Computadores portáteisvoltados para empresários requerem algumas características diferentes do que os modelos destinados ao mercado de massa.

Os laptops corporativos devem aliar bom desempenho para agilizar a produtividade e uma mobilidade adequada para possibilitar o trabalho remoto. Pensando nisso, a HP resolveu lançar o EliteBook Folio 1020, um notebook de linha empresarial.   

O novo notebook da empresa está dividido em dois modelos diferentes, o Standard Edition e o Special Edition. A diferença é que no primeiro a tela apresenta resolução Full HD com touchscreen opcional, já a outra versão traz uma resolução de tela excepcional QHD com 2560 x 1440 pixels, além de uma estrutura mais leve, pesando apenas 1 kg.  

A bateria é algo que os empresários levam muito em conta ao comprarem um laptop para trabalho. Por isso, o Folio 1020 aposta em uma bateria bastante potente que, conforme informa a HP, consegue durar 9 horas de utilização contínua sem precisar ser recarregado. Além de uma bateria de excelente autonomia, o laptop corporativo tem um leitor de digitais para reforçar a segurança da máquina.

Para conseguir aliar mobilidade e bom desempenho, a HP optou por utilizar um processador Intel Core M, que poupa bastante energia, mas é menos potente que a linha Core i. No entanto a escolha proporcionou a ausência de um cooler para resfriamento.  

Junto com o processador, o Folio 1020 possui 8 GB de memória RAM e 128 GB de SSD (ou até 256 GB, conforme o modelo escolhido). É de se esperar que o modelo do processador, que ainda não foi anunciado, seja compatível com as boas especificações que o notebook já apresenta. O sistema de fábrica do notebook é o Windows 8. O preço de ambas as versões ainda não foi anunciado.  

Já o design do EliteBook Folio 1020 é bem semelhante ao Macbook Air. Ele aparenta uma estrutura bastante resistente, capaz de passar nos padrões mais exigentes de quedas, temperatura, impactos, entre outros.

Abaixo você pode notar as principais especificações técnicas do laptop:  

– Tela: 12,5 polegadas com tela de toque opcional na Standard Edition;

– Resolução de tela: 1920×1080 pixels (2560×1440 pixels na Special Edition);

– Processador: Intel Core M;

– Memória RAM: 8 GB;

– Câmera: 720p;

– Armazenamento: SSD de 128 a 256 GB;

– Bateria: autonomia de até 9 horas de uso;

– Peso: 1,17 kg (1 kg na Special Edition).

Por William Nascimento

HP EliteBook Folio 1020

HP EliteBook Folio 1020

HP EliteBook Folio 1020

Fotos: Divulgação


O que antes era apenas uma diversão para crianças e jovens, agora é tratado como uma inovação no ambiente de trabalho. A Gamificação é uma ferramenta que auxilia as empresas hoje a conseguirem com que seus funcionários tenham um rendimento maior, mesmo executando tarefas nem sempre tão agradáveis do dia a dia de trabalho.

Como definição, a Gamificação é a aplicação de técnicas de jogos em temas que não são direcionados para diversão, ou seja, é a utilização de metodologias oriundas dos jogos existentes, visando à área profissional.

Sua finalidade dentro do ambiente corporativo é envolver os funcionários e criar um engajamento entre eles, contribuindo, assim, para uma resolução mais rápida e prática de assuntos e problemas do cotidiano da empresa.

O sistema já é conhecido dentro da pedagogia, onde algumas escolas adequaram o conteúdo a ser aplicado em forma de games, trocando livros e apostilas por tablets e outros recursos, na perspectiva de tornar as aulas mais atrativas e dinâmicas, motivando o aluno e o ajudando na absorção do conhecimento. 

E seguindo esta mesma tendência, as empresas começam a trocar seus softwares de trabalho já existentes por novos programas, que apresentam as mesmas funcionalidades dos tradicionais, mas com uma nova aparência e recursos de jogos, fazendo com que o colaborador se interesse mais pela execução das suas tarefas.

Uma previsão feita por consultores de mercado afirma que neste ano cerca de 70% das 2000 maiores Companhias Globais, disponibilizariam pelo menos um destes aplicativos gameficados para seus funcionários ou seus clientes.

Assim como nos videogames, esses programas despertam a atenção, o interesse e chegam a viciar quem os opera, pois geram recompensas e fazem com que os funcionários produzam mais, mesmo em atividades não tão atrativas, mas que precisam ser realizadas.

Algumas das plataformas existentes possuem uma semelhança enorme com o que seria uma rede social corporativa. A diferença é que além das demandas diárias que cada funcionário tem de cumprir para ganhar bônus no jogo, é possível trocar informações e fazer elogios a seus colegas de trabalho.

Um dos benefícios que este sistema apresenta, diz respeito às avaliações de desempenho dos funcionários, que antes eram feitas a cada seis meses e agora podem ser realizadas a cada dia ou semanalmente, já que os supervisores têm acesso em tempo real sobre toda a evolução produtiva de cada setor, ajudando devido reconhecimento de cada funcionário.

Dentro do jogo, quando um funcionário cumpre suas tarefas e se destaca, além de ganhar pontos, ele acaba competindo com seus colegas de trabalho, o que para a empresa é algo muito vantajoso, pois esta concorrência sadia eleva a produtividade, devido a um comprometimento maior entre todos os funcionários.

Hoje, as empresas buscam constantemente por inovação e novas formas de comunicação com seus funcionários e clientes. Utilizar a técnica de games será em breve algo natural entre os empreendimentos corporativos, tanto para reter os talentos da corporação, quanto para cultivar e conseguir novos clientes.

A expectativa de especialistas é que em 2015 este mercado da Gamificação movimente cerca de U$$ 3 bilhões de dólares em todo o mundo.

Por André F.C.

Foto: divulgação


Dell Latitude 10Muitos tablets não são destinados ao público empresarial e a Dell pensou justamente neste público que precisa de um aparelho que atenda as suas necessidades. A fim de se adaptar às necessidades constantes do mercado, a Dell desenvolveu o Latitude 10.

Este aparelho trabalha com o processador Windows e é um dos poucos aparelhos que o possuem, mas o grande diferencial deste tipo de aparelho é justamente a segurança de se guardar os arquivos, sendo que o sistema possui uma facilidade de gerenciamento, o que é o ideal para os empresários, que necessitam de produtos fáceis de manusear no corrido dia a dia.

Esse tablet possui uma das maiores telas do mercado, que é de 10.1, além de uma grande capacidade de armazenamento, com 64 GB de memória, além de aceitar o cartão de memória SD, trabalhar com Bluetooth e com tecnologia Wi-Fi, e ter um dos melhores processadores do mercado, o Intel Atom de 1,8 GHz.

Como o mercado está focado em aparelhos para o grande público, a Dell acertou em cheio em oferecer um aparelho destinado ao público empresarial. O preço médio desse aparelho está por volta de R$ 2.400.

Por Jaime Pargan





CONTINUE NAVEGANDO: