Uso de dispositivos eletrônicos à noite prejudicam o sono, diz pesquisa




De acordo com uma pesquisa feita pela Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, os usuários que leem livros ou artigos antes de dormir podem atrapalhar o sono e ter efeitos negativos sobre a saúde. 

Alguns pesquisadores da Universidade de Harvard compararam a diferença entre realizar uma leitura de livros de papel e outra em leitores digitais antes de dormir. Eles descobriram que as pessoas que possuem o hábito de ler livros digitais, consequentemente levam mais tempo para dormir e não tinham um sono de qualidade. E, por essa razão, se sentiam bem mais cansados ao acordarem na manhã seguinte.


Mas por que isso acontece? Segundo os pesquisadores, o motivo está na luz  azul (faixa de onda) emitida pelos aparelhos digitais (e-readers), que podem prejudicar o relógio biológico. A exposição excessiva à luz azul à noite desacelera ou impede a produção de melatonina, hormônio que regula o sono.

Esta pesquisa foi realizada com 12 pessoas que ficaram dentro de um laboratório na universidade por duas semanas. Eles passavam cinco dias lendo em um iPad e cinco dias lendo em livros de papel.

Logo após passar os dez dias, foram realizados exames de sangue que confirmaram que a produção de melatonina era menor quando as pessoas liam no tablet. Essas pessoas tinham um sono leve e se sentiam mais cansadas que as outras.


De acordo com o coordenador da pesquisa, Charles Czeisler, dormir mal aumenta o risco de doenças cardiovasculares, doenças metabólicas, como a obesidade, diabetes e o câncer. Por esse motivo, os resultados obtidos nesta pesquisa preocupam os médicos.

Czeisler comenta que há uma preocupação especial com os jovens que já possuem deficiência do sono e ficam ligados em seus aparelhos eletrônicos de madrugada. 

Segundo a pesquisadora Victoria Revell, que realiza pesquisas sobre o impacto da luz sobre o corpo na Universidade de Surrey, no Reino Unido, recomenda aos adolescentes que reduzam o uso excessivo dos dispositivos eletrônicos que emitem luz à noite, para evitar problemas de saúde futuramente.

Por Raquel Alice Moreira

Foto: Thinkstock

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *