Após as vendas fracas do tablet da Samsung, o Playbook, a empresa decidiu não fazer a atualização mais recente do sistema operacional, o Blackberry 10.

Segundo um dos gestores da Samsung, Thorsten Heins, durante a apresentação dos resultados na sexta-feira 30 de Junho, esta decisão foi tomada pelo fato de que o sistema não estava conseguindo ter o desempenho esperado nos tablets, ou seja, o sistema rodado não estava atingindo um nível satisfatório, por isso a atualização não seria autorizada. Atualmente, a empresa  está focando os seus esforços na nova linha de Blackberry em que será colocado o sistema atualizado Blackberry 10.

Heins afirmou que durante o último trimestre fiscal de 2014 (março a maio de 2013) o Playbook vendeu somente 100 mil unidades, desta maneira os investimentos serão reduzidos nessa categoria e em aproximadamente cinco anos a empresa deixaria de comercializar o produto, visto que os consumidores não sentiriam atração por adquiri-los.

O Playbook chegou no mercado em Agosto de 2011 e já entrou nas lojas colecionando diversas críticas pelos poucos aplicativos que oferecia.

A Samsung não está somente preocupada pelo insucesso nas vendas do tablets, mas também com as vendas insatisfatórias do smartphone.

Por Melina Menezes


Quem acompanha as matérias de tecnologia que escrevo, já deve ter lido a frase “Guerra de Tablets” ou algo do gênero. Porque é exatamente esse o cenário atual. 2011 deverá testemunhar uma verdadeira explosão nesse tipo de computador portátil e ninguém quer perder espaço. Mas nos últimas semanas essa tal “guerra” ganhou contornos mais agressivos depois que a HP acusou a RIM de plágio.

Segundo a HP a interface QNX do tablet Blackberry Playbook traz muitas semelhanças com a interface do sistema operacional da antiga Palm, o WebOS, que hoje pertence à HP. Um executivo de marketing afirmou que essas semelhanças são “sinistras”. A RIM, claro, rebateu as acusações e afirmou que partiu do zero para definir sua experiência de usuário. De acordo com a companhia canadense não houve qualquer intenção de copiar a HP.

Por enquanto, não sabemos se a HP pretende processar a RIM. É bom lembrar que enquanto as duas empresas discutem, a Apple e o iPad vão, como se diz no Rio Grande do Sul, “patrolando” a concorrência. Em outras palavras, vão passando por cima de todo mundo.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: BGR





CONTINUE NAVEGANDO: