HP Sprout – Novo computador com scanner, projetor e mesa digitalizadora



  

A HP começou na quarta-feira (29/10) a pré-venda de um novo produto que pretende reanimar o interesse por computadores desktop. O Sprout é o resultado da união de um computador pessoal com uma espécie de mesa digitalizadora, um scanner 3D e um projetor. O resultado é um equipamento inovador que custará US$ 1,9 mil.

O Sprout realmente inova incluindo duas telas: a principal vem com 23 polegadas e 10 pontos touchscreen. A segunda, chamada Touch Mat, tem 20 polegadas e 20 pontos touchscreen. É uma espécie de mouse touc screen gigante, mas com a função de interagir com imagens com as mãos, sem necessidade de mouse ou teclado. O usuário poderá simplesmente arrastar as imagens da tela "principal" para o Touch Mat e manipulá-las manualmente. A HP chama isto de "plataforma de computação imersiva”. Imagine as aplicações para artistas e designers!

A superfície do Touch Mat foi projetada para ser durável, indo na contra-mão da obsolescência programada, sendo à prova de arranhões e pode ser limpa até mesmo de canetas de tinta permanente.

Sobre a tela principal, ergue-se o Illuminator, a união inovadora de projetor com scanner 3D. O conjunto conta com um projetor DLP e uma câmera digital de 14,6MP com tecnologia RealSense 3D da Intel. Essa câmera permite que o Illuminator capture imagens 3D, que podem ser manipuladas com o Touch Mat. Lembra que mencionei que o Sprout dispensa teclado? Um teclado digital é projetado no Touch Mat também.





Ademais, o hardware do computador conta com processador Intel Core i7 com Intel HD Graphics 4600 e NVIDIA GeForce GT 745A, 8 GB de RAM, e 1 TB de armazenamento interno.

A HP, empresa que está tentando se inovar, tem um pensamento a longo prazo para o Sprout. "Esse é apenas um produto; temos uma visão", afirma Eric Monsef, VP de Sistemas Imersivos da HP. Como qualquer empresa que procura um reposicionamento no mercado, a HP sabe que precisa aprender sobre seu potencial novo publico. Por isso, ela tem cautela no lançamento e enviará o Sprout em algumas centenas de unidades para “fabricantes, desenvolvedores, pessoas do mercado de TI, educadores”, a fim de realizar testes beta e, assim, receber feedback necessário para aprimorar suas ideias.

Resta saber se o novo conceito cairá nas graças do público geral, com novas propostas de aplicação, ou ficará restrita a um nicho, como artistas, designers gráficos e afins.

Por Alexandre S.T.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *