Computação em nuvem – Vantagens



  

Diz-se de computação em nuvens o processo de utilizar a “memória e capacidades de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet, seguindo o princípio da computação em grade” (Wikipédia). O seu acesso aos arquivos é remoto, não se faz necessário ter seus arquivos gravados em seu computador, apenas sincronizados com o que você salva nos serviços de computação nas nuvens.

Uma das plataformas de computação nas nuvens mais utilizadas no momento são o Sky Drive e o Google Drive, por exemplo, porém existem alternativas diversas, cabendo ao usuário escolher qual usar.

No Google Drive, você terá uma gama de funções, não apenas para armazenar dados, mas também editar/criar e compartilhar documentos. Para quem é usuário do Gmail, na hora de enviar um e-mail, existe a opção de apontar links para os seus arquivos nas nuvens, sem a necessidade de anexá-los. Com espaço de 15 GB, é uma ótima pedida para armazenar seus dados nas nuvens. A sincronização dos arquivos pode ser feita através de vários dispositivos – como tablet, notebook ou até mesmo celular – facilitando o transporte dos dados para onde você for.

Seguindo os mesmos padrões do Google Drive, o Sky Drive é a plataforma de computação nas nuvens da Microsoft. Sua diferença para o Google Drive está na capacidade de armazenamento, 7 GB (contra 15 GB do Google Drive) e nas plataformas de edição de arquivos. Nas demais funcionalidades, cada um com suas peculiaridades.





Em suma, é seguro e prático empregar a computação nas nuvens. Os planos gratuitos (no caso do Google Drive) são suficientes para, pelo menos, sincronizar os dados mais importantes e/ou mais acessados/editados. É gratuito (há a opção de upgrade, caso precise de mais espaço).

Portanto, vale a pena, sim, empregar esse tipo de tecnologia a nosso favor.

Por Reginaldo Soares



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *