Em um primeiro momento, o tablet Nexus 10 possui a aparência de ser bem usual, e não demonstra atualização específica de forma visual. Avaliando outro aspecto, as cores possibilitam uma resolução que ainda não foi visualizada nos tablets da companhia.

O modelo é um aparelho diferenciado, entretanto, o primeiro contato com ele possibilita a sensação do grande desenvolvimento da companhia ao considerar a ergonomia da peça.

É garantido um peso leve e fácil usabilidade através do acabamento emborrachado, havendo a ausência de riscos, caso o aparelho caia bruscamente, o que é possível devido à capacidade aderente da borracha.

Enquanto o aparelho não é tão chamativo para ser comprado, a união com o sistema operacional Jelly Bean é a mais atrativa, sobretudo para as pessoas que compartilham o dispositivo com outros. É permitido realizar o cadastro de diversas contas, o que permanece que seja seguro, ainda que outros façam uso do tablet.

O recente nível do Android é bom, com detalhes que são importantes, onde pode-se citar a barrinha de notificações.

O tablet conta com uma câmeira traseira. Ela demonstrou ter grande importância para os aparelhos, assim como algo necessário, principalmente com a chegada de aplicativos, onde pode-se citar o Instagram.

A resolução da câmera é de 5 megapixels e ainda contém um flash LED, como também um programa que permite a manipulação de fotos através de utensílios do Jelly Bean. Dessa forma, é possível obter fotos em 360º e resultados específicos.

Um fator negativo é a ausência de Slot para cartões micro SD, o que impede, de forma significativa, a pessoa que irá compartilhar o tablet. Pergunta-se, desta forma, qual o objetivo de um aparelho que possibilita diversas funções, se contém baixo nível de memória? Há o recurso extra de um adaptador com micro USB para esta situação.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


Batizado de Ride, foi lançado no mercado o novo e promissor simulador para os aficcionados por pilotagem de motos. A iniciativa é da empresa editora Bandai-Namco e trata-se de um jogo desenvolvido em parceria com o experiente estúdio Milestone, que possui bagagem profissional na realização de trabalhos para o MotoGP 14 e MotoGP 13.

A previsão é que o produto seja lançado aqui no Brasil aproximadamente no outono de 2015.

A Bandai-Namco é uma empresa que se propõe a oferecer produtos e serviços que sejam capazes de proporcionar "sonhos, diversão e inspiração através da indústria do entretenimento", como bem enfatiza a marca, em sua página oficial.

O Ride, portanto, foi planejado para concretizar essa pretensão, ao rodar nas principais plataformas de games da atualidade, que são o: Xbox One, Xbox 360, PlayStation 4, PlayStation 3 e também no PC.

O sistema simula com perfeição uma motocicleta e seus movimentos, podendo também ser rodado para quem quer testar suas habilidades de pilotagem diretamente do smartphone.

O jogo é rico em variedades de motos, com mais de 100 modelos de vários tipos, permitindo ao usuário configurar o modelo de veículo da forma como quiser: seja a formulação de uma Superbike ou a preparação e direção de um modelo já conceiturado de moto.

A empresa Namco Bandai tem tudo para se destacar no setor de simuladores de direção em 2015, um tipo de atividade bastante importante para o mercado automobilístico em geral, pois é fundamental para a concepção de projetos de automóveis. De acordo com o noticiário do nicho, o “Ride mudará os conceitos de ‘jogos de motocicleta nos videogames’.

Para o representante de marketing da Milestone, Marco Micallef, a revolução do Ride está justamente na possibilidade de que jogadores e entusiastas de motociclismo em todo o mundo sejam tomados por um “irresistível desejo” de pilotar em alta velocidade diretamente dos seus sofás de casa.

Por Alberto Vicente

Foto: divulgação


Sem anunciar antes, a gigante Apple aumentou o preço dos produtos destinados ao mercado brasileiro. Nesta terça feira, dia 2 de dezembro, vários produtos sofreram reajuste nos preços, entre eles MacBooks Air, Macbooks Pro e iPods.

Alguns deles tiverem o surpreendente acréscimo de mais de R$ 1.000 no valor total. Até mesmo os dispositivos mais baratos, como o iPod Shuffle, sofreram acréscimos consideráveis.

Pode ser devido à proximidade do Natal que os valores foram reajustados, tornando mais complicada a vida de quem queria um aparelho da maçã para presente de fim de ano. Alguns clientes chegaram a demonstrar sua insatisfação nas redes sociais devido ao aumento.

A lista engloba as variantes das linhas MacBook Air, Pro, iPod Nano, touch e Shuffle. A empresa afirmou que a mudança ocorre devido a alteração no valor do dólar. O acréscimo oscila entre 12% até 20% nos aparelhos comercializados. 

Um exemplo ocorre com o Macbook Pro de tela com 13 polegadas e processador de 2,5 GHz, que custava R$ 5.299 e, com o reajuste, passou a ser vendido por R$ 6.399. Outro aparelho, o iPod Nano de 16 GB, custava R$ 829 e agora passou a R$ 949.

O iPod touch teve um acréscimo, partindo de R$ 999 para R$ 1.149 na versão com 16 GB, e o Shuffle teve aumento no valor de R$ 279 para R$ 329.

O peso no bolso do comprador ainda é maior aqui no Brasil, onde os produtos da Apple já tem preços bem superiores aos praticados em outros países. Isso por conta dos impostos e taxas nacionais.

Mesmo com a mudança, o site oficial da Apple ainda está identificando preços com diferenças, enquanto uma página mostra o valor antigo, a plataforma de compra ajusta o preço para o valor atual. O aumento aconteceu no mesmo dia em que começaram as vendas dos iPads Air 2 e iPad mini 3, com preços de R$ 2.079 e R$ 1.729, respectivamente.

Por Ana Rosa Martins Rocha

Foto: divulgação


Os jogos eletrônicos atraem a curiosidade de muitas pessoas amantes deste evento. Das crianças aos adultos, as companhias de jogos procuram agradar a todos. O Brasil é um país com muitos adeptos aos games; o mercado é bastante aquecido e as inovações despertam interesses aos usuários.

Em um momento de lazer com a família, esses jogos variam muito e têm resoluções dos personagens bastante semelhantes com o real. Além do mais, desenvolvem habilidades, raciocínios e incentivam ao aprendizado. Portanto, depende de cada pessoa escolher o jogo que terá maior afinidade e que corresponda às suas expectativas.

Por falar em jogos eletrônicos, quem nunca jogou Resident Evil? Um jogo de terror e sobrevivência da Companhia Capcom, que está com mais uma novidade para o mês de fevereiro de 2015.

Esta novidade é a adição de um personagem clássico, de nome Barry Burton, que fazia parte do primeiro Resident Evil, e uma novata de nome Natalia Korda; esta, sente a presença dos inimigos e de objetos escondidos, portanto, uma aliada no auxílio a completar as missões do jogo.

Essa versão do Resident Evil será apresentada em quatro episódios, sendo esta primeira confirmada para fevereiro do ano vindouro e apresentará  com o seguinte slogan: “Resident Evil: Revelations 2 “.

O jogo é muito procurado nos pontos de vendas e atinge um público de jogadores jovens e adultos. Pelo motivo do Brasil ser um país cujo interesse é muito alto por jogos eletrônicos, a companhia Japonesa Capcom, que desenvolve e lança tais jogos, investe no território brasileiro.

Agora, os jogadores esperam ansiosos pelo lançamento da Capcom no jogo de “Resident Evil: Revelations 2”, pois será mais um opção de jogos eletrônicos para os amantes deste entretenimento se divertirem e convidarem os amigos e familiares para a missão de sobrevivência que envolve este episódio.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

Foto: divulgação


Hoje os consumidores têm muitas opções quando falamos de tecnologia. A regra de sempre é avaliar o que se precisa e não cair na tentação de comprar por impulso, ou porque é um lançamento imperdível e todo mundo já tem um. Fazer isso é cair nas armadilhas, especialmente criadas para pegar você, consumidor desavisado.

A aquisição de um computador deve ser avaliada como a compra de qualquer outra coisa. Merece uma atenção especial, porque quem compra um computador deposita nele muitas expectativas, seja de lazer ou trabalho.

Comprar um desktop – computador de mesa – ainda é uma excelente opção, principalmente se o usuário sabe exatamente o que é um e para qual finalidade vai utiliza-lo. Um PC, como é mais conhecido, é o pai de tudo que vemos por ai.

Dentro de seu gabinete, existem as mesmas peças que dentro de um notebook, ultrabook, smartphone, claro que guardada as devidas proporções de tamanho. As configurações desses PC’s, quando personalizadas, são máquinas superpotentes, que deixam qualquer notebook no chinelo.

Aos viciados em games, pode montar um equipamento com sistema de refrigeração eficiente, com uma placa de vídeo robusta, com muita memória e um processador de ponta. A enorme vantagem disso tudo é que as peças podem ser facilmente trocadas quando apresentam defeito ou quando se deseja potencializar ainda mais o equipamento, fato que já fica dificultado quando o assunto é notebook e seus sucessores.

A desvantagem básica de um desktop é a locomoção. Precisam de um espaço fixo, pois podem ter monitores enormes, de tamanho de televisores. Toda mudança de local demanda um certo esforço. Por isso não é indicado para quem precisa carregar o computador para todo lado.

Mas, para quem trabalha em um lugar fixo, não tem opção melhor, pelo custo-benefício que apresenta diante das demais opções.

A manutenção, quando necessária sempre é mais barata e mais fácil de encontrar. E, com o preço que se paga em um notebook de ponta, você consegue montar uma máquina que com certeza, terá uma configuração top de linha por muito tempo.

Por Luciana Viturino

Foto: divulgação


A Telltale, desenvolvedora de jogos, é conhecida por distribuir os jogos The Walking Dead (baseado na série televisiva da AMC e dos quadrinhos de Robert Kirkman) e Back to the Future (baseado na trilogia homônima de filmes).

A empresa agora está produzindo um jogo chamado Game of Thrones, que criará virtualmente aventuras no mundo das Crônicas de Gelo e Fogo, retratado nos livros do George R. R. Martin. A série de livros que começou a ser publicada na década de 90 já possui 5 volumes e ficou bastante popular após a criação da série de TV pela HBO.

Aproveitando esse embalo, a Telltale já colocou em pré-venda o jogo que promete conquistar a legião de fãs desse mundo épico.

O jogo, assim como os demais títulos da desenvolvedora, estará disponível para dispositivos com iOS. Além dos dispositivos da Apple, cogita-se a ideia desse jogo também ser lançado para tablets e smartphones com o sistema operacional Android.

A história terá protagonistas da Casa Forrester, que não é muito relatada na TV, nem mesmo no livro. Temporalmente, ela se passará entre o final da terceira temporada da série e o início da quinta. Por se tratar do mesmo universo, os jogadores poderão visitar locais como a Muralha e Porto Real, além de interagir com personagens bastante famosos, como o anão Tyrion Lannister (visualmente baseado no ator Peter Dinklage) e Cersei Lannister (Lena Headey).

A ideia da Telltale é distribuir o jogo em seis episódios, sendo que o primeiro chamará Iron From Ice (Ferro do Gelo, em tradução livre). O modo de jogo é bastante peculiar, já que ele faz com que o usuário siga uma trama e não fique solto em um mundo aberto, porém, é totalmente personalizável ao jogador. 

A cada escolha que o jogador faz, ele define um rumo a seguir, sendo que dois jogadores diferentes podem vivenciar aventuras com trajetórias e finais totalmente distintos.

Além de dispositivos móveis, os consoles Xbox One, Xbox 360, PS3, PS4, PC e Macs também receberão versões do jogo.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


A Apple, empresa conhecida mundialmente por produzir o smartphone iPhone, sugere, através de e-mails, que seu novo tablet, o iPad Air 2, possivelmente estará disponível no mercado brasileiro ainda neste ano.

A propaganda com sugestões de presentes de Natal da marca já está sendo feita através de e-mails para usuários cadastrados, o que é uma estratégia de marketing comum da Apple, porém, o que chamou a atenção é que ela colocou uma foto do iPad Air 2 como representante de tablet da empresa.

Ainda não anunciado seu lançamento no Brasil, a Apple deixa a entender que a nova versão do tablet poderá estar disponível nas lojas antes do dia 25 de dezembro, o que é uma jogada de marketing bastante interessante para a empresa, já que no final do ano as vendas de produtos como presentes são bem alavancadas.

O iPad Air 2 vem com a proposta de ser um tablet bem fino, mantendo as dimensões de 240 mm de altura e 169,5 mm de largura iguais ao modelo anterior, porém, com apenas 6,1 mm de espessura, ou seja, 1,4 mm mais fino que o iPad Air.

Dentre suas especificações técnicas, o tablet chegará ao mercado nas versões de 16 GB, 64 GB e 128 GB de memória de armazenamento, tela de retina com 9,7 polegadas, 2048 x 1536 pixels de resolução, revestimento resistente a impressões digitais e oleosidade, tela totalmente laminada e antirreflexo.

Em relação ao seu desempenho, o iPad utilizará o chip A8X, de 64 bits e coprocessador de movimento M8. Uma grande novidade é o sensor de impressão digital, tecnologia já disponível nas últimas versões do iPhone. A câmera principal do tablet é de 8 MP, enquanto que a frontal possui 1,2 MP.

O aparelho já virá com o iOS 8 instalado, que é a última versão do sistema operacional utilizado pela Apple. Dentre as opções de cor, o comprador poderá escolher entre Prateado, Dourado ou Cinza espacial.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


A Hewlett-Packard, conhecida mundialmente pelas inicias HP, é uma empresa americana de tecnologia com diversos produtos espalhados no mercado, entre impressoras, tablets, desktops e laptops. O nome se refere aos sobrenomes de seus fundadores, Bill Hewlett e David Packard, que criaram a empresa em 1939.

Dentre os produtos de destaque da empresa estão os seus notebooks, conhecidos por alta qualidade e durabilidade, o que garante que esses laptops estejam entre os mais indicados no mercado.

A seguir, estão as especificações técnicas de alguns dos melhores modelos da HP atualmente disponíveis.

Pavilion 14-n030br

Processador Intel® Core™ i5-4200U, 1.6 GHz, memória RAM de 4 GB DDR3L SDRAM, HD de 500 GB, gravador de DVD/CD, 2 portas USB 3.0 e 1 porta 2.0, placa de vídeo AMD Radeon™ HD 8670M, placa de som integrada com DTS Sound+, bateria de 4 células ,Webcam, tela HD LED de 14 polegadas e resolução de 1366 x 768.

Pavilion 14-n040br

Processador Intel® Core™ i5-4200U, 1.6 GHz, memória RAM de 8 GB DDR3L SDRAM, HD de 1 TB, gravador de DVD/CD, 2 portas USB 3.0 e 1 porta 2.0, porta HDMI, placa de vídeo AMD Radeon™ HD 8670M, bateria de 4 células, Webcam, tela HD LED de 14 polegadas e resolução de 1366 x 768 e Bluetooth.

Pavilion 14-n050br

Processador Intel® Core™ i7-4500U, 1.8 GHz, memória RAM de 8 GB DDR3L SDRAM, HD de 1 TB, gravador de DVD/CD, 2 portas USB 3.0 e 1 porta 2.0, placa de vídeo AMD Radeon™ HD 8670M, porta HDMI,  placa de som integrada com DTS Sound+, bateria de 4 células ,Webcam, tela HD LED de 14 polegadas e resolução de 1366 x 768.

Pavilion 14-n060br

Essa versão trata-se de um ultrabook, com processador Intel® Core™ i5-4200U, 1.6 GHz, memória RAM de 8 GB DDR3L SDRAM, HD de 1 TB, Memória Flash (SSD) de 32 GB com tecnologias Intel® Rapid Start e Intel® Smart Response, gravador de DVD/CD, 2 portas USB 3.0 e 1 porta 2.0, placa de vídeo AMD Radeon™ HD 8670M, porta HDMI,  placa de som integrada, com DTS Sound+, bateria de 4 células com 48Wh ,Webcam e tela de 14 polegadas.

Pavilion 14-n070br

Esse também é um ultrabook, com processador Intel® Core™ i7-4500U, 1.8 GHz, memória RAM de 8 GB DDR3L SDRAM, HD de 1 TB, Memória Flash (SSD) de 32 GB com tecnologias Intel® Rapid Start e Intel® Smart Response, gravador de DVD/CD, 2 portas USB 3.0 e 1 porta 2.0, placa de vídeo AMD Radeon™ HD 8670M, porta HDMI,  placa de som integrada, com DTS Sound+, bateria de 4 células com 48Wh ,Webcam, tela de 14 polegadas e Bluetooth.

Foto: divulgação

Split 13

Esse é um notebook touch, mais parecido com um tablet, com processador Intel® Core™ i5-4200Y, 1.4 GHz, memória RAM de 4 GB DDR3L SDRAM, HD de 500 GB, Memória Flash (SSD) de 64 GB, 1 porta USB 3.0 e 1 porta 2.0, placa de vídeo Intel® HD Graphics 4400, porta HDMI, dois alto-falantes Beats Audio™, bateria de 3 células com 33Wh ,Webcam e tela de 13,3 polegadas.

Por Rannier Ferreira Mendes


A Microsoft é uma empresa americana conhecida mundialmente, que foi fundada em 1975, sendo Bill Gates um de seus fundadores, o qual é uma personalidade que tem seu nome hoje totalmente relacionado à marca.

Ela foi responsável pela popularização de computadores pelo mundo e, ainda hoje, as máquinas que estão dentro das casas das pessoas e em empresas rodam prevalentemente o sistema operacional da Microsoft, o Windows.

Hoje existem diversas marcas que foram adquiridas ou criadas pela Microsoft, que têm distribuição mundial, assim como seu sistema operacional. O Xbox é o console de games da marca, que atualmente está na versão One, um videogame da quarta geração, altamente desenvolvido, que proporciona gráficos e experiência em jogo bastante realistas.

Outros nomes conhecidos da marca são o Bing, um motor de busca na internet concorrente do Google, o Skype, um aplicativo capaz de realizar videochamadas e chamadas de voz entre dispositivos em que está instalado, sem custo algum para o usuário, bastando apenas estar conectado a uma rede de internet.

Existem também muitos aplicativos desenvolvidos nos laboratórios da empresa, como a linha Office, que é uma suíte de aplicativos para escritório amplamente distribuída em PCs, smartphones, tablets e até em computadores de sua maior concorrente, a Apple.

Outra parte da empresa relacionada ao entretenimento é o desenvolvimento de jogos, como os da franquia Halo, Age of Empires, Forza, Fable e Fligt Simulator.

A última aquisição notória da Microsoft foi a fabricante de aparelhos celulares Nokia, após ter introduzido inicialmente seu sistema operacional para dispositivos móveis, o Windows Phone, nos aparelhos da linha Lumia da Nokia.

Hoje, a marca já chama seus projetos de novos aparelhos de Microsoft Lumia, ou seja, a tendência é que haja cada vez mais uma unificação entre as diversas empresas adquiridas pela marca e que ela entre no mercado com o mesmo nome, assim como sempre foi feito pela Apple, que tem seu símbolo de “maçã mordida”, internacionalmente reconhecido, em todos seus aparelhos e serviços.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: divulgação


Conhecida no mercado de computadores desde o início da década de 90, a Microsoft adquiriu recentemente a empresa finlandesa de telefonia Nokia e deu prosseguimento em sua produção de tecnologia, abrangendo mais dispositivos em sua coleção de produtos, como tablets e smartphones.

A criação de um sistema operacional para dispositivos móveis, o Windows Phone, permitiu a aproximação entre as duas empresas, mesmo antes da fusão delas, mas inicialmente os aparelhos Nokia que rodavam o sistema operacional da Microsoft eram os smartphones.

Para ganhar espaço na concorrência de compartilhamento entre os tantos dispositivos que utilizamos na vida cotidiana, a empresa lançou o Lumia 2520 no Brasil, que é um tablet que concorre com o iPad da Apple e o Galaxy Tab, da Samsung, principalmente.

O tablet, que mede 267 mm de largura, 168 mm de altura e 8,9 mm de espessura, com 615g, possui uma tela de 10,1 polegadas, com resolução Full HD (1920 x 1080), sensível ao toque, com sensor de orientação, proteção pelo Vidro Gorilla® Corning® 2, com as tecnologias LCD IPS e ClearBlack.

Seu processador é o Snapdragon 800, que possui quatro núcleos e uma taxa de clock de 2200 MHz. Também conta com uma memória RAM de 2 GB, memória de armazenamento de 32 GB, expansível com cartões MicroSD. Possui conectividade 4G LTE, usando um Micro-SIM.

Diferentemente dos smartphones, esse tablet executa o Windows 8.1 RT, e não o Windows Phone, o que o assemelha bastante com um laptop com Windows, porém, com a liberdade em seu manejo.

Um investimento feito pela marca no tablet foi colocar uma câmera principal com o sistema óptico ZEISS, o mesmo usado nas câmeras dos smartphones top de linha da Microsoft. Ela possui 6.7 MP, mas também possui uma câmera frontal para selfies e videoconferências de 1.2 MP.

O aparelho já está disponível nas lojas, inclusive na loja on-line da fabricante, com preços a partir de R$ 1.799,10, nas opções de cores preto e vermelho.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: pavtube.com


A MSI Computer Corp produzirá um notebook gamer e promete que o produto irá mudar para sempre a experiência dos jogadores. Trata-se do GT80 Titan, o primeiro notebook voltado para gamers com teclado mecânico.

Esse tipo de teclado oferece maior durabilidade e mais precisão na hora de jogar. No caso do GT80 Titan, o teclado é um SteelSeries Cherry Brown MX. A Cherry é líder em fabricação de interruptores usados em teclados.

“O desempenho é fundamental para os jogadores e o GT80 Titan irá mudar para sempre a eperiência dos gamers”, disse Andy Tung, presidente da MSI Pan América. “Estamos orgulhosos de estar na vanguarda da evolução dos gamers e vamos continuar fornecendo soluções que proporcionam a melhor experiência para os jogadores. O GT80 Titan combina o desempenho de um desktop gamer com a mobilidade de um notebook.”

Outra característica que deve agradar os gamers é a tela de 18 polegadas. Ao invés do espaço, que geralmente é destinado para o apoio das mãos ao lado do touch pad, o teclado fica próximo do jogador.

Acima do teclado há um grande espaço reservado para o sistema de som Dynaudio. E o trackpad? Fica ao lado do teclado, e também pode ser usado como teclado numérico. Assim, os jogadores acostumados ao bom e velho teclado-mouse dos desktops não terão dificuldade de se adaptarem ao notebook.

Ao longo do componente do teclado há uma retroiluminação, elemento que costuma encher os olhos do público gamer.

A MSI, empresa de Tawian, garante que este será o mais leve e fino notebook gamer do mundo, mesmo não tendo dimensões diminutas: especula-se que a espessura seja de 4,91cm, e o peso de 4,5kg.

Ainda não há especificações técnicas, previsão de lançamento e o valor que o produto irá custar. A empresa deve fornecer mais detalhes em breve. Por enquanto, podemos guardar nos "favoritos" o site do produto e aguardar.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


A notícia de que o supercomputador Watson irá vasculhar a rede de microblog veio pelo próprio site do Twitter. Trata-se de uma parceria entre a empresa do pássaro azul e a IBM, dona da inteligência artificial que derrotou humanos em um programa de perguntas e respostas.

O propósito de Watson nessa nova parceria é simples: vasculhar a rede do microblog para analisar e fazer um perfil das preferências, opiniões, desejos e comportamentos dos usuários. Tudo para fins corporativos, ou seja, essas informações serão vendidas para empresas interessadas em aprender mais sobre os consumidores.

Isso tem seu lado positivo. Empresas aprenderão mais rapidamente o que está agradando ou desagradando seus clientes. Lançarão produtos mais correspondentes com nossos desejos e necessidades. O problema, dentro desse raciocínio, é que o Twitter pode ser uma fonte um tanto questionável, ou no mínimo limitado, para se aprender sobre as pessoas.

Partindo para a esfera mais "ética", muitos usuários podem se sentir desconfortáveis ou violados ao saberem que estão sendo o tempo todo observados por um computador com inteligência artificial. Mas, sabemos sabemos que em qualquer rede social gratuita nossas informações são a mercadoria para gerar lucro.

Não é novidade que tudo o que postamos na Internet é usado pelas empresas. A diferença agora é qual tecnologia está sendo empregada.

Para entender melhor, é preciso conhecer o Watson mais de perto. Ele foi desenvolvido a partir da ideia de criar um computador que pudesse vencer no programa norte-americano Jeopardy. Para isso, seria necessário um software que pudesse responder qualquer pergunta. Ele analisa uma massa de dados em linguagem natural, oferecidos pelos desenvolvedores.

No nível ético não podemos saber com certeza de como nossas informações serão usadas. O mais correto por parte do Twitter seria que pudéssemos escolher quais informações queremos compartilhar com o Watson. Mas será que valeria a pena para os negócios?

Já em termos mais "apocalípticos", o Watson fará um trabalho digno dos pesadelos de qualquer fã de ficção científica distópica. Há tempos, muitos se preocupam com os rumos que a inteligencia artificial pode tomar.

Será que, ao varrer redes sociais como o Twitter, o Watson é mais um passo rumo à "Skynet", o pesadelo apocalíptico que povoa o imaginário popular da geração tecnológica?

Por Alexandre S.T.

Foto: divulgação


A Apple mal havia anunciado o lançamento do Air iPad 2 como o mais fino tablet até então, e a Dell já roubou o record com o anúncio do seu novo Venue 8 7000. O tablet terá 6,6mm de espessura, apenas 0,1mm a menos que o concorrente da empresa da maçã.

O hardware também vem para impressionar, como é de se esperar da Dell. Tela de 8,4" e resolução de 2560 x 1600, processador quadcore Intel Atom com 2.33GHz e memória RAM de 2GB. Conta também com armazenamento interno de 32GB, conectividade 4G e vem com o Android Kitkat.

Mas a novidade mais interessante é a tecnologia RealSense, que utiliza três câmeras na traseira do aparelho. A principal com 8MP e as duas atuam como complementares para que a tecnologia RealSense possa capturar imagens 3D.

Outra novidade promissora que pode se tornar tendência no mercado é o recurso de captura de movimentos que realiza controle através de movimentos. Ou seja, você poderá controlar aplicações e jogos com movimentos das mãos, como no Xbox Kinect.

Felizmente, disputa pelo tablet mais fino não tem se limitado apenas à espessura, mas também às melhorias do hardware mesmo em menor espaço físico, bem como em inovações. Afinal, qual é a vantagem em lançar um tablet com apenas 0,1mm de diferença se a espessura fosse a única diferença? É óbvio que quem ganha com esse tipo de concorrência é o consumidor.

Até aqui, a Dell mostrou mais novidades em hardware e inovação tecnológica. O Air iPad 2, segundo sites especialistas em hardware, apresenta grandes dificuldades no reparo, devido ao fato de possuir peças muito delicadas e unidas com cola.

Isso torna o reparo praticamente desvantajoso em caso de danos físicos no tablet. Como o Venue 8 7000 ainda não chegou às mãos de ninguém, ainda não se tem novidades quanto a esse quesito.

O Venue 8 7000 deve chegar às lojas em novembro, custando US$ 499. Ainda não há previsão para vendas no Brasil.

Por Alexandre S.T.

Foto: divulgação


Desde que a Apple decidiu distribuir os sistemas operacionais gratuitamente para usuários Mac, a adoção às atualizações tem sido rápidas e em número muito superior aos tempos de OS pago. O OSX Yosemite foi lançado no último dia 16 e já atingiu a marca dos 13% de computadore mac nos EUA e Canadá.

Embora a diferença na velocidade de adoção dos OSX Yosemite e Maveric tenha sido brusca em relação ao OSX Mountain Lion (o último OSX a ser pago), deve-se levar também em conta o aumento considerável nas vendas de computadores portáteis.

No entanto, parece que os lançamentos da Apple costumam vir acompanhados de polêmicas. O Yosemite tem recebido algumas centenas de reclamações relativas à conexão wi-fi. Os fórum oficiais foram bombardeados de relatos de usuários que não conseguem uma boa conexão, ou ainda, conexão alguma. Até o momento de redação deste artigo, a Apple ainda não havia se pronunciado a respeito.

Apesar disso, o sistema empolga os usuários com as novidades chamadas de de Continuidade (Continuity), que são o conjunto de recursos que integram Macs com iGadgets. Agora é possível a sincronização de dados pelo iCloud, transferência de arquivos entre dispositivos pelo AirDrop e visualizar fotos e vídeos de iGadgets em Macs com o AirPlay.

Um dos recursos interessantes é o Handoff, que permite a sincronização do Mail, Safari, Pages, Numbers, Keynote, Mapas, Mensagens, Lembretes, Calendário e Contatos. É possível iniciar uma tarefa em uma dessas aplicações no seu iPhone e concluí-la no Mac. Mas, para isso, é necessário que os aparelhos móveis estejam atualizados com o iOS8.

Porém, assim como o wi-fi, os recursos Continuity irritaram os usuários por apresentar uma limitação: só funciona com aparelhos recentes, quase sempre modelos de 2012 para cá. Com isso, usuários da comunidade open source, que sempre gostam de resolver os problemas por si mesmos, criaram e disponibilizaram gratuitamente a Continuity Activation Tool. 

Ela habilita o uso de alguns dos recursos Continuity (Handoff, Instant Hotspot e AirDrop) em outros modelos de Macs que não são originalmente suportados pelo Yosemite.

O OS X Yosemite pode ser encontrado de graça para todos os usuários na Mac App Store.

Por Daniel Cavalcante Sousa

Foto: divulgação


A empresa de Consultoria IDC Brasil, informou na última quinta-feira, 23 de outubro de 2014, os dados do Estudo “PC Monthly Tracker”, onde o mesmo indica que houve uma queda no número de computadores comercializados em todo o território nacional nos meses de julho e agosto deste ano, chegando a uma marca aproximada de 1,5 milhão de unidades vendidas.

Durante o mês de julho, foram vendidos 787 mil PC’s (computadores pessoais), onde 324 mil unidades comercializadas eram de computadores de mesa (desktops) e outras  464 mil unidades de notebooks. Ou seja, 41% das vendas representaram os desktops e 59% os notebooks. Se comparado ao mês de julho de 2013, a queda no percentual das vendas chegou ao de 35%.

Já no mês de agosto, a queda indicada no estudo chegou aos 27%, se comparado ao ano anterior.  No mês, 760 mil computadores foram comercializados, sendo que deste total, 293 mil unidades vendidas foram apenas de desktops, enquanto a quantidade de notebooks negociados foi bem superior, chegando às 467 mil unidades durante o mês.

Isso significa que foram vendidos 61% de computadores portáteis contra 39% de computadores convencionais.

De acordo com Pedro Hagge, analista de mercado da IDC Brasil, este resultado já era esperado, por se tratar de um período que antecedeu o primeiro turno das eleições desde ano.

Outro detalhe que contribuiu negativamente para este desaquecimento das vendas foi o fato de ter havido uma diminuição da concorrência entre preços das empresas (fabricantes e comércio), já que este fator de disputa de valores se faz totalmente relevante quando o consumidor pretende adquirir um produto.

Até o final deste ano a estimativa da consultoria não é boa para o mercado. De acordo com os levantamentos realizados pela empresa, esta queda ainda pode atingir os 24% das vendas, sendo esta a mais acentuada já registrada nesta área.

A IDC Brasil é uma empresa que presta serviços de consultoria para indústrias de T.I (Tecnologia da Informação), telecomunicações e mercados de consumo em massa de produtos e serviços tecnológicos.

Por André F.C.

Foto: divulgação


A gigante americana Microsoft, liderada pelo CEO Satya Nadella, divulgou hoje os resultados financeiros referentes ao último trimestre. A empresa superou as expectativas dos analistas, alcançando um crescimento de 25% na sua receita em relação ao mesmo período do ano anterior. Os benefícios serão reduzidos em 13% por causa de custos de reestruturação. 

A responsabilidade primária dos bons números tem a ver com as vendas do Surface Pro 3. Mas não é somente o Surface que ajudou nos bons números. Diversos outros setores da empresa parecem estar prosperando.  

As vendas do Microsoft Surface tem batido os recordes de vendas neste último trimestre, disponibilizando para a empresa uma receita de 908 milhões de dólares. Isso representa um aumento de 127% em relação ao mesmo período do último ano fiscal.

Grande parte destas vendas estão relacionadas ao último modelo do produto, o Pro 3. Outro produto da empresa que apresentou um ótimo crescimento foi o Xbox One. Neste trimestre a Microsoft vendeu 2,4 milhões de consoles no mundo todo, o que representa um crescimento de 102%.

Anteriormente conhecido como Nokia Lumia, agora Microsoft Lumia, também teve um peso importante no bom desempenho financeiro da companhia. Cerca de 9,3 milhões de unidades do smartphone, em seus diversos modelos, foram vendidas. Com este desempenho, a Microsoft consegue remover o não tão bom resultado apresentado no trimestre anterior.  

Em relação aos softwares desenvolvidos pela empresa, o Office e o Windows apresentaram um crescimento de 5 e 10%, respectivamente. O serviço de nuvem Office 365 apresentou um ótimo crescimento. Os bons resultados apresentados se traduziu em não apenas vender softwares, mas em vender mais dispositivos aos consumidores. 

Os números apresentados pela Microsoft com certeza foram bons para a indústria de smartphones e computadores em geral. O mesmo não acontece com a Amazon, empresa americana considerada referência no e-commerce mundial.

Liderada por Jeff Bezos, a companhia apresentou péssimos resultados no balanço do último trimestre, com quase meio bilhão em prejuízos. As ações da Amazon apresentam queda devido aos números divulgados.

Por William Nascimento

Foto: divulgação


Muitas pessoas se perderam no mundo dos videogames há algumas gerações e não conseguem se encontrar nas gerações atuais. Jogos muito fáceis, com apelo visual significativo, com obras que se aproximam muito mais das telonas do cinema do que das telas dos PCs e TVs, onde se ligam os videogames.

É fato que hoje existem vários jogos sensacionais, porém, parece que o glamour dos jogos no PC ficou pra trás há muitos anos. Hoje, são raros jogos adventure, point and clicks, games que se assemelham muito a um jogo de tabuleiro, por terem uma interface gráfica simplória, mas que são cheios de diversão.

Creio que, pensando nisso, surgiu o GoG (Good old Games). Um site recheado de velharias que poderiam muito bem sair de um baú da casa do seu tiozão que curtiu os anos 80 e 90 na frente de um pc.

O gog.com é um site maravilhoso para os saudosistas. Ele conta com produtos que se encontram entre os mais vendidos do passado, como também com aqueles chamados jogos B, que só uma galera mais cult jogava.

Para atrair um público mais jovem, o gog também conta games novos, inclusive com exemplares da nova geração. A biblioteca é ampla, apresentando títulos divididos em gêneros (ação, aventura, indie, corrida, rpgs, shooters, etc), plataforma, linguagem, modos de jogo, ano em que foi lançado, empresa e preços.

O site também tem um sistema de busca muito eficaz, no qual você pode pesquisar por tudo o que está descrito acima e encontrar os produtos desejados.

Outra vantagem evidente são os preços. Produtos, no geral, muito baratos. Não bastasse isso, o site também traz promoções constantes que reduzem ainda mais os valores cobrados por cada jogo.

A partir do momento que você compra o jogo, ele é de fato seu, e você pode, inclusive, gravá-lo em CD ou em pendrive e transferir para outro computador, ao contrário do que ocorre em outras empresas que vendem jogos online.

Outro grande atrativo está nos extras que acompanham os jogos que você compra. Artworks, manuais, tracklists, detonados, vem tudo junto na compra. E tem mais: os jogos já vêm arrumados para serem compatíveis com os novos sistemas operacionais.

Sem sofrimento, é só instalar e jogar. Quando você começar a usar, vai se pegar comprando joguinhos o tempo todo. Vale a pena matar saudade.

Por Nosf

Foto: divulgação


O que antes era apenas uma diversão para crianças e jovens, agora é tratado como uma inovação no ambiente de trabalho. A Gamificação é uma ferramenta que auxilia as empresas hoje a conseguirem com que seus funcionários tenham um rendimento maior, mesmo executando tarefas nem sempre tão agradáveis do dia a dia de trabalho.

Como definição, a Gamificação é a aplicação de técnicas de jogos em temas que não são direcionados para diversão, ou seja, é a utilização de metodologias oriundas dos jogos existentes, visando à área profissional.

Sua finalidade dentro do ambiente corporativo é envolver os funcionários e criar um engajamento entre eles, contribuindo, assim, para uma resolução mais rápida e prática de assuntos e problemas do cotidiano da empresa.

O sistema já é conhecido dentro da pedagogia, onde algumas escolas adequaram o conteúdo a ser aplicado em forma de games, trocando livros e apostilas por tablets e outros recursos, na perspectiva de tornar as aulas mais atrativas e dinâmicas, motivando o aluno e o ajudando na absorção do conhecimento. 

E seguindo esta mesma tendência, as empresas começam a trocar seus softwares de trabalho já existentes por novos programas, que apresentam as mesmas funcionalidades dos tradicionais, mas com uma nova aparência e recursos de jogos, fazendo com que o colaborador se interesse mais pela execução das suas tarefas.

Uma previsão feita por consultores de mercado afirma que neste ano cerca de 70% das 2000 maiores Companhias Globais, disponibilizariam pelo menos um destes aplicativos gameficados para seus funcionários ou seus clientes.

Assim como nos videogames, esses programas despertam a atenção, o interesse e chegam a viciar quem os opera, pois geram recompensas e fazem com que os funcionários produzam mais, mesmo em atividades não tão atrativas, mas que precisam ser realizadas.

Algumas das plataformas existentes possuem uma semelhança enorme com o que seria uma rede social corporativa. A diferença é que além das demandas diárias que cada funcionário tem de cumprir para ganhar bônus no jogo, é possível trocar informações e fazer elogios a seus colegas de trabalho.

Um dos benefícios que este sistema apresenta, diz respeito às avaliações de desempenho dos funcionários, que antes eram feitas a cada seis meses e agora podem ser realizadas a cada dia ou semanalmente, já que os supervisores têm acesso em tempo real sobre toda a evolução produtiva de cada setor, ajudando devido reconhecimento de cada funcionário.

Dentro do jogo, quando um funcionário cumpre suas tarefas e se destaca, além de ganhar pontos, ele acaba competindo com seus colegas de trabalho, o que para a empresa é algo muito vantajoso, pois esta concorrência sadia eleva a produtividade, devido a um comprometimento maior entre todos os funcionários.

Hoje, as empresas buscam constantemente por inovação e novas formas de comunicação com seus funcionários e clientes. Utilizar a técnica de games será em breve algo natural entre os empreendimentos corporativos, tanto para reter os talentos da corporação, quanto para cultivar e conseguir novos clientes.

A expectativa de especialistas é que em 2015 este mercado da Gamificação movimente cerca de U$$ 3 bilhões de dólares em todo o mundo.

Por André F.C.

Foto: divulgação


Finalmente a gigante ASUS inicia seus trabalhos oficiais via internet no Brasil. A empresa traz ao país uma loja online repleta com as principais novidades do mercado e ítens exclusivos da loja.

O site trabalha com quatro linhas principais: notebooks, tablets, notebooks corporativos e gamer, para todos os gostos e desejos. O que se espera com a loja própria é uma redução de preços, pela eliminação dos intermediários. Além dessas opções, a empresa promete trazer acessórios e lançamentos especiais.

O presidente da Asus no Brasil, Alexandre Wu, afirmou que a loja vem complementar as atividades da ASUS no Brasil, que já tem uma sólida base de consumidores, já que encontramos produtos da empresa em toda e qualquer loja de informática.

O e-commerce também trabalhará com os smartphones Zenfone, que trabalham com processadores Intel Inside. A propósito, os Zenfone estão em destaque no site. Assim que você entra, surge a propaganda com data de lançamento da linha.

A loja já é velha conhecida e promete trazer toda a experiência acumulada para a nova empreitada. Nos notebooks corporativos temos destaque para os ultrabooks de alta performance, além de notebooks ultrafinos. Essas peças têm hardware ideal para se manterem por anos sem maiores problemas. 

Na aba tablets só encontramos o ASUS Fonepad 7, que aparenta ter bom processamento e boa definição gráfica, porém não impressiona tanto à primeira vista. Na parte gamer, temos o notebook ASUS ROG G750JX-T4112H, um monstro, contendo tudo que é necessário para uma boa jogatina.

A interface do site é simples e convidativa, com cores mais neutras e um sistema de compras perfeitamente descrito como comum. Os principais destaques das variadas abas se encontram na pagina inicial do site.

Os preços, como é de se esperar, não são dos mais acessíveis. Porém, a ASUS é uma empresa conhecida por qualidade e excelência. Em geral, o que eles cobram vale a pena.

Por João Flávio Gomes Faria

Foto: divulgação


Os tablets e smartphones estão dominando o mercado e a cada novo lançamento chegam modelos que oferecem mais espaço, maior velocidade e mais opções. Tudo isto, somado à praticidade que estes aparelhos oferecem, tem feito com que os usuários adotem um novo estilo de vida, ou seja, se antigamente, praticidade era poder ter um notebook para transportá-lo para todo lugar, hoje o notebook foi praticamente deixado de lado e, na hora de escolher um aparelho tecnológico para usar fora de casa, tablets e smartphones são os favoritos!

Em casa, o computador continua sendo o preferido, apesar das quedas na venda, mas ainda continuam sobrevivendo ao novo mercado. Para usar fora de casa, além de mais caro, o notebook é maior, mais pesado, por isto vem perdendo espaço rapidamente.

Muitas são as empresas que estão tendo que lidar com esta nova realidade e a Samsung é uma delas.

A marca sul coreana é uma das empresas líderes em se tratando de smartphone, mas no mercado de notebook a Samsung não vê mais motivo para continuar e já decidiu que vai abandonar este mercado, primeiramente na Europa.

E várias empresas estão seguindo este mesmo caminho. A Toshiba já anunciou que vai rever sua atuação no mercado de computadores, a Sony já vendeu a Vaio, uma divisão de notebooks.

A Samsung está decidida a investir onde ela mais tem lucro, ou seja, os novos televisores e os dispositivos Android, que são os mais procurados do mercado atualmente e pesquisas indicam que a tendência é que as vendas cresçam ainda mais nos próximos meses.

Na Europa, a Samsung tinha notebooks top de linha, modelos ultrafinos, além de oferecer naquele mercado os modelos intermediários, mas agora não vai mais continuar com este investimento.

Para o próximo ano, apesar das vendas em baixa, o mercado de PC's conseguirá garantir algum lucro, porém, o mercado de notebook tem as piores previsões, enquanto que o mercado de tablets e smartphones irá continuar crescendo.

Com a queda na venda dos notebooks, a Samsung poderá abandonar este mercado em vários países, ainda neste final de ano.

Por Russel

Foto: divulgação


A IFA 2014, feira anual, internacional, para lançamento e divulgação de novidades nas linhas de eletroeletrônicos e eletrodomésticos, acontece até o próximo dia 10, em Berlim, na Alemanha.

A Intel aproveita o evento para divulgar sua linha de processadores Core M, bem como parceiros que irão utilizar o chip em seus notebooks visando as vendas de natal deste ano.

As vantagens do novo processador começam pela capacidade de se montar computadores extremamente finos, visto sua eficiência e capacidade de trabalho sem a necessidade de um cooler buit-in para resfriá-lo.

Normalmente, até mesmos os laptops com designs mais finos necessitam de um ventilador e, mesmo que este seja bem projetado, silencioso e eficiente, ainda assim ocupam um lugar significativo no interior do aparelho e fazem barulho.

Isso significa que os lançamentos podem chegar a ter menos de 9mm de espessura (o que é mais fino que uma pilha “palito” AAA), bem menores do que os mais finos disponíveis hoje em dia e mais fino do que o MacBook Air (em sua parte mais grossa).

Uma exceção à regra poderia ser o novo Chromebook 13 da Acer, que oferece um design sem a ventoinha, porém, vale lembrar que ele roda um processador Nvidia Tegra K1, que foi originalmente projetado para celulares, e Sistema Operacional Chrome.

A bateria dos novos portáteis da Intel também aparece na lista de prós do produto. A promessa da fabricante é que ela aguente até 8 horas ininterruptas de uso.

Os novos dispositivos de outras OEM´s (sigla em inglês para “Fabricante Original do Equipamento”) como Acer, Asus, Dell, HP, Lenovo e Toshiba chegam às prateleiras na mesma época, para concorrer com as vendas de final de ano.

Oferecem Windows e um desempenho que, por mais que não se compare com o que esperamos dos equipamentos top de linha da Intel e seus processadores da linha Core, bate de longe o desempenho dos tops de linha de um passado não muito distante.

Por Felipe Foureaux Freitas

Foto: divulgação


O mercado de dispositivos móveis é bastante competitivo e todos os anos as empresas do ramo travam uma verdadeira batalha pela disputa em vendas, número de cliente e preferências. Centenas de produtos são lançados, acessórios e recursos diversos que prometem facilitar a vida dos consumidores compõem a carta de artifícios das maiores fabricantes do mundo.

Como já dizia um antigo ditado popular: “Tem espaço para todos” e, aos poucos, o duelo entre pequenos e grandes acabam se igualando nessa batalha.

A Xiaomi, fabricante chinesa, é uma das que mais vem crescendo nos últimos tempos no mercado de dispositivos moveis e promete entrar com tudo anunciando seu novo produto, o MiPad.

O tablet foi apresentado no inicio deste ano e está previsto para chegar ao mercado no dia 1 de julho. Segundo a Xiaomi, o produto será comercializado inicialmente, apenas na China, mas os responsáveis pela marca, não descartam a possibilidade de ocuparem as prateleiras de outros países nos próximos meses, já que querem expandir os negócios e entrarem para o grupo das poderosas.

O MiPad virá com tela de 7,9 polegadas, processador Nvidia Tegra K1 e 2GB de memória RAM. Seu espaço para cartão de memória será de até 128 GB, com o uso de cartão MicroSD. A bateria, de 6700 mAh, promete cumprir uma boa jornada com o aparelho sem a necessidade de conectá-lo na tomada.

Quem busca por tablets ou outros produtos sempre visa, é claro, em um objeto que lhe supra a necessidade sem abrir mão de pagar um preço aceitável de acordo com o que se oferece. A Xiaomi acertou nesta questão e pretende vender seu dispositivo a um valor razoável.

Segundo informações de sites especializados, se fosse converter para a moeda brasileira, o MiPad sairia em torno de R$ 545 sem os impostos.

Para quem procura na simplicidade a satisfação de suas necessidades, sem abrir mão de boas funcionalidades, essa pode ser uma alternativa.

Como toda a disputa pelo o mercado é saudável e favorável, tanto para os que produzem quanto aos que consumem, vale a pena ficar atento a mais informações e aguardar a chegada do tablet em terras brasileiras.                    

Por Juliana Alves de Souza

Foto: divulgação


Os fãs de tecnologia, e principalmente dos tablets, já podem ir se animando, pois acaba de chegar ao mercado brasileiro o ThinkPad 8, da Lenovo, com Windows 8.1. Para os consumidores que não abrem mão da produtividade sem deixar de lado a mobilidade, este é um aparelho que traz recursos muito úteis.

A Lenovo, além de apresentar produtos de design moderno, com acabamento inovador, apostou na qualidade do sistema do ThinkPad 8. O tablet roda sistema Windows 8.1, tem processador Intel Atom de quatro núcleos, 2GB de RAM, com a capacidade de expansão para 64 GB com o uso de SSD e entrada para cartão de memória. Uma boa escolha para quem gosta de guardar muitos arquivos como fotos e músicas.

Assistir em ótima qualidade é uma das exigências de quem entende sobre o assunto, e o dispositivo não deixa a desejar neste quesito, já que vem com tela Full HD de 8,3 polegadas. O seu peso também é um atrativo que agrada; apenas 430 gramas.

A câmera dianteira é de 2 megapixels e a traseira é de 8.

Os concorrentes deverão ficar atentos, pois a Lenovo agregou mais uma novidade no ThinkPad 8. Focando na segurança de seu consumidor, a inclusão de um case magnético parecido com a que acompanha o Ipad, permite a proteção da tela e ao mesmo tempo o usuário pode acessar as câmeras dianteira e traseira sem a necessidade de abrir o aparelho.

Ele é como um teclado que transforma o tablet em computador, porém é fixado magneticamente. Mas fica a escolha do cliente usá-lo ou não.

A conexão a internet pode ser feita por meio de Wi-Fi e há também um slot micro SIM na versão 3G, que também permite. Há entrada para microfone, fone de ouvido, portas USB e HDMI. A bateria também não deixa a desejar, já que, segundo a Lenovo, ela chega a dura até 8 horas de uso contínuo e 17 dias de stand-by.

Aqui no Brasil, o ThinkPad 8 já está sendo vendido nas principais lojas do ramo. O valor sugerido é de R$ 1.400. 

Por Juliana Alves de Souza

Foto: divulgação


Oh My God! Mais uma vez a Samsung. Parece que a Sul-Coreana é um tanque de guerra inabalável no que diz respeito a lançamento de novos produtos. São inúmeras as especulações que giram toda vez que a marca resolve lançar algum de seus inovadores produtos no mercado.

E recentemente estas especulações giravam em torno do que seria o Galaxy Tab S e a empresa resolveu calar os especuladores apresentando sua nova linha de tablets que conta com o modelos: Galaxy Tab S 10,5 e 8,4.

Os aparelhos aparentemente foram desenvolvidos para classificarem-se com uma linha Premium, abrindo concorrência direta com a Versão Surface e Ipad da Apple.

A data escolhida para apresentação dos aparelho foi o dia 12 de Junho, no Galaxy Premier, embora tenha sido visto como uma data desfavorável em virtude de ser a mesma data em que seriam abertos os jogos da Copa do Mundo 2014, a Samsung não se mostrou tímida e apresentou as especificações e funcionalidade de seus novos produtos honrosamente, dando destaque para espessura e a tela dos novos aparelhos que apresentam design bem fino com 6,6mm de espessura.

Ambos os modelos – o Tab S 10,5 e o  8,4 – apresentam praticamente o mesmo Hardware, embora a tela do 8,4 seja apontada como sendo melhor que o outro S 10,5. A resolução de ambos os modelos é a mesma o que torna a densidade de pixels do 8,4 maior. Os aparelhos contam com tela AMOLED. A vantagem do 10,5 é sua bateria que possui melhor capacidade.

A Samsung ainda não se posicionou com relação a preços dos novos tablets, mas sabe-se que o lançamento dos produtos ocorrerá em breve inicialmente para apenas algumas operadoras americanas.

Os aparelhos não contaram com a antiga interface do Android da Samsung que fazia menção ao Windows 8, e agora espera-se que o Android atue com TouchWiz tradicional. Os aparelhos também contarão com o Galaxy Gifts que permite periodicamente a compra de apps gratuitamente.

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


O mercado de aparelhos tecnológicos está sempre em movimento, com lançamentos, novidades e opções de compra para o bolso do consumidor. São modelos, formas e funções cada vez mais distintas para agradar o cliente e abocanhar umas cifras a mais nos lucros.

De acordo com pesquisas, um dos produtos que mais saltaram no quesito “campeões de vendas” foi o tablet. Flexível, dinâmico e moderno, ele tem se tornado o queridinho dos brasileiros e vem eliminando das prateleiras outros artigos que já foram sucesso, como os computadores.

A Samsung, conhecida mundialmente por sua qualidade e requinte, lançou em Nova York sua nova linha de tablets “Premium”, intitulados de Galaxy Tab S. Por enquanto apenas dois modelos foram apresentados, um com 8,4 polegadas e o outro com 10,5.

A ideia é de colocar no mercado tablets mais leves e finos que o iPad Air, já que a espessura, é de 6,6 milímetros e peso de 298 gramas e 467 gramas, respectivamente.

No quesito resolução, a Samsung dá um show, sendo a resolução de ambos 2560×1600, na proporção 16:10.

O software utilizado pela marca é o Android 4.4 (Kit Kat), com algumas modificações feitas especialmente para incorporar as características da empresa. O diferencial também se dá, pelo uso da interface Magazine UX, para tablets que misturam a Touchwiz com alguns blocos dinâmicos.

Usam também processador Snapdragon 800, possui 3 GB de memória RAM e armazenamento que pode variar de 16 GB e 32 GB, com slot para cartão de memória de até 128 GB. Os tablets tem conexão Wi-fi, mas não há a possibilidade de conectá-lo com o celular.

Para os aficionados em tecnologia e estão sempre em busca de novidades, vale lembrar que esses modelos irão chegar primeiramente no mercado europeu e americano no próximo mês.

Ainda não se sabe exatamente quando chegaram no Brasil, quais serão os valores fechados para a comercialização de ambos, porém, se sabe que os valores sugeridos são de US$ 400 pela versão de 8,4 polegadas e US$ 500 pela de 10,5 polegadas.

Muita novidade ainda está pra surgir neste ano, fique atento!

Por Juliana Alves de Souza

Foto: divulgação


O Windows é o sistema operacional mais conhecido de todos os tempos. Isso porque foi a Microsoft que o imortalizou quando conseguiu inserir o PC como item fundamental em casas, escritórios e escolas ao redor do mundo inteiro.

Com o surgimento dos smartphones, a gigante fundada por Bill Gates não ficou para trás, e tratou de criar um sistema próprio para equipar os aparelhos. Apesar de não ter tido muito destaque no início, o Windows Phone foi ganhando o seu espaço de forma bem vagarosa e, atualmente, já está presente em alguns dos melhores smartphones.

Ganhar essa briga não é fácil, já que o sistema operacional possui dois concorrentes muito fortes e que já se encontram há bastante tempo nesse mercado; o Android da Google e o iOS da Apple. Contudo, a Microsoft está disposta a entrar de vez nessa briga para dominar as primeiras posições não somente nas vendas, mas também na preferência do usuário.

De acordo com Nick Parker, que é vice-presidente do setor de parcerias da Microsoft, em uma entrevista ao Wall Street Journal, a companhia pretende oferecer smartphones e tablets com o Windows a preços mais competitivos.

E por competitivos, entende-se à “preço de banana”, já que os descontos chegam a mais de 50%. As linhas 2013 de tablets com o sistema de 7, 8 e 10 polegadas custam, atualmente U$ 300, U$ 400 e U$ 500 e terão o seu preço reduzido ainda esse ano para U$ 100, U$ 200 e U$ 300 respectivamente.

Além disso, os smartphones com o Windows também sofrerão queda brusca nos preços e passarão a custar menos db U$ 200 segundo Parker. Infelizmente, o executivo não divulgou quais mercados serão beneficiados com a redução de preços.

Com os cortes nos preços, a Microsoft busca uma proximidade maior com seus principais concorrentes no mercado, como Apple e Samsung. Resta apenas saber se o Brasil será agraciado com aparelhos de qualidade e preços realmente justos para o consumidor.

Por Ebenezer Carvalho

Foto: divulgação


Nas últimas semanas o malware GOZ (GameOver Zeus) causou preocupação em milhões de internautas que utilizam os sistemas operacionais Microsoft Windows e Microsoft Server. O GOZ pode ser usado por cibercriminosos para roubos de dados e informações bancárias de internautas.

A contaminação provocada pelo malware é realizada por meio de mensagens de spam e phishing (tipo de fraude, na qual busca através de mensagens falsas obter informações sigilosas dos usuários de internet). O GOZ é considerado um dos malwares mais perigosos e sofisticados do momento.

Uma das alternativas para detectar a contaminação é utilizar uma página de teste desenvolvida pela empresa de antivírus F-Secure. Através de um clique o internauta pode verificar se o computador foi contaminado. Mais Informações na página  http://campaigns.f-secure.com/en_global/zeus/ols/

O processo de verificação realizada pela nova ferramenta capta as informações do usuário e insere um código. Com a interpretação sobre atuação do GOZ, é possível entender os mecanismos de funcionamento do malware e focar na prevenção.

Segundo a F-Secure, a página de teste é programada para extrair o código malicioso do malware quando o usuário estiver infectado.

A infecção provocada pelo GOZ é comprometida a computadores com navegadores de 64-bits ou Linux. Entretanto, o computador pode ser infectado, mas – de certa forma -, o browser muitas vezes não apresenta traços da infecção.

Para proteger o seu computador, os pesquisadores da área recomendam as seguintes dicas de segurança:

– É importante manter o software antivírus sempre atualizado, pois a ferramenta reconhece e protege o computador contra os vírus mais perigosos.

– O usuário precisa alterar as senhas com frequência.

– O uso de ferramentas anti-malwares é importante para identificar e eliminar uma infecção.

– A atualização dos sistemas operacionais e software de aplicativos também devem estar sempre em dia.

– Outra dica apontada pelos especialistas é a instalação de correções de software, o que pode evitar que os invasores possam tirar proveito de problemas conhecidos ou vulnerabilidades no sistema.

Boa parte dos sistemas operacionais possuem atualizações automáticas.

Por Letícia Veloso

Foto: divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: