e bonitas. No entanto, a empresa precisa neste momento de uma característica própria e deveria ter investido em um produto com novos traços e, não uma cópia do aparelho da Apple.  

Junto ao sistema operacional Android a empresa inseriu a interface Z Launcher, com tela inicial personalizada e projetada para oferecer conteúdo com base em sua localização ou em suas atividades. O Z Launcher está disponível gratuitamente no Google Play para aparelhos equipados com Android 4.1 ou superior.  

A Nokia fez uma parceria com a Foxconn para fabricar o tablet. Pelo que parece ele estará disponível no dia 19 de fevereiro para o mercado chinês. O N1 custará US$ 249, sendo US$ 50 mais barato que a versão mais básica do iPad Mini.

Por William Nascimento

Nokia N1

Nokia N1

Nokia N1

Fotos: Divulgação


E enquanto todos comentavam sobre os últimos lançamentos de tablets, o Google surpreende e lança o Nexus 9, que conta como maior novidade o sistema operacional, o novíssimo Android 5 LolliPop! O Nexus 9 é resultado de uma parceria entre o Google e a HTC!

Mas o Nexus 9 não conta somente com o sistema operacional para conquistar o mercado, o tablet tem tela IPS LCD 8,9" com excelente definição de 2048 x 1536, bem superior ao Nexus 7 que era de apenas 1200 x  1920px.

Outra super novidade do Nexus 9 é o seu teclado magnético que poderá ser comprado separadamente. Este teclado permite que o usuário possa contar com vários ângulos de inclinação.
A bateria do Nexus 9, de acordo com a própria empresa, chega a ter uma duração de 5 meses sem recarga!

O Nexus 9 conta com processador NVidia 2,3GHz e 64 bits. A memória interna poderá ser de 16 ou 32 GB e 2GB de RAM.

A câmera traseira é de 8mp e a frontal de 1,6mp. O tablet do Google com a HTC pesa 420 gramas e conta com 2 alto-falantes frontais que garante melhor qualidade do som.

O novo Google 5 LolliPop estará presente no Nexus 9 e também no Nexus 6 que foi anunciado pelo Google que garantiu que o novo sistema operacional será muito mais rápido que seus antecessores, principalmente na execução de multi-tarefas.

E o Nexus 9 é realmente mais rápido que qualquer outro, deixando para trás o último lançamento da Apple, o Galaxy Note 4 e até o Xperia Z3!

O Nexus 9 chegará nos próximos dias a mais de 29 países, mas ainda não há previsão de lançamento do tablet aqui no Brasil.

Com a chegada do Nexus 9, haverá toda uma mudança não só no mercado de tablets, mas também em relação ao sistema operacional, pois muitos usuários estão esperando para atualizarem seus aparelhos para o Android KitKat, mas agora, com o Android LolliPop, quem atualizar para o KitKat continuará desatualizado, ou seja, os usuários vão querer o novo sistema operacional que promete ser mais rápido e realmente é!

Por Russel

Nexus 9

Nexus 9

Nexus 9

Fotos: Divulgação


No ano passado o Google e a HP fecharam uma parceria para a produção dos novos Chromebooks que trariam o sistema operacional do Google aliado à qualidade de produção de componentes de hardware da HP. Dessa união, surgiu o Chromebook 11, um notebook de 11,6 polegadas com configuração relativamente modesta, mas capaz de rodar a maior parte dos programas e aplicativos comuns no dia a dia.

Agora, a HP anuncia a nova geração do Chromebook, chamada de Chromebook PC, também com 11,6 polegadas, resolução de 1366p x 768p, 16 GB de armazenamento e 2 GB de memória RAM. Em comparação com outros modelos lançados por Dell e Acer, essa versão parece não ser tão robusta, já que o tempo de bateria de pouco mais de 6 horas de funcionamento é um dos mais baixos da categoria. Apesar disso, o preço pode ser um diferencial. O Chromebook 11 da HP custará 250 dólares na versão com Wi-Fi, além de ter uma versão com suporte ao 3G já em desenvolvimento.

Além do Chromebook PC, a HP também anunciou oficialmente o Slatebook PC, um laptop de 14 polegadas com o sistema operacional Android que já havia vazado no próprio site da HP no mês de abril. Esse modelo possui um processador Tegra 4 da Nvidia com 2 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno. O display é sensível ao toque e possui uma resolução de 1080p, consideravelmente boa para o tamanho da tela. De acordo com a HP, o Slatebook PC deve ser lançado no dia 6 de agosto e custará 430 dólares.

Dentre as maiores críticas ao dispositivo está o fato de utilizar o Android como sistema operacional padrão ao invés do Chrome OS. Embora seja excelente para smartphones e tablets, muitos usuários ainda têm receio de utilizar um laptop com sistema Android, justamente pelas limitações do sistema que é restrito apenas às aplicações existentes na Play Store. 

Por Ebenezer Carvalho

Chromebook PC

Foto: Divulgação


Durante uma conferência realizada com analistas, Brian Krzanich (CEO da Intel) revelou o mais novo lançamento da empresa, um tablet Android com Bay Trail.

Para quem não sabe, Bay Trail se trata de uma nova linha de processadores Atom da nova geração. Os chips, que possuem 64 bits, devem ser lançados no próximo trimestre e estarão presentes na nova linha de tablets com Android.

Os chips de 64 bits, que até pouco tempo atrás só estavam presentes em computadores e notebooks, geram melhor desempenho e maior segurança nas máquinas, com isso, eles são a melhor opção durante a execução dos sistemas operacionais.

A primeira empresa a lançar um modelo de chip de 64 bits para equipamentos portáteis foi a Apple, que anunciou seu chip A7, usado no iPhone 5S, iPad Air e no iPad Mini, isso trouxe uma grande evolução aos dispositivos portáteis.

Após isso, a Intel se adiantou na produção de chips de 64 bits para dispositivos portáteis e criou o Bay Trail,  porém, inicialmente a empresa pretendia oferecer os chips apenas para tablets com Windows 8.1. Contudo, no meio do desenvolvimento do mesmo a empresa mudou de ideia e resolveu adotar suporte também para Android. Essa mudança de planos foi adotada devido ao pequeno atraso no lançamento da CPU, que ocorreu em setembro de 2013.

Alguns testes de benchmark provaram que o novo chip da Intel é 30% mais rápido do que o Snapdragon 800, que foi produzido pela Qualcomm e era considerado o chip ARM mais potente da atualidade. Além de tudo, a Intel garante que o Bay Trail é muito superior ao processador A7 da Apple, isso é possível principalmente graças à maior densidade de transistores presentes no mesmo.

Tablets.


De acordo com dados divulgados pela Gartner, no ano de 2013, a venda de tablets com Android superou a venda de iPads. Muito embora o dispositivo da Apple tenha apresentado dados positivos, surgiram vários novos aparelhos com o sistema da Google, que atende a grande demanda dos mercados em desenvolvimento.

O Android arrebatou 61,9% do setor, o que equivale a 120,9 milhões de aparelhos entregues no ano passado, enquanto que seu rival ficou com 36%, equivalendo a 70,4 milhões de aparelhos com iOS. No ano de 2012 a situação, embora equilibrada, era contrária. A Apple estava na frente com 52% de participação no mercado, ou seja, 61,4 milhões de aparelhos, enquanto que o Android tinha 45,8% de participação, equivalendo a 53,3 milhões de tablets.

A representatividade da Apple caiu 16,8% no período destes dois anos e a grande motivação desta queda está ligada ao fato do iPad não vender tão bem em países em desenvolvimento, exatamente onde se encontra os maiores compradores de tablets, onde ocorreu um crescimento de 145% no ano passado. Já nos mercados desenvolvidos a alta foi de 31%.

No comparativo entre os anos de 2012 e 2013, houve um aumento de 68% na comercialização de tablets de um ano para o outro. Em 2012 foram vendidos 116,3 milhões, enquanto que no ano passado este número aumentou para 195,4 milhões de aparelhos vendidos. O Windows se encontra como o terceiro sistema mais utilizado, passando de 1,1 milhão de vendas em 2012 para 4 milhões em 2013.

Mesmo não tendo o software mais utilizado no mercado, a Apple ainda é a maior fabricante de tablets no mundo. Em 2013 foram vendidos 70,4 milhões de iPads, representando 36% do setor. Em seguida temos a Samsung, que vendeu  37,4 milhões, obtendo 19,1% do mercado. Atualmente a terceira fabricante do mercado é a ASUS (com 5,6% de participação), seguida pela Amazon (com 4,8%) e pela Lenovo (com 3,3%).

Por Jaime Pargan


Mesmo com brusca queda neste seguimento, a gigante Apple continua na liderança em vendas de tablets, deixando as principais concorrentes de mercado para trás. Com certeza, um grande trunfo para a Apple que poderia estar ampliando esta vantagem se não fosse a queda brusca de vendas de seu sistema operacional, o iOS.

De acordo com pesquisas recentemente publicadas pela Empresa Internacional de Consultoria Tecnológica, CIOs e Executivos da área de TI (Gartner) a Multinacional Google vem desbancado a empresa da Maçã nos referidos sistemas operacionais.

A praticidade, interatividade e facilidades do sistema Android estão cada vez mais conquistando adeptos entre os exigentes usuários de tablets, em todo o mundo. Já a Apple tem pecado justamente neste acompanhamento de necessidades e simplicidades exigidas pelos seus clientes.

Comparando a realidade de 2012, em que o iOS liderava o mercado dos SOs de tablets com 52,8% em escala mundial, contra 45,8% para o Android e 1% para o sistema Windows Phone/Windows 8, conforme a tabela a seguir, temos os seguintes dados atualizados pela Gartner (2014):

1.    Android – 61,9%;

2.    iOS – 36%;

3.    Windows Phone/Windows 8 – 2,1%;

Essas informações demonstram a preocupação das empresas em alcançar patamares progressivos de tecnologias aliadas ao bem estar de seus clientes, neste segmento.

Apesar de não estar na liderança, a Apple não demonstra pessimismo em relação ao atual sistema e às sucessoras atualizações do iOS, prometendo, ainda, novas mudanças e facilidades que poderão ser vistas nos próximos lançamentos previstos para 2014. O público fã e cliente assíduo da empresa já aguarda ansioso pelas novidades.

Vale ressaltar que a concorrente Google também promete muitas novidades e inovações em sua nova geração de tablets que estão por vir neste ano, variando desde telas inteligentes a funcionalidades jamais vistas.

Resta aos consumidores e adeptos a novas tecnologias aguardarem pelo o que há por vir, não abrindo mão da exigência sobre qual empresa ofertará melhor o custo-benefício.

Por Jaime Pargan

Tablets com iOS

Foto: Divulgação


Chegou ao mercado mais um Tablet Android. Naturalmente, sabemos que o mercado sempre vem com novidades tecnológicas, novos aplicativos, funções, gadgets, que prometem uma série de atrativos para seus clientes e consumidores de modo geral. Aqui, no entanto, explanaremos sobre o Acer Iconia Tab A110.

Como explicamos, todavia, o Acer é mais uma aposta de tablet com sistema operacional Android. Ele, pois, tem 7 polegadas, um processador Tegra 3 e uma tela de 1024 x 600. Para os que preferem telas maiores, não é o caso desse aparelho. Porém, o Acer tem muitos pontos positivos, como o microUSB do aparelho, que é flanqueado por uma microHDMI e por um slot de microSD.

Outro ponto bacana é que esse tablet tem um excelente armazenamento, com uma capacidade bem acima que de seus maiores rivais de mercado. Sem contar que o preço do Acer Iconia Tab A110 é bem mais em conta que o dos outros. Esse aparelho, por sua vez, está custando em torno de US$ 230, ou seja, trinta reais mais barato que tablets Kindle Fire HD e Nexus 7, que, por sinal, também operam com o sistema operacional do tipo Android.

Logo, caso você esteja precisando de um aparelho digital mais barato e que, mesmo assim, tenha um bom desempenho, o Acer Iconia Tab A110 é uma boa opção para esse ano de 2014. É o que garante a empresa que, por meio de uma estratégia de mercado, acredita que alcançará mais consumidores devido a facilidade e praticidade desse produto.

Até porque, nesse universo da tecnologia, sabemos que tablets são lançados aos montes e que o sistema operacional Android é um dos mais procurados. O Acer Iconia Tab A110 tenta mostrar que não é apenas mais um tablet Android, mas, sim, um aparelho que pode ir para além das expectativas de todos.

Por Juan Wihelm

Foto: Divulgação


Um dos aplicativos de correio eletrônico mais populares do mundo, o Outlook Express (hoje apenas apelidado de Outlook) pretende ganhar cada vez mais espaço nos tablets e smartphones Android. Trata-se de uma missão bastante difícil, haja vista os concorrentes que o app da Microsoft precisará desbancar para conseguir tal façanha, porém, nada pode ser considerado impossível nesse mercado.

Embora o Outlook já não seja tão popular assim até mesmo para os ainda mais ligados aos computadores domésticos ou de trabalho, a companhia norte americana, promete oferecer uma versão para Android que proporcionará uma “melhor experiência de mobilidade” para os que já adotam o Oulook.com como plataforma de envio e recebimento de emails.

Há dados que fazem a Microsoft cada vez mais acreditar no potencial do Outlook. A empresa assegura que uma fatia considerável de pessoas  (68% dos 400 milhões usuários do seu serviço de correio) acessa o Outlook a partir de aparelhos móveis. Esta semana mesmo foi liberada a nova versão do Outlook.com para Android que promete recursos extras e 150 ajustes que se faziam necessários, principalmente os relacionados a problemas de segurança e bugs.

A nova interface traz 11 opções de cores, embora o azul continue sendo a opção padrão. A função de buscas, segundo os desenvolvedores, ficou, por assim dizer, mais “funcional” do que antes, podendo o usuário procurar de formas que tentava procurar antes, mas não conseguia, a exemplo, das buscas a busca por qualquer mensagem da conta do usuário, mesmo as que não estiverem arquivadas no armazenamento do aparelho móvel. Portanto, a sincronização está mais potente.

Confira outras novidades do novo Outlook.com para Android no Google Play.

Por Michelle de Oliveira


Nexus 7Apesar de todos os elogios referentes ao novo Nexus 7, ele não ficou livre de falhas. Alguns consumidores do tablet next-gen encontraram problemas ao usar dois dedos para aumentar e diminuir fotos. O rumor sobre a disfunção começou logo nos dias após o lançamento e a empresa estava trabalhando no problema.

Um dos gerentes da comunidade do Android postou um comentário em um fórum de reclamações do Google, explicando que uma nova atualização do sistema havia começado a ser realizada, e que deveria vir para resolver as questões disfuncionais do multitouch, ou seja, mais de um toque.

O aparelho ainda está listado como Android 4.3 Jelly Bean, e a atualização JSS15Q deve dar conta do problema. O aparelho em si não terá nenhuma mudança aparente, portanto não devemos esperar nenhuma atualização.

O Nexus 7 é atualmente um dos mais avançados tablets do mercado, contando com tela de 7.2 polegadas, bateria com duração de até 9 horas, tela LCD IPS de 1200 x 1920 pixels (323 ppi). O produto encontra-se esgotado em diversas lojas no Brasil, e seu preço em nosso mercado permeia os R$ 1.300. Isso tudo mesmo considerando a pequena falha de alguns aparelhos.

Por Fábio G. Santos


Após ter perdido o posto na pesquisa de satisfação, a Apple perdeu também para o Google, pois o Android conseguiu ultrapassar o iOS no mercado de tablets. Segundo um estudo feito no segundo trimestre deste ano, o número de aparelhos com o sistema operacional do Google superou os do iPad.

De acordo com os dados da pesquisa, o marketshare da Maçã teve uma queda de 60% para 32% comparado ao mesmo período do ano passado. Já a presença do Android no mercado foi o inverso, subindo de 38% para 64%.

Os número são bastante surpreendentes. Não só pelo Android ter conseguido dominar o segmento de tablets, mas pela Apple ter sido a única companhia a apresentar uma queda nas vendas de tablet neste período. Claro que vale a pena ressaltar que a concorrência está maior e o Android está presente em muito mais aparelhos.

Ainda assim, os números podem assustar a Apple. A Acer teve um crescimento de 248% e a Lenovo de 314%, mas as duas empresas só lançaram seus dispositivos principais agora, o que torna esse crescimento mais compreensível. Porém a Samsung, maior rival da Apple, apresentou um aumento de 277%.

De forma geral, nenhuma empresa superou a Apple no quesito tablets vendidos, mas a pesquisa revela que o domínio dela em relação a concorrência está caindo. A expectativa é que nos próximos meses sejam lançados novos iPad.

Por Felipe Santos Bonfim


Com cerca de 67% da participação de tablets no segundo trimestre de 2013, o Android, do Google é o sistema operacional que está mais presente nos tablets comercializados no mundo. Segundo dados divulgados pela empresa de consultoria Strategy Analytics, foram vendidos, cerca de 51,7 milhões de aparelhos com o sistema operacional, ficando muito à frente dos principais concorrentes.

A Apple perdeu muito espaço em relação ao ano passado. O sistema iOS, desenvolvido pela empresa contou com uma participação de 28%, ante aos 47,2% do ano passado. Os números tiveram queda de 17 milhões para 14,6 milhões de unidades vendidas com o sistema operacional. Quem ainda perdeu espaço para os modelos com Android foi a Microsoft. A empresa de Bill Gates deteve apenas 4,5% do mercado de tablets no trimestre entre abril e junho, mesmo com a redução dos preços do Surface.

O Android tem ganhado espaço por conta dos parceiros de Hardware. Samsung, Google, Amazon e diversas marcas menores. O somatório das vendas desses tablets saltou de 18,5 milhões no segundo trimestre de 2012 (51,4% do mercado) para 34,6 milhões no mesmo período deste ano. Enquanto a venda de iPads foi de 14,6 milhões de unidades, o que representa uma queda de 14%.

Já a Microsoft vendeu pouco mais de 2,3 milhões de unidades dos tablets com sistema Windows RT. O número baixo em relação aos concorrentes se dá por conta do valor dos tablets, além da pouca oferta de aplicativos e do baixo interesse dos desenvolvedores em trabalhar com o sistema.

Por Robson Quirino de Moraes


Apesar de ter tido um brilhante ano em vendas em 2012, a Apple deve começar a se preocupar, pois as vendas do iPad no ano de 2013 podem ficar abaixo das vendas de tablets com sistema operacional Android.

Uma pesquisa realizada pela  IDC aponta que os consumidores estão procurando tablets com telas menores, devido à portabilidade.

Segundo a mesma pesquisa, o famoso iPad da  Apple devem fechar o ano sendo 46% das vendas no mercado, contra 49% do sistema operacional Android.

A IDC também acredita que esse ano será promissor em vendas, e que até 190 milhões de unidades de todas as marcas e sistemas operacionais podem ser comercializadas até o fim do ano. Vale lembrar que no último ano 128 milhões de unidades foram comercializadas no mundo, o número em vendas de tablets apresenta aumento significativo a cada ano. 

O sistema operacional Windows 8 continua bem atrás dos atuais líderes de mercado: iOs e Android. Aproximadamente, apenas 1% das vendas de tablets são de aparelhos com plataforma Windows 8. Apesar de um aumento significativo em vendas e fabricação nesse ano, ainda está longe de seus principais concorrentes.

Mas vale lembrar que aparelhos com sistema operacional Windows 8 não são fabricados em grandes números como Android e iOs.

Por Jonathan da Silva


Há certo tempo começaram a surgir rumores sobre um possível lançamento de um tablet da Nokia durante o Mobile World Congress 2013. Entretanto, ainda há dúvidas se o gadget rodará com Windows 8 ou com Android.

Essa dúvida ficou mais “intensa” após uma declaração do diretor-executivo da Nokia, Stephen Elop, que afirmou que a empresa não descartou a utilização do sistema operacional da Google em um tablet, mesmo que a finlandesa tenha se aproximado muito da Nokia. Além disso, o executivo confirmou que a empresa tem a intenção de lançar um tablet muito em breve, porém não deu muitos detalhes sobre quando isso pode acontecer.

De acordo com Elop, a Nokia ainda está analisando como proceder para o lançamento do seu primeiro tablet, pois como a Microsoft lançou há pouco tempo o Surface – rodando Windows 8 – a finlandesa ainda precisa estudar o mercado para saber como irá participar dele.

Entretanto, mesmo que o Android seja sim uma opção de plataforma para o tablet da Nokia, o diretor-executivo da empresa afirmou que o sistema operacional da Microsoft se manterá como prioridade, principalmente visando alguma integração com os smartphones Lumia.

Por Guilherme Marcon


A JinXing lançou na China um tablet bem diferente que conta com Android 4.1. O aparelho foi batizado de S7300 SMART Console e conta com design bem parecido com o controle do GamePad do Wii U.

O dispositivo conta com um processador ARM Cortex A9 de 1,5 GHz, memória RAM DDR 3, conector HDMI e acesso a rede Wi-Fi e 3G. As especificações técnicas se completam com uma tela de 7 polegadas multi-touch com cinco pontos de detecção.

Os botões do S7300 são iguais a do GamePad, porém a fabricante optou por usar botões Circle Pad no lugar dos analógicos. Segundo a JinXing, o usuário consegue mapear os botões em alguns jogos, como por exemplo,  Shadow Guardian, Blood & Glory, Modern Combat 3 e Splinter Cell.

O tablet chinês ainda consegue rodar jogos NeoGeo, do Gameboy Advance, Mega Drive, Nintendo 8 bits, os do primeiro PlayStation, Nintendo 64, Super Nintendo e fliperamas Capcom com padrão CPS1 e CPS2.

Esse não é o primeiro aparelho que a JinXing lança no mercado que possui um design semelhante ao de aparelhos concorrentes, a fabricante já lançou dispositivos portáteis com design parecidos com o do PlayStation portátil e do Nintendo DS.

Por enquanto não há informações sobre o preço do S7300, nem mesmo foi revelado se o aparelho chegará ao restante do mundo.

Por Felipe Santos Bonfim
 


No último dia 21 de novembro de 2012 a Samsung anunciou a atualização do Android presente no seu aparelho Galaxy Note 10.1.

Com isso, o tablet da Samsung terá como sistema operacional o Android em sua versão 4.1 Jelly Bean além de outras melhorias.

O pacote de modificações do Galaxy Note 10.1 – com o nome de Premium Suíte – consiste além da nova versão do Android em melhorias como o Air View (que mostra mensagens de textos e vídeos sem que eles sejam abertos), o Quick Command no qual é possível escrever no tablet de forma manual e a versão atualizada do Photoshop Touch.

Outras funcionalidades que foram melhoradas no Galaxy Note 10.1 são o Easy Clip que permite o corte de imagens, melhorias no uso de SPen e SNote bem como a inserção de recursos de multijanela que permite a abertura de mais de um aplicativo na mesma tela do tablet.

Todas as melhoras do pacote Premium Suíte já estão disponíveis para update na Alemanha e em pouco tempo devem estar sendo oferecidas em outros países como o Brasil.

Por Ana Camila Neves Morais


Há um novo projeto presente no site Kickstarter, chamado de Chameleon, que promete ser a solução para os usuários que estão insatisfeitos com a tela dos tablets com sistema operacional Android. Isso, porque a ferramenta faz algumas mudanças bem agradáveis na interface do aparelho, como por exemplo, a opção de criar perfis de acordo com os lugares que o usuário estiver.

Ainda, há várias possibilidades para personalização, como dar uma cara nova para a barra de ferramentas e organizar os aplicativos de acordo com as preferências pessoais de cada pessoa.

A descrição do projeto no Kickstarter diz que ele é totalmente integrado à plataforma Android e que tudo que não estava operando de maneira satisfatória no sistema foi melhorado. O resultado disso é uma experiência muito melhor ao trabalhar em um tablet com o sistema operacional do Google.

O Chameleon é muito fácil de ser configurado, o que ajuda o usuário a realizar suas tarefas de maneira muito mais rápida.

Até o momento a ferramenta está em fase de produção com alguns protótipos, porém os desenvolvedores já estão à procura de apoio financeiro para produzir a versão final e para poder liberar o software no Google Play até setembro deste ano.

Por Guilherme Marcon


Para quem não quer correr o risco de perder páginas, textos e vídeos para uma leitura posterior, o Read It Later, que agora será chamado de Pocket, promete ser uma ótima solução. Isso porque ele salva links de vídeos, páginas e textos para que estes sejam vistos ou lidos posteriormente.

Com a intenção fazer com que seus aplicativos continuem fazendo parte dos mais populares do mercado, seus desenvolvedores decidiram fazer grandes reformulações para deixá-los com um conteúdo muito mais atrativo, como ícones, fontes e painéis muito mais bonitos, além de cores muito mais suaves, tornando muito mais fácil a leitura e o acesso às informações.

A mudança não foi pela queda de usuários, tendo em vista que o número destes que permanecem ativos chega a 4,5 milhões, mas aconteceu para manter a posição de mercado, ou até mesmo elevá-la.

Entre as mudanças que foram feitas no aplicativo, sem dúvida a mais interessante é poder filtrar sua lista por tipos de conteúdo. Além de que a visualização de vídeos no site YouTube ficou muito melhor, quando comparada ao aplicativo anterior.

O Pocket já está disponível para as plataformas iOS, da Apple, e Android, do Google, nas suas respectivas lojas oficiais, sendo que agora é totalmente gratuito. E também, o app pode ser baixado para o Kindle Fire e para o Google Chrome

Por Guilherme Marcon


O site TabTimes publicou que a empresa Polaroid está pensando na possibilidade de entrar no mercado de tablets e lançar um aparelho com Android e tela 3D, sem precisar do uso de óculos especiais.

De acordo com o site, o modelo deverá vir com tela de touchscreen de dez polegadas com resolução de 1024×768 pixels e com sistema operacional Android 4.0 do Google. Além disso, o tablet ainda terá processador ARM de 1.5 GHz, 512 MB de memória RAM, conexão Wi-Fi, além de 4 GB para armazenamento de dados e entrada para cartão de memória.

Há algum tempo, alguns sites levantaram a hipótese de que a empresa iria lançar um tablet um tanto diferente da informação atual. A diferença entre os rumores antigos e este é que nos antigos o tablet viria com tela de sete polegadas, processador ARM de 1 GHz, 4 GB de armazenamento interno e 512 MB de memória RAM.

Ao que parece a Polaroid já recebeu encomendas de seu novo dispositivo e cada unidade deverá custar por volta de US$ 328. Porém o aparelho ainda não tem nome nem data de lançamento oficial.

Por Guilherme Marcon


De acordo com o site BR-Linux, a empresa de segurança NQ Mobile conseguiu descobrir um malware que se aloja no sistema Android durante a inicialização dos aparelhos. Trata-se do primeiro vírus para o sistema operacional da gigante das buscas que tem essa capacidade. Seu nome é DKFBootKit e, conforme a pesquisa, ele é uma espécie de variação do DroidKungFu, um dos malwares mais conhecidos no Android, desde 2011.

O recém descoberto DKFBootKit atua disfarçado de um aplicativo que libera o programa pago chamado de ROM Manager, que faz o gerenciamento de ROMs personalizadas e backups no Android.

O novo vírus só é capaz de atuar em aparelhos de acesso root, ou seja, com sistema desbloqueado, e modifica a inicialização dos dispositivos sendo capaz de infectar o “ifconfig” e o “mount”, que são utilitários do Linux. O grande problema que o malware causa é fazer com que um smartphone passe a realizar tarefas comandadas remotamente pelos invasores.

A dica para que o seu aparelho não seja infectado é evitar aplicativos que exijam acesso root ao sistema Android e que só se faça download de apps de fontes confiáveis, como a loja Google Play.

Por Guilherme Marcon


A empresa de marketing IDC realizou uma pesquisa e revelou que o Windows perderá seu espaço aos poucos nos próximos anos. O motivo disso é a grande procura por aparelhos móveis, e por isso a previsão é que o sistema operacional da Microsoft seja ultrapassado pelo Android e iOS até 2016.

Segundo a projeção, o market-share do Windows irá cair para 25,1%, sendo que ano passado era de 35,9%, e o resultado disso será a perda de liderança no mercado.

Ainda de acordo com a pesquisa do IDC, o sistema Android, do Google, irá subir 31,1% até 2016, e será o líder do mercado, e o iOS aumentará para 17,3% em cinco anos.

Ainda, estima-se que este ano sejam vendidos mais de 1 bilhão de aparelhos móveis no mundo todo. Já em 2016 a previsão é que esse número aumente para 1,84 bilhão.

O vice-presidente do IDC, Bob O’Donell, explicou o motivo desta mudança e, de acordo com ele, os dispositivos têm a capacidade de realizar as mesmas atividades que um computador, mas com um grande diferencial: a praticidade. E isso está sendo cada vez mais fundamental na vida de todas as pessoas, o que impulsiona ainda mais o mercado.

Por Guilherme Marcon


Alguns desenvolvedores muitas vezes precisam baixar aplicativos do Android para seus computadores com o objetivo de trabalhar em cima deles, sendo estudando a sua forma de desenvolvimento ou até mesmo modificando, isso para aqueles aplicativos que permitem isso.

Uma maneira fácil de fazer isso é pelo próprio navegador Google Chrome, através de uma extensão que foi lançada recentemente, o APK Downloader.

Primeiramente o usuário deve fazer o download da extensão, que está disponível na Chrome Store. Depois disso, é necessário fazer o seguinte procedimento: entrar nas propriedades do navegador (clicando com o botão direito do seu mouse no ícone de atalho) e depois digitar o comando “–ignore-certificate-errors” (sem aspas) no campo “destino”.

Se tudo der certo com a instalação da extensão, quando iniciar o navegador ele abrirá uma tela que pede o endereço de e-mail do seu cadastro no Android Market e também a senha e o DEVICE ID, que deve ser conseguido no seu telefone celular. Depois, basta acessar o endereço do Android Market e fazer o download do aplicativo.


Há alguns anos atrás, quando se falava em software livre, muitos franziam a testa e perguntavam do que se tratava. O software livre consiste em tornar acessível as linhas de códigos dos programas, sistemas operacionais, aplicativos, enfim, tudo o que é programado e, sem nenhum custo. O intuito é dividir o conhecimento, garantir a adaptação a qualquer sistema e solucionar problemas.

Sem dúvida o Linux foi o maior propulsor dessa ideologia e, depois de grandes empresas como Banco do Brasil, Carrefour, Caixa Econômica, Fiat, McDonald’s e até a NASA utilizarem o sistema, ele foi ganhando notoriedade e abrindo caminho para outras plataformas que hoje em dia abrangem grandes segmentos.

Recentemente o Google liberou o código do Android. O sistema foi lançado em 2008 e em 3 anos já representa 25% do mercado de sistemas operacionais e metade do mercado de smartphones no mundo. Além de ter mais de 10 bilhões de downloads em aplicações.

“Esta versão inclui o histórico completo de mudanças do código-fonte do Android, no qual naturalmente inclui código-fonte da versão anterior Honeycomb. No entanto, como o Honeycomb estava um pouco incompleto, nós queremos que todos foquem na versão Ice Cream Sandwich”, afirmou Jean-Baptiste Queru (Engenheiro de software do Google).

A privatização da tecnologia está por fora. Patentes não trazem conhecimento, apenas dinheiro. O Google sabe disso, tanto que a maior parte do que faz é gratuito e, no entanto, é ícone do sucesso corporativo.

É impressionante o coletivismo dos programadores no mundo inteiro para contribuição dos softwares livres. Quanto mais empresas disponibilizarem seus códigos, maior será a tecnologia desenvolvida.

Por Gabriel Motta


A Sony apresentou em Tóquio dois concorrentes de peso para o iPad 2. Os aparelhos, chamados de S1 e S2 prometem agitar o mundo dos tablets.

Os tablets da Sony terão Android Honeycomb, câmeras frontal e traseira, processador Nvidia Tegra 2, conexão por Wi-Fi, 3G e 4G, além de contarem com o diferencial de serem os primeiros tablets a permitir o uso de jogos do Playstation.

Além das configurações citadas acima, o S1 ainda conta com um design diferente da maioria dos tablets, ele possui um formato mais grosso em sua parte superior. A utilização deste design seria para facilitar o manuseio do aparelho.

Com relação ao S2, o destaque fica pelo seu tamanho, por seu pequeno ele cabe até mesmo no bolso, além disso, o tablet possui duas telas e promete ser uma ótima opção para quem quer um tablet para carregar consigo para todo canto.


Apesar de a Google cancelar a venda de seu smartphone, o Android continua com a corda toda. Prova disso é a mudança nos planos da Asus, que pretende lançar seu tablet em 2011, na Consumer Electronics Show, nos Estados Unidos.

Há dois meses, a fabricante anunciou que usaria uma versão do Windows, provavelmente, um Windows 7 adaptado, no entanto, em comunicado oficial, o sistema da Microsoft será substituído pelo Android.

Uma vantagem desta mudança pode ser a queda no preço do Eee Pad da Asus, tendo em vista que o Android é de código livre e gratuito. Agora resta esperar para saber se o Android vai responder às expectativas da Asus ou morrer na praia como o Nexus One.

Por Camila Porto de Camargo





CONTINUE NAVEGANDO: