Nova atualização do Google Chrome terá um recurso que impedirá que os vídeos sejam reproduzidos automaticamente, sem a autorização do usuário.

Quem está navegando pela internet e fica com muitas abas abertas, costuma ouvir um som, vindo de "algum lugar do computador" e aí é feita a pergunta tão conhecida: "de onde está vindo este som?".

Acontece que, quando abrimos muitas guias, pode acontecer que uma destas páginas tenha um vídeo e em certo momento ele começa a ser executado e aí é preciso que o usuário verifique cada uma das abas, até descobrir em qual delas encontra-se o tal vídeo, para então poder pausá-lo e ele não ficar incomodando.
Mas este problema está com os dias contados, pelo menos para quem utiliza o Google Chrome, que vai trazer em sua próxima atualização um recurso que vai impedir que os vídeos sejam reproduzidos de forma automática quando o usuário estiver em uma outra guia que não seja a da página onde o vídeo se encontra.
François Beaufort, executivo do Google, foi quem fez o anúncio através do Google+. De acordo com François, o vídeo somente voltará a rodar, quando o usuário voltar à aba onde este vídeo se encontra.

O problema da execução de vídeo de forma automática é uma reclamação antiga e por educação, os desenvolvedores devem deixar o vídeo parado, cabendo ao internauta a decisão de visualizar o vídeo ou não. Só que esta negra não é respeitada na maioria das vezes, principalmente por anúncios que querem, de toda forma, chamar a atenção do usuário.

Mas a intenção da nova função do Google Chrome não é só ajudar o usuário a se ver livre deste incômodo, mas também deixar o navegador mais rápido, já que ele não terá que ficar executando o vídeo, podendo empregar este seu poder no que realmente o usuário está precisando.

Mas os usuários do Google Chrome não precisam esperar a atualização chegar para contar com esta opção, basta desativar a reprodução automática de vídeos no próprio navegador. Para isso, vá em "Configurações", escolha "Privacidade", depois acesse "Configurações de Conteúdo" e, por fim, escolha a opção "Plug-ins". Agora é só marcar a opção "Deixe-me escolher quando executar o conteúdo do plugin".

Pronto! Agora você já está livre da execução automática dos vídeos.

Por Russel

Google Chrome


O navegador Google Chrome nem acabou de receber atualizações e já pode causar problemas aos seus usuários. Um erro do navegador do Google pode permitir que invasores consigam acesso ao microfone do computador do usuário, sem que ele libere essa ação. Um especialista em tecnologia, Guy Aharonovsky gravou um vídeo e publicou em seu canal oficial do YouTube em que confirma o erro do Google e explica como o processo funciona no navegador dos usuários.

A invasão funciona com muita sutileza sem que o internauta perceba nada de diferente. Até mesmo o usuário que bloquear o acesso ao microfone, através das configurações do browser, pode ter seu equipamento rastreado por hackers. O bug do Google Chrome permite que uma pessoa mal intencionada utilize um site inteiro acessado pelo usuário em um microfone grande e transparente, sem que o internauta veja algo. Apenas uma imagem cinza aparece e, quando o local recebe um clique, o tal microfone começa a gravar todos os sons sem que o usuário tenha ideia que seu equipamento está sendo acessado por terceiros.

O erro não deixa o usuário ter nenhuma noção do que está acontecendo em sua máquina. O bug usa a antiga API de voz do navegador Google Chrome, o que não explicita o uso do microfone no quadro de endereços, apenas em um elemento de discurso que é semelhante a uma bolha. A falha permite ainda que o invasor altere o microfone para qualquer tamanho e opacidade, podendo ser colocado como transparente, além de que a ferramenta pode ser colocada fora do alcance de visão do internauta. O microfone pode ficar no modo invisível e ainda ser colocado longe do espaço do browser.

No vídeo exemplificado por Guy Aharonovsky, o especialista detalha toda a falha e como funciona o processo do erro. Aharonovsky demonstrou o bug em um Mac OS X do Google Chrome e postou a gravação no Facebook. Mesmo assim ele garante que o problema pode acontecer em qualquer versão do programa. O especialista também já reportou o erro ao Google. Agora é aguardar para que o problema seja rapidamente corrigido.

Por Carolina Miranda





CONTINUE NAVEGANDO: